Translate this Page

Rating: 3.0/5 (907 votos)



ONLINE
1




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


a ressurreição de Jesus MT 28
a ressurreição de Jesus MT 28

                                                           Mateus capítulo 28


Mateus 28: 1-10

Depois do sábado, uma vez que começou a nascer no primeiro dia da semana, Maria Madalena ea outra Maria foram ver o sepulcro. Eis que houve um grande terremoto, porque um anjo do Senhor desceu do céu, e veio e rolou a pedra da porta, e sentou-se nela. Sua aparência era como um relâmpago, e as suas vestes brancas como a neve. Por medo dele, os guardas tremeram, e ficaram como mortos. O anjo respondeu as mulheres, "Não tenha medo, pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui, porque ressurgiu, como ele disse. Vinde ver o lugar onde o Senhor foi . mentindo Ide depressa e dizei aos seus discípulos: "Ele ressuscitou dentre os mortos, e eis que ele vai adiante de vós para a Galiléia; lá você vai vê-lo. ' Eis que eu vos disse. "

Eles partiram rapidamente do sepulcro, com temor e grande alegria, correram para trazer aos discípulos. Como eles foram para dizer aos seus discípulos, eis que Jesus se encontrou com eles, dizendo: "Alegrai-vos!"

Eles vieram e segurou seus pés, eo adoraram.

Então Jesus disse-lhes: "Não tenha medo. Vá dizer a meus irmãos que eles devem ir para a Galiléia, e lá me verão."

O principal assunto destes versos é a ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo dentre os mortos. É uma daquelas verdades que estão no próprio fundamento do cristianismo, e, portanto, tem recebido atenção especial nos quatro Evangelhos. Todos os quatro evangelistas descrever minuciosamente como nosso Senhor foi crucificado. Todos os quatro se relacionam com não menos clareza, que Ele ressuscitou.

Nós precisamos não é de admirar que tanta importância é anexado a ressurreição de nosso Senhor. É o selo e lápide da grande obra da redenção, que Ele veio fazer. Ele é a prova suprema que Ele pagou a dívida que Ele se comprometeu a pagar em nosso nome, ganhou a batalha que ele lutou para livrar-nos do inferno, e é aceito como nosso Fiador e nosso Substituto pelo nosso Pai no céu. Ele nunca tinha saído de prisão da sepultura, como podíamos ter a certeza de que nosso resgate havia sido pago integralmente? (1 Cor. 15:17). Ele nunca tinha subido de seu conflito com o último inimigo, como poderíamos ter me senti confiante, de que Ele venceu a morte, e aquele que tinha o poder da morte, que é o diabo? (Heb. 2:14). Mas graças a Deus, não somos deixados em dúvida. O Senhor Jesus realmente "ressuscitou para nossa justificação." Os verdadeiros cristãos são "gerados de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos." Eles podem corajosamente dizer com Paulo: "Quem é que condena - é Cristo quem morreu, sim, sim, que ressuscitou." (Rom 8:34 Rom 4:25 1 Pedro 1:..... 3)

Temos razões para ser muito grato, que esta maravilhosa verdade de nossa religião é tão claramente e plenamente provado. É uma circunstância marcante, que, de todos os fatos do ministério terreno de fora Senhor, nenhum é tão incontestavelmente estabelecido como o fato de que Ele ressuscitou. A sabedoria de Deus, que conhece a incredulidade da natureza humana, tem proporcionado uma grande nuvem de testemunhas sobre o assunto. Nunca houve um fato que os amigos de Deus eram tão lentos para crer, como a ressurreição de Cristo. Nunca houve um fato que os inimigos de Deus estavam tão ansiosos para refutar. E, no entanto, apesar da incredulidade de professos amigos, ea inimizade de inimigos, o fato foi completamente estabelecida. Suas evidências sempre aparecerá a uma mente justo e imparcial irrespondível. Seria impossível provar qualquer coisa no mundo, se nós nos recusamos a acreditar que Jesus ressuscitou.

Deixe-nos notar nestes versos, a glória e majestade com que Cristo ressuscitou dos mortos. É-nos dito que "houve um grande terremoto." Dizem-nos que "o anjo do Senhor desceu do céu, e veio e rolou a pedra da porta do sepulcro e sentou-se em cima dele." Precisamos supor que o nosso bendito Senhor precisou da ajuda de qualquer anjo, quando ele saiu do túmulo. Nós não precisamos de um momento duvido que Ele ressuscitou pelo Seu próprio poder. Mas aprouve a Deus, que a Sua ressurreição deve ser acompanhado e seguido por sinais e maravilhas. Parecia bom que a terra deve tremer, e um glorioso anjo aparecer, quando o Filho de Deus ressuscitou dos mortos como um conquistador.

Não vamos deixar de ver na forma da ressurreição de nosso Senhor, um tipo eo penhor da ressurreição de Seu povo crente. A sepultura não poderia segurá-lo para além da hora marcada, e não será capaz de mantê-los. Um glorioso anjo era uma testemunha de sua ressurreição, e gloriosos anjos são os mensageiros que deve reunir os crentes quando eles sobem novamente. Ele levantou-se com um corpo renovado, e ainda um corpo, real, verdadeiro, e material, e assim também deve o seu povo ter um corpo glorioso, e ser como seu chefe. "Quando O vemos, seremos semelhantes a Ele". (1 João 3: 2.)

Vamos dar conforto neste pensamento. Julgamento, tristeza e perseguição são frequentemente a parte do povo de Deus. Doença, fraqueza e dor, muitas vezes ferido e usar o seu corpo terreno pobres. Mas o seu bom momento ainda está por vir. Deixe-os esperar pacientemente, e eles terão uma ressurreição gloriosa. Quando morremos, e onde estão enterrados, e que tipo de funeral que temos, pouco importa. A grande pergunta a ser feita é esta: "Como é que vamos subir de novo?"

Notemos no próximo lugar, o terror que os inimigos de Cristo sentida no período de Sua ressurreição. Dizem-nos que com a visão do anjo, "os guardas tremeram e ficaram como mortos."Esses soldados romanos resistentes, embora não acostumado a mira terríveis, vi uma visão que lhes codornizes feito. Sua coragem derretido de uma vez no aparecimento de um anjo de Deus.

Vamos ver novamente neste fato, um tipo e um emblema de coisas ainda por vir. O que os ímpios e os afazeres ímpios no último dia, quando a trombeta soará, e Cristo virá em glória para julgar o mundo?O que eles vão fazer, quando eles vêem todos os mortos, tanto pequenos como grandes, vindo de seus túmulos, e todos os anjos de Deus, reunido em volta do grande trono branco? Que medos e terrores irá possuir suas almas, quando eles acham que eles não podem mais evitar a presença de Deus, e deve, finalmente encontrá-Lo face a face? Oh! que os homens eram sábios, e iria considerar o seu fim!Oh! que eles iriam se lembrar que há uma ressurreição e um julgamento, e que não há tal coisa comoa ira do Cordeiro!

Notemos no próximo lugar, as palavras de conforto que o anjo dirigiu aos amigos de Cristo. Nós lemos que ele disse: "Não tenha medo - pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado."

Estas palavras foram ditas com um significado profundo. Eles foram feitos para alegrar os corações dos crentes de todos os tempos, na perspectiva da ressurreição. Eles tinham a intenção de nos lembrar, que os verdadeiros cristãos não têm motivo para alarme, o que quer que pode vir sobre o mundo. O Senhor deve aparecer nas nuvens do céu, ea terra se queimarão. Os túmulos deve dar os mortos que neles há, e no último dia vir. A sentença deve ser definido, e os livros serão abertos. Os anjos devem peneirar o trigo do joio, e dividir entre os peixes bons e os maus. Mas em tudo isto não há nada que precisamos fazer crentes medo. Vestida na justiça de Cristo, eles devem ser encontrados sem mácula e irrepreensíveis. Seguro no único verdadeiro arca, eles não devem ser ferido quando o dilúvio da ira de Deus rompe na terra. Então as palavras do Senhor receber o seu cumprimento completo - "quando estas coisas começarem a acontecer, levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção se aproxima." Então os ímpios e incrédulos ver como verdade era essa palavra, "abençoou o povo cujo Deus é o Senhor." (Salmo 33:12).

Notemos, finalmente, a mensagem graciosa que o Senhor enviou aos discípulos depois da ressurreição. Ele apareceu em pessoa para as mulheres que tinham vindo para fazer honra ao Seu corpo. Última na cruz e pela primeira vez no túmulo, eles foram os primeiros privilégio de ver ele depois que ressurgiu. E, para eles Ele dá comissão para o anunciarem a seus discípulos. Seu primeiro pensamento é para seu pequeno rebanho disperso. "Vá, dizer a meus irmãos."

Há algo de profundamente comovente nessas palavras simples, "meus irmãos". Eles merecem mil pensamentos. Fraco, frágil, errando como os discípulos, Jesus ainda chama de seus "irmãos". Ele conforta-los, como fez José a seus irmãos que o haviam vendido, dizendo: "Eu sou seu irmão Joseph."Por mais que eles tinham vindo curto de sua profissão - infelizmente, como haviam rendido ao medo do homem, eles ainda são seus "irmãos". Glorioso como Ele era em si mesmo - vencedor sobre a morte eo inferno, ea sepultura, o Filho de Deus ainda é "manso e humilde de coração." Ele chama seus discípulos "irmãos".

Voltemo-nos da passagem com pensamentos confortáveis, se sabemos nada da verdadeira religião.Vamos ver nestas palavras de Cristo, um encorajamento a confiar e não ter medo. Nosso Salvador é aquele que nunca se esquece de Seu povo. Ele se compadece de suas enfermidades. Ele não desprezá-los. Ele sabe que sua fraqueza, e ainda não lançá-los fora. Nosso grande Sumo Sacerdote é também nosso irmão mais velho.

 

Mateus 28: 11-20

Ora, enquanto elas iam, eis que alguns da guarda foram à cidade, e contaram aos principais sacerdotes todas as coisas que tinham acontecido. Quando eles estavam reunidos com os anciãos, e tomando conselho entre si, deram uma grande quantidade de prata para os soldados, dizendo: "Diga que seus discípulos vieram de noite e roubaram-lhe afastado enquanto dormimos. Se este relatório vem ao governador do orelhas, vamos persuadi-lo e torná-lo livre de preocupações. " Então eles levaram o dinheiro, fizeram como lhes foi dito. Este provérbio tem-se divulgado entre os judeus, e continua até hoje.

Mas os onze discípulos para a Galiléia, para o monte que Jesus lhes tinha enviado. Quando o viram, inclinaram-se a ele, mas alguns duvidaram. Jesus veio a eles, falou-lhes, dizendo: "Toda a autoridade foi dada a mim no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado. Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. " Amém.

Estes versos formam a conclusão do Evangelho de Mateus. Eles começam por mostrar-nos o que absurdos preconceito cego vai acreditar, em vez de acreditar na verdade. Eles vão nos mostrar o que há fraqueza nos corações de alguns discípulos, e como eles são lentos para crer. Eles terminar dizendo-nos algumas das últimas palavras ditas por nosso Senhor sobre a terra - palavras tão notáveis ​​que eles exigem e merecem toda a nossa atenção.

Vamos observar, em primeiro lugar, a honra que Deus colocou em nosso Senhor Jesus Cristo.Nosso Senhor diz: "todo o poder é dado para mim no céu e na terra."

Esta é uma verdade que é declarada por Paulo aos Filipenses: "Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome". (Filipenses 2:.. 9) É uma verdade que, de modo algum tira a verdadeira noção da divindade de Cristo, como alguns têm ignorantemente suposto. É simplesmente uma declaração, que, nos conselhos da Santíssima Trindade eterna, Jesus, como Filho do homem, é constituiu herdeiro de todas as coisas, que Ele é o Mediador entre Deus eo homem - que a salvação de todos os que são salvos é colocada sobre ele - e que Ele é a grande fonte da misericórdia, a graça, a vida ea paz. Foi por esse "gozo que lhe está que Ele suportou a cruz." (Heb. 12: 2.)

Vamos abraçar esta verdade com reverência, e se apegam a ela com firmeza. Cristo é Aquele que tem as chaves da morte e do inferno. Cristo é o Sacerdote ungido, o único que pode absolver pecadores.Cristo é o manancial de águas vivas, em quem só podemos ser limpos. Cristo é o Príncipe e Salvador, o único que pode dar o arrependimento ea remissão dos pecados. Nele habita toda a plenitude. Ele é o caminho, a porta, a luz, a vida, o pastor, o altar de refúgio. Aquele que tem o Filho tem a vida - e ele não tem o Filho não tem a vida. Que todos nós nos esforçamos para entender isso. Sem dúvida, os homens podem facilmente pensar muito pouco de Deus, o Pai, e Deus, o Espírito, mas nenhum homem jamais pensou muito de Cristo.

Vamos observar, em segundo lugar, o dever que Jesus coloca em Seus discípulos. Ele os convida a "ir e ensinar todas as nações." Eles não estavam a limitar o seu conhecimento para si mesmos, mas comunicá-la aos outros. Eles não deveriam supor que a salvação foi revelado apenas para os judeus, mas para torná-lo conhecido de todos o mundo. Eles deveriam se esforçar para fazer discípulos de todas as nações, e para contar toda a terra que Cristo morreu pelos pecadores.

Nunca nos esqueçamos que esta injunção solene ainda está em pleno vigor. Ele ainda é o dever sagrado de cada discípulo de Cristo a fazer tudo o que pode, em pessoa, e pela oração, para fazer os outros familiarizados com Jesus. Onde está a nossa fé, se não atentarmos este dever? Onde está a nossa caridade? Pode muito bem ser questionado se um homem sabe o valor do próprio Evangelho, se ele não deseja torná-lo conhecido a todo o mundo.

Vamos observar, em terceiro lugar, a profissão pública que Jesus exige daqueles que acreditam seu Evangelho. Ele diz a seus apóstolos para "batizar" aqueles a quem eles receberam como discípulos.

É muito difícil conceber quando lemos este último comando de nosso Senhor, como os homens podem evitar a conclusão de que o batismo é necessário, quando ele pode ser tido. Parece impossível explicar a palavra que temos aqui de qualquer, mas uma portaria para fora, para ser administrado a todos os que se juntar a Sua Igreja. Isso batismo exterior não é absolutamente necessário para a salvação, o caso do ladrão arrependido mostra claramente. Ele foi para o paraíso não batizado. Que o batismo para fora sozinho muitas vezes não confere qualquer vantagem, o caso de Simão, o Mago mostra claramente. Embora batizado, ele permaneceu "no fel da amargura e laço de iniqüidade." (Atos 08:23). Mas que o batismo é uma questão de toda indiferença, e não precisa ser usado em tudo, é uma afirmação que parece em desacordo com as palavras do Senhor neste lugar.

A lição prática simples das palavras é a necessidade de uma confissão pública de fé em Cristo. Não é o suficiente para ser um segredo discípulo. Não devemos ter vergonha de deixar que os homens ver de quem somos e quem nós servimos. Não devemos agir como se nós não gostamos de ser pensado cristãos, mas tomar a nossa cruz e confessar nosso Mestre diante do mundo. Suas palavras são muito solene: "Quem se envergonhar de mim - de o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai, com os santos anjos." (Marcos 8:38).

Observemos, em quarto lugar, a obediência que Jesus exige de todos os que se professam discípulos. Ele manda os apóstolos "Ensine-os a guardar todas as coisas, o que quer que lhes ordenou".

Esta é uma expressão de pesquisa. Ele mostra a inutilidade de um mero nome e forma de cristianismo.Isso mostra que eles só devem ser contados os verdadeiros cristãos que vivem em uma obediência prática a Sua palavra, e se esforçam para fazer as coisas que Ele ordenou. A água do batismo, eo pão eo vinho da Ceia do Senhor só vai salvar a alma de ninguém. Beneficia nada que ir a um lugar de culto e ouvir ministros de Cristo, e aprovar o Evangelho, se nossa religião não vai mais longe do que isso. Quais são as nossas vidas? Qual é a nossa conduta diária, em casa e no exterior? É o Sermão da Montanha nossa regra e norma? Nós nos esforçamos para copiar o exemplo de Cristo? Será que nós procuramos fazer as coisas que Ele ordenou? Estas são perguntas que devem ser respondidas afirmativamente, se quisermos provar-nos nascer de novo e filhos de Deus. A obediência é a única prova da realidade. A fé sem obras é morta em si mesma. "Vós sois meus amigos", diz Jesus, "se fizerdes o que eu vos mando." (João 15:14).

Observemos, em quinto lugar, a menção solene da Santíssima Trindade, que nosso Senhor faz nestes versos. Ele lances os apóstolos para batizar "em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo."

Este é um daqueles grandes textos simples que ensinam diretamente o poderoso doutrina da Trindade.Ela fala do Pai, do Filho e do Espírito Santo como três pessoas distintas, e fala de todos os três como co-iguais. Tal como o Pai é, tal é o Filho, e tal é o Espírito Santo. E, no entanto estes três são um.

Esta verdade é um grande mistério. Que seja suficiente para receber e acreditar, e deixe-nos sempre abster-se de todas as tentativas de explicação. É tolice infantil de recusar a aprovação coisas que nós não entendemos. Estamos pobres vermes rastejando de um dia, e no nosso melhor, sabem pouco a respeito de Deus e da eternidade. Basta para nós receber a doutrina da Trindade na Unidade, com humildade e reverência, e não faz perguntas vãs. Vamos acreditar que nenhuma alma pecadora poderia ser salvo sem o trabalho de todas as três Pessoas na Santíssima Trindade, e alegremo-nos que o Pai, o Filho eo Espírito Santo, que colaboraram para tornar o homem, sempre cooperar para salvar ele. Aqui vamos fazer uma pausa. Podemos receber praticamente o que não podemos explicar teoricamente.

Finalmente, vamos observar nestes versos, a graciosa promessa com a qual Jesus fecha as Suas palavras. Ele diz aos seus discípulos "Eu estarei sempre convosco até ao fim do mundo."

É impossível conceber palavras mais reconfortante, fortalecendo, torcendo, e santificadora do que estes. Embora deixado sozinho, como crianças órfãs em um mundo cruel frio, os discípulos não estavam a pensar que eles estavam desertas. Seu Mestre seria sempre "com eles." Embora contratado para fazer um trabalho tão duro como a de Moisés, quando enviou ao Faraó, eles não estavam a ser desencorajado. Seu Mestre certamente seria "com eles." Nenhuma palavra poderia ser mais adequado para a posição daqueles a quem elas foram ditas em primeiro lugar. Nenhuma palavra poderia ser imaginado mais consolador para os crentes em todas as épocas do mundo. Deixe todos os verdadeiros cristãos de lançar mão dessas palavras e mantê-los em mente. Cristo é "conosco" sempre. Cristo é "conosco", onde quer que vamos. Ele veio para ser "Emanuel, Deus conosco", quando Ele veio pela primeira vez ao mundo. Ele declara que Ele está sempre Emmanuel, "conosco", quando Ele vier para o final do Seu ministério terreno e está prestes a sair do mundo. Ele está conosco diariamente para perdoar e perdoar - com nós diariamente para santificar e fortalecer - com nós diariamente para defender e manter - com nós diariamente para liderar e orientar - com a gente na tristeza, e com a gente em Joy- -Com-nos na doença, e com a gente em saúde - com a gente na vida, e com a gente na morte - com-nos no tempo, e com a gente na eternidade.

Que consolo mais forte poderia crentes desejo que este? Aconteça o que acontecer, eles pelo menos nunca são completamente sem amigos e sozinhos. Cristo está sempre com eles. Eles podem olhar para a sepultura, e dizer com Davi, "ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte não temerei mal algum, porque tu estás comigo." Eles podem olhar para a frente para além do túmulo, e dizer com Paulo, "estaremos para sempre com o Senhor." (Salmo 23:... 4 1 Ts 4:17) Ele disse isso, e Ele vai ficar a ela: "Eu estarei sempre convosco, até ao fim do mundo." "Eu nunca vou deixar você e nunca te abandonarei." Poderíamos perguntar mais nada. Vamos continuar a acreditar, e não ter medo. É tudo para ser um verdadeiro cristão. Nenhum tem um rei tal, tal Priest, um companheiro tal constante, e um amigo como infalível, como os verdadeiros servos de Cristo.

fonte coment. biblico M.HENRY (N.T)  www.avivamentonosul.blogspot.com