Translate this Page

Rating: 3.0/5 (909 votos)



ONLINE
6




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


historia da igreja ortodoxa Grega N.3
historia da igreja ortodoxa Grega N.3

               

                            O QUE OS ORTODOXOS ACREDITAM

 

A maioria dos americanos acha que a religião em termos dos "três grandes" -Protestants, católicos e judeus. Mas os ortodoxos? Quem são eles? Como protestantes, eles não são um monólito com crenças uniformes. Por outro lado, há distinctives que os distinguem de protestantes.

Daniel Clendenin, em equipe com InterVarsity Christian Fellowship da Universidade de Stanford, estudou essas distinções, especialmente em sua forma ortodoxa russa. Ele estabeleceu-los em detalhe no  cristianismo ortodoxo oriental: uma perspectiva ocidental  (Baker, 1994), e aqui, em resumo.

O rthodoxy sofreu de invisibilidade cultural na América. Ele simplesmente não registar-se na maior parte das nossas telas de radar culturais. Alguns confundem com o catolicismo. Mas a Ortodoxia é distinto do catolicismo e goza de uma história única e teologia. O teólogo ortodoxo russo Vladimir Lossky (d. 1958), uma vez que se refere à "dissimilaridade dogmática" entre o Oriente eo Ocidente cristãos.

O que Lossky significa? Deixe-me resumir quatro maneiras pelas quais os fiéis cristãos, ortodoxos e protestantes, têm cada tendiam a fazer teologia de forma diferente.

ELOGIANDO O INCOGNOSCÍVEL

Durante o meu primeiro semestre como professor visitante na Universidade Estadual de Moscou (1991-1992), ensinei um seminário sobre de CS Lewis  Mere Christianity . O livro foi traduzido para o russo, e sua notável influência na vida de muitos cristãos ocidentais tornou um Sure Bet, pensei, para ter um impacto espiritual e intelectual significativa. Eu não poderia estar mais errado.

". Muito lógica e racional" em direção ao final do prazo, um aluno se queixou de que Lewis foi um ano mais tarde, em outro seminário sobre Lewis de  The Problem of Pain , um estudante fez um comentário semelhante: "Eu não gosto de posição de Lewis que devemos usar a lógica para discutir a questão do mal. Problemas relacionados com Deus transcende a lógica humana. "Essas observações apontam para uma diferença fundamental entre as teologias da ortodoxos e protestantes.

Em um dos textos mais importantes da Ortodoxia,  Exposição da Fé Ortodoxa , João Damasceno (655-749) observou: "É claro, então, que há um Deus. Mas o que ele é em sua essência e natureza é absolutamente incompreensível e incognoscível. . . . Tudo o que é compreensível sobre ele é a sua incompreensibilidade. "Este é um bom exemplo do que tem sido chamado de teologia apofática (do grego  apophasis  ou "negação"). teologia apofática tenta descrever o que Deus não é. Por exemplo, o teólogo que diz que "Deus não é finito, ele não está limitada no tempo ou no espaço" está praticando teologia apofática.

Lossky diz apofatismo é "a característica fundamental de toda a tradição teológica da Igreja Oriental." Certa vez, ele definiu como "o colapso do pensamento humano antes da transcendência radical de Deus. . . uma prostração diante do Deus vivo, radicalmente inapreensível, unobjectifiable, e incognoscível ".

Na Ortodoxia este mistério incompreensível de Deus é um motivo de louvor e celebração, e teologia é uma extensão da espiritualidade ou culto.O aforismo de Evágrio do Ponto (346-399) expressa isso muito bem: só aquele que ora é verdadeiramente um teólogo, para o verdadeiro teólogo reza verdadeiramente.

Em contrapartida, para os protestantes o mistério de Deus é muitas vezes motivo de análise e explicação. Nós tendemos a ser desconfortável com mistério e sequer são treinados para expurgar-lo, encontrando respostas.Como herdeiros do Iluminismo europeu, acreditamos que todas as reivindicações de verdade, incluindo proposições teológicas, deve passar o teste administrado no bar da razão.

Pensemos, por exemplo, do legado de René Descartes influente (1596-1650), que tentou aterrar todo o pensamento em "dúvida metódica" e não aceitar nada como verdadeiro, a menos que ele percebeu isso tão claro, distinto, indubitável, e certo.

Nas palavras do teólogo alemão contemporâneo Wolfhart Pannenberg: ". Cada declaração teológica deve provar a si mesmo no campo da razão e não pode mais ser discutido com base em pressupostos inquestionáveis ​​da fé" neste esquema intelectual ocidental, a teologia é melhor entendida como uma forma de conhecimento ou até mesmo uma "ciência".

Correndo o risco de exagero, podemos dizer que, no Ocidente, a teologia é feita com livros na biblioteca; no Oriente Ortodoxo, a teologia é feito com liturgia no santuário.

TEOLOGIA NA COR

Em seu livro  The Icon Illuminating , Anthony Ugolnik aponta duas histórias de conversão para ilustrar uma outra diferença básica. Na primária Chronicle russo  (século XII), a história é contada do Príncipe Vladimir de Kiev: ele abraçou a Ortodoxia (em 988) após seus emissários descrito para ele a beleza litúrgica de adoração que eles experimentaram na Igreja Ortodoxa de Santa Sofia em Constantinopla . Em contraste, Agostinho (354-430), em suas  Confissões , conta como ele ouviu a voz de uma criança dizendo-lhe para "pegar e ler" a Bíblia que estava aberto em Romanos 13:13. As conversões contrastantes sinalizar uma diferença fundamental: no Oriente Ortodoxo, estética desempenham um papel importante na teologia; o Ocidente prefere trabalhar principalmente com textos.

Podemos sentir essa diferença simplesmente inserindo uma igreja ortodoxa: ícones e afrescos cobrir praticamente cada centímetro quadrado das paredes. O sacerdote é resplandecente em suas vestes; sua voz sonora canta a liturgia. Sinos do carrilhão, velas cintilação, e incenso enche o ar.

Icons resumir tudo isso. O ex-bibliotecário da Biblioteca do Congresso e estudioso russo James Billington, uma vez que se refere a ícones como "a forma mais reverenciado de expressão teológica" no início de Ortodoxia Russa. A teologia ortodoxa, segundo ele, tende a "cristalizar em imagens e não em ideias." Ícones são, portanto, uma "teologia na cor", que é por isso que quando um sacerdote ortodoxo Uma vez perguntaram por que ele não fez o ensino mais doutrinário em sua igreja, ele respondeu: "Icons tudo o que precisamos saber nos ensinar."

Protestantismo, por outro lado, insiste na palavra escrita. Durante a Reforma, o sermão falado gradualmente substituída a Eucaristia Católica como o momento decisivo da liturgia para os protestantes. João Calvino (1509-1564) disse: "As imagens não podem estar no lugar dos livros", e ele caiadas de branco as paredes de igrejas reformadas, em Genebra. De acordo com o puritano John Foxe (1516-1587), "Deus realizou a Reforma não pela espada, mas por meio de impressão, escrita e leitura."

Não é de admirar que os ortodoxos Alexei Khomiakov (d. 1860), uma vez reclamou que no protestantismo "um estudioso tomou o lugar do sacerdote." Da mesma forma, o teólogo ortodoxo Sergei Bulgakov (d. 1944), uma vez descreveu o cristianismo protestante como um "professoral" religião em que a figura central é o professor-pesquisador.

FORA COM  SOLA SCRIPTURA

Quando Martin Luther queimou os livros da lei canônica Católica no Elster Portão de Wittenberg em 10 de dezembro de 1520, ele fez isso para dramatizar um ponto que tornou-se fundamental para a identidade protestante: a Escritura tem um valor único e normativo, e qualquer valor "tradição "tem, ele é derivado e secundário. De fato, Lutero escreveu: "O que mais eu disputar, mas para trazer todos para uma compreensão da diferença entre a Escritura divina e humana de ensino ou do costume, de modo que um cristão não pode tomar a um para o outro e troca de ouro para a palha, prata para palha, madeira para pedras preciosas? "

Daí a grande lema do Reformation- sola scriptura ! Isso não significa que os protestantes tradição negligência, só que a tradição é apresentado ao maior autoridade da Bíblia.

Além disso, os protestantes insistem em que Deus fala com o leitor da Bíblia, de forma directa em vez de ser mediada pela Igreja. Assim como os reformadores colocados Escritura acima tradição, eles colocaram as Escrituras acima da igreja. Ele era a Palavra de Deus, que deu à luz a igreja, Calvin insistiu, e não o contrário.

A maioria dos crentes ortodoxos entender as coisas de forma diferente. De acordo com o teólogo ortodoxo falecido John Meyendorff (d. 1992), "A fé e experiência cristã não pode, de modo algum, ser compatível com a noção de  sola scriptura "ea rejeição de toda autoridade eclesiástica, exceto Escritura. Essa elevação da Bíblia acima da igreja, cuja consequência é a interpretação privada, George Florovsky (d. 1979), uma vez chamado de "o pecado da Reforma."

Positivamente, a Ortodoxia acredita que o Espírito de Deus fala ao seu povo através da tradição apostólica. Esta tradição é expressa através das Escrituras, para ter certeza, mas também através dos sete concílios ecumênicos, e, em menor grau, os Padres da Igreja, na liturgia, direito canônico, e ícones.

Além disso, ao contrário do Calvin, os ortodoxos, note que a igreja existiam cerca de 300 anos antes dos concílios ecumênicos e da formação do cânon bíblico. A idéia reformada de "Somente a Escritura" parece privatista (permitindo que cada pessoa para interpretar a verdade sobre a sua própria) e, portanto, perigoso. Em contraste, converte à Ortodoxia voto de "aceitar e compreender a Sagrada Escritura, de acordo com a interpretação que foi e é realizada pela Santa Igreja Católica Ortodoxa do Oriente, nossa Mãe."

TORNANDO-SE SEMELHANTE A DEUS

A questão central levantada pela Reforma foi como uma pessoa poderia ficar pouco antes de um santo Deus-Como posso ser salvo? Para os protestantes tradicionais, a resposta a esta pergunta é expressa na doutrina de Paulo de "justificação pela fé." A justiça perfeita de Cristo é creditada a mim pela fé e não por qualquer trabalho que faço. Por causa da justiça de Cristo, Deus me declara justo. Calvin chamou essa doutrina "a dobradiça sobre a qual a verdadeira religião se transforma." De acordo com Lutero, o cristianismo está em pé ou cai com esta doutrina.

O pano de fundo para a justificação é claramente legal ou forense. Ter ofendido a majestade e honra de Deus, justa pena deve ser pago. Calvin descreve a justificação pela fé só assim: "Assim como um homem, considerado inocente por um juiz imparcial, é dito para justificar-se, portanto, um pecador é dito ser justificado por Deus, quando ele afirma a Sua justiça."

É fascinante observar a ausência total da doutrina da justificação pela fé em grandes segmentos da história da Ortodoxia e teologia. Em vez disso, a idéia de  theosis  ou "deificação" toma o lugar central. O surpreendente para muitos pais da igreja, incluindo o campeão do trinitarianismo atribuída-aforismo, Atanásio resumiu-lo bem: "Deus se fez homem para que o homem pode tornar-se deuses."

Na verdade,  theosis  conta com o apoio das Escrituras, como em 2 Pedro 1: 4: "[Deus] nos deu as suas grandiosas e preciosas promessas, para que por meio deles você pode participar da natureza divina. . . . "Dito de outra forma, o Filho de Deus  desceu  e se tornou um homem, para que nós, humanos, pode  ascender  e se tornar como Cristo. O quadro jurídico para a compreensão da obra de Cristo é jogado para baixo e nossa união mística com Deus é enfatizada.

Mas o que significa "tornar-se Deus"? Em primeiro lugar, a Ortodoxia categoricamente repudia qualquer indício de panteísmo; não theosis não significa a essência da nossa natureza humana é perdida. Em vez disso, theosis fala a real união, genuíno e mística dos crentes com Deus pela qual nos tornamos mais e mais semelhantes a Cristo e passar de corrupção para a imortalidade. Como nos valemos da graça de Deus e viver uma vida de vigilância espiritual, esperamos o Máximo, o Confessor (580-662) descreveu como a "realização gloriosa da semelhança com Deus, na medida em que isso é possível com o homem."

Como Lossky observado, há de fato uma "dissimilaridade dogmática" entre os pensadores cristãos do Oriente e do Ocidente. Posso dizer que estou completamente protestante, mas eu sou grato a Deus pelo que eu posso aprender com os ortodoxos sobre a nossa peregrinação de fé comum.

 

UM EXERCÍCIO EM MARAVILHA 

A TRANSCENDÊNCIA DE DEUS

G od não pode ser apreendido pela mente. Se ele pudesse ser apreendido, ele não seria Deus.

-Evagrius De Pontus (d. 399)

O ne dia alguns dos irmãos vieram para ver Abba Antony, e entre eles estava Abba Joseph. Desejando para testá-los, o velho mencionado um texto da Escritura, e começando com o mais novo, perguntou-lhes o que significava. Cada explicou que o melhor que pôde. Mas a cada um o velho disse: "Você ainda não ter encontrado a resposta."

Por fim, ele disse para Abba Joseph, "E o que você acha que o texto significa?" Ele respondeu: "Eu não sei." Então Abba Antony disse: "Em verdade, em Abba Joseph encontrou o caminho, pois ele disse: 'Eu não sei'. "

-Os Provérbios dos Padres do Deserto (século VI)

I magine, um rochedo íngreme pura, com uma borda saliente no topo.Agora imagine o que uma pessoa seria provavelmente sentiria se ele colocou o pé sobre a borda deste precipício e, olhando para o abismo abaixo, não viu nenhuma base sólida nem nada para segurar.

Isto é o que eu acho que a alma experimenta quando se vai além de seu pé em coisas materiais, em sua busca por aquilo que não tem dimensão e que existe desde toda a eternidade. Por aqui não há nada que possa tomar posse, nem o lugar nem o tempo, nem medida, nem qualquer outra coisa;nossas mentes não pode abordá-lo.

E, assim, a alma, escorregando em todos os pontos do que não pode ser apreendido, torna-se tonto e perplexo e retorna mais uma vez ao que é conatural a ele, o conteúdo agora saber apenas isso sobre o Transcendente, que é completamente diferente da natureza do coisas que a alma sabe.

-Gregory De Nissa (d. Cerca de 395)

O MISTÉRIO DA ENCARNAÇÃO

G od se fez homem para que o homem pode tornar-se deuses.

-Athanasius (D. 373)

H e quem ninguém pode tocar é apreendido;

Aquele que perde Adam da maldição é vinculado.

Aquele que tenta os corações e pensamentos interiores do homem é injustamente levados a julgamento;

Ele, que fechou o abismo está fechada na prisão.

Ele, que fechou o abismo está fechada na prisão.

Ele, diante do qual os poderes do céu ficar trêmula, está diante de Pilatos;

O Criador é golpeado pelas mãos de sua criatura.

Aquele que vem para julgar os vivos e os mortos é condenado à cruz.

O destruidor do inferno está dentro de um túmulo.

Ó tu que fazes suportar todas estas coisas no teu amor do concurso, que salvou todos os homens da maldição,

O longânimo Senhor, glória a ti.

-Vespers Liturgia de Sexta-feira Santa

Eu  sei que aquele que está longe fora toda a criação

Me leva dentro de si mesmo e me esconde em seus braços,

E então eu me encontro fora do mundo todo.

I, um frágil, pequena mortais do mundo,

Eis o Criador do mundo, tudo dele, dentro de mim mesmo;

E eu sei que não vou morrer, porque eu sou na vida,

Eu tenho toda a vida brotando como uma fonte de dentro de mim.

Ele está no meu coração, ele está nos céus;

Tanto lá e aqui ele mostra-se a mim com a mesma glória.

-Simeon O Novo Teólogo (d. 1022)

OS PARADOXOS DE ORAÇÃO

S Peech é o órgão do presente século. O silêncio é um mistério do mundo vindouro.

-Isaac O Sírio (d. Cerca de 700)

T ele irmãos perguntou Abba Agathon, "Entre todas as nossas diferentes atividades, Pai, o que é a virtude que exige o maior esforço?"

Ele respondeu: "Perdoe-me, mas eu acho que não há trabalho maior do que orar a Deus. Para cada vez que um homem quer rezar, seus inimigos, os demônios, para tentar impedi-lo; pois sabem que nada obstrui-los tanto como oração a Deus. Em tudo o mais que um homem se compromete, se ele persevera, ele alcançará resto. Mas, a fim de orar, um homem deve lutar até o último suspiro ".

-Os Provérbios dos Padres do Deserto (século VI)

T hink de um homem de pé durante a noite dentro de sua casa, com todas as portas fechadas; e, em seguida, supor que ele abre uma janela apenas no momento em que há um súbito clarão de um raio. Incapaz de suportar o seu brilho, de uma só vez, ele protege a si mesmo, fechando os olhos e afastando-se da janela.

Assim é com a alma que está incluído no domínio dos sentidos; se alguma vez ela espia pela janela do intelecto, ela é esmagada pela brilho, como um relâmpago, do penhor do Espírito Santo que está dentro dela. Incapaz de suportar o esplendor da luz revelada, uma vez que ela se confunde em seu intelecto e ela recua inteiramente em cima de si mesma, refugiando-se, como em uma casa, entre as coisas sensoriais e humanos.

-Simeon O Novo Teólogo (d. 1022)

T ele mais os avanços da alma, maiores são os adversários contra os quais ele deve lutar.

Bem-aventurados vós, se a luta cresce feroz contra você no momento da oração.

Não permita que seus olhos para dormir ou suas pálpebras de dormir até a hora de sua morte, mas o trabalho sem cessar que você possa aproveitar a vida sem fim.

-Evagrius De Pontus (d. 399)

L et all multiplicidade estar ausente de sua oração. Uma única palavra foi o suficiente para o publicano e do filho pródigo para receber o perdão de Deus. . . . Não tente encontrar exatamente as palavras certas para a sua oração: quantas vezes é que a gagueira simples e monótona de crianças chamar a atenção de seu pai!

Não lançar em longos discursos, pois se você fizer isso, sua mente vai ser dissipada tentando encontrar as palavras certas. Frase curta do publicano movido Deus misericórdia. Uma única palavra cheia de fé salvou o ladrão.

-João Clímaco (d. 649)

L ord Jesus Cristo, Filho de Deus, tem piedade de mim, pecador.

 

-A Oração Jesus (século VII)

fonte www.christianhistoryinstitute.org