Translate this Page

Rating: 3.0/5 (902 votos)



ONLINE
1




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Salmos Eclesiastes Cantico dos canticos
Salmos Eclesiastes Cantico dos canticos

 

               INTRODUÇÃO AO SALMOS ECESIASTES E CANTICO

 

                                            LIVRO DE SALMOS

 

 

INTRODUÇÃO AO SALMOS

 

O título deste livro pode ser traduzida como "o Livro de Louvores" ou "Hymns"; Que o Senhor o salmo cantado na Páscoa é chamada de "hino", Mateus 26:30; a 145 Salmo intitula-se "um hino de Davi"; e nos salmos são geralmente chamados de "hinos" de Philo o judeu (a), e canções e hinos por Josefo (b); e vários nomes em Original para este livro do apóstolo em Efésios manifestamente Refere 05:19 Colossenses 3:16. Os judeus dividiam os escritos do Antigo Testamento em três partes: a primeira divisão é a Lei, ou cinco livros de Moisés; o segundo é os Profetas e ex Últimos; eo terceiro, o "Hagiographa", ou escritos sagrados; Que divisão ter que considerar Cristo em Lucas 24:44; E porque o livro de Salmos ficar em primeiro lugar na última divisão, o nome inteiro ITS passa. Este livro pelo Apóstolo Pedro é Intitulada como aqui, Atos 1:20; o título na versão siríaco é,

 

 

 

"O Livro dos Salmos de David, Rei e Profeta, ''

 

 

 

que concorda com a versão em árabe. Quanto à autoridade divina dele, que foi escrita por inspiração de Deus, não apenas informações, temos o testemunho de Davi, que diz: "o Espírito de Deus falou por mim", 2 Samuel 23: 2; mas os testemunhos de Cristo e seus apóstolos, Mateus 22:43; e, como Aben Ezra (c) observar a totalidade do que foi dito, "pelo Espírito Santo."

Quanto ao amanuense ou Penman, empregado pelo Espírito de Deus ao escrevê-lo, há opiniões diferentes. Os judeus fazem menção de dez, que são contados de forma diferente por eles. De acordo com Jarchi (d), que foram Adão, Melquisedeque, Abraão, Moisés, David, Salomão, Asafe e os três filhos de Coré. De acordo com Kimchi (e), eles era Adão o primeiro, Melquisedeque, Abraão, Asaph, Heman, Jedutum, Moisés, e os três filhos de Corá; Asir, Elcana e Abiasafe. Alguns atribuem todos os Salmos de David (f), e pensar que aqueles que se diz ser um salmo de Asafe, de Hemã ou, & c. deve ser traduzida como "um salmo de Asafe," & c. e apenas significar que eram salmos que lhes sejam entregues, para ser cantado de forma pública. Mas a revisão mais verdadeiro Parece ser, que a parte maior deles foi escrito por David, e para a maior parte aqueles que não têm título; eo restante por aqueles cujos nomes eles suportar. Alguns foram escritos e depois do cativeiro babilônico, como o Salmo 126: 1 e Salmo 137: 1. Ou a maneira em que foram formulário foi escrito metros (g), embora alguns negam que os judeus tinham metros: Aparece como pela acentuação deles diferente de outros escritos, e de seu ser cantado em voz alta e em instrumentos musicais. Josefo (h), o historiador judeu, diz que

 

 

 

"David estar livre de guerra, e desfrutar de uma paz profunda, canções e hinos compostos por Deus, de vários metros, alguns trimeter, e alguns pentameter; '

 

 

 

Isto é, alguns de três pés, e outros de cinco pés: para os Salmos de Davi são pensados ​​para ser do tipo "letra"; e Gomarus, em sua Lyra, tenho dado muitos exemplos deles, que são da "iâmbico", "" tipo trochaic, & c. que durante muitos anos os judeus perderam o conhecimento da poesia sagrada. R. Benjamin (i) de fato, diz, que, em sua época, havia em Bagdá R. Eleazar e seus irmãos, que sabiam cantar as músicas, como o fizeram os cantores Quando o templo estava em pé. O tema deste livro é grandíssima e excelente; muitos dos salmos respeitar a pessoa, escritórios, ea graça de Cristo; sofrimentos e de sua morte, ressurreição, ascensão e sessão à mão direita de Deus; superior e por isso são adequados para a dispensação do Evangelho. Todo o livro é uma rica mina de graça e verdades evangélicas, e um grande fundo de experiência espiritual; e é abundantemente adequado para cada caso, estado e condição, que a Igreja de Cristo, ou em particular os crentes, são a qualquer momento.

 

 

 

(A) De Mutat. Nom. p. 1062 (b) Antiquitat. l. 7 c. 12 s. Três. ((C) Praefat. No Salmo. (D) Praefat. No Salmo. (E) Praefat. Em ibid. (F) R. Hona no Midrash Tillim, fol. 2 1 (g) Vid. Lowth de Sacr. Poe. Heb. Prælect. 3 s. 32, & c. (h) Ut supra. (Antiquitat. l. 7 c. 12 s. 3) (i) Itinerar. p. 70, 71.

 

 

O título deste livro pode ser traduzida como "o Livro de Louvores", ou

"Hymns"; Que o Senhor o salmo cantado na Páscoa é chamado de

"Hymn" # Mt 26: 30 ; a 145 Salmo é

Intitulada hlht ^ ^ ", um hino de Davi"; e nos salmos são geralmente

chamados "hinos" de Philo o judeu {a}, e canções e hinos por Josefo

{B}; e vários nomes no original deste livro, o apóstolo manifestamente

Refere-se em # Ef 5, 19 # Col 3, 16 . Os judeus dividiam os escritos de

o Antigo Testamento em três partes: a primeira divisão é a Lei, ou

cinco livros de Moisés; o segundo é os Profetas e ex Últimos; e

o terceiro, o "Hagiographa", ou escritos sagrados; que a divisão

Cristo tem em relação a # Lu 24: 44 ; E porque o livro de Salmos

ficar em primeiro lugar na última divisão, o nome inteiro ITS passa. este livro

pelo apóstolo Pedro é Intitulada como aqui, # Ac 1: 20 ; o título em

a versão siríaco é,

 

`` O Livro dos Salmos de David, Rei e Profeta, ''

 

que concorda com a versão em árabe. Como a autoridade divina de que,

que ela foi escrita por inspiração de Deus, a única informação que não tem

testemunho de David, que diz: "o Espírito de Deus falou por mim"

# 2Sm 23: 2 ; mas os testemunhos de Cristo e seus apóstolos,

# Mt 22:43 Ac 01:16 4: 24,25 ; e, como Aben Ezra {c} observar toda

foi falado vdwqh xwrb ^ ^ ", pelo Espírito Santo." Em relação ao método de Penman

ou amanuense, empregado pelo Espírito de Deus ao escrevê-lo, há

diferentes opiniões. Os judeus fazem menção de dez, que são de forma diferente

contada por eles. De acordo com Jarchi {d}, eles era Adão, Melchizedek,

Abraão, Moisés, David, Salomão, Asafe e os três filhos de Coré.

De acordo com Kimchi {e}, eles era Adão o primeiro, Melquisedeque,

Abraão, Asaph, Heman, Jedutum, Moisés, e os três filhos de Corá;

Asir, Elcana e Abiasafe. Alguns atribuem todos os Salmos de David {f},

que pensam e aqueles que estão a ser dito um salmo de Asafe, ou de

Heman deve ser processado "um salmo de Asafe," & c. e apenas significar

que eram salmos que lhes sejam entregues, para ser cantado de forma pública.

Mas a revisão mais verdadeiro Parece ser, que a parte maior deles eram

escrito por David, e para a maior parte aqueles que não têm título; e

o resto, aquelas cujos nomes 'Bear. Alguns foram escritos durante e depois

o cativeiro babilônico, como # Sl 126, 1-6 e # Sl 137, 1-9 . a

ou na forma em que foram formulário foi escrito metros {g}, apesar de alguns

Que os judeus negam que tinha metro: Aparece como pelos diferentes

acentuação deles de outros escritos, e de seu ser cantado

em voz alta e em instrumentos musicais. {H} Josefo, o historiador judeu,

diz que

 

`David` estar livre de guerra, e desfrutar de uma paz profunda,

Composta canções e hinos a Deus, de vários metros; alguns

trimeter, e alguns pentameter; '

 

Isto é, alguns de três pés, e outros de cinco pés: para os Salmos de

David são pensados ​​para ser do tipo "letra"; e Gomarus, em sua Lyra,

Dado muitos casos tem fora delas, que são do "iâmbico"

"trocaica" tipo que durante muitos anos os judeus perderam a

conhecimento da poesia sagrada. Benjamin R. {i} na verdade diz que em

Sua época, havia em Bagdá R. Eleazar e seus irmãos, que soube

para cantar as músicas, assim como os cantores Quando o templo estava em pé. a

assunto deste livro é grandíssima e excelente; muitos

os salmos respeitar a pessoa, escritórios, ea graça de Cristo; sua

sofrimentos e morte, ressurreição, ascensão e sessão à direita

mão de Deus; superior e por isso são adequados para a dispensação do Evangelho.

Todo o livro é uma rica mina de graça e evangélicos verdades, e

grande fundo da experiência espiritual; e é perfeitamente adequada para todos

caso, estado e condição, que a Igreja de Cristo, ou particularmente

crentes, estão em qualquer momento.

 

 

LIVRO DE ECLESIASTES

 

 

Uma introdução ao livro de Eclesiástes

 

1. Título

 

Qoheleth deriva de uma raiz hebraica que significa “chamar”, ou “reunir”. Vários significados tem sido sugeridos a Qoheleth. Uns dizem que significa “alguém que reúne uma audiência”. Outros, insinuam a idéia de um colecionador de verdades. Outros ainda, afirmam que significa aquele que debate ou discursa, ou seja, um pregador. Talvez, este último seja o melhor significado da palavra qoheleth, como adotam a maioria de nossas versões em português. A tradução da LXX deriva da palavra grega ekklesia.

 

 

 

2. Autoria

 

A tradição judaica Baba Bathra 15ª declara que “Ezequias e seus companheiros Eclesiastes”. Esta afirmação se refere apenas à compilação e redação dos livros escritos por Salomão. Em outros trechos a tradição judaica de forma explícita diz que Salomão foi o autor de Megilla 7ª e Shabbath 30).[1]

 

 

 

O erudito conservador Edward J. Young rejeita a autoria de Salomão e oferece algumas objeções:[2]

 

1. Por quê Salomão usaria tão estranho título (qoheleth)?

 

2. O nome de Salomão não aparece no livro, como ocorre em Cantares e Provérbios.

 

3. As condições históricas não parecem ser da época de Salomão. Em 1:16 o autor afirma que sobrepujou em sabedoria “a todos os que antes de mim em Jerusalém”. Salomão foi o segundo rei, no regime da teocracia de Israel, a morar em Jerusalém.

 

4. O livro supõe um contexto histórico de opressão (4:1-3,13; 5:8; 7:10; 8:2,9; 9:14-16; 10:6-7,16-17,20).

 

5. Foi autor desconhecido, que viveu num posterior pós-exílico, que colocou as suas palavras na boca de Salomão. A linguagem, o uso das palavras e o estilo contém muito do aramaico.

 

 

 

Argumentos em defesa da autoria salomônica:

 

1. Visto ser o livro de Eclesiástico um livro de refinada retórica, nada impediria Salomão referir a si mesmo como o título de “qoheleth”.

 

2. É fato que há a omissão do nome de Salomão, mas, ele se identifica de um modo inconfundível como sendo “filho de Davi, rei de Jerusalém”.

 

3. A afirmação “a todos os que antes de mim em Jerusalém” pode ser uma referência aos reis da cidade-estado de Jerusalém, no período que os jebuseus eram senhores sobre aquele lugar, ou, aos demais reis das nações pagãs (2 Cr 9:22).

 

4. Embora o autor fale de opressão, miséria, perversão da justiça, isso pode ser uma descrição daquilo que Salomão viu nos outros reinos antes dele, como também, em reinos pagãos. Todavia, não devemos cair no erro de pensar que o reinado de Salomão fora perfeito. Foi um reinado próspero, o melhor período da história de Israel, mas nunca poderia ser considerado um período de perfeição magisterial, ou isento de corrupções (1 Rs 12:4); Salomão não está preocupado em fazer propaganda positivista do seu reinado, mas mostrar a corrupção que o poder pode causar.

 

5. As possíveis ocorrências de palavras aramaicas, podem ser explicadas pelo contado comercial internacional (1 Rs 9:10-10:29), como também pelas esposas estrangeiras (1 Rs 11:1-2).

 

6. Se o autor não foi Salomão, então o escritor mentiu. As auto-identificações do autor indicam Salomão. “Caso Salomão não fosse seu autor, a falsa personificação do mais sábio de todos os homens sábios teria sido descoberta há muito tempo pelos rabinos de Israel, e esses não permitiriam a inclusão do livro no Cânon.”[3]

 

 

 

Note o seguinte:

 

a. O autor afirma “venho sendo rei em Jerusalém” (ARA).

 

b. A descrição de Eclesiastes 2:1-11 confere com as riquezas que Salomão possuiu e construiu (2 Cr 8:1-9:28).

 

c. O autor identifica-se como aquele que reuniu e organizou muitos provérbios (12:9).

 

d. Ninguém possuiu tanta sabedoria, prosperidade e expressão mundial no período monárquico, quanto Salomão, de fato, ele se tornou uma referência em muitos sentidos para seus posteriores.

 

 

 

3. Data

 

Aproximadamente 935 a.C. O livro é uma retrospectiva na velhice, da vida vazia em que ele viveu com o coração desviado do temor do Senhor (1 Rs 11:1-8). Ellisen observa que “o conteúdo e as conclusões certamente combinam bem com os anos de maturidade de Salomão.”[4] Esta tese é confirmada, pela tradição judaica na Midrash (Shir Hashirim Rabá 1,10), que afirma ter o rei Salomão escrito o livro de Cantares na sua juventude e o Eclesiastes na sua velhice.[5] O comentarista A.R. Fausset esclarece que Eclesiastes fica “como selo e testemunho de arrependimento de sua apostasia no período de intervenção (Sl 89:30,33) a prova de sua penitência.”[6]

 

 

 

4. Propósito

 

O propósito é descobrir qual o melhor bem da vida. Trata do prazer, sabedoria, da riqueza, mas considerando-os sem-sentido. O melhor bem da vida somente pode ser conseguido se alguém teme a Deus e guarda os seus mandamentos (12:13). A vida sem Deus, ou, fora da vontade de Deus é fútil. A busca pelo verdadeiro significado da vida é essencial para a existência humana. Longe de Deus a vida não é vida, pois só Deus lhe pode dar o verdadeiro significado. A cosmovisão teísta oferece a perspectiva correta do homem e sua relação com o mundo. “A única interpretação possível do mundo é considerá-lo, pois como criação de Deus e usá-lo e gozá-lo apenas para a Sua glória.”[7]

 

 

 

5. Estrutura do Livro

 

1. Prólogo: Tudo é vaidade........ 1:1-11

 

2. Monólogo: Vida sem sentido..... 1:12-12:1-8

 

3. Epílogo: Temor de Deus........... 12:9-14

 

 

 

6. Análise do Conteúdo

 

O lingüista Lyman Abbott faz uma análise do livro dizendo "assim, o livro de Eclesiastes é um monólogo dramático, apresentando as complicadas experiências da vida; essas vozes estão em conflito, porém apresentam ou relatam o conflito de uma simples alma em guerra consigo mesma. Nesse monólogo, o homem se apresenta monologando consigo mesmo, comparando as experiências da vida umas as outras. Assim, o livro de Eclesiastes é deliberadamente de uma confusa intenção, porque é o quadro de experiências confusas de uma alma dividida contra si mesma."[8]

 

 

 

7. Contribuição ao Cânon

 

Vários fragmentos de Eclesiastes foram encontrados na caverna 4 de Qumran, que datam, aproximadamente, da metade do século II a.C.. Disto pode-se concluir que na época ele já possuía reconhecido valor canônico.

 

 

 

8. Dificuldades de Interpretação

 

Devemos ter cuidado para que a nossa mentalidade existencialista (antropocêntrica) não seja um princípio regulador na aplicação da nossa hermenêutica neste livro. O livro deve ser interpretado como um todo. A chave para a interpretação do livro é o texto final 12:13-14.

 

 

 

9. Fatos Interessantes

 

1. Os argumentos do livro não são os argumentos de Deus, e sim os registros de Deus para os argumentos do homem.

 

2. O autor usa somente o nome “Elohim” (Deus), nunca o nome “Yahweh” (SENHOR), “assim o autor pode estar enfatizando o relacionamento do homem com Deus, à parte da experiência da redenção”.[9]

 

3. Os judeus lêem este livro na Festa dos Tabernáculos. O rabino David Gorodovits explica a razão desta prática entre os judeus “sendo Sucót considerado Zeman Simchatênu, ou seja, ‘época de nossa alegria’, quando, em Israel, os celeiros estão abarrotados com os frutos da colheita, seria fácil entregar-se a futilidades e lazer, esquecendo de onde veio a benção que resultou no sucesso do trabalho. É exatamente quando a leitura do Cohelét, com suas mensagens profundas, conscientiza-nos da bondade e da justiça do Eterno, sem as quais nenhum sucesso pode ser alcançado pelo ser humano.”[10]

 

 

 

Notas:

 

[1] Gleason L. Archer, Merece Confiança o Antigo Testamento? (São Paulo, Edições Vida Nova, 1993), pp. 436-437

 

[2] Edward J. Young, Introdução ao Antigo Testamento (São Paulo, Edições Vida Nova, 1963), pp. 362-363

 

[3] Stanley A. Ellisen, Conheça Melhor o Antigo Testamento (São Paulo, Editora Vida, 1995), p.191

 

[4] Stanley A. Ellisen, op. cit., p. 191

 

[5] Meir Matzliah Melamed, Torá a Lei de Moisés, p. 647

 

[6] Jamieson, Fausset, Brown, Commentary Old Testament, vol.2, pp.93-94 (Books for the Ages, 1997), CD-Master Library Christian 01/02, in loco.

 

[7] Edward J. Young, Introdução ao Antigo Testamento, p. 367

 

[8] Lyman Abbott, Life and Literature of the Ancient Hebrews (New York, Houghton Mifflin and Company, 1901), pp. 292-293

 

[9] David Merkh, Síntese do VT (Atibaia, Seminário Palavra da Vida, texto não publicado), p. 57

 

[10] Meir Matzliah Melamed, Torá a Lei de Moisés, p. 669

fonte doutrinacalvinista.blogspot.com

 

                                CANTICO DOS CANTICOS

 

 

INTRODUÇÃO AO Cantares de Salomão

 

Intitulada Este livro é, nas cópias em hebraico, "Shir Hashirim" o Cântico dos Cânticos. As versões Septuaginta e Vulgata Latina chamá-lo ", a canção"; eo título dele na versão siríaco, é,

 

 

 

"A Sabedoria de Salomão Wisdoms do mesmo;"

 

 

 

Isto é, o mesmo que escreveu os dois livros precedentes. Ele sempre foi recebido e apreciado pelos antigos judeus como uma parte valiosa dos escritos sagrados, chamando-o de "Santo dos Santos" (a); Seus filhos, proibindo a lê-lo, por causa da sublimidade e mistério dela, até que eles foram compreender anos para ele: nem nunca existiu qualquer controvérsia entre eles sobre a autenticidade do mesmo; Seus escritores todos, mas (b) mais antigo e moderno, concordam que ela foi escrita por inspiração do Espírito Santo. Os antigos pais e Conselhos cristãos têm mantido como parte das Sagradas Escrituras, e continuaram-lo no cânon deles; e tem-se recebido como canônicos pelos cristãos em todas as idades, exceto alguns poucos, como Theodore de Mopsuest, condenou-o pôr em causa pelo Concílio de Constantinopla, em 553; Castalio e, nos últimos tempos, para a mesma que foi censurado e exilado pelo senado em Genebra; eo Sr. Whiston, em nossa época, quem objeções tentei responder, no meu comentário mais amplo sobre este livro, publicado em 1728, e desde republicado: e eu estou muito triste, sou obrigado a tomar conhecimento de uma objeção a a antiguidade do mesmo, e às DSTs sendo de Salomão, feito por um (c) o homem aprendeu, muito recentemente; que observar que a palavra David, desde a sua primeira aparição em Ruth, onde está escrito sem o "yod" continua a ser escrito de forma através dos livros de Samuel, Reis, Salmos, Provérbios, Isaías, Jeremias e Ezequiel; Aparece, mas com um "yod" nos livros de Crônicas, Esdras, Neemias e Zacarias; por isso eu Sugere que, se era costume de escrever esta palavra sem um "yod" até o cativeiro, e com um após ele; Eu, então, acha forte argumento a ser desenhado a partir de maio Por isso, contra a antiguidade da Cânticos, e sua adopção por Salomão, uma vez que este nome está escrito com um "yod" em Sol 4: 4; o único lugar em que em que ela é usada, mas em resposta a isso, deve-se dizer que não é verdade Isso é invariavelmente a palavra sem um "yod" mencionado nos livros, em especial o livro de Reis: para os autores do Massorah ter observado, em 1 Reis 03:14 isso é cinco vezes maior que livro escrito por extenso, como eles chamam, ou seja, com um "yod", três dos lugares que já traçados, 1 Reis 3 : 14; e encontrei-o assim escrito em todas as cópias impressas que já vi; e assim que é lido pelos judeus orientais, em Ezequiel 37:24.

Este homem está consciente aprendeu que é assim escrito onze em Oséias, e duas vezes em Amos, livros escrita 200 anos antes do cativeiro; mas então eu observar que, nos dois últimos lugares, na edição de BOMBERG, tem um pequeno círculo (o) para marcá-lo por um erro, ou uma palavra com defeito, embora nenhum deles sobre a palavra em Oséias: mas deve-se saber, Isso Esse círculo, em centenas de lugares, não é usado para indicar qualquer coisa com defeito na cópia; mas é apenas uma marca Referindo-se à margem, Observado eo que está lá; que seja e ele não apontar um erro, ou uma palavra com defeito, o mesmo círculo é sobre a palavra em Cânticos, e, conseqüentemente, mostra que ela é deficiente lá, e para ser corrigido e ler sem o "yod", como era sem ela não originalmente; Que observação destrói o argumento dele: e assim se lê em que lugar no Talmud (d) sem ele, e no antigo livro de Zohar (e); e na verdade parece que foi lido sem o "yod" nas cópias visto pelos autores da Pequena Massorah; Uma vez que na sua nota sobre 1 Reis 03:14; Além dos cinco lugares dos Reis, onde está escrito completo, ou com o "yod" Eles dizem, está escrito assim em todo o Chronicles, os doze profetas menores, e Esdras, Neemias, que inclui; mas não fazem menção da Canção de Salomão, que se poderia pensar, que "teria feito, se tivesse sido escrito assim lá na cópia diante deles, de modo que, no todo, o argumento, se ele tem alguma força nele, voltas para fora, e não contra, a antiguidade dos Cânticos de Salomão. Este livro dos Cânticos tem marcas claras de divino original, e as provas de seu ser de inspiração divina: ele foi escrito por, isso foi inspirado por Deus, como aparece nos livros de Provérbios e Eclesiastes, escrito por ele; a grandeza da matéria nela contida, a dignidade, a sublimidade e majestade do seu estilo, demonstrem a sua compostura não humana; o poder ea eficácia que teve que tem sobre os corações dos homens, em lê-lo, ouvi-lo e explicou, é mais uma prova de seu ser a palavra de Deus, que é viva e eficaz; a imparcialidade dele, a noiva, que está falando Introduzido em que, confessando e proclamando suas próprias falhas e fraquezas, não é prova de considerável dos mesmos; que podem ser adicionados ao acordo entre este e outras partes das Escrituras, como particularmente Salmo 45: 1; e parece haver muitas referências e alusões a várias passagens deste livro no Novo Testamento; veja Mateus 09:13, & c. João 3: 8 Colossenses 2:17; Comparado com Sol 1: 3 sol 5: 1. Em que momento da vida de Salomão este livro foi escrito não é feito: alguns dos escritores judeus dizem que o livro de Provérbios foi escrito antes, então o Cântico dos Cânticos, Eclesiastes e último de todos; outros, que a canção foi escrita pela primeira vez, em seguida, Provérbios,

Eclesiastes e, em seguida, (f); Sua cronologista embora (g) diz que eram todos escritos em sua velhice, como, aliás, o último livro parece ser; mas a canção parece ter sido escrito na parte do meio da sua vida, quando nas circunstâncias mais florescentes como para o corpo, mente e imobiliário. Dr. Lightfoot (h) é de opinião que poderia ser escrito no trigésimo ano de seu reinado, ACERCA 10 anos antes de sua morte, depois de eu ter construído sua casa de verão no Líbano, a que eu Supõe respeito é tido em Sol 4: 8 ; e em Sua trazer a filha de Faraó para a casa preparada para ela, 1 Reis 09:24; mas estar presente para ele pode, que não era uma celebração dos amores entre Salomão e ela, uma vez que o sentido literal, em muitos lugares, seria monstruoso e absurdo; Além disso ele deve ser escrito e pelo menos 20 anos, depois disso, se a casa do bosque do Líbano é referido nos lugares acima; nem se estendam as suas amours em setembro, e que o casamento entre eles, como típico do amor inefável e junção união entre Cristo e sua Igreja; No entanto, há uma semelhança entre o casamento natural e espiritual, eo amor das pessoas em relação a esse outro, e aos quais possa haver uma alusão, em algumas passagens. Nem é este livro histórico e profético, expressando Ou o Estado do povo de Israel, desde os tempos de Abraão a Salomão, e assim o Messias; de que forma muitos intérpretes judeus ir, como o Targum, Jarchi, Aben Ezra, e outros: nem é para ser considerada como Descrevendo o estado da Igreja: de Deus, seja legal, desde os tempos de Davi e Salomão, e antes , e após o cativeiro, para o nascimento e morte de Cristo; Evangelho ou a igreja, no seu início, o progresso, várias mudanças, e consumação, como Brightman e Cotton nem como estabelecendo as várias idades e períodos da igreja cristã, de acordo com as sete igrejas da Ásia, como Cocceius, e aqueles que segui-lo, Horchius, Hofman e Heunischius; em que este último, particularmente, que torna a distribuição dos mesmos:

 

 

 

(1) A igreja de Éfeso, Sol 1: 5; a partir da ascensão de Cristo ao céu, AC 33, para 370 (2) A igreja de Esmirna, Sol 2: 1; A. C. 371-707; (3) A igreja de Pérgamo, Sol 3: 1; AC 708-1045 (4) A igreja Thyatirian, Sol 4: 1, AC de 1046, a 1383 (5) A igreja Sardian, Sol 5: 2 AC de 1384, para 1721 (6) A igreja na Filadélfia, Sol 6: 9, a partir BC 1722-2059 (7) A igreja de Laodicéia, Sol 8: 1, a partir de 2060 aC, e em diante.

 

 

 

Mas, em sentidos originais são muito arbitrária, incerta e precária, e limitar as várias partes dele para Un determinados períodos; CONSIDERANDO que é aplicável aos crentes de todas as épocas de tempo. O todo é figurativa e alegórica; expressar, em uma variedade de metáforas vivas, o amor, união e comunhão entre Cristo e sua igreja; estabelecendo os vários quadros diferentes, casos e circunstâncias dos crentes, nesta vida; para que eles possam, em caso algum, ser e tudo o que condição espiritual, mas há algo nessa música adequada a eles; Que Serve e muito a recomendá-lo, e mostra a excelência dela; que justamente afirma-eo título carrega, o Cântico dos Cânticos, o mais excelente. M. Bossuet (i) é de opinião que, enquanto a festa nupcial com os hebreus foi mantido por sete dias, essa música é para ser distribuído em sete partes, uma parte para ser cantada, um a cada dia, durante a celebração: O primeiro dia Sol 1: 1. No segundo dia, Sol 2: 7. No terceiro dia, Sol 3: 1. O quarto dia, Sol 5: 2. O quinto dia, Sol 6:10. O sexto dia, Sol 7:12. O sétimo dia, Sol 8: 4. O pensamento é engenhosa, mas parece muito fantasioso, e sem fundamento.

 

 

 

(A) Misnah Yadaim, c. 3 s. 5. Hashirim Shir Rabá, fol. 2 Abarbinel 4 em 1 Reg. Iii. 12 fol. 209 2 ((B) Zohar em Êxodo. Fol. Hashirim 59 3 Shir Rabá, fol. 2 4 Targum, Jarchi, Aben Ezra e em loc. (C) do Dr. Kennicott dissertar. 1 p. 20, & c. (d) T. Bab. Beracot, fol. janeiro 30 ((e) Em Gênesis fol. 114 3 ((f) Hashirim Shir Rabá, fol. 3 3 Yalkut Simeoni, par . 2 fol. 28 de março ((g) Seder Olam Rabba, c. HaShirim 15 então Shir Rabá, fol. 3 3 (h) Ver suas obras, vol. 1 p. 76 (i) vid. Lowth de Sacr. Poesi Heb. Prælect. 30 p. 393, 394 e Not. Michaelis em ibid. p 156-159..

 

 

 

INTRODUÇÃO AO Cantares de Salomão 1

 

 

 

Neste capítulo, após o título geral do livro, Dom 1: 1, a Igreja exprime a sua fortes desejos e desejos mais ardentes, para algumas novas descobertas do amor de Cristo para ela, e para a comunhão com Ele; experimentado Seu amor, cheirava um cheiro suave em sua graça, e gostava de comunhão com ele em sua casa, Sol 1: 2. Ela uncomeliness observar sua negritude e em si mesma; as provações e aflições que ela encontrou-se com com os outros; e seu descuido e negligência de seus próprios assuntos, Sol 1: 5; amado e suplica-lhe para dirigir a ela onde ela pode se encontrar com ele, os seus rebanhos de alimentação, e dar-lhes descanso, que retorna para um tipo e resposta graciosa; dá-lhe instruções adequadas onde encontrá-lo, Sol 1: 7; e elogia a sua beleza; estabelece amabilidade e sua beleza, por várias metáforas; e faz mais graça e promessas de coisas boas para ela, Sol 1: 9. E então ela declarar o que ela tinha de valor para Cristo, seu amado; e quão precioso que eu era a ela, como um feixe de mirra, e um ramalhete de hena, Sun 1:12. Cristo novamente elogia a sua beleza; Particularmente e toma conhecimento de seus olhos, e seu olhar modesto, Sol 1:15; o elogio e ela retorna para ele, e expressa seu prazer e satisfação na casa que eu havia construído para ela, e os móveis dela, Sol 1:16.