Translate this Page

Rating: 3.0/5 (934 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


(Página sem titulo)
(Página sem titulo)

 

                                                    O QUE É AMILENISMO? .

 

  Historicamente, houve três posições básicas quando se trata da questão do milênio e quando vai ocorrer em relação aos cristos retornar ao planeta Terra.   Primeiro, há o pré-milenismo, que é o mais velho dos três e ensina que a volta de Jesus antes de reinar por mil anos na terra com seus santos.   Segundo, é amilenialismo, que ensina que a era da igreja atual é um reino espiritual de Cristo e não haverá reinado de mil anos de Cristo sobre a terra quando Ele voltar na segunda chegando.   Terceiro, postmillennialism, que é semelhante ao amilenialismo em que a idade atual é um reino espiritual de Cristo através da igreja.   Postmillennialism acredita que a maioria das pessoas vai ser salvo no futuro e, assim, a igreja vai reinar vitorioso em um momento futuro antes de Cristo voltar à Terra.   Creio que a Bíblia ensina premillennialism.

 

Definição de Amilenialismo

 

      Os termos amilenismo, pré-milenismo e pós-milenismo não se tornou vocabulário teológico, até o final de 1800.   amilenialismo O termo é um composto de três palavras.   Primeiro, é o alfa grego Privativo um que nega uma palavra na qual ele está ligado como um prefixo.  Assim, a tradução literal da palavra significaria nenhum milênio ou mais especificamente sem milênio depois de Cristo voltar.   Os próximos dois termos são de derivação latina.   Mille significa mil e annum meios ano, motivo pelo milênio significa mil anos.   Amilenistas Sam Storms, explica o milênio que eu acredito que João descreve no Apocalipse é concomitante com a era da igreja em que vivemos e consiste na co-regência com Cristo daqueles crentes que morreram e entrou na glória do estado intermediário. [1] Mesmo que o termo amilenismo significa que não há milhares de anos, literalmente, ele não quis dizer isso. Segundo Storms, amilenistas não acreditam . num milênio O milênio, no entanto, é agora : o presente era da Igreja, entre a primeira ea segunda vinda de Cristo em sua totalidade é . milênio [2]    

      Anthony Hoekema, um amilenista, acredita que a frase percebi milenarismo é a melhor descrição de suas visões reais e admite que é um pouco desajeitado, a substituição de um prefixo simples com três sílabas palavra. .. . Eu continuarei a usa o termo mais curto e mais comum, amilenismo . [3] A questão milenar é gerada por aqueles compreensão dos seis usos de mil anos em Apocalipse 20:. 2-7 Hoekema descreve sua visão ainda como se segue:  

 

      Amilenistas interpretar o milênio mencionado em Apocalipse 20: 4-6 como descrever o presente reinado das almas dos fiéis falecidos com Cristo em . céu   Eles entendem a ligação de Satanás mencionado nos três primeiros versículos deste capítulo como estando em vigor durante todo o período entre a primeira ea segunda vinda de Cristo, embora terminando pouco antes Cristos retorno.   Eles ensinam que Cristo voltará após este reino milenar celestial. [4]

 

Alguns amilenistas interpretam o milênio, acrescenta Storms, que engloba todos os triunfos espirituais internos vividos pela Igreja terra (isto é, Cristo dominante no coração crentes). [5]

      Amilenialismo tradicional acredita que a primeira ressurreição de Apocalipse 20: 5-6 não se refere a um evento físico, mas a um tempo espiritual, quando um crente se torna um cristão, em outras palavras, o novo nascimento. Uma primeira ressurreição espiritual foi ensinado por Agostinho ( anúncio . 354-430), o pai da amilenialismo, em seu livro A Cidade de Deus (20,9). Isto é importante porque se o texto se refere a uma ressurreição literal (o que é), então isso seria um forte apoio à pré-milenarismo , que amillennialists daquela época estavam reagindo.  

 

História da Amilenialismo

      Amilenialismo como um sistema de teologia não veio sobre a cena cristã até por volta de anúncio . 400 quando Agostinho da África do Norte desenvolveu em sua obra conhecida intitulado A Cidade de Deus .   Cerca de anúncio . 180 oposição a uma interpretação literal de Apocalipse 20: 1-7 surgiu no norte da África, na cidade de Alexandria e levou ao que poderia ser melhor chamado antimillennialism.   Antimillennialism era simplesmente uma oposição negativa ao entendimento comum na igreja primitiva que Cristo retornaria em Apocalipse 19, que é seguida . pelo reino de mil anos na terra, no capítulo 20   Um dos primeiros Padres da Igreja Justino Mártir ( ad . 100-165) escreveu o seguinte:

 

Mas eu e outros, que são cristãos de direito de espírito em todos os pontos, está certo de que haverá uma ressurreição dos mortos, e mil anos em Jerusalém, que será então construído, adornada e alargada, como os profetas Ezequiel e Isaías e outros declaram. [6]

 

Assim, nos primeiros anos da igreja, foi considerado parte da ortodoxia a ser pré-milenar.   Então, por que a igreja acabará por se tornar amilenistas agostinianos para mais de mil anos?

      Na época de Cristo, centro da filosofia grega havia se mudado de Atenas Grécia para Alexandria, Egito.   Clemente de Alexandria ( ad . 150-215) e seu discípulo Orígenes ( ad . 185-254) desenvolveram a abordagem alegórica de interpretação bíblica no início do século III.   A crítica fundamental de Orígenes, começando durante a sua vida, observa Joseph Trigg, foi que ele usou interpretação alegórica para fornecer uma justificativa pouco convincente para reinterpretar a doutrina cristã em termos de filosofia platônica. [7] Desde Origen Acredita que o significado espiritual pertence a uma ordem superior de idéias do que o literal, [8] . ele foi atraído para o significado espiritual ou alegórica do texto Ronald Diprose explica as implicações de uma interpretação alegórica da seguinte forma:  

 

Ele motivou esse ponto de vista, apelando para o princípio da inspiração divina e ao afirmar que muitas vezes as declarações feitas pelos escritores bíblicos não são literalmente verdadeiras e que muitos eventos, apresentados como histórico, são inerentemente impossível.   Assim, só os crentes simples irá limitar-se ao literal significado do texto. [9]

 

      A escola de Alexandria definir o cenário para o abandono total da premillennialism até algumas centenas de anos antes da Reforma.   Assim como houve agitações pré-Reforma acerca da doutrina da salvação, então também houve precursores na área da profecia bíblica.   Portanto, pelo tempo de Agostinho amilenialismo começou a substituir a crença da igreja primitiva original do pré-milenarismo.   padres latinos, Jerônimo e Gregório, o Grande, e desde antimillennialism reverberou de outras formas, observa Robert Lerner, o cenário estava pronto para uma enorme restrição sobre expressões de milenarismo na tradição ocidental posterior. [10]

 

Por Amilenialismo é errado

      Amilenialismo, embora tenha sido amplamente difundida em toda a história da igreja, é errado simplesmente porque a Bíblia simplesmente não ensiná-la em qualquer lugar.   Um escritor disse: A principal fraqueza de amilenialismo reside na sua exegese do Apocalipse 20: 1-10, em especial a sua entendimento das duas ressurreições. [11] Amilenialismo é a escatologia oficial da Igreja Católica Romana e Igrejas Ortodoxas Orientais. Infelizmente, foi adotado pela primeira geração de reformadores protestantes, que não fez muito na área da profecia bíblica para que eles meramente transitado Romes ponto de vista nesta área. No entanto, as gerações posteriores de reformadores, especialmente os puritanos, que olhar para estas questões em profundidade e abandonados Roma nesta área da teologia.    

      Cerca de uma década atrás, tive um debate com um dos melhores amillennialists acadêmicos nos Estados Unidos sobre o amilenarismo versos premillennialism.   Ele escreveu um mil páginas mais comentário sobre o Apocalipse a partir da perspectiva amillennial.   Durante o debate, quando me foi dada a oportunidade questioná-lo diretamente eu fazer a seguinte pergunta: Os pré-milenistas acreditam que temos uma base bíblica para a nossa crença.   Vemos Cristo retornar ao planeta Terra, no capítulo 19 do Apocalipse e seis vezes no capítulo 20 ele fala de Deus reinando por mil anos.   Você poderia fornecer um texto bíblico similar que, pelo menos, parece , à primeira vista a apoiá-lo contenção amillennial?   Eu não me lembro os detalhes de sua resposta, mas não forneceu uma passagem específica para a minha pergunta.   Ao contrário, ele saiu em uma teológico especulativo discurso sem fornecer um texto bíblico para amilenialismo.   Acredito que ele não poderia fornecer uma passagem bíblica, porque não há um lugar na Bíblia.

      Eu vim a perceber do meu estudo das interações de história e pessoais com as pessoas, hoje, que a principal razão para amilenialismo é que muitos não gostam da idéia de um reino pessoal, físico de Cristo no planeta Terra.   Contudo, a salvação inclui o espiritual e reinos físicos da humanidade.   Redemption será concluída aqui no planeta terra quando Cristo nos redime não só espiritualmente, mas também fisicamente e reina e governa na terra vitoriosamente por mil anos.   Amilenialismo implica que Cristo não precisa ser vitorioso dentro do reino do humano história, que tem sido o teatro para todos os outros aspectos do drama humano.   Ao invés disso, eles acreditam que apenas com uma vitória no céu quando nós escapamos história humana em derrota.

      Jesus Cristo como o segundo Adão veio à Terra para iniciar uma nova raça humana inteira, uma nova humanidade.   A base para essa nova humanidade é a morte, sepultamento, ressurreição e ascensão que Ele realizou em sua primeira vinda.   A idade atual é uma fase eletiva em que Ele está chamando um povo para reinar com Ele em Seu reino.   A segunda vinda é para o propósito de julgar aqueles que rejeitam a fim de preparar para o Seu glorioso reino na terra.   Então, e somente então, nós reinaremos com Ele para sempre na eternidade.  Maranatha!

 

NOTAS 

 

[1] Sam Storms, Kingdom Come: A amillennial Alternativa (London: Mentor Imprint, 2013), p. 423.

[2] ( itálico no original) Storms, Kingdom Come , p. 424.

[3] ( itálicos originais) Anthony A. Hoekema, A Bíblia eo Futuro (Grand Rapids: Eerdmans, 1979), p. 174.

[4] Hoekema, Bíblia eo Futuro , p. 174.

[5] Storms, Kingdom Come , p. 425.

[6] Justino Mártir, Diálogo de Justino, filósofo e mártir, com Trifon, um judeu , capítulo 80.

[7] Joseph W. Trigg, Introdução, na RPC Hanson, Alegoria e Eventos: Um Estudo das Origens e Significado das Origens Interpretação da Escritura (Louisville: Westminster John Knox Press, 2002)., p vi .

[8] Ronald E. Diprose, Israel no desenvolvimento do pensamento cristão (Roma: Instituto Biblico Evangelico Italiano , 2000), p. 87.

[9] Diprose, Israel , pp. 87-88.

[10] Robert E. Lerner, Millennialism em Bernard McGinn, editor, The Encyclopedia of apocalíptica: apocalíptica na história ocidental e Cultura , 3 vols. (Nova Iorque: Continum, 2000), vol. 2; p. 329.

 

[11] J. Daniel Hays, J. Scott Duvall, C. Marvin Pate, Dicionário de Profecia Bíblica e Fim dos Tempos (Grand Rapids: Zondervan, 2007), p. 26.

FONTE WWW.PRE-TRI.ORG
                          Mil Anos: literal ou figurativo?

 

Hank Hanegraaff de Bible Answer Man fama recentemente mergulhou no campo da escatologia (o estudo das últimas coisas) com o lançamento de um romance chamado The Last Disciple , [1] em co-autoria com Sigmund Broward. Parece que Hanegraaff adotou a posição preterista neste primeiro romance de uma série que vê o livro de Apocalipse como tendo sido cumprida no primeiro século. "Hank é um preterista parcial que detém a um ponto de vista sobre a escatologia que é semelhante à posição ocupada por Gary DeMar," [2] de acordo com o site americano de DeMar Vision. O último discípulo está sendo anunciado como uma contrapartida preterist ao Left Behind nova série de Tim LaHaye e Jerry Jenkins. [3] No passado Hanegraaff não declarar publicamente suas opiniões sobre escatologia, mas agora está agressivamente propagá-las como o verdadeiro ensinamento bíblico.

Literal ou espiritual?

Em um programa de rádio Answer Man recente Bíblia, um interlocutor perguntou Hanegraaff: "Como você sabe quando a espiritualizar as coisas na Bíblia e quando tomá-los literalmente." A resposta de Hanegraaff foi a seguinte:

Se a Bíblia está usando uma metáfora ou uma figura de linguagem, quer levar isso em um sentido literal de madeira? Acho que não. Por exemplo, a palavra "mil" é utilizado em toda a Bíblia. Eu não sei de nenhum, ou pelo menos muitos lugares onde essa palavra mil é usado em um sentido literal. , por exemplo, se você olhar para o Decálogo. Mil é usado, mas não no sentido literal , quando Deus mostra o Seu amor e bondade para milhares de gerações. Nós não estamos a tomar que, num sentido literal de madeira, mas estamos a tomar que, no sentido em que se destina. Deus diz que Ele é um Deus ciumento punir os filhos pelos pecados dos pais até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam e uso de misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos. Agora a questão é que Deus só mostrar o amor para mil gerações, ou Ele estendê-lo a mil e uma gerações? O que faz um mil significa? Isso significa que Ele estende o seu amor para sempre.

Ou ele diz nas Escrituras Deus é dono do gado sobre milhares de montanhas. Dizemos, então, "Oh meu Deus, eu não sabia que Deus é dono do gado sobre milhares de montanhas, mas a mil e primeira colina, eu acho que ele não possua o gado." Então, quem os possui? Bem, nós sabemos o que isso significa. Isso significa que Deus é dono de todo o gado.

Se o Senhor teu Deus tem aumentado os números de modo que hoje vocês são tão numerosos como as estrelas no céu. Que o Senhor aumente mil vezes e te abençoe como prometeu. Nós não queremos tomar essa mil em um sentido literal de madeira. E eu acho que esse é o problema. As pessoas acabam, na verdade, ironicamente o mais simbólico de todos os livros da Bíblia, tendo mil em um sentido literal woodenly. Quando ela nunca é usada na Bíblia em sentido literal woodenly . Assim, você sempre quer tomar alguma coisa no sentido em que se destina. E quando você não fizer isso, a Bíblia torna-se sem sentido. [4] (grifo nosso)

Hanegraaff diz que a palavra "mil" é raramente usado em um sentido literal em toda a Bíblia. Não tenho a certeza de que Bíblia ele estudou, porque quando eu procurei a palavra "mil" foi usada pelo menos 531 vezes no Antigo e Novo Testamentos. No Antigo Testamento, a palavra hebraica para mil é 'ELEP e ocorre 497 vezes. No Novo Testamento, as palavras gregas são Chilia e chiliades , que ocorrem 34 vezes. [5] Embora haja alguns exemplos de um uso não-literal de "mil", e alguns casos que poderiam ser disputadas, é seguro dizer que quase todos os usos dessa palavra carregam um valor literal, contra Hanegraaff.

Exegética Escatologia?

Hanegraaff afirma que sua abordagem para a profecia bíblica. "Com base em uma metodologia chamada escatologia exegética" [6] Hanegraaff explica: "Eu cunhou a expressão" escatologia exegética "para sublinhar o fato de que, acima de tudo, estou profundamente comprometido com um método adequado da interpretação bíblica, em vez de a um modelo específico de escatologia ". [7] É comum hoje em dia para o método mais resultado salientar, mas, no entanto, Hanegraaff faz concluir que o livro do Apocalipse foi cumprida, principalmente no primeiro século do cristianismo. Tal ponto de vista é conhecido como preterism.

Hanegraaff contrasta sua abordagem "exegético" com o literalismo de madeira. Ele caracteriza o Left Behind escatologia como o produto do literalismo de madeira. Por que Hanegraaff enquadrar o contraste usando o termo extremo e pejorativo "literalismo de madeira," em vez de a representação mais precisa do "literal"? Será que é porque ele quer plantar na mente do ouvinte, através de desonestidade na rotulagem, que uma compreensão literal de mil anos de Apocalipse 20 é de alguma forma uma visão extrema? Hanegraaff aproveitou a ocasião da chamada, não para ir para Apocalipse 20 e demonstrar exegeticamente dentro do contexto por mil anos é simbólica em vez de literal. Ao invés de demonstrar uma abordagem exegética em sua resposta, já que ele possui é o seu método, ele argumentou de outros textos bíblicos que "mil" deve ser tomado simbolicamente. por não lidar com o contexto de Apocalipse 20, Hanegraaff não chegou a seu ponto de vista através da exegese. Ele simplesmente transfere em Apocalipse 20 uma interpretação que ele já tinha chegado a sem examinar o texto que tinha referenciado. Nesta ocasião Hanegraaff não conseguiu fazer jus ao seu rótulo auto-proclamado de "escatologia exegética", ao contrário, ele fornece um exemplo de "escatologia eisegetical". [8 ]

O gado sobre milhares de montanhas

Hanegraaff é correto observar que o Salmo 50:10 significa que "Deus é dono de todo o gado". [9] Como é que sabemos que "mil" no Salmo 50:10 é figurativa? Sabemos porque o contexto suporta uma compreensão figurativa. Em poesia Hebrew é comum ter duas linhas sobrepostas umas às outras. Este é o Salmo 50:10, que diz: "Porque todos os animais da floresta são meus, o gado sobre milhares de montanhas." A primeira linha declara que Deus é dono de todos os animais. A segunda linha dá um exemplo (gado) de todos os animais da floresta que pertence a Deus. Assim, o contexto apóia neste caso um uso figurado de "mil". A próxima linha (Salmo 50:11) continua na mesma linha: "Conheço todas as aves dos montes, e tudo o que se move no campo é meu." Será que Deus só conhece os pássaros ou as montanhas e não os dos vales? Neste versículo, o salmista vai do específico para o geral. Não faria sentido desta passagem para concluir que Deus é dono de tudo. No entanto, esta passagem não é um exemplo de um uso figurado de mil anos.

Mil no Decálogo

"Se você olhar para o Decálogo", declara Hanegraaff, " Mil é usado, mas não no sentido literal , quando Deus mostra o Seu amor e bondade para milhares de gerações ". [10] (grifo nosso) Pelas minhas contas, "mil" é usada 120 vezes nos primeiros cinco livros da Bíblia no texto hebraico. A maioria desses casos são usos literal da palavra "mil". Êxodo 20: 6 e Deuteronômio 05:10 incluir a declaração observado por Hanegraaff. Em primeiro lugar, essas duas instâncias ambos usam os "milhares", no plural, ao contrário do uso singular em Apocalipse 20 A singular "mil" é encontrado em Deuteronômio 7: 9. Em segundo lugar, concordo que um sentido figurado é mais provável destinado nessas passagens. "Mil / s" parece ser utilizada nestes contextos para se referir a um período indefinido. A razão pela qual uma compreensão figurativa é possível nesses textos são devido aos fatores contextuais encontrados nesses versículos. Terceiro, nenhuma destas três instâncias usam a palavra "mil" com um número, como um mil, dois mil, etc A fim de ter relevância para nos ajudar a entender os mil anos de Apocalipse 20, Hanegraaff precisaria encontrar exemplos do uso figurado de anos.

O contexto é rei

Fora das seis ocorrências no Apocalipse 20, o termo "mil anos" é usada apenas duas vezes (Sl 90: 4; 2 Pedro 3:.. 8). Em ambos os casos, eles exigem um usado literal de mil anos. "A idéia de 2 Pedro 3: 8, que é uma ampliação do Salmo 90: 4, é que o atraso de (literalmente) milhares de anos pode muito bem parecer um (literal) dias contra o pano de fundo da eternidade", observa Matthew Waymeyer . [11] Assim, não há base lexical, fora de Apocalipse 20, que iria apoiar uma leitura figurativa dos mil anos do Apocalipse, como afirmado por Hanegraaff.

Apesar de a extensão semântica de uma palavra, quando utilizado em vários contextos, uma palavra ou expressão pode ter apenas um único sentido num dado contexto. Contexto limita o possível significado de uma palavra em um único sentido. É por isso que qualquer bom exegeta sabe que um significado sugerido por uma palavra vive ou morre sobre se ele se encaixa no contexto em que ela aparece. Por exemplo, existem dezenas de nuances para a palavra "run". "Ela tem uma corrida em sua meia." "Ele marcou a volta do vencedor." "Corra para a loja." "Há uma série de salmão." Apesar dos muitos significados possíveis da palavra "prazo", não temos dificuldade em entender como a palavra é usada quando ele aparece em um contexto específico. O mesmo é verdade na Bíblia. O contexto é o fator decisivo para determinar como uma palavra é usada.

É interessante observar que Hanegraaff fui a alguns dos poucos exemplos do uso figurado de "mil" encontrada na Bíblia e argumentou de essas instâncias. Ele nunca foi diretamente para as instâncias de um mil em Apocalipse 20 e tentou fazer o seu caso desse contexto, ainda, a questão a que ele falou foi sobre o significado de mil anos de Apocalipse 20 em vez de demonstrar ao interlocutor um exemplo de "escatologia exegético," Hanegraaff fornece um exemplo de uma "falácia exegética." Este é um exemplo do erro hermenêutico denominado por Barr como "transferência totalidade ilegítimo". [12] Enquanto ignorando totalmente os usos contextuais, Hanegraaff procura estabelecer seu próprio contexto por mil anos. Hanegraaff cria esse erro ao tentar estabelecer o significado de um milhar de seu uso em outras passagens e depois transfere ilegitimamente um significado estrangeira em Apocalipse 20, sem o apoio do contexto imediato. Tanto para "escatologia exegética!"

Conclusão

A pergunta original que precipitou a resposta de Hanegraaff foi "Como você sabe quando a espiritualizar as coisas na Bíblia e quando tomá-los literalmente." Acredito que Matthew Waymeyer fornece uma resposta muito melhor pergunta que chamador do que Hanegraaff. Waymeyer diz: "A fim de ser considerado simbólico, a língua em questão deve possuir (a) algum grau de absurdo quando tomado literalmente e (b) um certo grau de clareza , quando tomado simbolicamente ". [13] (grifos originais) Não há nada absurdo sobre a tomada de um milhar de anos, literalmente, em Apocalipse 20 como foi observado nos usos contextuais de passagens como Salmo 50: 10-11.

A leitura literal de mil anos de Apocalipse 20 faz todo o sentido. A única razão que pode parecer estranho para um indivíduo seria porque eles têm um viés, por alguma razão, contra tal entendimento. Não-premillennialists tem apenas um viés tal: se deixarem as declarações de mil anos de pé, então esta passagem ensina claramente premillennialism. "Com isso em mente", conclui Waymeyer, "é difícil imaginar por que alguém iria considerar os" mil anos "em Apocalipse 20 para ser uma linguagem simbólica, pois não possui nem um grau de absurdo quando tomado literalmente, nem um grau de clareza quando tomado simbolicamente ". [14] Maranatha!

FONTE WWW.ESTUDARESCATOLOGIABIBLICA.BLOGSPOT.COM