Translate this Page

Rating: 3.0/5 (914 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Jesus é o bom Pastor JO 10.1-21
Jesus é o bom Pastor JO 10.1-21

                                                               João 10: 1-9

                                         Jesus como o Bom Pastor

"Digo-lhes a verdade solene, aquele que não entra no aprisco das ovelhas pela porta, mas sobe por outra via, é ladrão e salteador. Aquele que entra pela porta é o pastor das ovelhas. O porteiro abre-lhe a porta, e as ovelhas ouvem a sua voz. Ele chama as suas ovelhas pelo nome e as conduz para fora. Quando ele trouxe todos as suas ovelhas, ele vai adiante delas, e as ovelhas o seguem porque reconhecem sua voz. Eles nunca seguirão um estranho, mas fugirão dele, porque não conhecem a voz do estranho. " Jesus disse-lhes esta parábola, mas eles não compreenderam o que ele estava dizendo a eles.

Então Jesus disse-lhes de novo: "Digo-lhes a verdade solene, eu sou a porta das ovelhas. Todos os que vieram antes de mim eram ladrões e salteadores, mas as ovelhas não os ouviram. Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo, e vai entrar e sair, e encontrará pastagem.

O capítulo que começaram agora está intimamente ligado com a precedente. A parábola diante de nós foi falado com referência direta aos professores cegos da Igreja judaica. Os escribas e fariseus eram as pessoas, nosso Senhor tinha em vista, quando Ele descreveu o falso pastor. Os mesmos homens que tinham apenas disse: "Vemos," foram denunciados com santa ousadia, como "ladrões e salteadores".

Temos, por um lado, nestes versos, uma imagem vívida de um falso professor de religião. Nosso Senhor diz que ele é alguém que "não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte."

A "porta", nesta frase, deve, evidentemente, significar algo muito mais do que para fora chamando e comissão. Os professores judeus, de qualquer modo, não eram deficientes neste ponto - eles provavelmente poderia traçar-se as suas ordens em sucessão direta para si mesmo Aaron. A ordenação é nenhuma prova alguma de que um homem está apto a mostrar aos outros o caminho para o céu. Ele pode ter sido definido regularmente além por aqueles que têm autoridade para convocar ministros, e ainda toda a sua vida pode nunca chegar perto da porta, e, finalmente, pode morrer nada melhor do que "um ladrão e salteador."

O verdadeiro sentido da "porta" deve ser procurada na própria interpretação de nosso Senhor. Ele é o próprio Cristo que é "a porta." O verdadeiro pastor de almas é aquele que entra para o ministério com um único olho para Cristo, desejando para glorificar a Cristo, fazendo tudo com a força de Cristo, pregando a doutrina de Cristo, caminhando em passos de Cristo, e trabalhando para trazer os homens e mulheres a Cristo. O falso pastor de almas é aquele que entra no escritório ministerial com pouco ou nenhum pensamento sobre Cristo, do mundano e motivos de auto-exaltação, mas de nenhum desejo de exaltar Jesus, ea grande salvação que está nEle. Cristo, em uma palavra, é a grande pedra de toque do ministro da religião. O homem que faz muito de Cristo é um pastor segundo o coração de Deus, a quem Deus se agrada honrar. O ministro que faz pouco de Cristo é aquele que Deus considera como um impostor - como alguém que subiu ao seu santo ofício não pela porta, mas por "alguma outra forma."

A sentença diante de nós é uma dolorosa e humilhante. Que condena os professores judeus da época de nosso Senhor todos os homens podem ver. Não houve "porta" no seu ministério. Eles ensinaram nada corretamente sobre Messias. Eles rejeitaram o próprio Cristo, quando Ele apareceu - mas todos os homens não vêem que a sentença condena milhares de chamados professores cristãos, tanto quanto os líderes e professores dos judeus. Milhares de homens ordenados nos dias de hoje sabe nada sobre Cristo, exceto seu nome. Eles não entraram "a porta" a si mesmos, e eles são incapazes de mostrar isso para os outros. Bom seria para a Cristandade se isso fosse mais amplamente conhecida, e mais seriamente considerada! Ministros não convertidos são o apodrecimento da Igreja. "Quando um cego guiar outro cego" ambos devem cair na vala. Se quisermos saber o valor do ministério de um homem, nunca devemos deixar de perguntar, onde está o cordeiro? Onde está a porta? Será que ele apresentar Cristo, e dar-lhe o seu lugar de direito?

Temos, por outro lado, nestes versos, um retrato peculiar dos verdadeiros cristãos. Nosso Senhor descreve-os como ovelhas que "ouvir a voz de um pastor verdadeiro, e conhecer a Sua voz;" e como "ovelhas que não seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos."

A coisa ensinou com estas palavras é muito curiosa, e pode parecer "loucura" para o mundo. Há um instinto espiritual na maioria dos verdadeiros crentes, que geralmente lhes permite distinguir entre o verdadeiro eo falso ensino. Quando ouvem o ensino religioso doentio, há algo dentro deles que diz: "Isso está errado." Quando ouvem a verdade como ela é em Jesus, há algo em seus corações, que responde: "Isso é certo." O homem descuidado do mundo pode ver qualquer diferença entre ministro e ministro, e sermão sermão. A ovelha mais pobres de Cristo, como regra geral, será "distinguir as coisas que diferem", embora ele às vezes pode não ser capaz de explicar o porquê.

Vamos tomar cuidado de desprezar esse instinto espiritual. O que quer que um mundo escarnecedor pode agradar a dizer, é uma das marcas peculiares da habitação do Espírito Santo. Como tal, é especialmente mencionado por John, quando ele diz: "Você tem uma unção da parte do Santo, e você sabe todas as coisas." (1 João 2:20.) Vamos, sim orar por ele diariamente, a fim de que possamos ser mantidos a partir da influência de falsos pastores. Para perder todo o poder de distinguir entre o amargo eo doce é um dos piores sintomas da doença corporal. Para ser incapaz de ver qualquer diferença entre lei e Evangelho, a verdade eo erro, o protestantismo eo papado, a doutrina de Cristo e da doutrina do homem, é uma prova segura de que ainda estamos mortos de coração, e precisam de conversão.

Temos, por último, nestes versos, uma imagem mais instrutivo do próprio Cristo. Ele profere um daqueles provérbios de ouro que deveria ser querido para todos os verdadeiros cristãos. Eles se aplicam a pessoas, bem como aos ministros. "Eu sou a porta - por mim, se alguém entrar, ele será salvo, e entrará, e sairá, e achará pastagem." Estamos todos por natureza separada e longe de Deus. O pecado, como uma grande parede de barreira, sobe entre nós e nosso Criador. O sentimento de culpa nos faz ter medo dEle. O senso de Sua santidade nos mantém a uma distância dele.

Nascido com um coração em inimizade com Deus, tornamo-nos mais e mais alienados dEle, pela prática, quanto mais vivemos. As primeiras perguntas na religião que devem ser respondidas, são estes - "Como posso chegar perto de Deus Como posso ser justificada Como pode um pecador como eu que se reconcilie com o meu Criador?"

O Senhor Jesus Cristo forneceu uma resposta a estas perguntas poderosas. Por Seu sacrifício por nós na cruz, Ele abriu um caminho através da grande barreira, e desde o perdão ea paz para os pecadores. Ele "sofreu por causa do pecado, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus." Ele abriu um caminho do santuário, pelo seu sangue, pelo qual podemos nos aproximar de Deus com ousadia, e se aproximar de Deus sem medo. E agora Ele é capaz de salvar perfeitamente a todos os que vêm a Deus por Ele. No sentido mais elevado Ele é "a porta." Ninguém "pode ​​vir ao Pai" senão por Ele.

Vamos tomar cuidado para que nós usamos esta porta, e não apenas do lado de fora olhando para ele. É uma porta livre e aberto para o principal dos pecadores - "Se alguém entrar por ela, ele será salvo." É uma porta dentro do qual vamos encontrar uma oferta completa e constante para todas as necessidades de nossas almas. Veremos que podemos "entrar e sair", e desfrutar a liberdade ea paz. O dia em que esta porta estará fechada para sempre, e os homens devem se esforçar para entrar, mas não poderão. Então vamos nos certificar de trabalho de nossa própria salvação. Não vamos ficar fora tardança, e parando entre duas opiniões. Vamos entrar e ser salvo.

 

João 1: 10-18

"O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, ea tenham em abundância.

"Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas. O mercenário, que não é um pastor e não ovelhas, vê vir o lobo e abandona as ovelhas e foge. Então os ataques do lobo a ovelha e espalha-los. Porque ele é mercenário e não se preocupa com as ovelhas, ele foge.

. "Eu sou o bom pastor que eu conheço a minha própria e as minhas ovelhas conhecem me-- assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai. - E eu dou a minha vida pelas ovelhas Tenho ainda outras ovelhas que não vêm de .. este aprisco devo trazê-los também, e eles ouvirão a minha voz, de modo que não haverá um só rebanho e um só pastor É por isso que o Pai me ama - porque dou a minha vida, para que eu possa levá-la de volta. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou por minha própria vontade. Tenho autoridade para a dar, e tenho autoridade para levá-la de volta. Este mandamento recebi de meu Pai. "

Estes versículos nos mostram, por um lado, o grande objetivo para o qual Cristo veio ao mundo. Ele diz: Eu vim para que os homens "tenham vida e para que tenham em abundância."

A verdade contida nestas palavras é de grande importância. Eles fornecem um antídoto para muitas noções grosseiras e inadequadas que estão no estrangeiro no mundo. Cristo não veio para ser apenas um professor da nova moralidade, ou um exemplo de santidade e de auto-negação, ou um dos fundadores de novas cerimônias, como alguns têm afirmado em vão. Ele deixou o céu, e habitou por trinta e três anos sobre a terra para fins muito mais elevados do que estes. Ele veio para obter a vida eterna para o homem, pelo preço de Sua própria morte vicária. Ele veio para ser uma poderosa fonte de vida espiritual para toda a humanidade, para que os pecadores próximos pela fé pode beber; e, bebendo, pode viver para sempre. Por Moisés veio leis, normas, portarias, cerimônias. Por Cristo veio a graça, a verdade ea vida eterna.

Importante como esta doutrina é, que exige a ser vedado com uma palavra de cautela. Não devemos cansar o significado das palavras de nosso Senhor Jesus Cristo. Não devemos supor que a vida eterna era uma coisa totalmente desconhecido até que Cristo veio, ou que os santos do Velho Testamento estavam em completa escuridão sobre o mundo para vir. O modo de vida pela fé em um Salvador foi uma forma bem conhecida de Abraão e de Moisés e Davi. A Redentor e um sacrifício era a esperança de todos os filhos de Deus de Abel até João Batista; mas sua visão dessas coisas era necessariamente imperfeito. Eles viram-as de longe, e não distintamente. Eles viram-los em linhas gerais apenas, e não completamente. Foi a vinda de Cristo, que fez todas as coisas simples, e fez com que as sombras para passar. Vida e imortalidade foram trazidas para a luz plena pelo Evangelho. Em suma, para usar as próprias palavras de nosso Senhor, mesmo aqueles que tinham vida tinha "mais abundantemente", quando Cristo veio ao mundo.

Estes versículos nos mostram, por outro lado, um dos principais escritórios de que Jesus Cristo enche para os verdadeiros cristãos. Por duas vezes sobre o nosso Senhor usa uma expressão que, para um ouvinte Oriental, seria singularmente cheia de significado. Por duas vezes ele diz enfaticamente: "Eu sou o Bom Pastor". É um ditado rica em consolo e instrução.

Como um bom pastor, Cristo sabe tudo Seu povo crente. Seus nomes, suas famílias, suas moradas, suas circunstâncias, sua história particular, sua experiência, seus ensaios - com todas essas coisas que Jesus está perfeitamente familiarizado. Não há uma coisa sobre a menor e menor deles com o qual Ele não é familiar. Os filhos deste mundo não pode saber os cristãos, e pode contar a sua vida loucura; mas o Bom Pastor conhece-los bem, e, maravilhosa de dizer, embora Ele os conhece, não desprezá-los.

Como um Bom Pastor, Cristo CARES ternura para todos os Seu povo crente. Ele fornece para todas as suas necessidades no deserto deste mundo, e leva-os por um caminho direito a uma cidade de habitação.Ele carrega pacientemente com as suas muitas fraquezas e enfermidades, e não as rejeitou, porque eles são desobedientes, errante, doente, pés doloridos, ou coxo. Ele guarda e protege-los contra todos os seus inimigos, como Jacob fez o rebanho de Labão; e daqueles que o Pai Lhe deu Ele será encontrado finalmente ter perdido nenhum.

Como um Bom Pastor, Cristo dá a sua vida pelas ovelhas. Ele fez isso uma vez por todas, quando Ele foi crucificado por eles. Quando Ele viu que nada poderia entregá-los do inferno e do diabo, mas o seu sangue, Ele voluntariamente fez a Sua alma como oferta pelos seus pecados. O mérito do que a morte Ele apresenta agora diante do trono do Pai. As ovelhas são salvos para sempre, porque o Bom Pastor morreu por eles. Este é realmente um amor que excede todo entendimento! "Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos." (João 15:13).

Vamos só ter cuidado para que este escritório de Cristo não está diante de nós em vão. Ele vai nos lucrar nada no último dia que Jesus era um pastor, se durante a nossa vida, nós nunca ouvi a sua voz e segui-Lo. Se amamos a vida, vamos juntar o seu rebanho sem demora. Exceto fizermos isso, vamos ser encontradas no lado esquerdo no dia do juízo, e perdeu para sempre.

Estes versículos nos mostram, por último, que quando Cristo morreu, Ele morreu de Sua própria vontade voluntária. Ele usa uma expressão notável para ensinar isso -. "Eu dou a minha vida para que eu possa levá-la novamente Ninguém tira de mim , mas eu a dou por mim mesmo. Eu tenho poder para a dar, e tenho poder para tomá-la. "

O ponto diante de nós é de pequena importância. Nós nunca devemos supor por um momento que nosso Senhor não tinha poder para impedir que seus sofrimentos, e que Ele foi entregue aos seus inimigos e crucificado porque Ele não poderia ajudá-la. Nada poderia estar mais longe da verdade do que essa idéia. A traição de Judas, a banda armada dos servos dos sacerdotes, a inimizade dos escribas e fariseus, a injustiça de Pôncio Pilatos, as mãos brutas de soldados romanos, o flagelo, os pregos, ea lança - tudo isso não poderia ter prejudicado um fio de cabelo da cabeça de nosso Senhor, a menos que Ele lhes tinha permitido. Bem, ele poderia dizer aquelas palavras notáveis: "Você acha que eu não poderia agora orar a meu Pai, e Ele não Me daria mais de doze legiões de anjos? Mas como, então, devem ser preenchidas as Escrituras?" (Mat. 26:53).

A verdade é que nosso Senhor se submeteu à morte de Sua própria vontade, porque Ele sabia que sua morte era a única maneira de fazer expiação pelos pecados do homem. Ele derramou a sua alma na morte com todo o desejo do Seu coração, porque Ele havia determinado a pagar a nossa dívida para com Deus, e resgata-nos do inferno. Para o gozo que lhe Ele voluntariamente suportou a cruz, e deu a sua vida, a fim de que, através de Sua morte, tenha a vida eterna. Sua morte não foi a morte de ummártir , que sumidouros finalmente dominado por inimigos, mas a morte de um conquistador triunfante, que sabe que mesmo ao morrer ele ganha para si mesmo e ao seu povo um reino e uma coroa de glória.

Vamos inclinar para trás nossas almas sobre estas verdades poderosas, e ser grato. Um Salvador dispostos, um Salvador amoroso, um Salvador que veio especialmente ao mundo para trazer vida para o homem, é apenas o Salvador que precisamos. Se ouvirmos a Sua voz, se arrepender e crer, Ele é a nossa.

fonte coment. biblico J.C RYLE 1858  www.avivamentonosul.blogspot.com