Translate this Page

Rating: 3.0/5 (934 votos)



ONLINE
6




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


Dispenssacionalismo doutrina e historia
Dispenssacionalismo doutrina e historia

 

                           Dispenssacionalismo doutrina e historia

Dispensationalismo é um cristão evangélico , futurista , interpretação bíblica que acredita que Deus tem relacionado com os seres humanos de diferentes maneiras em diferentes convênios bíblicas em uma série de " dispensas ", ou períodos da história.

Como sistema, o dispensacionalismo é exposta nos escritos de John Nelson Darby (1800-1882) e do Plymouth Brethren movimento,  : 10 e propagada através de obras como Cyrus Scofield 's Scofield Reference Bible . A teologia da dispensationalism consiste de um distintivo escatológica tempos finais perspectiva, como todos os dispensationalists segure para premillennialism e mais prender a um pretribulation arrebatamento . Dispensationalists acreditam que a nação de Israel é distinta da Igreja Cristã ,  : 322 e que Deus ainda tem de cumprir suas promessas a Israel nacional. Estas promessas incluem as promessas de terra , que no futuro mundo vindouro resultado em um reino milenar e Terceiro Templo , onde Cristo , em cima de seu retorno , vai dominar o mundo a partir de Jerusalém  durante mil anos. Em outras áreas da teologia, dispensationalists segure para uma ampla gama de crenças dentro do evangélico e fundamentalista espectro.

Com a ascensão do dispensacionalismo, alguns protestantes, onde a visão dispensacionalista é particularmente relevante, veio para interpretar os elementos do livro do Apocalipse não como uma conta de acontecimentos passados ​​(com referência específica à destruição de Jerusalém em 70 dC , uma posição conhecida como Preterism ), mas como previsões do futuro .

As estimativas do número de pessoas que possuem crenças dispensacionalista variar entre 5 e 40 milhões nos Estados Unidos sozinho.

Conteúdo   

1 Conceitos

1.1 revelação progressiva

1.2 interpretação histórico-gramatical

1.3 Distinção entre Israel ea Igreja

1,4 Dispensations

1.5 Início da Era da Igreja

1.6 Escatologia

2 História

2.1 Estados Unidos da América

3 Influência

4 Judaísmo

4.1 Judaísmo Messiânico

4.2 Anticristo

5 Estados Unidos política

6 Fiction

7 Veja também

8 Referências

9 Outras leituras

10 Ligações externas

Conceitos [ editar ]

Revelação progressiva

Ver artigo principal: revelação progressiva (Cristianismo)

Um dos conceitos teológicos subjacentes mais importantes para o dispensacionalismo é revelação progressiva. Enquanto alguns não-dispensacionalistas começar com a revelação progressiva no Novo Testamento e referem-se esta revelação de volta para o Antigo Testamento , dispensationalists começar com a revelação progressiva no Antigo Testamento e ler para a frente em um sentido histórico. Portanto, há uma ênfase em uma unidade gradualmente desenvolvido como visto na totalidade das Escrituras. pactos bíblicos estão intrinsecamente ligada às dispensas. Quando esses convênios bíblicas são comparados e contrastados, o resultado é uma ordenação histórica de diferentes dispensas. Também no que diz respeito às diferentes promessas da aliança bíblica, dispensationalism enfatiza a quem estas promessas foram escritos, os destinatários originais. Isto levou a certas crenças dispensacionais fundamentais, como a distinção entre Israel ea Igreja.

Interpretação histórico-gramatical

Outro conceito teológico importante é a ênfase no que é conhecido como o histórico-gramatical ou literal, método de interpretação. Assim como Israel disse ter literalmente experimentaram as maldições de que fala o Antigo Testamento, dispensacionalistas acreditam que eles vão um dia, literalmente, receber as bênçãos de que fala o Antigo Testamento. Assim como é com a revelação progressiva, o método histórico-gramatical não é um conceito ou prática que é exclusivo apenas para dispensationalists. No entanto, um distintivo dispensational é criado quando o método histórico-gramatical de interpretação está intimamente associada com ênfase na revelação progressiva, juntamente com o desenvolvimento histórico dos convênios nas Escrituras.

Distinção entre Israel ea Igreja

Todos os dispensacionalistas sustentam uma clara distinção entre Israel ea Igreja. Para dispensationalists, Israel é uma nação étnica [ 10 ] consiste em Hebreus (Israelitas), começando com Abraão e subsistir até o presente. A Igreja é constituída por todos os indivíduos salvos nesta presente dispensação, ou seja, desde o "nascimento da Igreja" em Atos até a hora do Rapture . [ 11 ] A distinção entre Israel ea Igreja é não mutuamente exclusivos, como há uma sobreposição reconhecida entre os dois. [ 1 ] : 295 A sobreposição é composta por cristãos judeus (como Pedro e Paulo - embora o Apóstolo Paulo também era um cidadão romano, por nascimento, ele era da tribo de Benjamin e um forte nacionalista judaica na coração (Rm 9: 1-3)) - que são etnicamente judeu e também ter fé em Jesus Cristo. Dispensationalists também acreditam que até o final da Tribulação , Israel como nação vai se transformar e abraçar Jesus como seu Messias direita antes de sua segunda vinda durante a Grande Tribulação. O espectro de ensino em Israel e da Igreja pode ser descrita como a seguir:

Espectro de pontos de vista sobre as distinções Igreja-Israel

Dual-aliança

Teologia        Classical

Dispensationalism  Progressive

Dispensationalism  Novo Pacto

Teologia        Pacto

Premillennialism     Pacto

Teologia        Supersessionismo

Dispensationalists clássicos referem-se à actual Igreja dia como um "parêntese" ou interlúdio temporária no progresso da história profetizou de Israel.  dispensationalism Progressive "suaviza" a distinção Igreja / Israel por ver alguns promessas do Antigo Testamento como expandido pelo Novo Testamento para incluem a Igreja. No entanto, os progressistas não ver essa expansão como a substituição de promessas ao seu público original, Israel.

Teologia do Pacto é a visão alternativa para dispensationalism que sustenta que Deus tem um povo de Israel e as promessas feitas a Israel no Antigo Testamento foram cumpridas em Jesus Cristo, o novo Israel, eo objeto da esperança de Abraão. Dispensationalists têm freqüentemente criticado Teologia do Pacto como sendo idêntico ao que eles chamam de "Teologia da Substituição" ou Supersessionismo , o conceito de que a Igreja substituiu Israel. No entanto, em Teologia do Pacto, a igreja não é um substituto para a nação de Israel, mas tem sido sempre a Israel que importa. Pacto Teólogos distinguir entre Israel da carne (Hebreus étnica) e Israel do Espírito (a Igreja universal), que começou com Adão e Eva e amadureceu em grande parte dentro Israel étnico. Judeus cristãos estão incluídos no Israel espiritual.  Pacto Teólogos acusam igualmente Dispensationalism de teologia da substituição. A posição de Teologia do Pacto sobre a relação dos Israels físicas e espirituais podem ser resumidas em Romanos 2: 28-29 e em Romanos 9: 6.

Dispensações

O rótulo de "dispensacionalismo" é derivada da idéia de que a história bíblica é melhor compreendido através da divisão em uma série de dispensações cronologicamente sucessivas. O número de dispensas detidos são tipicamente três, quatro, sete ou oito. Os esquemas de três e quatro dispensação são muitas vezes referida como minimalista, pois reconhecem as grandes quebras comumente realizada dentro da história bíblica. Os esquemas de sete e oito dispensação são frequentemente associada com o anúncio ou inauguração de determinadas cláusulas bíblicos. Abaixo está uma tabela comparando os diferentes regimes de dispensacionais:

esquemas dispensacionais          Capítulos da Bíblia

Gênesis 1-3  Gênesis 3-8  Genesis 9-11           Gênesis 12

de Êxodo 19 Êxodo 20 até

nascimento da Igreja        Era da Igreja

até Rapture  Apocalipse 20: 4-6 Apocalipse 20-22

7 ou 8 passo

Inocência

ou edênica   Consciência

ou Antediluviano    Governo Civil           Patriarcal

ou Promise   Mosaic

ou Lei Graça

ou Igreja       Reino Milenar          Estado Eterno

ou Final

4 passos

 

Patriarcal      Mosaico        Eclesial          Zionic

3 passo (minimalista)

Lei       Graça Reino

Início da Era da Igreja Dispensationalists mainstream, como Scofield [ 17 ] [ 18 ] e Ironside [ 19 ] identificar Pentecostes , no segundo capítulo de Atos, com o início da Igreja, como distinta de Israel; isto pode ser referido como o "Atos 2" posição. Graça Movimento Dispensationalists acreditam que a igreja começou após Atos 2, incidindo principalmente sobre o ministério de Paulo. Os defensores da posição "meados de Atos", ver a forma normal Gentile e fim da dispensação aberto nas mãos do apóstolo Paulo, o apóstolo da incircuncisão, o apóstolo dos gentios. Paulo não derivam seu ministério dos apóstolos para a circuncisão nem era na verdade um sucessor para a missão judaica de nosso Senhor. Ele tinha uma comissão única do Senhor no céu para ir para a uncicumcision. Assim, eles identificam o início da igreja com a salvação de Saulo em Atos 9, [ 20 ] ou com primeira viagem missionária de Paulo em Atos 13. A posição da Atos 28 ', mais notavelmente exposta por EW Bullinger e Charles H. Welch , postula o início da igreja em Atos, capítulo 28, onde o apóstolo Paulo citou Isaías 6: 9,10 relativo à cegueira de Israel e anunciou que a salvação de Deus é enviada ao mundo Gentile, em Atos 28:28.

Hyperdispensationalists são considerados divisivos  nomeadamente porque rejeitam  o rito da água batismo praticado por quase todas as denominações cristãs. Eles acreditam no batismo , mas em vez de batismo em água, eles acreditam no batismo pelo Espírito Santo no Corpo de Cristo, que ocorre quando uma pessoa se torna salvos crendo que Jesus Cristo morreu pelos seus pecados. Graça Movimento Dispensationalists não vê o batismo na água como sendo necessário nesta dispensação. Atos 28 dispensationalists também acreditam no "um só batismo" de Efésios 4: 5 sendo um batismo espiritual que identifica o crente com a morte, sepultamento e ressurreição de Cristo.

Escatologia cristã

Crenças contrastantes [mostrar]

O Millennium]

]

Comparação das interpretações cristãs milenaristas

Dispensationalists são premillennialists que afirmam um futuro, literal reinado de Jesus Cristo, que se funde com e continua para o estado eterno nos "novos céus e da nova terra" de 1.000 anos, [ 23 ] e eles sustentam que o reino milenar será teocrático na natureza e não principalmente soteriological , como ele é visto por George Eldon Ladd e outros que defendem a uma forma não-dispensational de premillennialism. Dispensationalism é conhecido pelas suas vistas respeitando a nação de Israel durante este reinado reino milenar, no qual Israel como uma nação desempenha um papel importante e recupera um rei, uma terra, e um reino eterno.

A grande maioria dos dispensationalists segure para o arrebatamento pretribulation, com pequenas minorias segurando, quer um meio-tribulação ou arrebatamento pós-tribulação . [ 24 ] 1 Tessalonicenses 4:16 estados "os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro" e Apocalipse 20: 4 -5 ( depois da tribulação e do aprisionamento de Satanás ), diz: "Eles vieram à vida e reinaram com Cristo durante mil anos. O restante dos mortos não voltou a viver até os mil anos se completassem. Esta é a primeira ressurreição. Bem-aventurado e santo é aquele que compartilha na primeira ressurreição! "

[Icon] Esta seção requer expansão . (Junho de 2008)

A influência de Darby, embora profunda na pequena associação comparativa dos Irmãos de Plymouth, é muito ofuscada por sua influência sobre a escatologia de fundamentalistas cristãos em geral.

História

Este artigo precisa citações adicionais para a verificação . Por favor, ajudem a melhorar este artigo por adicionando citações de fontes confiáveis ​​. Unsourced material pode ser desafiado e removido. (Julho de 2009)

Este artigo pode estar na necessidade de reorganização para cumprir da Wikipédia diretrizes de layout . Por favor, ajude por editar o artigo para fazer melhorias para a estrutura global. (Julho de 2009)

Histórico do desenvolvimento da dispensationalism

O conceito de organização de divisões na história bíblica remonta a Irineu no século II. Outros escritores cristãos e líderes desde então, como Agostinho de Hipona e Joaquim de Fiore (1135-1202), também ofereceram suas próprias disposições da história.  : 116 Muitos escritores protestantes e calvinistas, incluindo Herman Witsius , Francis Turretin , John Bale, Thomas Brightman, Henry Finch, John Archer, Thomas Manton, William Gouge, Thomas Goodwyn, John Birchensha, William Sherwin, Francis Hutchinson, Pierre Jurieu, Pierre Poiret, John Edwards, e Isaac Watts também desenvolveu esquemas teológicos e divisões da história , em particular depois da Confissão de Fé de Westminster notou "várias dispensas". [ 25 ] Outros conceitos como premillennialism e do arrebatamento também antecedeu dispensationalism como um sistema. Decorrente da tradição Reformada surgiu o Pacto Teologia, que lida com a história bíblica como diferentes alianças entre Deus ea humanidade, mas não dispensações.

Como sistema, o dispensacionalismo tem suas raízes no Plymouth Brethren movimento na década de 1830 da Irlanda e Inglaterra, e nos ensinamentos de John Nelson Darby (1800-1882). O conceito original veio de interpretação de Darby de 2 Timóteo 2:15, "... que maneja bem a palavra da verdade".

Darby viajado extensivamente para a Europa continental, Nova Zelândia, Canadá e Estados Unidos, em uma tentativa de fazer convertidos ao movimento Irmãos. Ao longo do tempo, de Darby escatológicas vistas cresceu em popularidade nos Estados Unidos, especialmente entre os batistas e presbiterianos da velha escola.

Estados Unidos da América

Este artigo precisa citações adicionais para a verificação . Por favor, ajudem a melhorar este artigo por adicionando citações de fontes confiáveis ​​. Unsourced material pode ser desafiado e removido. (janeiro de 2011)

Scales.svg desequilibrado

A neutralidade desta seção é disputada . discussão relevante pode ser encontrada na página da conversa . Por favor, não remova esta mensagem até que o diferendo seja resolvido . (janeiro de 2011)

John Nelson Darby é reconhecido como o pai do dispensacionalismo,  : 10, 293 , que foi adotado mais tarde, modificado significativamente e, em seguida, tornou-se popular nos Estados Unidos por Cyrus Scofield 's Scofield Reference Bible . Charles Henry Mackintosh , 1820-1896, com o seu estilo popular espalhou os ensinamentos de Darby a elementos mais humildes da sociedade e pode ser considerado como o jornalista do Movimento dos Irmãos. Mackintosh popularizado Darby mais do que qualquer outro autor Irmãos.

Como não houve ensinamento cristão de um "arrebatamento" antes Darby começou a pregar sobre isso na década de 1830, ele é creditado às vezes com originando o "segredo arrebatamento teoria "em que Cristo, de repente remover sua noiva, a Igreja, a partir deste mundo antes dos julgamentos da tribulação. Dispensacionalista crenças sobre o destino dos judeus e do restabelecimento do Reino de Israel colocar dispensationalists na vanguarda do sionismo cristão , porque "Deus é poderoso para os enxertar de novo", e eles acreditam que, em sua graça que ele irá fazê-lo de acordo com a sua compreensão das profecias do Velho Testamento. Eles acreditam que, enquanto as metodologias de Deus pode mudar, Seus propósitos para abençoar Israel nunca será esquecido, assim como ele mostrou favor imerecido para a Igreja, ele vai fazê-lo a um remanescente de Israel para cumprir todas as promessas feitas ao semente genética de Abraão.

Dispensationalism foi introduzido na América do Norte por James Inglis (1813-1872), através de uma revista mensal chamada Waymarks no Deserto , publicado de forma intermitente entre 1854 e 1872. [ carece de fontes? ] Em 1866 Inglis organizado Reunião dos crentes para o estudo da Bíblia, que introduziu idéias dispensacionalistas a um círculo pequeno, mas influente de evangélicos americanos. Eles ficaram perturbados com as incursões do liberalismo e viu premillennialism como uma resposta. Dispensationalism foi introduzido como uma posição pré-milenarista, e em grande parte, ao longo de um período de várias décadas, assumiu o movimento fundamentalista que se puseram contra o liberalismo. As denominações de igrejas americanas rejeitaram eclesiologia de Darby, mas aceitou sua escatologia. Muitas dessas igrejas Presbiteriana e Batista foram, e eles mantiveram soteriologia calvinista de Darby que aplicou a sua noção de dispensas. Após a morte Inglis ', James H. Brookes (1830-1898), o pastor da Walnut Street Presbyterian Church em St. Louis, organizou a Conferência Bíblica de Niagara (1876-1897) para continuar com a difusão de idéias dispensacionalistas. Dispensationalism foi impulsionado após Dwight L. Moody (1837-1899) soube da "verdade dispensacional" de um membro não identificado dos Irmãos em 1872. Moody tornou-se perto de Brookes e outros dispensationalists e incentivou a propagação do dispensacionalismo, mas aparentemente nunca aprendeu as nuances do sistema dispensacionalista. [ carece de fontes? ]

Dispensationalism começou a evoluir durante este tempo, mais significativamente quando um corpo significativo de dispensationalists propôs a "pré-tribulação" arrebatamento . Isso causou um pouco de um confronto com os "premillennialists históricas" dentro do campo fundamentalista. Líderes dispensacionalista no círculo Moody incluir Reuben Archer Torrey  (1856-1928), James M. Gray (1851-1925), Cyrus I. Scofield (1843-1921), William J. Erdman (1833-1923), AC Dixon (1854- 1925), AJ Gordon (1836-1895) e William Eugene Blackstone , autor do livro best-seller de 1800, intitulado "Jesus is Coming" (aprovado pelo Torrey e Erdman). Esses homens eram evangelistas ativistas que promoveram uma série de conferências bíblicas e outros esforços missionários e evangelísticos.

Eles também deram o movimento permanência institucional dispensationalist assumindo a liderança do novo institutos independentes Bíblia como a Moody Bible Institute em 1886, o Instituto Bíblico de Los Angeles (agora Biola University ) em 1908, e Philadelphia College of Bible (agora Cairn University , anteriormente Philadelphia University bíblico ) em 1913. A rede de institutos relacionados que logo surgiram tornou-se o núcleo para a disseminação de dispensationalism americano.

Os esforços de CI Scofield e seus associados introduziu dispensationalism para um público mais amplo na América através de seu Scofield Reference Bible . A publicação da Bíblia de Referência Scofield em 1909 pela Oxford University Press , pela primeira vez apresentado notas abertamente dispensacionalistas para as páginas do texto bíblico. A Bíblia de Referência Scofield se tornou uma Bíblia popular usado pelos evangélicos independentes e fundamentalistas nos Estados Unidos. Evangelista e professor de Bíblia Lewis Sperry Chafer (1871-1952), que foi influenciado por Scofield, fundou o Seminário Teológico de Dallas , em 1924, que se tornou o carro-chefe do dispensacionalismo na América. Mais recentemente, o Seminário Bíblico Batista em Clarks Summit, Pennsylvania , tornou-se uma outra escola dispensacionalista.

A Graça Movimento, que começou há cerca de 1938 com os ministérios de ensino de JC O'Hair, Cornelius R. Stam, Henry T. Hudson, e Charles Baker tem sido rotulado "ultra" ou dispensationalism "hiper" . O termo serve para distinguir um sistema teológico que tem aplicado os princípios da dispensationalism muito mais consistente do que a posição 2 Atos. Assim, também tem sido designado por vezes como dispensationalism "coerente". JC O'Hair no início de 1920 compreendido o "sinal" presentes a não ser para esta era de graça e, portanto, não para a igreja atual. Logo depois, ele entendeu como uma verdade dispensacional correlacionando que o batismo da água não poderia, então, aplicar a esta dispensação quer. Entre outros, DeHaan e Ironside eram simpáticos e não executar a água rito em si, mas nenhum destes homens proibiu-se um cristão tinha uma consciência para ser batizado. Na década de 1930, JC O'Hair rejeitou uma Atos capítulo dois início da igreja e começou a explorar e inclinar-se para uma posição semelhante à Sir Robert Anderson e EW Bullinger. Foi nessa época que escreveu Ironside "Injustamente Dividindo Os irmãos" atacar "Bullingerism" (ou seja, os Atos 28 posição). Alguns não conseguiram entender que o livro de Ironside não aborda a posição Mid-Atos que O'Hair não tinha liquidado em até mais tarde. Quase todos os ataques a hiper-dispensacionalismo totalmente não conseguem diferenciar entre a posição Mid-Atos ea 28 posição Atos. Mas J, C, O'Hair também rejeitou os Atos 28 posição depois de estudar os escritos de Bullinger e CH Welch. O'Hair parece finalmente ter desembarcado na posição de meio-Atos em cerca de 1938.

Os contrastes entre a lei ea graça , profecia e mistério, Israel ea Igreja, o corpo de Cristo foram promovidos por Scofield, Barnhouse e Ironside , em seguida, estudou e ensinou por O'Hair, Stam e outros professores "graça". No entanto, é defendido por professores dispensacionais, tais como Charles Caldwell Ryrie , J. Dwight Pentecost , e Arnold Fruchtenbaum que ultradispensationalism é removido suficiente de dispensationalism não mais ser dispensationalism em tudo. No entanto, continua a ser ultradispensationalism vigorosamente defendida por muitos como a posição consistente sobre dispensacionalismo e faz de fato, em muitos aspectos permanecem perto de Darby ao contrário Dispensationalism modificado. Os dispensacionalistas alegam que a posição 2 Actos não tomar o tempo para adequadamente e compreendo perfeitamente a posição Mid-Atos e desafiá-lo em qualquer outra forma que superficialmente se em tudo. Na maior parte, eles se sentem dispensationalists consistentes são ignorados e que, até dispensationalism consistente é levada a sério, esses despedimentos por Atos 2 proponentes não pode ser levado a sério. Ultradispensationalists se consideram fundamentalistas, evangélico, e dispensationalists graves prendem com os princípios da dispensationalism muito mais rigor e precisão do que os atos mais populares 2 posição.

Em 2007, uma nova visão dispensacional foi formado por Steve Urick , chamado, Atos 1 Dispensationalism . Esta posição vê a igreja e Israel como sendo um no corpo de Cristo através de sua morte na cruz (Efésios 2: 12-19) e o reino de Cristo como o "Head over all" a família de Deus, no céu e terra , como início em Atos 1, depois que ele subiu ao céu e sentou-se à direita de Deus (Efésios 1:10, 20-23; 3:15). [ duvidosa - discutir ]

Dispensationalism se tornou muito popular com a American evangelicalismo  , especialmente entre nondenominational igrejas bíblicas, batistas , pentecostais e carismáticos grupos.

Denomiminations protestantes que como uma teologia inteira abraço aliança rejeitar o dispensacionalismo. Por exemplo, a Assembléia Geral da Igreja Presbiteriana dos EUA denominou "mal e subversiva" e considera-o como uma heresia. [ 27 ] As Igrejas de Cristo divisão submetidos na década de 1930 como Robert Henry Boll , que ensinou uma variante da visão dispensacionalista e Foy E. Wallace , representando a visão pós-milenista-se tornar-amillennial prevalente, entraram em confronto severamente sobre escatologia.

Influência

Dispensationalism rejeita a noção de supersessionismo , ainda vê o povo judeu como povo escolhido de Deus, e vê o moderno Estado de Israel de permitir a Israel que irá receber o cumprimento de todas as promessas de Deus do Antigo Testamento.

John Nelson Darby ensinou, ea maioria dos dispensacionalistas subseqüentes têm consistentemente mantido, que Deus olha para os judeus como seu povo escolhido, mesmo que eles permaneçam na rejeição de Jesus Cristo, e Deus continua a ter um lugar para eles no esquema dispensacionalista, profética das coisas . Dispensationalists ensinam que um remanescente dentro da nação de Israel irá nascer de novo, chamado por Deus, e pela graça trouxe a perceber que o seu Messias crucificado. Dispensationalism é único no ensino que a Igreja é um parêntese provisória, período "mistério", o que significa que não foi revelado no Antigo Testamento, diretamente, o que período terminará com o arrebatamento da igreja e do remanescente judeu de entrar na Grande Tribulação . Israel vai finalmente reconhecer Jesus como seu Messias prometido durante os julgamentos que vêm sobre eles neste Tribulação. Os ensinamentos de Darby imaginar o judaísmo como continuando a desfrutar de proteção de Deus, literalmente, para o fim dos tempos, e ensinam que Deus tem um "programa" em separado, para usar o termo de J. Dwight Pentecost, para cada Israel e da Igreja. Dispensationalists ensinam que Deus tem convênios eternos com Israel, que não podem ser quebrados.

Embora sublinhando que Deus não abandonou aqueles fisicamente descendentes de Abraão através de Isaac , dispensationalists que afirmam a necessidade para os judeus para receber Jesus como Messias. Eles sustentam que Deus fez alianças incondicionais com Israel como povo e nação na abraâmica, Palestino, Davi e da Nova Aliança.

Judaísmo

Dispensationalists cristãos, por vezes, abraçar o que alguns críticos têm chamado pejorativamente Judeophilia - que vão desde o apoio do Estado de Israel, para observar feriados judaicos tradicionais e praticando rituais religiosos tradicionalmente judaicos. ( Veja também o sionismo cristão , cristãos judeus , judaizantes , raízes hebraicas , e Judaísmo Messiânico ). Dispensationalists normalmente suportam o moderno Estado de Israel, reconhecer sua existência como Deus revelar Sua vontade para os últimos dias, e rejeitar o anti-semitismo.

Judaísmo Messiânico

Dispensationalists tendem a ter especial interesse em que os judeus porque a hermenêutica dispensacionalista homenageia passagens bíblicas que listam os judeus como entre os de Deus povo escolhido (as outras seriam os gentios na igreja, e prosélitos do judaísmo ). Alguns judeus messiânicos ( Judaísmo Messiânico ), no entanto, rejeitam dispensationalism em favor de uma relacionados, mas distintos hermenêutica , chamados Olive Tree Teologia . [ 30 ] O nome " Olive Tree Teologia "refere-se às passagens de Romanos 11: 17-18:" Se alguns dos ramos foram quebrados, e tu, zambujeiro, foste enxertado em lugar deles e se tornaram participantes iguais na rica raiz da oliveira, então não se vangloriar como se fosse melhor do que os ramos! "

Anticristo

Este artigo precisa citações adicionais para a verificação . Por favor, ajudem a melhorar este artigo por adicionando citações de fontes confiáveis ​​. Unsourced material pode ser desafiado e removido. (Julho de 2009)

Alguns dispensacionalistas, como o falecido fundamentalista Jerry Falwell , afirmaram que o Anticristo será um judeu, com base na crença de que o Anticristo falsamente parecem alguns judeus para cumprir as profecias sobre o Messias mais precisão do que Jesus fez.

No entanto, muitos dispensacionalistas não aceitamos esta crença, e afirmam que uma série de escrituras não citam qualquer prova, como Daniel 9:27.

Tais dispensationalists afirmam que este "príncipe" será das mesmas pessoas que destruíram a cidade judaica em 70 dC, ou seja, de origem romana e, portanto, não vai ser judeu. No entanto, outros dispensationalists basear a nacionalidade do exército que destruiu Jerusalém como compreendendo uma etnia árabe e sírio, e, portanto, o Anticristo, ou o "príncipe", não deve realmente ser de origem romana. ]

Por sua vez, este "príncipe" vai se levantar "contra o príncipe dos príncipes" e destruirá a muitos "por paz" (Dan 8:25); e será responsável pela "paz e segurança" falsa que irá preceder o dia destrutiva do Senhor (1 Tessalonicenses 5: 2-3). Alguns acreditam que este homem vai ser um judeu, baseado em parte em João 5:43, onde o Senhor afirmou que os judeus incrédulos receberiam outro que "virá em seu próprio nome" (em oposição ao próprio Senhor, que veio no nome do pai). Outra evidência é retirado de Daniel 11:37, "não terá respeito ao Deus de seus pais, nem ao amado das mulheres, nem a qualquer deus, porque ele se engrandecerá acima de tudo", embora em uma passagem tão tarde como Daniel, uma tradução melhor é, provavelmente, "Ele vai rejeitar os deuses (Eloha) de seus pais." O profeta Daniel refere-se a este homem como "um homem vil", que vai "obter o reino com engano" (Daniel 11:21). Essa crença não é essencial para o dispensacionalismo. 

Se Darby ensinou o Anticristo será um judeu, ea Fera, uma pessoa separada, será o líder político do Império Romano revivido. 

fonte wikipedia