Translate this Page

Rating: 2.9/5 (953 votos)



ONLINE
7




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


historia de igreja na HUMGRIA
historia de igreja na HUMGRIA

                                        HISTORIA DA IGREJA DA HUMGRIA

 

Brasão do HungarianEsta área, chamada "Panônia" pelos romanos, caiu sob o domínio de Átila, o Huno (ca. 406-453 AD) como o Império Romano estava em colapso. O nome "Hungria" é possivelmente derivado do nome para o povo huno. Após a desintegração do Império Huno, germânicos Lombard e Gepid tribos governou a Hungria por cerca de 100 anos. Eles foram seguidos pelos ávaros. Durante os 200 anos de domínio Avar, a migração das tribos eslavas começou: morávios, búlgaros, croatas, sérvios e poloneses. Todos estes tentaram derrotar os avaros, mas seu poder não foi quebrado até que o rei franco Carlos Magno invadiu a partir do oeste. Depois de Carlos Magno recuou, da tribo dos magiares assumiu o controle da região. Eles são os antepassados ​​dos modernos húngaros, originário do leste dos Urais e fazer parte das tribos fino-Urgic. Os magiares unidos no século 9 sob o seu primeiro rei - Stephen I. Ele aceitou o catolicismo romano como uma pré-condição de receber a coroa da Hungria do Papa! Stephen proibiu o antigo alfabeto rúnico HunMagyar e fez Latina, a língua oficial do tribunal.

 Hungria floresceu como um Estado católico romano, bem conectado com outros estados vizinhos católicos, como os Habsburgos na Áustria. Hungria sofreu perdas devastadoras sob a invasão mongol Tartar de 1241, liderado por Batu Khan. 

Aos poucos, a Hungria ganhou mais autonomia e poder sob o domínio da dinastia Magyar Árpáds, embora eles permaneceram profundamente católica romana. Esta dinastia governou a partir do século 9 até 1301 No entanto, grande foi a mudança nos próximos 200 anos. 

John Hus

John Hus (1369-1415) foi um pensador e reformador religioso que nasceu no sul da Boêmia. Como um dos seguidores de John Wycliffe, John Hus promovido activamente ideias de Wycliffe que as pessoas devem ser autorizadas a ler a Bíblia em sua própria língua, e que eles deveriam se opor à tirania da Igreja Católica Romana, que ameaçava qualquer um que possua uma Bíblia não latino com execução . 

Hus em seu caminho para ser queimado na fogueiraEle iniciou um movimento de reforma com base nas ideias de John Wycliffe, e seus seguidores ficaram conhecidos como hussitas. Porque o seu ensino também se espalhou para os países vizinhos, muitos húngaros se tornaram seus seguidores. A igreja católica romana era contra os seus ensinamentos, e Hus foi excomungado em 1411 por causa de sua rebelião. Mais tarde ele foi queimado na fogueira em Constança em 06 de julho de 1415, tendo sido condenado pelo Concílio de Constança em um julgamento injusto. 

No final do julgamento Hus ", quando perguntado se ele iria apelar para o Papa por misericórdia, ele respondeu:" Eu afirmo, antes de tudo, que não há mais justa ou eficaz recurso, do que aquele que é feito a Cristo. Quem é o juiz mais alto do que Cristo? "Quando a cadeia estava enrolado no pescoço, ligando-o ao jogo, ele gritou:" Meu Senhor Jesus Cristo foi amarrado com uma corrente mais forte do que isso por amor de mim, e por que então eu deveria se envergonhar esta enferrujado? "Como Hus estava morrendo, sendo queimado vivo na fogueira, ele proclamou:" O que eu ensinei com os meus lábios selar com o meu sangue. Você está indo agora para gravar um ganso, mas em um século, você terá um cisne que você não pode nem assado nem ferver. "O nome Hus, significa, literalmente," ganso ". Quase exatamente cem anos mais tarde, em 1517, Martinho Lutero afixou suas famosas 95 teses de Contenção (uma lista de 95 questões de teologia herética e crimes da Igreja Católica Romana) na porta da igreja de Wittenberg (ver História Cristã da Alemanha ). Crista da família de Martin Luther é uma imagem de um cisne! A profecia de Hus tinha se tornado realidade. 

Matthias Corvinus "o Justo" (1458-1490)

Cerca de 40 anos após o martírio John Hus 'Renascimento rei Matthias Corvinus "o Justo" (1.458-1.490) levantou um grande exército do rei, cujo principal força consistia em os restos dos hussitas protestantes. Matthias Corvinus foi um dos reis mais importantes do que os mil anos da história húngara. Durante o seu reinado, a Hungria atingiu um dos seus maiores extensões territoriais sempre, do Sudeste Alemanha para a Dalmácia, no Ocidente, e da Polônia para a Bulgária de hoje no Oriente. Ele derrotou o Império Turco Otomano na Bósnia e na Sérvia. Em uma tentativa de manter os turcos de volta, ele conquistou grande parte do antigo Sacro Império Romano, mesmo tendo metade da Áustria e governar a partir de Viena, de 1485 em diante. Ele instituiu muitas reformas educacionais e legais e era simpático às opiniões hussitas. 

Ele morreu sem deixar herdeiros, e dividir a Hungria em muitos pequenos feudos. Os turcos invadiram novamente em 1526 e na Hungria foi repartido em três partes. Os turcos tomaram Hungria central, Royal Hungria no Ocidente (que consiste moderna Croácia e Eslováquia), e do Leste da Hungria, que era então chamado Transilvânia. 

Reforma

A Reforma veio a Hungria não muito depois de 1517 Em primeiro lugar, ele se espalhou entre os povos de língua alemã nas cidades Royal Free de Hungria e para os saxões da Transilvânia. Os comerciantes que viajam através da Europa, bem como os professores e pastores voltando para casa a partir de Wittenberg (Alemanha), foram os primeiros defensores desta religião reformada. 

No entanto, a batalha contra eles foi acirrada na primeira como na Assembleia Legislativa húngaro Católica governada aprovou uma lei para começar uma inquisição em Viena. Mesmo assim, a propagação da Reforma não foi prejudicada nas cidades reais da Hungria Ocidental ou da Transilvânia na década de 1540 e 1550. 

Durante esse tempo, a Reforma feito grandes progressos na Hungria, na medida em que grande parte da população e do clero do país professa o protestantismo, deixando apenas pequenas bolsas da Igreja Católica em todo Hungria. Os moradores de camponeses aderiram à Reforma da fé cristã em cidades do interior no oeste da Hungria e no sul do país. 

Os primeiros reformadores

Um dos primeiros reformadores húngaros, Mátyás Devai Bíró , tinha sido um convidado de Martin Luther, e ele foi chamado de "Hungarian Luther". Sua pregação estendido para todas as três partes do país; o domínio do rei Ferdinand (da Casa de Habsburgo), no Ocidente, o reino da Transilvânia governado pelo rei John Szapolyai no Oriente, e da ocupação turca no sul. Como os dois reis, sendo católica, perseguiu os seguidores da Reforma, Bíró teve de fugir de um território para outro. Em 1541, János Silvester, outro reformador, completou a primeira tradução húngara do Novo Testamento completo. 

A difusão da Reforma em partes da Hungria não poderia ser interrompido pela Igreja Católica Romana. Em 1549 a Assembléia Legislativa Real Húngara também aceitou a confissão luterana (Confessio Pentapolitana) das cinco cidades Royal Free de Alta Norte Hungria. O trabalho Reforma continuou em ritmo acelerado, e até o final do século 17 a maioria dos húngaros eram protestantes. A Guerra dos Trinta Anos-(1618-1648) entre o Catolicismo Romano e os reformadores estabelecido Debrecen como uma fortaleza da fé reformada, e segunda maior cidade da Hungria era conhecido como "O húngaro Genebra", após o trabalho feito por João Calvino nessa cidade (veja Christian History of Switzerland ). 

A Contra-Reforma

"Nos (Católica Romana liderada) territórios dos Habsburgos da Hungria, da Contra-Reforma durou de 1671 em. Mais de 40 pastores e professores que não estavam dispostos a converter foram condenados a galera. No final do século 17 Habsburg conquistou o parte central turco da Hungria e exerceu pressão Counter-reformada nos protestantes. Da 1711-1718 a situação melhorou na medida em que a Contra-Reforma deixou de ser sangrento. Até o final do século 18, no entanto, a Contra-Reforma causou grave dizimação da Igreja Reformada da Hungria, ao qual a maioria da população pertencia. " 1 

Em 1781, Joseph II , imperador do Sacro Império Romano e rei da Hungria, emitiu um édito de tolerância (Edictum Tolerantiae), no qual ele regulamentou a prática religiosa pública de fiéis não-católicas. Congregações protestantes foram autorizados a ser organizado, tinha um pastor próprio, e já não eram obrigados a pagar pelos serviços de um sacerdote católico. Apesar disso, o catolicismo romano foi promovido como a religião da monarquia, e que a maioria dos húngaros se voltaram para a Igreja Católica Romana. A igreja reformada permaneceu dividido e não foi até 1881 na Assembléia Geral da Debrecen que a Igreja Reformada foi oficialmente estabelecida. Até então ele era atormentado com o liberalismo e manteve-se ineficaz. Até o final de 1800, o catolicismo romano era, de longe, a religião dominante da Hungria. 

Movimento Pentecostal na Hungria

Húngaros estavam entre aqueles que foram convertidos em avivamentos pentecostais início nos EUA (ver Christian História dos EUA ). Alguns desses convertidos voltou a Hungria no início dos anos 1920. Em 1928, os pequenos grupos pentecostais organizaram-se sob as Assembléias de Deus banner. No entanto, devido a Hungria se tornar comunista, ea maioria do restante da população católica, o movimento pentecostal nunca se enraizou na Hungria. É somente nos últimos 20 anos que as igrejas pentecostais começaram a crescer. 

Um momento de transformação

Em 1948, a Hungria tinha caído sob o controle da União Soviética. Naquela época, o Estado tentou melhorar a sua relação com as igrejas, por meio de vários acordos. Mas porque o comunismo ensina o ateísmo eo controle absoluto, não foi possível construir novas relações. Embora grande ênfase foi colocada sobre o princípio de "uma Igreja livre num Estado livre", a República da Hungria não poderia garantir essa liberdade para as igrejas . O Partido Comunista enfraqueceu continuamente não só os seus adversários políticos, mas também as igrejas. 

Escolas da Igreja foram nacionalizados eo próximo passo foi remover as escolas (primeiro na capital e depois no resto do país) a partir do "dano de uma ideologia dupla", isto é, a instrução religiosa e não-religiosa. Como resultado, o ensino religioso foi totalmente removido. 

Nosso futuro se nos voltarmos para Deus

Gerações de húngaros foram nascidos e criados sem qualquer fundo eclesiástico. A freqüência à igreja estava longe de ser característica de homens e mulheres, na Hungria, e uma vez que a ideologia comunista tinha praticamente nenhum ensinamentos éticos, toda a sociedade húngara tornou-se um povo desiludido. No entanto, milhares de membros da igreja fiéis e ministros mantiveram a fé e passou-o, tanto quanto puderam, para a próxima geração. A partir da década de 1960, a igreja tornou-se mais ativa, a publicação de livros teológicos e edificantes tem aumentado, e uma nova tradução húngara da Bíblia foi publicado.

 No entanto, isto deve ser apenas o início. Vamos reviver a Palavra de Deus em nossa nação para a qual Hus e Corvinus pagaram com suas vidas, e "Stand ... nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas qual é o bom caminho, e andai por ele, e vós sereis encontrareis descanso para as vossas almas ... " (ver JEREMIAS 06:16 ). 

"Quanto a Deus, o seu caminho é perfeito: a palavra do Senhor é provada; ele é um escudo para todos os que nele confiam" SALMO 18:30 

fonte www.avivamentonosul.blogspot.com.br