Translate this Page

Rating: 3.0/5 (902 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


parabolas de Jesus os dez talentos MT 25.14-30
parabolas de Jesus os dez talentos MT 25.14-30

                                                             Mateus 25: 14-30

"Porque é como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e confiou seus bens a eles A um deu cinco talentos, a outro dois, ea outro um,. De cada um segundo sua própria capacidade seguida. ele continuou sua jornada. Imediatamente ele que recebera cinco talentos negociou com eles, e fez outros cinco talentos. Da mesma forma, ele também quem tem dois ganhou outros dois. Mas o que recebera um foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

"Agora, depois de muito tempo o senhor daqueles servos veio e reconciliou contas com eles. Aquele que recebera cinco talentos, apresentou-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos. Eis que eu ganhei outro cinco talentos além deles. '

"Seu mestre lhe disse: 'Muito bem, servo bom e fiel. Você foi fiel no pouco, eu vou definir você sobre muitas coisas. Entra no gozo do teu senhor.'

"Ele também tem que os dois talentos, disse: 'Senhor, entregaste-me dois talentos. Eis que eu ganhei outros dois talentos além deles.'

"Seu mestre lhe disse: 'Muito bem, servo bom e fiel. Você foi fiel no pouco, eu vou definir você sobre muitas coisas. Entra no gozo do teu senhor.'

"Ele também que tinha recebido um talento e disse:" Mestre, eu sabia que você é um homem duro, que ceifas onde não semeaste e recolhes onde não espalhei. Eu estava com medo, e retirou-se e escondeu- seu talento na terra. Eis que você tem o que é seu. "

"Mas seu senhor respondeu-lhe: 'Servo mau e preguiçoso. Você sabia que ceifo onde não semeei, e recolho onde não espalhei. Você deve, portanto, ter depositado meu dinheiro aos banqueiros e, em minha vindo Eu deveria ter recebido de volta a minha própria com juros. Tira pois, o talento dele, e dai-a ao que tem dez talentos. Porque a todo o que tem lhe será dado, e terá em abundância, mas ao que doesn 't tem, até o que tem lhe será tirado. Jogue fora o servo inútil nas trevas exteriores, onde haverá choro e ranger de dentes.' "

A parábola dos talentos que temos agora é ler perto semelhante ao das dez virgens. Ambos dirigir nossas mentes para o mesmo evento importante, a segunda vinda de Jesus Cristo. Ambos trazem diante de nós as mesmas pessoas, os membros da Igreja professa de Cristo. As virgens e os servos são uma e as mesmas pessoas, mas as mesmas pessoas consideradas de um ponto diferente, e viram em lados diferentes. A lição prática de cada parábola é o principal ponto de diferença. A vigilância é a nota fundamental da primeira parábola, diligência que do segundo. A história das virgens exorta a Igreja para assistir, a história dos talentos exorta a Igreja para o trabalho.

Aprendemos, em primeiro lugar, a partir desta parábola, que todos os cristãos professos receberam algo de Deus. Nós somos todos servos de Deus "." Temos todos os "talentos" confiadas ao nosso encargo.

A palavra "talentos" é uma expressão que tem sido curiosamente desviado de seu significado original.É geralmente aplicada a nenhum deles, mas as pessoas de notável capacidade ou presentes. Eles são chamados de "pessoas talentosas". Tal uso da expressão é uma mera invenção moderna. No sentido em que nosso Senhor usou a palavra nesta parábola, que se aplica a todas as pessoas batizadas sem distinção. Temos todos os talentos aos olhos de Deus. Somos todos pessoas talentosas.

Qualquer coisa pelo qual podemos glorificar a Deus é um talento. Nossos presentes, nossa influência, o nosso dinheiro, nosso conhecimento, nossa saúde, nossa força, nosso tempo, nossos sentidos, nossa razão, o nosso intelecto, nossa memória, nossos afetos, os nossos privilégios como membros da Igreja de Cristo, nossas vantagens como possuidores do Bíblia - todos, todos são talentos. De onde vêm essas coisas? Que mão-lhes concedeu? Por que somos o que somos? Por que não somos os vermes que rastejam sobre a terra? Existe apenas uma resposta a estas perguntas. Tudo o que temos é um empréstimo de Deus. Somos mordomos de Deus. Nós somos devedores de Deus. Deixe este pensamento afundar profundamente em nossos corações.

Aprendemos em segundo lugar, que muitos fazem um mau uso dos privilégios e misericórdias que recebem de Deus. É-nos dito na parábola de alguém que "cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu Senhor." Esse homem representa uma grande classe da humanidade.

Para ocultar o nosso talento é negligenciar oportunidades de glorificar a Deus, quando nós os temos. A Bíblia-despiser, a oração-neglecter, eo sábado-breaker - os incrédulos, o sensual eo terrestre-minded - o trifler, o impensado, eo requerente de prazer - o amante do dinheiro, os avarentos ea auto-indulgente - todos, todos são iguais enterrando dinheiro de seu Senhor na terra. Eles têm toda a luz que eles não usam. Eles podem todos ser melhor do que eles são. Mas todos eles estão roubando a Deus diariamente. Ele emprestou-los muito e eles fazê-Lo sem retorno. As palavras de Daniel a Belsazar, são estritamente aplicável a todas as pessoas não convertido - "a Deus, em cuja mão está a tua vida, e de quem são todos os teus caminhos, você não tem glorificado." (Dn. 5:23).

Aprendemos em terceiro lugar, que todos os cristãos professos deve um dia ter um ajuste de contas com Deus. A parábola nos diz que "depois de muito tempo o senhor daqueles servos veio, e fez contas com eles."

Há um julgamento diante de todos nós. Palavras não têm significado na Bíblia, se não houver nenhum.É mera frivolidade com a Escritura para negá-lo. Há um julgamento diante de nós segundo as nossas obras - determinados, rigorosos, e inevitáveis. Alto ou baixo, rico ou pobre, culto ou inculto, vamos todos ter de ficar no bar de Deus e receber a nossa sentença eterna. Não haverá nenhuma fuga.Ocultação será impossível. Nós e Deus deve finalmente se encontram cara a cara. Teremos de prestar contas de todos os privilégios que nos foi concedida, e de cada raio de luz que nós apreciamos.Veremos que estamos a lidar com criaturas como representante legal e responsável, e que a quem muito é dado, muito deles será necessária. Lembremo-nos isso todos os dias em que vivemos. Vamos "julgar nós mesmos que não pode ser condenado do Senhor."

Aprendemos, em quarto lugar, que os verdadeiros cristãos receberá uma recompensa abundante no grande dia do ajuste de contas. A parábola nos diz que os servos que usaram dinheiro de seu Senhor bem, foram elogiados como "bom e fiel", e disse para "entra no gozo do seu Senhor."

Estas palavras são cheias de conforto a todos os crentes, e pode muito bem nos enchem de admiração e surpresa. O melhor dos cristãos é uma criatura frágil pobres, e precisa do sangue da expiação a cada dia que ele vive. Mas a menos e menor de crentes vai descobrir que ele é contado entre os servos de Cristo, e que o seu trabalho não tem sido em vão no Senhor. Ele vai descobrir, para seu espanto, que os olhos de seu Mestre viu mais beleza em seus esforços para agradá-lo, do que jamais se viu. Ele vai achar que cada hora gasta no serviço de Cristo, e cada palavra falada em nome de Cristo, foi escrito em um livro de recordações. Que os crentes se lembrar dessas coisas e tomar coragem. A cruz pode ser pesado agora, mas a gloriosa recompensa deve fazer as pazes para todos. Bem diz Leighton, "Aqui algumas gotas de alegria entrar em nós, mas há que entra em alegria."

Nós aprendemos no último lugar, para que todos os membros infrutuosas da Igreja de Cristo serão condenados e lançados fora no dia do julgamento . A parábola nos diz que o servo que escondeu o dinheiro do seu senhor, foi condenado como "ímpios", "preguiçoso" e "não rentáveis", e lança-se "trevas exteriores". E nosso Senhor acrescenta as palavras solenes ", ali haverá choro e ranger de dentes."

Não haverá nenhuma desculpa para um cristão não convertido no último dia. As razões com que ele agora para satisfazer a si mesmo será inútil e vã. O Juiz de toda a terra será encontrado para ter feito direito. A ruína da alma perdida será encontrado para ser sua própria culpa. Essas palavras de nosso Senhor, "você sabia", são palavras que deveria tocar alto em muitos ouvidos de um homem, e perfuram-lo para o coração. Milhares de pessoas estão vivendo neste dia sem Cristo e sem conversão, e ainda fingir que eles não podem ajudá-lo. E todo esse tempo eles sabem a sua própria consciência de que eles são culpados. Eles estão enterrando seus talentos. Eles não estão fazendo o que podem.Felizes os que descobrir isso cedo. Ela virá com tudo no último dia.

Deixemos esta parábola com uma determinação solene, pela graça de Deus, nunca se contentar com uma profissão de cristianismo sem prática. Vamos não só falar sobre religião, mas ato. Deixe-nos não só sentir a importância da religião, mas fazer algo também. Não nos é dito que o servo inútil era um assassino, ou ladrão, ou até mesmo uma perda de dinheiro do seu senhor. Mas ele não fez nada --e esta foi a sua ruína. Vamos tomar cuidado de um fazer-nada cristianismo. Se tal cristianismo não vêm do Espírito de Deus. "Para não fazer mal", diz Baxter, "é o louvor de uma pedra, não de um homem."

fonte coment. biblico M.HENRY (N.T)  www.avivamentonosul.blogspot.com