Translate this Page

Rating: 3.0/5 (946 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


panorama do livro de Atos
panorama do livro de Atos

 

Atos dos Apóstolos

1. Resumo dos conteúdos . O quinto livro da nossa NT dá a história da Igreja a partir da Ascensão até c [Nota: cerca de, aproximadamente.] . ad 61. Ela pode ser dividida em duas partes, uma das quais descreve o início da história ("Atos de Pedro ' e 'Atos dos helenistas »), e do outro a vida de St. Paul (" Atos de Paulo ") a partir de sua conversão à sua prisão em Roma. As duas partes se sobrepõem uns aos outros; ainda uma divisão clara ocorre em Atos 13: 1 , a partir do qual ponto encaminha as viagens paulinas são descritos por alguém que para uma parte considerável deles era um companheiro de viagem. O paralelismo entre Pedro e Paulo é muito marcante, fatos e acontecimentos estando relacionado de cada correspondente; e essa peculiaridade foi pensado pela escola Tübingen trair um autor fictício, que compôs sua narrativa de modo a mostrar a igualdade de Pedro e Paulo. Embora esta conclusão é arbitrária, o paralelismo nos mostra que o autor, quem quer que fosse, selecionado seus fatos com muito cuidado e com um propósito definido.

 2. Unidade de autoria . De Atos 16:10 em diante, o escritor, que nunca ele mesmo nomes, muitas vezes trai sua presença como um companheiro de viagem usando o pronome "nós". É geralmente admitiu que estas seções "nós" são notas genuínas de um companheiro de St. Paul. Mas alguns afirmam que o autor de Atos era um escritor mais tarde que incorporou em seus extratos de trabalho a partir de um diário contemporâneo, com os acontecimentos descritos. Esses críticos ver nos traços do livro de quatro estratos, e afirmar que é uma compilação da mesma natureza que o Pentateuco, o Livro de Enoque , e as Constituições Apostólicas . Agora, sem dúvida, o nosso autor usou fontes, em algumas partes de suas fontes livro escrito. Mas se fosse um segundo cento. compilador, devemos ser capazes de detectar interpolações de diferenças de estilo (como fazemos em Apost. Const .), e muitas vezes de anacronismos. Além disso, vendo que ele era, pelo menos, um homem de grande capacidade literária, é notável que ele era tão desajeitado como manter o pronome "nós" se ele era um escritor tarde copiando uma primeira cento. source. Seu estilo é o mesmo por toda parte, e não há anacronismos foram realmente trouxe para casa com ele; seus interesses são os do primeiro, e não do século 2 (§ 8 ). Além disso, o terceiro Evangelho é claramente, a partir da identidade de estilo e a alegação expressa em Atos 1: 1 (cf. Lc 1: 3 ), pelo nosso autor, e ainda o Evangelho é agora geralmente admitiu ter sido escrito por c [Nota .: cerca de, aproximadamente] . ad 80. Assim, podemos, com Harnack, negar provimento ao teoria compilação. 

3. O autor . A evidência interna, se a unidade da autoria ser admitido, mostra que o escritor era um companheiro próximo de St. Paul. Agora, se tomarmos os nomes dos companheiros do Apóstolo dadas nas epístolas, veremos que todos, mas quatro devem ser excluídos, seja como tendo se juntou a ele após sua chegada em Roma (para o autor fez a viagem com ele, Atos 27: 1 ), ou como sendo mencionado em Atos de forma incompatível com a autoria (assim, por exemplo , Timóteo, Tíquico, Aristarco, Marcos, Prisca, Aquila, Trophimus devem ser excluídos), ou como lhe terem desertado, ou como sendo cristãos romanos e amigos recentes. Dois dos quatro (Crescente e Jesus Justus) são insignificantes, e tinha conexão nenhuma especialmente íntimo com o Apóstolo. Temos apenas Titus e Lucas esquerda. Nem é mencionado em Atos; ambos foram pessoas importantes. Mas para 2 Timóteo 4:10 f. temos de ter suspeitado de que estes eram dois nomes para a mesma pessoa. Temos então de escolher entre eles, e evidência patrística (§ 4 ) nos leva a escolher Luke. Mas por que Tito não mencionado em Atos? Não pode ser (como Lightfoot sugere) que ele não era importante (cf. 2 Co. passim ), mas talvez o silêncio de Lucas é devido a Titus ser seu próximo relação (Ramsay); cf. Exp. T. XVIII. [1907] 285, 335, 380. 

O autor era um gentio, não um judeu ( Colossenses 4:10 f,. Colossenses 4:14 ), a conclusão a que a consideração de seus interesses nos levaria (§ 8 , ver também Atos 01:19 "em sua língua ' ). Ele era um médico ( Colossenses 4:14 ), e tinha muito provavelmente estudou na Universidade de Atenas, onde ele parece bastante em casa embora não presente nas cenas atenienses que ele descreve ( Atos 17:16 e ss.). Seu país de origem é disputada. Um Prefácio à Luke ., pensado para ser o mais tardar no terceiro cento, diz que ele era "por nação um sírio de Antioquia '; e Eusébio ( HE . iii 4), usando uma frase vaga, diz que ele era ", segundo nascimento, daqueles de Antioquia '; enquanto os escritores posteriores como Jerome siga Eusébio. Certamente, jamais teríamos imaginado isso da maneira fria em que a Antioquia da Síria é mencionado em Atos. Alguns (Rackham, Rendall) conjectura de que Antioquia da Pisídia é realmente significou, como as cenas do bairro dessa cidade são tão vivas que a descrição poderia muito bem ser por uma testemunha ocular. Mas as seções "nós" ainda não havia começado, e isto parece decisiva contra o escritor ter estado presente. Outros (Ramsay, Renan) acreditam que o escritor ter sido macedônio de Filipos, desde que assumiu tão grande interesse em que as reivindicações da colônia ( Atos 16:12 ). Na verdade, Ramsay ( St. Paul .., p 202 ff) propõe a conjectura engenhoso que Luke, tendo cumprido Paulo em Trôade acidentalmente ( Atos 16:10 ; ele não poderia ter sido por nomeação, como Paul não tinha a intenção de ir para lá) , foi o "homem da Macedónia" que apareceu na visão ( Atos 16: 9 ); deve ter sido alguém a quem o apóstolo conhecia de vista, pois de outra forma ele não poderia ter dito que ele era um macedônio. Esta é uma conjectura muito tentadora. Lucas não precisava ter sido um novo convertido naquela época. Por outro lado, deve-se dizer que contra ele ter sido um nativo de Philippi são os fatos que ele não tinha casa lá, mas fui para a noite com Lydia ( Atos 16:15 ), e que ele só suposto que havia uma lugar de oração judaica em Filipos ( Atos 16:13 RV [Nota:. Revised Version]). Seu interesse em Philippi pode sim ser contabilizada pelo fato de ter sido deixado no comando da Igreja lá ( Atos 17: 1 , Atos 20: 5 ; no intervalo entre St. Paul deixando Philippi e seu retorno há o pronome "eles" é utilizado). No entanto, ele foi muito provavelmente um macedônio [ Atos 27: 2 não é contra isso], de uma família grega uma vez instalado em Antioquia; ele era um gentio não sem algum desprezo pelos judeus, e certamente não é um cidadão romano como São Paulo. Sua nacionalidade grega mostra-se em seu chamado os "bárbaros" de Malta ( Atos 28: 2 ), ou seja, não-língua grega, e de muitas outras formas. 

4. testemunho patrístico . Há referências a atos prováveis ​​em Clemente de Roma (c [Nota: cerca de, aproximadamente.] Ad 95.), Que parece referir-se a Atos 13:22 , Atos 20:35 etc .; e em Inácio ( c [Nota:. circa, sobre] . ad 110), que aparentemente se refere a 4:41; Também em carpa Poly ( c : [Nota cerca de, aproximadamente.] . 111); quase certamente no martírio de Policarpo ( c [Nota:. circa, sobre] . ad 155); e citações completas são encontradas no final do segundo cento. em Tertuliano, Clemente de Alexandria, e Ireneu de Lyon, os quais atribuem o livro para Luke. Assim também, o Fragmento Muratoriano ( c [Nota: cerca de, aproximadamente.] . ad 200). Além disso, os Atos apócrifos, alguns deles da 2ª cento., São construídas em nossas leis canônicas, e seus autores deve ter conhecido o último. 

5. Estilo . O livro não é uma biografia cronológica; não há muitas indicações de tempo ( Atos 11:28 , Atos 24:27 ; cf. Lc 3: 1 ), mas o escritor usa frequentemente frases vagas como "depois de alguns dias," o que pode indicar intervalos de dias, meses ou anos . Ele aproveita características críticas, e passa por cima de detalhes não essenciais. Assim, ele não se relaciona os acontecimentos dos anos que passou por São Paulo em Tarso ( Atos 09:30 ), provavelmente como sendo anos de ensino em que nenhum evento marcante ocorrido. Então, ele nos diz praticamente nada da viagem missionária através de Chipre ( Atos 13: 6 ), embora muito trabalho deve ter sido feito entre os judeus então; enquanto grande espaço é dado para a entrevista que marcou época com Sérgio Paulo. O escritor deixa um bom negócio para ser compreendido; ele afirma fatos, e deixa o leitor a deduzir as causas ou inferências; ele relata as direções ou intenções, e deixa-lo para se inferir que eles foram levados a efeito, por exemplo, Atos 13: 8 (sem razão dada para a oposição Elimas ', não é explicitamente dito que Paulo pregou ao procônsul), Atos 13:13 (a razão para a saída de Marcos não declarado, nem para Paulo e Barnabé vai Antioquia da Pisídia), Atos 16:35 (sem razão dada para a mudança de atitude dos prætors Philippi), Atos 17:15 (não disse que a liminar foi obedecida, mas a partir de 1 Tessalonicenses 3: 1 , vemos que Timóteo tinha voltado Paulo em Atenas e foi mandado embora de novo para a Macedônia, onde ele veio em Atos 18: 5 a Corinto), Atos 20:16 (não afirmou que eles chegaram em tempo para o Pentecostes, mas deve ser entendido), Atos 27:43 (deve-se inferir que a liminar foi obedecido). 

6. Crises na história . Estes podem ser indicado brevemente. Eles incluem o Dia de Pentecostes (o aniversário da Igreja); a nomeação dos sete (entre eles Nicholas, um "prosélito de justiça, ou seja, um gentio que havia se tornado um judeu circuncidado); a conversão de São Paulo; o episódio de Cornélio (que era apenas um "adepto do portão", ou "temente a Deus", aquele que foi posto em relação com os judeus, obedecendo certas regras elementares, como, provavelmente, como os de Atos 15:29 , mas não circuncidados [isto é disputado; ver Nicolas], o que significa, portanto, mais um passo para o cristianismo paulino); a primeira reunião de Paulo e Barnabé com um oficial romano, na pessoa de Sérgio Paulo em Chipre, o passo inicial para o grande plano de St. Paul para fazer o cristianismo a religião do Império Romano (ver § 7 ; doravante o autor chama de Saul de Tarso por seu nome romano, uma que ele deve ter suportado o tempo todo, para efeitos da sua cidadania romana); o Concílio de Jerusalém, a reivindicação de Pauline ensino pela Igreja; a chamada para a Macedônia, não como sendo uma passagem de um continente para outro, para os romanos não tiveram essa idéia geográfica, nem ainda como um passando por cima de um povo estranho, mas, em parte, como um passo em frente no grande plano, a entrada em uma nova província romana, e especialmente a associação pela primeira vez com o autor (§ 3 ); a residência em Corinto, a grande cidade na estrada romana para o Oriente, onde a ação de Gallio abriu o caminho para a apelar para César; ea apreensão em Jerusalém. Estes estão relacionados no comprimento. Outra crise provavelmente é insinuado, a absolvição de St. Paul; pois mesmo que o livro foi escrito no passado, que teve lugar (§ 9 ), a liberação deve ter se tornado bastante óbvio para todos no final da jornada os dois anos à Roma (cf. Filipenses 2:24 ).

 7. Plano Missionária de São Paulo . ( a ) O autor descreve o Apóstolo como começando um novo trabalho missionário, buscando os judeus primeiro; somente quando eles não quiseram ouvir ele virou-se para os gentios, Atos 13: 5 ; Atos 13:14 , Atos 14: 1 , Atos 16:13 (sem sinagoga em Filipos, apenas um "lugar de oração") Atos 17: 1 f . (As palavras ", como era seu costume" são decisivas) Atos 17:10 ; Atos 17:16 f,. Atos 18: 4 ; Atos 18: 8 ; Atos 18:19 , Atos 19: 8 . f, Atos 28:17 ; talvez possamos entender o mesmo em lugares onde não é expressamente mencionadas, Atos 14: 7 ; Atos 14:21 ; Atos 14:25 , ou os judeus pode ter sido fraca e sem uma sinagoga nesses locais. ( b ) São Paulo utiliza o Império Romano para espalhar o evangelho ao longo de suas linhas de comunicação. Ele era justificadamente orgulhoso de sua cidadania romana ( Atos 16:37 , Atos 22:25 ff etc .; cf.. Filipenses 1:27 [RVM [Nota: Revisado margem Version].] Atos 3:20 , Efésios 2:19 ) . Ele parece ter formado a grande idéia do cristianismo ser a religião do Império Romano, embora não se limita a isso. Por isso pode ser entendido seu zelo por Gentile liberdade, e sua ruptura com a idéia de exclusividade judaica. Em suas viagens missionárias ele se limita (se a teoria da Galácia do Sul seja aceito; ver art Gálatas [Epístolas aos].) Para as grandes estradas de tráfego no Império. Ele utiliza a língua grega para espalhar a influência cristã, assim como o Império Romano usou-a para espalhar sua civilização no Extremo Oriente, onde ele nunca tentou forçar Latina (até mesmo para as colônias romanas no leste falava grego, mantendo Latina para ocasiões de Estado ). Paulo e Barnabé, então, pregou em grego; eles claramente não sabia licaônica (cf. Atos 14:11 com Atos 14:14 ). As Escrituras não foram traduzidos para as línguas da Ásia Menor, que provavelmente foram línguas não está escrito, nem mesmo para o latim até uma idade mais avançada. 

Seguindo a mesma idéia, o autor representa os oficiais romanos nas colônias como mais favorável a São Paulo do que os magistrados das cidades gregas comuns. Contraste a conta da conduta dos magistrados gregos em Icônio e Tessalônica que atuavam contra ele, ou do Tribunal do Areópago de Atenas que estavam desdenhoso, com o silêncio sobre a ação dos magistrados romanos de Antioquia da Pisídia e Listra, ou as declarações explícitas sobre Sérgio Paulo, Gallio, Felix, Festus, Cláudio Lísias e Júlio, o centurião, que eram mais ou menos justo ou amigável. Mesmo os prætors em Filipos acabou por pedir desculpas profusamente quando descobriram o status de Paulo. 

8. Os interesses do escritor . É interessante observar estes, como eles vão nos levar a uma data aproximada para o trabalho. Não há melhor prova de tal inquérito para a detecção de uma falsificação ou de uma compilação. O interesse principal é, obviamente, St. Paul e sua missão. Para esta história preliminar dos Doze e dos primórdios do cristianismo leva para cima. O escritor enfatiza especialmente tratos de São Paulo com os oficiais romanos. De interesses menores, notamos medicina, como se deve esperar de "o médico amado"; ea ciência rival de feitiçaria; a posição e influência das mulheres ( Atos 1:14 , Atos 8: 3 ; Atos 8:12 , Atos 9: 2 , Atos 13:50 , Atos 16:14 , Atos 17: 4 ; Atos 17:12 ; Atos 17: 34 , Atos 21: 5 ; Atos 21: 9 , Atos 22: 4 ​​etc .; na Ásia Menor mulheres tinham uma posição muito mais proeminente do que na Grécia propriamente dita); a organização da Igreja ( Atos 2:41 ff,. Atos 4:31 ff,. Atos 6: 1 . ff, Atos 8: 5 . ff, Atos 15: 2 . ff, Atos 19: 1 . ff etc.) ; A intervenção divina para se sobrepor aos projetos humanos (nota especialmente a forma notável em que São Paulo foi levado a Trôade, Atos 16: 6-8 ); e navegação. Este último interesse não pode deixar de impressionar o leitor mais superficial. As viagens e os portos são descritos minuciosamente e vividamente, ao passo que as viagens terrestres são apenas mencionados. No entanto, o escritor foi claramente nenhum marinheiro profissional. Ele descreve a deriva em Atos 27:27 como em ziguezague quando ele deve ter sido em linha reta; ele é surpreendido em sua passagem Chipre em um lado diferente quando vai para o oeste daquele em que eles haviam passado que vai para o leste ( Atos 27: 4 , Atos 21: 3 ), no entanto, que era, e é, o curso normal no outono para a vela embarcações (Ramsay, São Paulo , p. 317). Foi verdadeiramente observado por Ramsay ( ib. , p. 22) que os interesses do escritor e vistas são incompatíveis com a idéia de um segundo cento. compilador, por exemplo, o ponto de vista dos oficiais romanos, e o tom otimista, seria impossível depois da perseguição de Domiciano ou mesmo (acrescentamos nós) após a de Nero. 

9. Data . A partir do raciocínio de §§ 2, 8 (ver também § 12 ) devemos rejeitar a idéia de um segundo cento. compilador, e decidir entre a data no final dos dois anos em Roma, Atos 28:30 f. (Blass, Salmon, Headlam, Rackham), e um anúncio data posterior 70 80 (Ramsay, Sanday, Harnack, ea maioria dos que atribuem o livro a Lucas). ( a ) Para o primeiro dia nota-se que não há nenhuma referência a qualquer coisa depois da prisão romana, para o martírio de Tiago, irmão do Senhor, em 62 dC, ou para a perseguição de Nero em 64 dC, ou para a morte de Pedro e Paulo (compare com a alusão à morte de Pedro em João 21:19 ), ou para a queda de Jerusalém em 70 dC Também há boas razões para acreditar de Epístolas Pastorais, a partir da história eclesiástica, e de a priori razões, que St. Paul foi lançado logo após os dois anos; mas devemos reunir que o nosso autor não sabia ao certo o resultado da apelar para César. Ele mal podia ter sabido que a expectativa do Apóstolo que ele não voltaria a ver os anciãos de Éfeso foi falsificada, ou ele não teria deixado Atos 20:38 sem observação [mas ver Paul, i. 4 ( d )]. O tom otimista (§ 8 ), contrastando tão fortemente com a do Apocalipse, aponta na mesma direção; como também faz a ausência de qualquer referência à Epístolas Paulinas, o que devemos esperar se 15 ou 20 anos se passaram desde que eles foram escritos; e de qualquer explicação sobre a aparente contradição entre Gálatas e Atos (ver art. Gálatas [Epístola aos]). Por outro lado, é bastante provável que um companheiro próximo de São Paulo seria o último a ter, enquanto ele estava com ele, uma cópia da sua correspondência. ( b ) Para a data mais tarde, ad 70 80, sugere-se que Lucas contemplado um terço do volume, e assim terminou o seu segundo abruptamente (cf. Atos 1: 1 , adequadamente "primeiro tratado", não "antigo", mas no final comparativos e superlativos gregos foram confundidas com frequência, cf. 1 Coríntios 13:13 RVM [Nota:. Revisado margem Version]). Pensa-se também que Lucas 21:20 deve ter sido escrito após a tomada de Jerusalém, e que a fortiori atos devem ser mais tarde; e que a atmosfera do período Flaviano pode ser detectada na mesma. Para um suposto empréstimo de Atos de Josephus, e para mais observações sobre a data, ver arts. Luke [acc Evangelho. para] e Theudas. Para o presente autor da data anteriormente proferida acima parece a mais provável. 

10. Fontes . O autor teve oportunidades excepcionais de obtenção de informações. Para a última parte do livro, ele era seu próprio informante, ou ele teve acesso a St. Paul. John Mark lhe diria do livramento de São Pedro e da missão de Chipre ( Atos 12: 1 para Atos 13:13 ). (. Caps 6 8) para os «Actos dos helenistas 'e para o episódio Cornelius ele teria Philip Evangelista como uma autoridade, pois ele passou dois anos em Cesaréia; e talvez também o próprio Cornelius. Ele talvez tinha visitado a Antioquia da Síria, e pode começar a partir dos líderes da Igreja lá ( por exemplo Manaem) informações sobre os eventos que aconteceram lá. Os cinco primeiros capítulos permanecem. Aqui ele teve que dependem inteiramente outros; ele pode ter usado documentos escritos semelhantes aos mencionados em Lucas 1: 1 , embora ele também pode ter questionado os que estão em Jerusalém, que havia testemunhado os acontecimentos. Dr. Blass pensa que Lucas aqui utilizado um documento aramaico por Marcos; isso é pura conjectura, e é muito incerto se Luke sabia aramaico. 

11. O Bezan codex . Este grande Uncial MS (D [Nota:. Deuteronomista], agora em Cambridge), apoiado por alguns MSS da antiga versão latina, apresenta um texto muito diferente da de outro grande MSS grego, e também tem muitas adições, especialmente em Atos. Teoria Dr. Blass 'é que as variações em Atos vem de ter feito dois projectos de Lucas do livro, embora ele iria admitir que algumas das leituras de D [Nota:. Deuteronomista] são interpolações. Ele acha que os atos dos Bezan 'representa o primeiro projecto, o "Bezan' Luke o segundo rascunho. Mas o texto Bezan de Atos é muito lisa e suas leituras são, muitas vezes, obviamente, adicionada para facilitar uma frase áspero, para que possa ser original. É mais provável que ele representa uma revisão feita na Ásia Menor no 2º cento. por alguém que estava muito familiarizado com as localidades descritas. Muitos estudiosos, no entanto, acho que ele preserva um grande número de verdadeiros e autênticos leituras que foram perdidos no outro grande MSS; mas isso parece duvidoso. Em Atos 11:28 esta MS (apoiado por Agostinho), através da inserção de "nós", faz com que o escritor ter estado presente em Antioquia da Síria, quando Ágabo profetizou. 

12. Precisão de Atos . Isto é o mais importante, pois seria quase impossível para um escritor tarde para evitar as armadilhas quando cobre tão grande terreno. Instâncias de notável precisão são: ( a ) o procônsul em Chipre ( Atos 13: 7 ), que tinha sido apenas sob o domínio do Senado para um curto período de tempo, quando São Paulo chegou lá, e depois deixou de ser tão regido caso contrário o governador teria sido um 'propretor.' Uma inscrição em Chipre é datado "no proconsulado de Paulus. ( b ) Então, o procônsul na Acaia ( Atos 18:12 ); esta província tinha sido desligando e unidos a Macedónia. Em um tempo separados e regido por um propretor e depois unido, poucos anos antes da visita de St. Paul que tinha sido novamente separados e regido por um procônsul. ( c ) Os "primeiros homens" em Antioquia da Pisídia ( Atos 13:50 ), ou seja, o duumviri eo 'First Ten.' Este último título só foi dada (como aqui) para um conselho de magistrados em gregas cidades do Leste; em colônias romanas na Itália, o nome foi dado para aqueles que ficou em primeiro lugar no rolo Senado. ( d ) O "primeiro homem" em Malta ( Atos 28: 7 ) e ( e ) dos politarchs '(' governantes da cidade ") em Tessalônica ( Atos 17: 6 ; provavelmente um título macedónio local), ambos são atestadas por inscrições. ( f ) O antigo Tribunal do Areópago de Atenas ( At 17:19 ), o que realmente governou a cidade, apesar de ter sido uma "cidade livre", como as demos ou assembléia popular tinha perdido a sua autoridade. ( g ) Os 'Asiarchs' em Éfeso ( Atos 19:31 RVM [Nota: Revisado margem Version.]), os presidentes do Conselho «comum» da província em cidades onde havia um templo de Roma eo Imperador; que supervisionou a adoração do Imperador. Sua simpatia de St. Paul é um sinal claro de uma data próxima, para o livro só poderia ter sido escrito enquanto a política imperial ainda era neutro ao cristianismo, ou, pelo menos enquanto a memória desse tempo ainda estava verde. Contraste a inimizade entre o cristianismo e este culto Roma retratado em Apocalipse 2:13 ; Apocalipse 13:15 etc. No segundo cento. autor poderia ter escrito assim. ( h ) Os detalhes da última viagem, exaustivamente testado pelo Sr. Smith de Jordanhill, que navegou ao longo de todo o curso. Contra tudo isso, é alegado que existem contradições entre Atos e Gálatas (ver arte em que Epístola.); mas estes desaparecem no exame, especialmente se aceitarmos a teoria "do Sul da Galácia". Instâncias de precisão minuto, tais como os dados acima mostram que temos em Atos uma história de grande importância e que é mais confiável. A precisão só pode vir de o livro ser um registro contemporâneo genuíno. 

FONTE Dicionário Hastings 'da Bíblia