Translate this Page

Rating: 3.0/5 (902 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


TEORIA do arrebatamento pos-tribulacional
TEORIA do arrebatamento pos-tribulacional

           TEORIA DO ARREBATAMENTO POS-TRIBULACIONAL

Esta doutrina afirma que há uma ressurreição dos crentes mortos e arrebatamento ou tradução (ou uma tomada-up / pegando-away) de crentes que vivem em Jesus Cristo no fim dos tempos (ou o "tempo End"). Pós-tribulationists acreditam que os cristãos permanecerão na Terra ao longo de todo o período de tribulação de 7 anos, que inclui os últimos três anos e meio que alguns diferenciar chamando os últimos três anos e meio do período da Grande Tribulação. A principal característica distintiva e de Pós-Tribulationalism é que ele sustenta que o arrebatamento ocorrerá após o período de tribulação de 7 anos, e não antes, como no Pré-tribulacionismo ou depois de 3 anos de 1/2 como em Mid-Tribulationalism. Esse período começa no abominação da desolação e termina na batalha do Armagedom. Eles serão levados para cima (ou arrebatados) ao encontro de Cristo no ar (arrebatados) na segunda vinda de Cristo imediatamente após a grande tribulação um pouco antes da batalha do Armagedom e depois voltar com Ele como Cristo desce à Terra, para inaugurar o Millennium-o reinado de 1000 anos de Cristo na Terra]. Isso geralmente é entendida como estando em linha com Premillennialism Historic.

Mateus 24: 29-31 ASV 1 Tessalonicenses 4: 15-17 ASV

29But imediatamente depois da tribulação daqueles dias, o sol escurecerá, ea lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e os poderes dos céus serão abalados: 30E então aparecerá o sinal do Filho do homem no céu; e então todas as tribos da terra lamentarão e verão o Filho do homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. 31 E ele enviará os seus anjos com grande clamor de trombeta, os quais reunirão os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma extremidade do céu para o outro. 15 Porque isso, digo a vocês, pela palavra do Senhor, que nós que estamos vivos, que são deixados até a vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem. 16 Porque o mesmo Senhor descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; 17 Então nós que estão vivos, que estão à esquerda, deve ser junto com eles apanhados nas nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.

Para referências adicionais, ver também as passagens paralelas de Marcos 13: 24-27 e Lucas 21: 20-28. Enquanto as passagens em Lucas 21 paralelo com Mateus e Marcos, que oferece um par de esclarecimentos interessantes. Esta passagem em Lucas oferece referências interessantes a alguns dos principais eventos que são muito elaborados em no Livro de Apocalipse. Lendo todos os três livros da Bíblia em paralelo, parece que Lucas elabora sobre a "abominação da desolação" descreve Jerusalém cercada pelos exércitos do mundo e da iminente destruição de Jerusalém (Lucas 21:20).

A declaração de Paulo "os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro" (1 Tessalonicenses 4:16) pode ser visto como tendo a sua realização (de acordo com uma leitura literal da letra do texto bíblico) somente após o final da tribulação (Apocalipse capítulos 6 -19), após Satanás foi ligado (Apocalipse 20: 1-3), e no início do reino milenar, quando

Eles vieram para a vida, e reinaram com Cristo durante mil anos. O restante dos mortos não voltou a viver até os mil anos se completassem. Esta é a primeira ressurreição. Bem-aventurado e santo é aquele que compartilha na primeira ressurreição! Sobre esses a segunda morte não tem poder, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos. (Apocalipse 20: 4-6)

Outra conta que empresta apoio à idéia de um arrebatamento pós-tribulação está em 2 Pedro 3: 10-13, onde a idéia do "Dia do Senhor" que vem como um "ladrão na noite" vem. Essa idéia de iminência, de acordo com o ponto de vista pós-tribulação, só se aplica aos ímpios e as pessoas espiritualmente despreparados que ainda estão vivos antes do retorno de Cristo. Portanto, eleito unicamente de Deus (cristãos) terá totalmente uma compreensão clara do momento da segunda vinda, e, portanto, a vinda de Cristo não vai pegar os crentes de surpresa, mas somente aqueles que são espiritualmente ignorante a respeito da verdade. Na passagem de 2 Pedro 3: 10-13, o retorno de Cristo é equiparado com o "ser elementos derretida", e "a terra, e as obras nela serão descobertas". Pontos de vista opostos não são inexistentes dentro do reino da escatologia cristã. Dois pontos de vista opostos, pré-tribulacionismo e mid-tribulacionismo, ver o arrebatamento ea segunda vinda (ou grego, paraousia) de Cristo como eventos separados; enquanto na pós-tribulacionismo os dois eventos são idênticos ou simultânea.

Outra diferença fundamental entre o pré, médio e linhas pós-tribulação da teologia é o número de vezes que Jesus Cristo deve retornar. Embora não esteja diretamente relacionado, tanto no pré e no meio da tribulação êxtase, Cristo deve então retornar pela terceira vez, no final do período de tribulação.

A crença é que os eleitos de Deus de todas as idades vão ser traduzido a partir de corpos mortais em imortais corpos glorificados na segunda vinda de Cristo e que este será no final da época. Este evento, acredita-se, virá à conclusão de que é chamado a 70ª Semana de Daniel, os últimos sete anos da presente época. Este ponto de vista foi realizada pelos primeiros Padres da Igreja e foi realizada por cristãos desde aquela época. A doutrina do arrebatamento pós-tribulação é hoje realizada por um número crescente de cristãos evangélicos. Para pós-tribulationists preocupados com o recente declínio da fé cristã, doutrina e moral na igreja ocidental, uma razão importante para o avanço da doutrina do arrebatamento pós-tribulação refere-se à importância da preparação dos fiéis para a "testemunha sob julgamento".

Outra idéia é que, após a Grande Tribulação, o Falso Profeta, ou a "besta da terra" eo Anticristo ou "a besta do mar" será condenado em cima do retorno de Jesus Cristo, e todos aqueles que resistiram ou morreu por a volta de Cristo serão arrebatados para o céu e, após o Milênio, Satanás será condenado e os restantes mortos crentes serão ressuscitados e arrebatados para o novo céu.

Fontes bíblicas 

 

Esta seção contém possivelmente pesquisa original. Por favor, melhorá-lo, verificar as alegações feitas e adicionando citações inline. Demonstrações consistindo apenas de investigação original devem ser removidos. (Maio de 2012)

Pós-tribulationists amplamente baseiam a sua doutrina sobre os conceitos complementares que uma de duas fases arrebatamento pré-tribulação nunca é mencionado explicitamente na Bíblia, [6] e que o "todo o conselho da Escritura" [7] parece [pesquisa original?] Para ensinam claramente que a ressurreição eo arrebatamento da Igreja será o resultado do visível, físico segunda vinda de Jesus Cristo à Terra e que os cristãos devem olhar e observar para esse evento. 

Mateus 24: 29-31 e 1 Tessalonicenses 4: 15-17 ambos mencionam os mesmos indivíduos (Jesus, seus anjos) e os mesmos eventos (Jesus que vem, a trombeta de Deus, e da reunião dos eleitos) na mesma ordem. A última passagem escrita pelo Apóstolo Paulo é visto como sendo baseada no antigo por causa do uso de "pela palavra do Senhor" no versículo 15 [9] e que eles estão falando sobre o mesmo evento, mas a primeira passagem é explicitamente datada "após a tribulação", eo segundo é onde nós temos o termo Rapture. 

Contrastando opinião sustenta que as passagens não estamos falando sobre o mesmo evento, apesar de algumas semelhanças por causa de detalhes que estão ausentes entre as duas passagens e que o evento arrebatamento era um "mistério", até que foi revelado na Primeira Carta aos Coríntios que os destinatários tessalonicenses teriam sido desconhecem. Pós-tribulationists responder às visões opostas de pré-tribulationists em uma variedade de formas:

Alguns pós-Tribulacionistas ver o arrebatamento ea segunda vinda de Cristo, como parte de um evento principal O apoio a esta reivindicação é encontrado em 2 Tessalonicenses 2: 1-3. Em parte devido à forma como o apóstolo Paulo introduz seu tema, "Ora, quanto à vinda de nosso Senhor e à nossa reunião com ele." Esta foi uma maneira antiga de introduzir o seu tema de discussão e mais tarde Paul remete para os dois substantivos, pelo menos, duas vezes como "o dia do Senhor" ou "naquele dia." Assim, [pesquisa original?] "A vinda" e "encontro" parece haver duas maneiras de se referir a um evento, "o dia do Senhor." 

Parece [pesquisa original?] Impraticável para Paul a ir para grandes comprimentos que descrevem a vinda do Anticristo (e da apostasia) aos Tessalonicenses , a fim de acalmá-los de que o dia do reinado de Cristo na terra não tivesse acontecido no entanto, se eles não estavam indo para estar lá para ele como sustenta a posição pré-tribulacionista. Ele seria mais reconfortante, lembrando-os de que não estaria presente para ele do que precisamente detalhe seu reconhecimento e dizer: "Não deixe ninguém enganar você de alguma maneira, para esse dia não virá até que a rebelião ocorre eo homem do pecado é revelado, o homem condenado à destruição ". 

A passagem mais comum usado na defesa de uma posição pré-tribulacionista é 1 Tessalonicenses 4. Essa passagem por si só não mencionar onde os reunidos finalmente acabar, mas que aqueles que estão vivos seremos arrebatados ao encontro de Cristo no ar e estar sempre com . Senhor  Em vez disso, menciona os mortos subindo, a vinda de Cristo, anjos, a trombeta de Deus, juntamente com a reunião dos eleitos e todos esses participantes estão presentes em Mateus 24: 30-31, o que é claramente uma Segunda Vinda passagem ainda acordado pela pré-Tribulacionistas. O autor, o apóstolo Paulo diz que o arrebatamento acontecerá "ante a última trombeta".  Para ser coerente com Apocalipse 11 deste trombeta deve ocorrer após a tribulação. Da mesma maneira, Apocalipse 21 menciona a primeira ressurreição após a Segunda Vinda em Apocalipse 19. Por definição, não pode haver trombeta após a última, e há ressurreição antes do primeiro.

Apoio linguístico para um one-evento Segunda Vinda estão no palavras "se encontra" e "vinda" em 1 Tessalonicenses 4. O encontro em 1 Tessalonicenses 4:17 e em Mateus 25: 1 (a Segunda Vinda parábola) refere-se ao costume de pessoas indo ao encontro de um dignatário como ele estava se aproximando de sua cidade antes de chegar lá, e que acompanhe ou recebê-lo de volta para onde eles vieram. Este é também o uso em Atos 28:15 de quem vai ao encontro de Paul enquanto se dirigia em direção a eles, em Roma. Além disso, o termo grego parousia  tem a idéia de um grande dignitário tornando a sua chegada a um determinado local. O resto da passagem apoia esta chegada em grande estilo com a Sua vinda sendo anunciada com trombeta, anjos, e uma "cidade" de afluência de crentes reunidos sair para encontrá-Lo. Quem mais grandioso do que o Senhor Jesus Cristo em Sua vinda para reinar sobre a terra? Esta passagem dá mais peso à posição de pós-tribulacional. [16]

Outro ponto forte para esta posição que Paulo está dizendo quando a igreja receberia descanso para seu sofrimento.  Ele teria lugar na revelação de Jesus Cristo com fogo e julgamento e, neste momento aqueles que estavam afligindo a igreja em Tessalônica seria reembolsado para um tal tratamento. Nenhuma menção é feita de uma remoção pré-tribulacionista, mas que resto vem na sua vinda e assim também o julgamento. 

Uma passagem muito debatida sobre o momento do arrebatamento é Apocalipse 03:10, que fala de ser a igreja de Filadélfia "mantido a partir da hora da provação que há de vir sobre toda a terra, para tentar os que habitam sobre a terra." O debate centra em torno da frase "impediu de" o que poderia ser considerado como significando "remoção física de" (Pre-Trib) ou "preservação de ou no meio" (Pós-trib).  No entanto, é interessante notar que o versículo indica que o teste é para "os que habitam sobre a terra." Esta é uma frase comum referindo-se incrédulos. Mais tarde, no Apocalipse, em pelo menos três ocasiões, os santos são "selados" e mantido fora do caminho do mal quando Deus derrama acórdãos específicos que afetam somente os Seus inimigos descrentes. ]

João destaca a idéia de que os cristãos são preservados por Deus através da tribulação, em vez de removido:

Não peço que os tires fora do mundo, mas que os guardes do mal.

Esta passagem é um dos versos mais contundentes, [pesquisa original?] Que mostra que o próprio Jesus não queria que os cristãos tirados do mundo, a fim de protegê-los do mal, mas tinha a intenção de preservação no meio dela. Este é um lugar onde pre-tribulacionismo carece favor linguística porque este versículo e Apocalipse 03:10 são os únicos lugares onde o exato ek frase tereo traduzido do grego para o sustento de são encontrados e que pelo mesmo autor, o discípulo João. ]

O argumento pretribulational que existem "duas fases" para vindo (a êxtase e uma posterior Segundo Advento) de Cristo  é executado em dificuldades com Atos 1:11, que quase equivale Ascensão de Cristo ao céu com a sua Segunda Vinda. Logicamente, a Segunda Vinda não pode ter duas fases, se a Ascensão só tinha um. Isso elimina duas fases da sua vinda, com um intervalo de 7 anos. Da mesma forma, o céu deve "receber" ou conter Jesus "até que o período de restauração de todas as coisas sobre as quais Deus falou pela boca dos seus santos profetas, desde tempos antigos".  A maioria dos estudiosos [32] ver esta "restauração de todas as coisas "como o reinado de mil anos de Cristo na terra (como profetizado no Antigo Testamento), que começa logo após o Segundo Advento. Se Cristo é permanecer no céu até esta regra vinda de Seu acordo com a Tess versos (ver também Hebreus 9: 27,28), ao que parece o próximo evento profético principal seria a Segunda Vinda , em vez de Ele vir sete anos antes de começar a igreja, trazê-los de volta para o céu, e, em seguida, deixando o céu para a terra novamente como a posição arrebatamento pré-tribulacional indica. 

O uso de pré-tribulacional de Lucas 17 também pode ser contrabalançada. Neste cenário escatológico, Luke 17:37 explica o que acontece com as pessoas que são "tomadas": as águias se reúnem em suas [mortos] corpos. Será que eles comê-los? "Taken" também pode ter a idéia de julgamento e que Lucas 17: 22-37 está se referindo à natureza visual inconfundível da Segunda Vinda. Mesmo os discípulos são avisados ​​para não acreditar relatos de que Cristo veio, se não tê-lo visto "pois assim como o relâmpago, quando ele pisca para fora de uma parte do céu, brilha para a outra parte do céu, assim será o Filho do homem no seu dia.  Muitos tomam o fato de que os abutres que pairam sobre um corpo morto é claramente visível de uma grande distância longe de significar que a Segunda Vinda será claramente visível e não serão ocultados. Parece [pesquisa original ?] que Lucas 17 pode ser comparado a Apocalipse 19, onde se lê que as aves são convidados a uma festa-na carne dos homens, pequenas e grandes, na vinda do Senhor.

A parábola em Mateus 13 explica que os não salvos (joio) são destruídos antes de os salvos (de trigo) são abordados. Esta parábola  descreve o que o reino dos céus é semelhante e usa metáfora agrícola para explicar que crentes e não crentes permanecerão juntos até a colheita. Quando é a colheita? Bem, quando Jesus explica a parábola.  Ele diz que a colheita é o "fim dos tempos" no versículo 39. Naquela época, ele envia seus anjos  para destruir o joio do trigo, enquanto os (crentes) permanecem e brilho como o sol no Reino de seu Pai. Isso parece se encaixar melhor com o arrebatamento ea Segunda Vinda de ser um evento em vez de um intervalo de tempo de 7 anos. ]

Zacarias 14, fala do "Dia do Senhor" e que "naquele dia estarão os seus pés sobre o Monte das Oliveiras." Isso se assemelha exatamente a declaração do anjo em Atos 1 ", que, como Ele deixou isso Ele deve retornar." Amarrar este com I Tessalonicenses, vemos todos os vivos e mortos são cristãos se reuniram para Jesus naquele tempo [pesquisa original?] Voltando ao Zacarias. 14: 5, lemos: "Então o Senhor meu Deus virá, e todos os santos aqueles com ele. "Isto liga inexoravelmente o retorno de Jesus à glorificação e" êxtase "dos cristãos para ele. [pesquisa original?]

Em Apocalipse 2:25 Jesus diz aos fiéis de Tiatira, "Não obstante o que você tem, se apegam até que eu venha." Em outras palavras, 'agarrar a verdade da fé cristã e da sua obediência no meio do falso ensino de Jezabel e seus pecados, até que Minha vinda novamente.' Comentaristas pré-tribulacionistas concordam que este poderia estar falando sobre a Segunda Vinda de Cristo (John MacArthur, [39] Robert L. Thomas).  Jesus diria domínio sobre a fé até que eu venha novamente se eles não iam ser lá quando ele voltou, mas já teria sido arrebatados? Comentário Bíblico de Expositor também faz esta afirmação. Seja paciente, pois, irmãos, até a vinda do Senhor. Eis as esperas de agricultores para a produção precioso do solo, com paciência, até que ele recebe as chuvas precoces e tardias. Você também ser paciente; fortalecer os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima. 

Eles estão a ser paciente em meio a perseguição até quando? Até a vinda (parousia) do Senhor. Parousia é bem conhecido por dizer "presença" e refere-se a Sua segunda vinda muitas vezes no Novo Testamento.  Note também que a analogia agricultura parece [pesquisa original?] Para indicar que o agricultor está ciente das próximas chuvas apenas como o crente está ciente de próximos eventos do fim dos tempos. Por exemplo Jesus advertiu: "quando você vê estas coisas começarem a acontecer [sinais do tempo do fim do sol, da lua e das estrelas / caos mundo], endireitar-se e levantar o seu cabeças, porque a vossa redenção está próxima. " Esta maneira de expectativa é opôs-se, alegando que ele destrói a idéia do arrebatamento da igreja de Cristo é iminente, ou capaz de ocorrer a qualquer momento. Mas iminente provavelmente não significa "a qualquer momento" no Novo Testamento [46] Muitas passagens do Novo Testamento implicitamente descarta um "a qualquer momento" imminency (Mateus 24: 45-51 ... 25:. 5,19; Lucas 19: 11-27; João 21: 18-19 ... At 9, 15 ...)  No mínimo Apóstolos Pedro e Paulo não poderia ter acreditado nesse tipo de iminência porque Peter foi dito por Jesus que tipo de morte. ele estava a morrer e que iria ter lugar muitos anos depois. Jesus disse: "Em verdade, em verdade vos digo que, quando era mais jovem, você costumava cinge-te, e andar por onde querias; mas, quando fores velho, você vai esticar suas mãos [ser crucificado], e outra pessoa te cingirá, e trazê-lo onde você não deseja ir. "[48] Poderia Peter acha que o arrebatamento foi em qualquer momento com esta previsão duradouro por Jesus? ] Além disso, foi dito de Paulo que ele iria suportar de Cristo nomear "perante os gentios e reis e dos filhos de Israel" e que Deus iria "mostrar a ele o quanto ele é sofrer por causa do meu nome." [50] Será que um qualquer momento-arrebatamento ajuste com um plano missionário maciça tais revelado por Deus pela vida de Paul que levou décadas para ser concluído? Jesus encorajou os primeiros discípulos e todos os cristãos, para procurar determinados eventos que indicariam Sua vinda foi "às portas". Isso, combinado com outras passagens como 1 Tessalonicenses 5: 2-6, parece [pesquisa original?] Para indicar a vigilância moral, à espera da expectativa, e sobriedade ("sejamos sóbrios") e que a ira de que dia vai ultrapassar os na escuridão (incrédulos), como um ladrão "Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão." ] Assim, um conceito diferente de iminência emerge. [pesquisa original?]

Jesus, falando de forma cronológica no Sermão do Monte sobre eventos do tempo do fim, [54] vai desde a escalada de tempos difíceis a partir do primeiro século ea idade atual (com destaque para a destruição de Jerusalém pelos romanos em 70 dC) com o tempo de tribulação e em seguida, para a Sua Segunda Vinda sem qualquer menção de uma retirada prévia das igrejas 7 ou 3,5 anos antes. Um autor vê Jesus como defendendo um "atraso" entre a destruição de Jerusalém e do Seu Segundo Advento.  Ao contrário, ele afirma que "Logo depois da tribulação daqueles dias ... eles [o mundo] deve ver o Filho do Homem chegando ... E ele enviará os seus anjos, e eles colherão seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma extremidade do céu para o outro ".  Portanto, Jesus parece colocar o arrebatamento apenas antes de sua segunda vinda ou a caminho . a terra [? pesquisa original] A frase "reunião", descreve o arrebatamento em 2 Tessalonicenses 2:. 1 utilizando a forma substantiva da mesma palavra grega 

Paulo diz: "nós, os que ficarmos vivos, [na Terra] até a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem [morreu]."  Em seguida, ele ressalta que a vinda do Senhor com os anjos e os trombeta vai convidar aqueles que já morreram em Cristo para ressuscitar dos mortos antes de os na terra participar do evento. Em seguida, Paulo declara: "Então, nós que ficarmos vivos, [na Terra], seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor." [59] Alguns comentaristas [60] Observe que, devido Paulo usou o plural "nós" quando se refere a aqueles que "estão vivos e permanecem [na Terra]" indica que Paulo acreditava que ele e todos os crentes na terra pode testemunhar e fazer parte da Segunda Vinda de Cristo da terra. Isto indicaria que ele seria na Terra pouco antes da vinda do Senhor e do arrebatamento. Este é também o uso quando ele fala do mesmo evento dizendo: "Nós nem todos dormiremos [morrer], mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta porque a trombeta. soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. "[61] Esta passagem acrescenta o fato de que os crentes receberão corpos glorificados, que está em falta a partir da passagem de Tessalônica]." [62] Se os crentes foram arrebatados antes a tribulação, em seguida, por que Paulo usa "nós" e consideram-se com todos os cristãos para possivelmente ser aqueles que seria "vivo e restantes [na Terra] até a vinda do Senhor?" Eles não estariam vivos e permanecendo na terra na Sua vinda em um cenário pré-tribulacionista, mas já estaria com Jesus nas nuvens junto com os outros crentes que morreram em Cristo. [pesquisa original?]

Doutrinas opostas

 

Comparação de pontos de vista cristãos tribulação

Doutrinas opostas incluem:

Midtribulationists acreditam que o arrebatamento dos fiéis ocorrerá na metade da Tribulação, depois que ele começa, e vai durar a fase da Tribulação que testa a sua fé, mas que eles serão removidos antes de ocorrer a última metade, porque que 3 1/2 year período é manifestamente dominado pela ira de Deus cair sobre os que o rejeitam, defensores desta visão muitas vezes citam 1 Tessalonicenses 5,9, "Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançarmos a salvação por nosso Senhor Jesus Cristo."

Pretribulationists acreditam que todos os cristãos vivos, em seguida, será levado corporalmente para o céu (chamado de arrebatamento) antes da tribulação começa. Eles costumam citar 2 Tessalonicenses 2: 6-7 para apoiar a idéia de que o Espírito Santo será retirado como uma influência estabilizadora na sociedade secular (Mt 5,13), através da remoção da Igreja. Aqueles que se tornam convertidos após o arrebatamento, como os santos do Antigo Testamento, não ser habitado pelo Espírito Santo no mesmo sentido que os cristãos estão a ser dito hoje. Eles vão viver através de (ou perecer durante) a tribulação. Depois da tribulação, Cristo retornará. Esta relativamente nova doutrina tornou-se a doutrina escatológica mais amplamente aceito nos Estados Unidos durante o século passado. É comumente ensinadas na grande maioria das igrejas evangélicas com a exclusão de todos os outros. (Veja Dispensationalism para obter informações adicionais sobre as origens eo desenvolvimento da teologia arrebatamento pré-tribulação.)

fonte wikipedia