Translate this Page

Rating: 3.0/5 (934 votos)



ONLINE
5




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


(A.T) 1 Reis 2 Reis 1 Cronicas 2 Cronicas Esdras
(A.T) 1 Reis 2 Reis 1 Cronicas 2 Cronicas Esdras

 

                        1 E 2 REIS 1 E 2 CRONICAS E ESDRAS 

 

 

1 Reis

introdução

Título

Os livros de 1 e 2 Reis receberam os seus nomes porque documentam os reinados dos 40 monarcas dos reinos de Israel e Judá seguintes David. Israel teve 20 reis, e Judá, tinha 20, trata incluindo uma mulher que usurpou o trono: Atalia.

 

Em Reis Bíblia Hebraica 1 e 2 foram um livro até o século XVI. Os antigos consideravam como a continuação da narrativa cozinhar iniciada em Samuel. A tradução da Septuaginta (em grego) do texto hebraico, datando de 250 aC ACERCA, foi o primeiro a dividir Reis em dois livros. Essa divisão tem continuado até os dias atuais. Os tradutores da Septuaginta, porém, chamado no original dois livros 3 e 4 Reinos. Primeiro e dois reinos se nossa 1 e 2 Samuel. Vulgata (latim) a tradução de Jerônimo, ACERCA que data de AD 400, mudou o nome de Reinos de Reis.

 

"A Bíblia apresenta os livros Inglés Principalmente como relatos históricos. Sua colocação próxima a 1, 2 Crônicas Demonstra o interesse dos colecionadores no detalhamento de todos os eventos da história de Israel. Em contraste, a Bíblia hebraica coloca Josué-Reis com os profetas, que destaca seus pontos de vista comuns. Esta decisão implica que 1, 2 Reis estão sendo tratados como proclamação e da história ". [1]

 

Primeiro e 2 Reis são os últimos livros dos Profetas antigos da Bíblia hebraica. Os outros são Josué, Juízes e Samuel.

 

Escritor e Data

 

A maioria dos estudiosos do Antigo Testamento hoje acreditam vários indivíduos diferentes Reis escreveu e editou preocupante porque de teorias têm transmissão textual que ganhou popularidade nos últimos 150 anos. No entanto, muitos conservadores continuaram a seguir a tradição mais antiga do Individual igreja que provavelmente colocar um conjunto Reis. [2] Esta visão encontra apoio nos recursos estilísticos e linguísticos que percorrem todo o trabalho e torná-lo lido como o produto de uma escritor único. Algumas destas características são a forma como o escritor descreveu e reinado de cada rei resumida, a base consistente sobre a qual eu já avaliou todos os reis, e frases e termos recorrentes. Paul Casa acreditava Composta o mesmo escritor Josué, Juízes, Samuel e Reis. [3] O pai da teoria deuteronomista da autoria, Martin Noth, Acreditou em autoria única, mas em um autor que viveu no século VI aC médio [4 ] a teoria deuteronomista é que o escritor de Reis, bem como os escritores de Josué, Juízes e Samuel, Deuteronômio escreveu usando como padrão pelo qual avaliaram aquilo que "Israel e os seus líderes fizeram durante os anos os livros de registro. Mesmo que muitos defensores dessa visão e são estavam em sua teologia liberal, o texto reforça a teoria de tese de this básica. [5]

 

A identidade do autor é desconhecido hoje e foi-por séculos. A tradição judaica antiga sugestão de Ezra ou Ezequiel possível desde que os escritores eram aqueles dois homens escritores que viveram depois do exílio babilônico inspirados. O registro de liberação do rei Joaquim, do cativeiro babilônico (2 Reis 25: 27-30) aponta para uma data de composição acabar em algum momento após esse evento. Jeremias tem apoio do Talmude Babilônico tradicional, bem como, embora, aparentemente, Jeremias nunca foi para a Babilônia, mas morreu no Egito. [6] É claro que alguém pode ter escrito Reis. Estudiosos têm apenas homens em Original sugestão porque eram escritores famosos que viveram DSTs Quando Reis Atingido forma final.

 

A maioria dos não-conservadores Reis reduzida consideravelmente depois da data que o quinto ou sexto séculos. [7]

 

âmbito

 

O período histórico abrange Reis ACERCA totaliza 413 anos. Os acontecimentos que enquadram este período foram a coroação de Salomão como co-regente com David (973 aC) e liberação de Joaquim do exílio babilônico (561 aC).

 

No entanto, a maior parte lida com os reis que se estende período de coroação de Salomão e da destruição de Jerusalém em 586 aC, um período de 387 anos. No início, vemos o templo construído no final e no templo queimado.

 

". . . 1, 2 Reis apresentam a história de Israel como uma série de eventos que descreve como e por que o país caiu das alturas de prosperidade nacional para as profundezas da conquista e do exílio ". [8]

 

"Mais especificamente, 1, 2 Reis Explique como e por que Israel perdeu a terra que tanto lutou para vencer em Josué e trabalhou tão duro para organizar em Juízes e 1, 2 Samuel". [9]

 

"Plot Relaciona as causas e os efeitos de uma história. Assim, a linha da história em 1, 2 Reis pode ser que Israel foi para o exílio, mas o enredo é Israel foi para o exílio STI Por causa da infidelidade a Deus. Para tornar a causa e efeito se desdobrar, parcelas normalmente têm pelo menos dois aspectos básicos: conflito e resolução. Um conflito de enredo é a tensão em uma história que faz com que seja um relato interessante, enquanto a resolução de um lote é o caminho que o conflito seja resolvido. Como os dois componentes autor original DESENVOLVER Normalmente decidir a forma e Eficácia da trama ". [10]

 

Este período histórico é mais que o dobro da que os livros de Samuel coberta, que foi ACERCA 150 anos de comprimento. O livro de Juízes ACERCA cobre 300 anos da história de Israel.

 

As datas dos reis de Israel e Judá, que eu usei em em notas originais são os de Edwin Thiele. [11] Thiele esclareceu Judá e Israel, que contou o início de reina de forma diferente. Normalmente começou a contar para o reino de Judá rei Com o primeiro do ano civil em que sua ascensão ao trono caiu. Israel contado seus reis 'reina reina a partir do momento Aqueles realmente começou. No entanto, durante os reinos de um período Ambos usaram o mesmo sistema. [12] Uma outra complicação em reinos original era que começaram suas anos civis distante seis meses. [13] Outro fenômeno foi co-Regencies, no qual os reinados dos reis de dois ou mais sobreposto ao mesmo reino. Thiele trabalhou as datas em Original Em relação muitos problemas de forma mais satisfatória do que qualquer outra pessoa na avaliação de muitos estudiosos. [14] Cronologia é mais importante em 1 e 2 Reis do que em quaisquer outros livros da Bíblia. [15]

 

finalidade

 

O Espírito Santo levou o escritor dos Reis para dar uma interpretação da história, e não apenas um registro em ordem cronológica seqüencial de eventos, como é o caso de todos os escritores dos livros históricos do Antigo Testamento. Alguns dos eventos em Kings não estão em ordem cronológica. Eles aparecem no texto como eles fazem para fazer um ponto, geralmente, que foi teologicamente Principalmente edificante (isto é, para revelar uma lição espiritual da história). O escritor escolheu os dados históricos incluíram para superintender Este propósito, sob a inspiração do Espírito Santo (2 Timóteo 3:16;. 2 Pedro 1:21.). A principal lição que ensina os leitores STI Reis é que a incapacidade de honrar a vontade revelada de Deus resulta em ruína e destruição. [16] Para Israel a vontade revelada de Deus era a Lei de Moisés e as revelações posteriores dos profetas (homens e mulheres que falava por Deus).

 

"A lição para o povo de Deus durante o período do exílio na Babilônia e mais tarde, que é o período de tempo abordado pelo autor desses livros-é tríplice: (1) que Israel deveria aprender uma lição com os erros dos seus antecessores [sic ] e ouvir porta-vozes de Deus, os profetas, a fim de evitar a punição severa Tal novamente; mas (2) Que Deus é, no entanto, um Deus bom e misericordioso, ainda pronto a perdoar Quando as pessoas verdadeiramente se arrependem; e (3) que ainda mantém a esperança para o seu povo, independentemente de como as suas circunstâncias "terrível. [17]

 

estilo

 

"Em contraste com os outros dois livros que cobrem os detalhes históricos dos reinos unidos e divididos, pode-se dizer que, enquanto autor de Samuel usa um estilo biográfico e Crônicas está escrita a partir de um ponto de vista teológico, o autor dos Reis emprega uma grande parte narrative- abordagem annalistic ". [18]

 

O escritor de Reis Seus materiais Organizado em torno dos reinados dos reis de Israel e Judá, começando com David e terminando com Zedequias, o último rei de Judá. Após a divisão do reino após a morte de Salomão, o escritor construiu uma estrutura para colocar o que eu escrevi reinado ACERCA de cada rei. Este quadro começa com um aviso padronizado de adesão do rei, e termina com um aviso Igualmente padronizado da morte do rei, embora haja alguma variedade em nos avisos originais. O anúncio da adesão inclui Normalmente as seguintes informações: a sincronização com o rei contemporâneo ou reis de outro reino israelita (até Oséias), a idade do rei em sua adesão (Judá) e ainda o comprimento do seu reinado. Inclui também a sua capital, o nome da rainha-mãe (somente Judá), e avaliação teológica do escritor do rei. Normalmente, o anúncio da morte contém informações sobre as outras fontes de informação sobre o rei, a notificação de morte do rei e sepultamento e identificação de seu sucessor.

 

teologia

 

Todos os três principais seções de Reis Enfatizar muitas lições teológicas, mas cada um repete e reforça o motivo principal, a importância de obedecer a Lei Mosaica para ter sucesso. Este motivo destaca-se no primeiro grande Claramente secção Lidar com o reinado de Salomão (caps. 1-11). A nação de Israel atingiu o auge de seu poder e prestígio nos dias de Salomão. Ele começou a declinar Por causa da infidelidade e não cumprimento do Pacto Mosaico de Salomão. Outras ênfases teológicas importantes em Kings incluem a soberania de Deus, o reino de Deus, o reino davídico, a graça de Deus, a esperança para o futuro, julgamento e arrependimento. [19]

 

esboço

 

O reinado de Salomão I. caps. 1-11

 

A sucessão de A. Salomão ao trono de Davi 1: 1-2: 12

 

Declínio da saúde 1 de David 1: 1-4

 

Tentativa de 2 Adonias tomar o trono 1: 5-53

 

Taxa de 3 de Davi a Salomão 2: 1-9

 

A morte de David 4 2: 10-12

 

B. A fundação do reinado de Salomão 2: 13-4: 34

 

1 expurgos de Salomão 2: 13-46

 

2 A sabedoria de Salomão de Deus ch. 3

 

3 ch força política de Salomão. 4

 

Maiores caps contribuição de C. Salomão. 5-8

 

1 Preparação para a construção de ch. 5

 

Temple construção 2 ch. 6

 

Palácio 3 de Salomão 7: 1-12

 

4 O mobiliário do templo 7: 13-51

 

5 O ch templo dedicação. 8

 

D. Os frutos do CHS reinado de Salomão. 9-11

 

Aliança de Deus com um Solomon 9: 1-9

 

2 Outras evidências da bênção de Deus 9: 10-28

 

3 ch grandeza de Salomão. 10

 

4 ch apostasia de Salomão. 11

 

II. O reino dividido 1 Reis 12.2 Kings 17

 

A. O primeiro período de antagonismo 12: 1-16: 28

 

1 A divisão do reino 12: 1-24

 

2 reinado de Jeroboão mal em Israel 12: 25-14: 20

 

Reinado do mal de 3 Roboão em Judá 14: 21-31

 

Reinado evil 4 de Abias em Judá 15: 1-8

 

O reinado de 5 Asa em Judá bom 15: 9-24

 

Reinado mal 6 de Nadabe em Israel 15: 25-32

 

Reinado mal 7 de Baasa em Israel 15: 33-16: 7

 

Reinado mal 8 de Elá em Israel 16: 8-14

 

Reinado mal 9 de Zinri em Israel 16: 15-20

 

Reinado do mal 10 de Omri em Israel 16: 21-28

 

B. O período de aliança 1 Reis 16: 29 2 Reis 9:29

 

1 reinado de Acabe mal em Israel 16: 29-22: 40

 

Bom reinado de Josafá em Judá 2 22: 41-50

 

Reinado mal 3 de Acazias em Israel 1 Reis 22: 51-2 Reis 1:18

 

(Continua em notas em 2 Reis)

 

Um escritor observou que uma estrutura chiastic marca os livros dos Reis. [20]

 

A Solomon / Monarquia Unida - 1 Reis 1: 1-11: 25

 

B Jeroboão / Roboão; a divisão do reino - 1 Reis 11: 26-14: 31

 

C reis de Judá / Israel - 1 Reis 15: 1-16: 22

 

Dinastia D A amríada; a ascensão e queda do culto a Baal em Israel e Judá - 1 Reis 16: 23 2 Reis 12

 

C 'reis de Judá / Israel - 2 Reis 13-16

 

B 'A queda do Reino do Norte - 2 Reis 17

 

 

                                O Reino de Judá - 2 Reis 18-25

 

introdução

 

Segundo Reis cozinhar começou, continua a narrativa em 1 Reis. Ele abre com a tradução de Elias para o céu e fecha piedosos com o transporte dos judeus para a Babilônia ímpios. Para a discussão do título, autor, data, escopo e propósito de 2 Reis, consulte a seção introdutória em minhas anotações em 1 Reis.

 

esboço

 

(Continuação da nota em 1 Reis)

 

Reinado mal 3 de Acazias em Israel 1 Reis 22: 51-2 Reis 01:18 (continuação)

 

4 reinado de Jorão mal em Israel 2: 1-8: 15

 

Reinado evil 5 de Jorão em Judá 8: 16-24

 

6 reinado de Acazias mal em Judá 8: 25-9: 29

 

C. O segundo período de antagonismo 9: 30-17: 41

 

1 reinado de Jeú mal em Israel 9: 30-10: 36

 

Reinado do mal 2 de Atalia em Judá 11: 1-20

 

3 reinado de Joás em Judá bom 11: 21-12: 21

 

Reinado evil 4 de Jeoacaz em Israel 13: 1-9

 

Reinado mal 5 de Jeoás em Israel 13: 10-25

 

Bom reinado 6 de Amazias em Judá 14: 1-22

 

Reinado do mal de 7 Jeroboão II em Israel 14: 23-29

 

Bom reinado oito de Azarias em Judá 15: 1-7

 

Reinado mal 9 de Zacarias em Israel 15: 8-12

 

Reinado do mal 10 de Salum em Israel 15: 13-16

 

Reinado do mal 11 de Menahem em Israel 15: 17-22

 

Reinado do mal 12 de Pecaías em Israel 15: 23-26

 

Reinado do mal 13 de Peca em Israel 15: 27-31

 

Bom reinado 14 de Jotão em Judá 15: 32-38

 

15 reinado do mal de Acaz em Judá ch. 16

 

Reinado do mal 16 de Oséias em Israel 17: 1-6

 

17 O cativeiro do Reino do Norte 17: 7-41

 

III. Os caps reino sobreviventes. 18-25

 

Bons caps reinado de Ezequias A.. 18-20

 

1 de Ezequias bondade 18: 1-12

 

2 Ezequias ao desafio de Senaqueribe 18: 13-37

 

3 incentivo imediato do Senhor 19: 1-13

 

4. oração de Ezequias 19: 14-19

 

5 de Javé resposta 19: 20-37

 

Doença e recuperação 20 6 de Ezequias: 1-11

 

7 A profecia do cativeiro babilônico 20: 12-19

 

Morte 8 de Ezequias 20: 20-21

 

Reinado mal do B. Manassés 21: 1-18

 

Reinado do mal de C. Amon 21: 19-26

 

Bom reinado de D. Josias 22: 1-23: 30

 

A bondade de uma Josias 22: 1-2

 

2 reformas de Josias 22: 3-23: 27

 

A morte de três Josias 23: 28-30

 

Reinado do mal de E. Jeoacaz 23: 31-35

 

O reinado de Joaquim F. mal 23: 36-24: 7

 

Mal reinado de Joaquim G. 24: 8-17

 

Mal H. reinado de Zedequias 24: 18-25: 7

 

I. O cativeiro do Reino do Sul 25: 8-30

 

                                     PRIMEIRO CRONICAS

 

introdução

Título

O título hebraico mais antigo para os livros das Crônicas traduz como: "As coisas deixadas para trás." Este nome Chronicles descrever como recipiente contendo restos da monarquia na história Gravado que não precedem Antigo Testamento livros históricos. Um título mais tarde aparece no mais exemplares da Bíblia hebraica é, "as contas dos dias", ou "questões cotidianas." Este título enfatiza a natureza de Crônicas como anais oficiais (cf. Ester 2:23;. 1 Reis 14 : 19). Crônicas contém os registros oficiais dos reis de Israel, especialmente os do Reino do Sul após a separação reino. O título Inglés "Crônicas" chega até nós a partir deste hebraico mais tarde.

 

Como aconteceu com Samuel e Reis, a tradução da Septuaginta (em grego) do hebraico o Antigo Testamento foi o responsável pela divisão do único livro de Crônicas em 1 e 2 Crônicas. Escribas divididos em livros originais para torná-los muito tempo para copistas e os leitores mais fácil de manusear. Nós poderíamos traduzir como o título Septuaginta, "Coisas omitidas." Este título contém IMPLICA Chronicles, que deixou de outros materiais inspirados história de Israel. Isso é verdade, mas contém muito material também que o ex-livros históricos incluídos.

 

". . . totalmente 50 por cento, de 1 e 2 Crônicas é os mesmos materiais encontrados em 1 e 2 Samuel e 1 e 2 Reis ". [1]

 

Escritor e Data

 

Gravado tradição judaica No início do Talmude Babilônico atribuída a autoria de Esdras e Neemias para Chronicles. [2] Os estudos modernos dos expatriados lingüísticas existentes entre os livros de Esdras, Neemias e Crônicas levaram alguns estudiosos a rejeitar essa visão antiga. [3] a evidência interna sugere que, se o escritor não era Esdras e Neemias ou eu provavelmente era um contemporâneo destes homens. É muito comum hoje em dia falar do escritor desconhecido como "o cronista".

 

Há um pouco de diferença de um parecer até mesmo estudiosos evangélicos conservadores Entre Quanto à data de composição. A maioria deles coloque-o dentro da vida de Ezra (ca. 450-400 aC). [4] Esta data tornaria uma das Crônicas última se não o último livro histórico do Antigo Testamento. No cânon hebraico de perto Chronicles comerciais 1 e 2 da terceira seção principal, os escritos, o que também sugere que eles foram escritos tarde. A data de composição de Esdras foi, provavelmente, ACERCA 446 aC O Livro de Neemias provavelmente passou a existir entre 420 e 400 aC A data da escrita de Ester foi provavelmente Pouco depois de 473 aC

 

"Agora está claro da comparação de Crônicas Com o Pentateuco Samaritano e as traduções gregas das Crônicas Pentateuco que o texto foi usado como estes textos mais do que o MT [Texto Massorético]". [5]

 

Alguns estudiosos sustentam uma data tão cedo como o meio do século V aC (450 aC), enquanto outros datam tão tarde quanto Crônicas 200 aC [6]

 

"A melhor vista é como um todo Chronicles que estava no local em 500 aC, mas como adições tarde que logo no quarto século continuou a ser adicionado, genealogias Especialmente, sob a inspiração do Espírito Santo". [7]

 

Âmbito e Finalidade

 

Crônicas mais amplas abrange um período da história do que qualquer outro livro do Antigo Testamento. Começa com Termina com Adão e Anani, que viveu oito gerações depois que o rei Joaquim (1 Cr. 3:24). Se permitirmos que 25 anos para cada geração, o nascimento de Anani teria sido entre 425 e 400 aC, assumindo que esta genealogia está completa.

 

"Em Perto antiguidade oriental, a geração (ou seja, entre os anos de nascimento do homem e que gerou Seu primeiro filho) é geralmente de 25 anos ou menos." [8]

 

Uma vez que o escritor tinha grande interesse na família de David é improvável qualquer de David É descendentes depois Anani era conhecido por ele quando yo Eu escrevi o livro. Se tivessem sido, o escritor provavelmente teriam seus nomes incluídos.

 

Outros livros do Antigo Testamento, especialmente de Gênesis, Samuel e Reis, encobrir Chronicles meia que contém o material. [9] Há duas razões principais para esta repetição. Em primeiro lugar, o escritor queria dar aos seus leitores uma outra versão dos acontecimentos. A este respeito Chronicles e outros livros históricos são semelhantes aos Evangelhos do Novo Testamento. Cada um dá uma interpretação única e ênfase. Cada escritor selecionado os materiais históricos que iria apresentar o que eu queria enfatizar. Chronicles é mais semelhante ao Evangelho de João que os outros Evangelhos. Ambos os livros são muito sermão, e cada um tem uma finalidade que é fácil identificar identidade (João 20: 30-31., 2 Crônicas 7:14). Também Chronicles é semelhante ao Deuteronômio, o último livro do Pentateuco, que também prega recordando a história.

 

Em segundo lugar, o escritor de Crônicas Explicado e expôs o significado de muitos eventos na história de Israel tanto quanto os comentários de escritores modernos. Isso foi importante, especialmente desde que os leitores do Crônicas Original precisava lembrar a sua história e as questões espirituais TEVE Isso moldar e moldado seu destino. Estas observações guiaria como eles 'Procurada para restabelecer Israel na Terra Prometida depois do cativeiro babilônico.

 

"O objetivo desses dois volumes [1 e 2 Crônicas] é revisar a história de Israel desde o alvorecer da raça humana para o cativeiro babilônico e edito de restauração Cyrus. Esta avaliação é composta com um propósito bem definido em mente, para dar aos judeus da Segunda Commonwealth os verdadeiros fundamentos espirituais de seus teocracia como o povo do convênio do Senhor. A finalidade deste historiador é mostrar que a verdadeira glória da nação hebraica foi encontrado em sua relação de aliança com Deus, como salvaguardado pelas formas prescritas de culto no templo e administrado pelo sacerdócio divinamente ordenado sob a proteção da dinastia divinamente autorizada de David. Sempre a ênfase é sobre aquilo que é sólido e válido no passado de Israel como fornecer uma base confiável para a tarefa de reconstrução que estava por vir. Grande ênfase é colocada sobre a rica herança de Israel e sua conexão com as origens patriarcais ininterrupta (Por isso, o destaque concedido às listas genealógicas) ". [10]

 

". . . "O Cronista" não é um mero cronista! I é um teólogo, compartilhando os escritores bíblicos com toda a carga de interpretar os caminhos de Deus para o homem ". [11]

 

O escritor viu princípios de funcionamento da história. Eu selecionei casos inconfundíveis deles e aplicou-as ao seu próprio tempo.

 

"Se Reis, final Composta após o colapso do reino em 586 aC, sem ligações se concentra em como derrotar (2 Reis 17:15, 18), então Crônicas, vindo depois os dois retornos do exílio em 537 e 458 aC, relata , a partir do mesmo disco, como "a fé é a vitória" (2 Crônicas 20:20., 22) ". [12]

 

". . . o cronista vai ainda mais longe do que o historiador deuteronomista [ie, o escritor de 1 e 2 Reis] na tentativa de correlacionar com fidelidade e julgamento bênção com a desobediência Dentro de cada geração separada ". [13]

 

Outra declaração do propósito de Crônicas é a seguinte:

 

". . . para reunir o restante devolvido ao culto do templo esperançoso. . . A sua ligação ao demonstrar Com as promessas davídicos duradouras ". [14]

 

"O passado é explicado até que as instituições e os princípios religiosos tornam-se relevantes para o presente, e as formas do presente são legitimadas de novo por estar ligado à principal fonte de autoridade para o período formativo no passado do povo". [15]

 

Características distintivas

 

Três principais características de Crônicas aparecem quando isolamos os materiais incluídos o escritor que não está em Samuel ou Reis. Em primeiro lugar, as genealogias Refletir o objetivo do escritor de incentivar a pureza racial e religiosa de Israel. [16] Em segundo lugar, a ênfase sobre o templo, a arca, e adoração mostrar seu desejo de que o retorno dos exilados restabelecer a adoração de acordo com a Lei Mosaica. [17] Em terceiro lugar , o registro das glórias de David e as vitórias que Deus deu aos Seus sucessores eram sua maneira de incentivar os leitores, pois "seu original procurava restabelecer sua nação na Terra Prometida. [18]

 

Estudantes conservadores de Crônicas diferem em suas feedback sobre a quantidade de expectativa messiânica estendeu o cronista seus leitores. Minha crença é que apresentei muita esperança de um Messias vindouro que iria cumprir as promessas feitas a Davi na aliança davídica. Devo apontar isso nos lugares nas notas appropriate` que se seguem. [19]

 

"Eu considero Crônicas como uma das mais ricas minas de espiritualidade em toda a Escritura". [20]

 

esboço

 

I. CHS raízes históricas de Israel. 1-9

 

A. da linhagem de Davi caps. 1-3

 

B. A casa do CHS Israel. 4-7

 

1 A família de Judá 4: 1-23

 

2 A família de Simeão 4: 24-43

 

As famílias de Transjordânia 3 ch. 5

 

4 A família de Levi ch. 6

 

Os restantes cinco famílias de Israel ch. 7

 

C. A linhagem de chs Saul. 8-9

 

II. O reinado de Davi caps. 10-29

 

A. A morte de Saul ch. 10

 

Coroação e do B. David Capital 11: 1-9

 

Valentes de Davi C. 11: 10-12: 40

 

D. David e os caps arca. 13-16

 

1 A remoção da arca de Quiriate-Jearim ch. 13

 

2 Restaurar a comunhão com o Senhor ch. 14

 

3 A importância dos sacerdotes e dos levitas 15: 1-15

 

4 A alegria produzida pela presença de Deus 15: 16-16 junho

 

Preocupação 5 de Davi para o culto universal de Javé 16: 7-43

 

A aliança de E. Deus promete a Davi caps. 17-29

 

1 A primeira conta das promessas de Deus a Davi caps. 17-21

 

2 A segunda conta das promessas de Deus a Davi caps. 22-27

 

3 O terceiro conta das promessas de Deus a Davi caps. 28-29

 

(Continua em notas em 2 Crônicas)

 

                                      SEGUNDO CRONICAS

 

introdução

Para uma explicação sobre o título, autor, data, escopo, propósito e características distintivas deste livro, ver meus comentários em minhas anotações sobre um Chronicles. Segundo Crônicas Continua a narrativa histórica em 1 Crônicas cozinhar começou.

 

esboço

 

(Continuação da nota em 1 Crônicas)

 

III. O reinado de Salomão cap. 1-9

 

Sabedoria e prosperidade ch de A. Salomão. 1

 

B. A construção do templo 2: 1-5: 1

 

1 Preparação para a construção do templo ch. 2

 

2 O templo propriamente dito 3: 1-9

 

3 O mobiliário do templo 3: 10-5: 1

 

C. A dedicação do templo 5: 2-7: 10

 

1 A instalação da arca 5: 2-14

 

2 endereço de Salomão 6: 1-11

 

Oração 3 de Salomão 6: 12-42

 

4 A celebração do povo 7: 1-10

 

Bênçãos e maldições de Deus D. 7: 11-22

 

Sucessos caps do E. Salomão. 8-9

 

Sucesso político 1 de Salomão 8: 1-11

 

Sucesso religioso 2 de Salomão 8: 12-16

 

Sucesso 3 de Salomão econômico 8: 17-9: 28

 

4 morte de Salomão, em Setembro: 29-31

 

IV. Os reinados dos sucessores caps de Salomão. 10-36

 

CHS A. Roboão. 10-12

 

1 A divisão do ch nação. 10

 

Reino 2 ch de Roboão. 11

 

3 A invasão por Egito ch. 12

 

Abias B. 13: 1-14: 1

 

Asa C. 14: 2-16: 14

 

Sabedoria de Asa 14 1: 2-15

 

2 ch reforma do Asa. 15

 

Asa de falha ch 3. 16

 

CHS D. Josafá. 17-20

 

1 Resumo do reinado de Josafá 17: 1-6

 

2 A força do reino de Josafá 17: 7-19

 

3 Josafá e Acabe ch. 18

 

A nomeação de 4 Josafá de juízes ch. 19

 

5 A vitória sobre a aliança moabita-amonita 20: 1-30

 

6 falhas de Josafá 20: 31-37

 

E. Jorão ch. 21

 

Acazias F. ch. 22

 

G. Atalia ch. 23

 

H. Joás ch. 24

 

Amaziah I. cap. 25

 

J. Uzias ch. 26

 

K. Jotão ch. 27

 

Acaz L. ch. 28

 

Ezequias M. caps. 29-32

 

1 A limpeza e reinauguração do templo ch. 29

 

2 de Ezequias Páscoa 30: 1-31: 1

 

3 Restabelecimento da adoração apropriada 31: 2-21

 

4 A invasão por Senaqueribe 32: 1-23

 

5 humildade de Ezequias e grandeza 32: 24-33

 

N. Manassés 33: 1-20

 

Amon O. 33: 21-25

 

Josias P. caps. 34-35

 

1 reformas de Josias ch. 34

 

2 de Josias Páscoa 35: 1-19

 

A morte de três Josias 35: 20-27

 

Q. Os últimos quatro reis 36: 1-21

 

1 Jeoacaz 36: 1-4

 

2 Joaquim 36: 5-8

 

3 Joaquim, 36: 9-10

 

4 Zedequias 36: 11-21

 

O edital de Cyrus R. 36: 22-23

 

                                              LIVRO DE ESDRAS

introdução

Título

 

O título do texto Inglés vem do personagem principal na segunda parte do livro (capítulos 7-10). Na tradução Septuaginta Além disso, este livro tinha o nome de Ezra. "Ezra", a transliteração grega ". Ezra" "Ezra" é uma forma abreviada de Azarias, que significa "Javé ajudou" A Bíblia hebraica tem o mesmo título .

 

Copistas hebreus primeiros colocados juntos com Esdras Neemias Neemias continua porque a história de Ezra. [1] Outra razão que 'pode ter feito isso era fazer o número total de livros canônicos de acordo com o número de letras no alfabeto hebraico. [2] Outro vista é que eles foram escritos originalmente como um livro e dividido do que mais tarde. [3] Ainda hoje a Esdras e Neemias ligações a Bíblia Hebraica, como fizeram os tradutores da Septuaginta. No entanto, a repetição de Esdras 2 em Neemias 7: 6-70 livros sugere que estes dois não foram originalmente um. Evidentemente Orígenes (século III dC) foi o primeiro a dividir Esdras-Neemias em dois livros, e Jerome Esse precedente seguiu em seu latim (Vulgata) tradução. [4] Assim a divisão de Esdras-Neemias parece ter comido da tradição cristã . Eles ele aparece como um livro em todos os manuscritos hebraicos até o século XV [5]

 

estrutura

 

Estudos retóricos de Esdras-Neemias revelaram uma estrutura quiástica apóia a visão de que de que esses dois eram livros originalmente um.

 

"A. Retorno e lista de retornados de Zorobabel (Esdras 1-2)

 

B. Construção e oposição do templo (Esdras 3-6)

 

C. retorno de Esdras (Esdras 7-8)

 

D. Center: purificação do povo (Esdras 9-10)

 

C. 'Retorno de Neemias (Ne 1-2.)

 

Edifício B. 'das paredes e oposição (Ne 3 :. 1-7: 3)

 

Retorno e lista de repatriados da A. 'Zorobabel; Reformas final (Neh. 7: 4-13, 31) "[6]

 

Escritor e Data

 

Devido à tradição antiga que o mesmo escritor Composta Ambas as partes do livro de Esdras (capítulos 1-6 e 7-10), muitos estudiosos acreditam Esdras produziu tudo isso. [7] A passagem no Talmud credita Ezra com a autoria . Esdras-Neemias e Crônicas de [8] Ezra fala na primeira pessoa em Esdras 7: 28-8: 34 e no capítulo 9 [9] Sugiro que chamou de uma fonte: como a chamada "Ezra memórias "que Ezra gravadas lembranças de pessoal na primeira pessoa. [10]

 

Outro ponto de vista popular é Esdras e Neemias Que cada um escreveu os livros que seus nomes suportar. [11] Um terceiro ponto de vista é que o livro era uma joint compilação que um "cronista" feito muito tempo depois dos eventos ocorreram Gravado. [12]

 

Como um escriba (07:21), Esdras tinha as qualificações dos necessários para escrever este livro. Ele foi contemporâneo de Neemias Geral (Neemias 8: 1-9.; 12:36). Outra referência no Talmud afirmou que Esdras era um discípulo de Baruch, o escriba de Jeremias. [13]

 

A última referência histórica no livro é em quatro: 21-23. Na opinião de outras referências cronológicas no livro, este evento deve ter ocorrido ACERCA 446 aC PORTANTO Ezra poderia ter escrito o livro sobre 446 aC Pouco tempo depois, ou que. [14]

 

ênfases distintas

 

"Independentemente de nossa visão da autoria de Esdras-Neemias e sua relação com Crônicas, o ponto de vista teológico de toda a coleção é essencialmente o mesmo. A mensagem é dirigida à comunidade pós-exílica dos judeus que se perguntam se existe alguma esperança de restauração política e religiosa. Seu eixo central é que, de fato, há esperança, mas esperança que deve ser encarnada na reconstrução do Templo, o culto eo sacerdócio. Só que o povo remanescente se tornaram a nação teocrática, fundada e fiel à aliança Javé fez com seus pais, que "poderia reviver a casa de Davi e antecipar a retomada de seu papel de mediador entre as nações da terra. Esdras e Neemias estão sobrecarregados, portanto, esclarecer (1) a Pessoa ea obra de Deus, (2) própria identidade e função de Israel como um povo do convênio, e (3) a natureza dessa aliança em tempos pós-exílio ". [15]

 

âmbito

 

A mais antiga referência histórica em Esdras é o decreto de Ciro, que emitiu em seu primeiro ano no trono (1: 1), 538 aC [16] A última referência histórica foi pouco antes de a primeira viagem de Neemias volta para Jerusalém (4: 21-23; cf. Ne 1: 1-3), em 446 aC. Portanto, este livro abrange um período de 92 anos de história. [17]

 

No entanto a maior parte ocorreu os eventos registrados em 538-515 aC (capítulos 1-6) e 458 aC (capítulos 7-10). [18] entre essas duas séries separadas de eventos do Livro de Esdras registra nada. Os eventos no Livro de Ester acontecido durante aqueles anos (em 482-473 aC). Os livros de Esdras e Neemias recorde em seguida, os últimos eventos, por ordem cronológica, no Antigo Testamento.

 

"Estes livros [Esdras e Neemias] são bem embalado com mensagens espirituais esperando para ser extraído. Eles comunicar com rica espiritualidade durante períodos em que as coisas não eram extremamente positiva para o povo de Deus. Eles estão preocupados com as listas que mostram a unidade do povo de Deus, a importância das disciplinas espirituais, como a oração, o jejum, sacrificando, e leitura das Escrituras é [sic] exemplificado ao longo dos dois livros. Há muito que podemos aprender neles ". [19]

 

Correlação de Esdras, Neemias, Esdras e os Livros [20]

 

Inglés

 

Vulgata (latim)

 

Septuaginta (em grego)

 

Ezra

 

I Esdras

 

Ezra B (Beta)

 

Neemias

 

II Esdras

 

Ezra C (Gamma)

 

1 Esdras

 

Esdras III

 

Esdras A (Alpha)

 

2 Esdras

 

IV Esdras

 

 

1 e 2 Esdras são livros apócrifos.

 

esboço

 

I. O primeiro retorno Sesbazar sob caps. 1-6

 

A. O retorno do CHS Babilônia. 1-2

 

1 O decreto de Ciro, e suas conseqüências ch. 1

 

Os exilados que retornaram 2 ch. 2

 

B. A reconstrução das caps do templo. 3-6

 

1 O início da construção cap. 3

 

2 A oposição à construção cap. 4

 

O atraso na construção de 3 ch. 5

 

4 A conclusão da construção cap. 6

 

II. O segundo retorno sob caps Esdras. 7-10

 

A. O retorno a Jerusalém, cap. 7-8

 

1 O decreto de Artaxerxes e suas conseqüências ch. 7

 

A viagem em si 2 ch. 8

 

B. A restauração dos caps pessoas. 9-10

 

1 O problema dos casamentos mistos ch. 9

 

2 A solução para o problema de ch. 10

 

 FONTE biblia luminia