Translate this Page

Rating: 3.0/5 (931 votos)



ONLINE
5




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


parabola de Jesus os maus agricultores
parabola de Jesus os maus agricultores

Os maus agricultores

 

Mateus 21: 33-44
"Ouça a outra parábola:.. Havia um proprietário de terras que plantou uma vinha Ele colocou um muro ao redor dela, cavou nela um lagar e construiu uma torre de vigia Depois arrendou a vinha a alguns lavradores e foi embora em . uma viagem Quando se aproximou o tempo da colheita, enviou os seus servos aos lavradores, para receber os seus frutos. 
"Os lavradores agarraram seus servos; eles bateram num, mataram outro e apedrejaram o terceiro.Então ele enviou outros servos, para eles, mais do que a primeira vez, e os lavradores os trataram da mesma forma. Último de tudo, enviou-lhes seu filho. "Eles vão respeitar o meu filho", disse ele. 
"Mas os lavradores, vendo o filho, disseram uns aos outros: 'Este é o herdeiro. Venha, vamos matá-lo e tomar a sua herança.' Então eles o levaram e lançaram-no fora da vinha e mataram-no. 
"Por isso, quando o dono da vinha, que fará àqueles lavradores?" 
"Ele vai trazer esses desgraçados a um final infeliz", eles responderam: "e ele vai arrendará a vinha a outros vinhateiros, que lhe dará a sua parte da colheita na época da colheita." 
Jesus disse-lhes: "Nunca lestes nas Escrituras:" 'A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular ; o Senhor tem feito isso, e é maravilhoso aos nossos olhos '"Por isso vos digo que o reino de Deus vos será tirado e será dado a um povo que dê os seus frutos?. Aquele que cair sobre esta pedra será quebrado em pedaços, e aquele sobre quem ela cair será esmagado. "

Marcos 12: 1-12
Ele então começou a falar-lhes em parábolas:.. "Um homem plantou uma vinha Ele colocou um muro ao redor dela, cavou um lagar e construiu uma torre de vigia Depois arrendou a vinha a alguns lavradores e partiu em uma viagem. Na época da colheita, enviou um servo aos lavradores, para receber deles parte do fruto da vinha. Mas eles o agarraram, espancaram-no e mandaram-no embora de mãos vazias. Então ele enviou-lhes outro servo ; eles atingiram este homem na cabeça e afrontando-o Ele enviou ainda outro, ea este mataram Ele enviou muitos outros;... alguns deles bateram, outros que eles mataram 
"Ele tinha ninguém para enviar, um filho, a quem ele amava. Ele enviou por último de todos, dizendo: 'Eles vão respeitar o meu filho. " 
"Mas os lavradores disseram uns aos outros: 'Este é o herdeiro. Venha, vamos matá-lo, ea herança será nossa." Então eles o levaram e mataram-no, e lançaram-no fora da vinha. 
"O que fará então o dono da vinha? Ele virá e matará aqueles lavradores e dará a vinha a outros. Você não leu esta passagem da Escritura: "'A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; o Senhor tem feito isso, e é maravilhoso aos nossos olhos'" 
Em seguida, eles procuraram uma maneira de prendê-lo porque sabia que ele tinha falou da parábola contra eles. Mas eles estavam com medo da multidão; assim que o deixou e foi embora.

Lucas 20: 9-16
Ele passou a dizer ao povo esta parábola: ". Um homem plantou uma vinha, arrendou-a alguns lavradores e foi por muito tempo Na época da colheita, enviou um servo aos lavradores para que eles dariam -lhe algum do fruto da vinha. Mas os inquilinos vencê-lo eo mandaram embora de mãos vazias. Ele enviou outro servo, mas que também se bateram e tratada vergonhosamente e mandado embora de mãos vazias. Ele ainda enviou um terceiro, e mas feriram e lançaram-no fora. 
"Então o dono da vinha disse: 'O que devo fazer? Mandarei o meu filho, a quem eu amo; talvez eles vão respeitá-lo. ' 
"Mas quando os lavradores o viram, eles conversaram sobre o assunto. 'Este é o herdeiro", eles disseram. "Vamos matá-lo, ea herança será nossa." Então, eles lançaram-no fora da vinha e mataram-no. 
"O que fará então o dono da vinha a eles? Ele virá e matará aqueles lavradores e dará a vinha a outros. "
Quando o povo ouviu isso, eles disseram: "Que este nunca será!"
 

Existem dois aspectos em que essa parábola pode ser visto: uma vez que respeita os judeus; o outro como considera o mundo em geral. Ele foi entregue no pátio do templo, com os principais sacerdotes e escribas que se reuniram em torno de Jesus, a contestar suas palavras; e apenas depois de Sua entrada triunfal em Jerusalém.

A aplicação judaica desta parábola é evidente a partir da Escritura garantia e fatos históricos, como aparece a partir de uma breve análise. O "homem", ou "latifundiário", como Matthew expressa, é Deus;e da "vinha" é a Igreja judaica. Sob a denominação de uma vinha, David, Jeremias e Isaías fala de sua nação; e há muita demonstração de verdade na suposição de que nosso Senhor, quando ele estruturou esta parábola, aludiu às palavras de Isaías: "Pois a vinha do Senhor dos exércitos é a casa de Israel, e os homens de Judá Sua planta agradável; e Ele olhou para o julgamento - e eis aqui opressão, para a justiça - e eis aqui clamor ".

Os "agricultores" a quem deixá-lo fora foram os sacerdotes e os levitas, e dos escribas, a quem foram cometidos a cultura moral e religiosa da nação. O indo "para um país distante", no original significa que Ele os deixou por um tempo, o que de fato foi feito, quando o Shekinah , o emblema de Sua glória, foi removido a partir deles. O envio de funcionários, "quando o tempo dos frutos se aproximava," "para os agricultores, que lhe dessem dos frutos da vinha," para a renda do mesmo, como era e é habitual nos países de Leste, refere-se aos profetas que Deus enviou a Seu povo através de todo o período da dispensação levítico, começando por Moisés, e terminando, 1.100 anos depois, com Malaquias.

O tratamento que estes ministros antigos recebido é bem descrita pelo comportamento dos produtores para com os funcionários enviados para receber os frutos da vinha; eles "bater uma", "apedrejaram outro", "mataram outro," um tratado "vergonhosamente", "ferido" o outro, e "lançaram-no fora da vinha". Ambos os profetas Elias e Daniel se queixam de que os judeus mataram os profetas à espada.Jerusalém especialmente tinha essa reputação, como nosso Senhor dá testemunho: "Ó, Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te são enviados a vós;" e Paulo, quando ele enumera a longa lista de ilustres em seu catálogo dos fiéis, no décimo primeiro capítulo de Hebreus, diz que, "Algumas vaias enfrentou e flagelação, enquanto outros ainda foram acorrentados e colocados na prisão Eles foram apedrejados;. eles foram serrados ao meio; eles foram condenados à morte pela espada Eles passaram cerca de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos e maltratados. ".

Elias, Eliseu, Esdras, Neemias, Jeremias, Miquéias, e Eleazar "teve ensaios de escárnios e açoites," Sampson e Daniel estavam em "cadeias e prisões," Zacarias foi "apedrejado", no átrio da casa do Senhor; Isaías, de acordo com a antiga tradição, foi "em pedaços serrada" com uma serra de madeira, por ordem do rei Manassés; os "sacerdotes do Senhor" no Nob foram lavradas em pedaços com a espada de Saul, e "os profetas do Senhor" foram cortadas por Jezabel, mulher de Acabe; Elias e Eliseu, e João Batista, "apareceu em peles de ovelhas e cabras;" e todos eles eram mais ou menos "necessitados, aflitos e maltratados" para isso foi a maneira pela qual esses agricultores perversos, os reis e os sacerdotes e levitas, trataram os servos enviados por Deus "para receber o fruto da vinha."

Depois de repetidas mensagens e grande tolerância, o senhor da vinha pergunta: "O que devo fazer?" e ele resolve, o último de todos "Vou mandar o meu filho amado; pode ser que eles vão respeitá-lo quando vê-lo." E assim, nos últimos dias da economia judaica, quando templo e altar, e sinagoga, e padre, eo levita, eo ritual estavam a ser feito afastado, e para dar lugar para o mais alto, mais santo ministério, templo, e serviço de Igreja Cristã - Deus, que amou Sua vinha, não obstante o tratamento que Seus servos tinham recebido, determinado a dar o Filho do seu seio, "Seu unigênito" e "bem-amado Filho," para morrer Seus filhos rebeldes. "Pode ser", diz Ele, "eles vão respeitar o meu Filho"; a dignidade da pessoa enviados e da pessoa que envia, deveria inspirar uma conta reverente, e poderia ter razão bem fundamentada ", eles vão respeitar o meu filho."

Este Filho veio; Ele deixou "a glória que Ele tinha com o Pai antes que o mundo existisse", os tribunais do Céu, a adoração dos anjos, e veio para os agricultores da terra para receber o fruto da Sua vinha."Mas quando os lavradores o viram eles discorriam entre si, dizendo: Este é o herdeiro;! Vem, vamos matá-lo, para que a herança seja nossa"

Sim, Cristo foi "o herdeiro;" "Herdeiro de todas as coisas", como diz Paulo; herdeiro em Seu caráter de mediador, e pela nomeação divina; mas, a fim de matar o herdeiro, os principais sacerdotes e escribas e fariseus ", aconselhou juntos." Era a única finalidade vingativo de suas vidas, o grande objetivo de seus esforços, iniciados por Herodes no nascimento deste herdeiro, e consumado por Pilatos e Caifás quando eles penduraram na árvore maldita.

No âmbito deste projeto foul "lançaram-no fora da vinha", dizendo: "Fora com Ele", entregando-o para o poder romano, e com o grito: "Crucifica-o! Crucifica-O!" eles "mataram" no Calvário!

"O que, portanto," pede nosso Salvador, "será o Senhor da vinha fazer-lhes?" Sua audiência, como ainda não percebendo a força da parábola, respondeu: "Fará perecer miseravelmente a esses maus, e vai alugar a vinha a outros agricultores, que lhe entreguem os frutos a seu tempo:" assim, involuntariamente condenando a si mesmos, e pronunciar sua própria condenação merecida. Também não era muito antes de sua própria sentença foi levada para a execução; pela invasão do exército romano na Judéia, a vinha do plantio de Deus - a Cidade Santa - foi destruída; seu templo, a glória de toda a terra, foi queimada a fogo; seus palácios foram arrasadas; suas ruas estavam cheias de ruínas; suas paredes foram quebradas para baixo, e com um caos sem precedentes na história do mundo, os agricultores foram destruídas pelo fogo, pela peste, pela fome e pela espada.

O cerco de Jerusalém começou sobre a festa da Páscoa, um dos três festivais, quando todos os homens da nação foram obrigados "a apresentar-se perante o Senhor:" e quando, portanto, mais de três milhões de pessoas foram reprimidas dentro de sua paredes. Destes, mais de mil e cem mil foram mortos, e quase cem mil outros foram levados cativos para o Egito, Roma e as colônias de Augustus. Não só foi a sua terra, as belas e quase consagradas colinas de Judéia, dado a outros, para o romano, o sírio, e os egípcios - mas a sua Igreja foi arrombada, o véu do seu templo se rasgou em dois, a sua oblação cessado , seu sacerdócio foi abolida, a sua esplêndida ritual foi feito distância, e aqueles que foram antes restrito aos tribunais exterior do santuário judaico - agora são feitos para aproximar a Deus, mesmo nos tribunais internos de um templo mais glorioso, construído por Cristo de "pedras vivas", em si mesmo, "a principal pedra da esquina", um templo cujo Priest única alta é o Senhor da Glória, cujo único sacrifício é "o Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo", cuja incenso é " as orações dos santos ", cujo coral serviço são os hymnings dos redimidos, cujas" paredes são a salvação, e cujas portas louvor. "

Esta parábola deve ter formigava aos ouvidos dos sacerdotes e fariseus, e quando eles vieram a compreender o seu alcance, eles imediatamente ", na mesma hora, procuraram deitar-lhe as mãos, pois perceberam que Ele dissera esta parábola contra eles! " E eles não tinham "medo do povo" - que teria imediatamente agarrando-o, lançaram-no fora da vinha, eo mataram.

Mas esta parábola tem um cristão , assim como um aspecto judaico. É verdade que nós não ter matado os profetas; não lançaram o herdeiro do Senhor da vinha fora da vinha; nós não imbrued nossas mãos em seu sangue; mas se o pecado é o mesmo em todas as idades, como sabemos que ele é; se a natureza do homem é o mesmo através de todas as gerações, como a experiência demonstra - precisa então não o pecador congratular-se que ele é inocente do sangue de Jesus, por suas mentiras em seu coração um princípio que, se plenamente desenvolvido, o levaria a fazer precisamente o que os judeus fizeram - matar os profetas, e lançou o herdeiro, mesmo Cristo, da Sua vinha.

Ambos odeiam a Deus, 
tanto desobedecer suas leis, 
tanto anular o Seu Evangelho, e 
ambos dizem em seus atos, se não em palavras, "nós não queremos que este homem reine sobre nós!"

Cada coração humano é um vinhedo de plantio de Deus, e através de Sua Santa Palavra que Ele lhe enviou profetas e apóstolos para receber o fruto do teu solo. Você já ouviu as palavras de Seus servos, e voltou a Ele o aluguer de sua vinha? Não, não foi o próprio Cristo parou à porta do seu coração batendo, e dizendo: "Levante-se e deixe-me entrar!" - E você não suprimida, tanto quanto possível todos os pensamentos sobre Ele, e Ele recusou entrada? E onde, aos olhos de Deus, é a diferença entre os judeus e você mesmo? Mas que, no primeiro caso, o ato evidente de insulto e assassinato foi superadded ao sentimento interior de inimizade e rebelião?

Todo aquele que não receber a Cristo em seu coração, não virtualmente "lançaram-no fora da vinha do Senhor!" Todo aquele que se recusa a ouvir a teleconferência dos ministros de Deus, de facto tratar os servos do Senhor mal. Todo mundo que detém a partir do "latifundiário" o salário de justiça, que, nessa medida, se esforçam para Tirai-lhe a herança. Cada uma dessas afirmações, tão forte quanto eles possam parecer, é confirmada e sustentada pela Palavra de Deus.

"Quem não é comigo", diz Cristo, "é contra mim." "Quem vos ouve", diz o mesmo bendito Salvador a Seus discípulos: "me ouve, e quem você despreza - me despreza, e quem me despreza - despreza aquele que me enviou." "Roubará o homem a Deus?" pede ao profeta Malaquias; "Ainda que você odeia me roubou Mas você diz:.?! Como tem roubamos você Nos dízimos e nas ofertas" Ou seja, em não dar a Deus o que Ele requer; e Sua exigência de cada ser humano é, "Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração , e mente , e força - e ao próximo como a si mesmo. "

Não há Evading esta responsabilidade , por um lado, e esta responsabilidade , por outro - o que você deve ter ao longo da vida, e os outros vão encontrá-lo no tribunal de Deus. E lá você vai ser julgado, não tanto pelo que fez como para o que você não fez; não tanto por atos explícitos - como para ossentimentos interiores de sua alma em direção ao seu adorável Redentor.

Temos visto, embora brevemente, o que o Senhor fez para os agricultores maus. E o que ele deve fazer para o impenitente agora? Eles não dão nenhuma atenção às mensagens que envia; que deu a ele nenhuma receita de louvor; e em seus corações, eles crucificar Seu Filho de novo, e "colocá-Lo à vergonha pública." Eles quebraram as leis, rejeitar Seu amor, se recusam a Sua salvação, escolha a "andar à luz dos seus próprios olhos, e depois de os conselhos de seus próprios corações!" E o que fará com eles? O apóstolo respostas para nós: "Qualquer um que rejeita a lei de Moisés, morre sem misericórdia, pela palavra de duas ou três testemunhas Como muito mais. severamente que você acha que um homem merece ser punido quem tem pisado o Filho de Deus sob a pé, que ? tratou por profano o sangue da aliança que ele santificou, e que insultou o Espírito da graça Pois conhecemos aquele que disse: "Minha é a vingança; eu retribuirei", e outra vez: O Senhor quiser julgará o seu povo '. É uma coisa terrível cair nas mãos do Deus vivo! "

Estamos enfaticamente ensinada por esta parábola, que Deus nos responsabilizará por nosso tratamento de Jesus Cristo . Ele segurou os judeus, os agricultores de seu antigo vinhedo, responsáveis ​​pela sua conduta para com os seus servos eo seu Filho; e com medo que eles foram feitos para suportar, até hoje, a gravidade desse maldição auto-assumida, "Que seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos!" E eles vão continuar a suportá-la "até que a plenitude dos gentios é trazido para dentro." Mas como o pecado de incrédulos agora é mais agravada, em muitos dos seus aspectos, do que a dos judeus no tempo do ministério de Cristo na terra - por isso que Deus, de acordo com os princípios da justiça eterna , mantenha toda a alma vivente, que tem ouviu de Cristo, responsável por sua conduta para com aquele bendito Jesus.

Mesmo aqueles que têm uma opinião comparativamente baixa das nossas relações morais a Deus, reconhecer que nós somos responsáveis ​​para o uso correto do nosso tempo, nosso dinheiro, nossos talentos, nossa influência. E Deus o mantenha-nos estritamente responsáveis ​​por estes, em certo sentido, as coisas pequenas e insignificantes - e não fazer inquisição de nós para o nosso tratamento de que "dom inefável," seu Filho bem-amado? A suposição é impossível! Deus deve deixar de amar "o seu Filho unigênito," deve ignorar a Sua lei, deve anular seu pacto, devem desocupar Seus atributos, deve revogar a sua palavra, deve alterar os próprios elementos do seu ser - antes que Ele possa permitir que os rejeitadores de Cristo e Seu Evangelho fique impune; e, portanto, a força dessa declaração de Cristo, após Sua ressurreição e pouco antes de Sua ascensão: "Quem crer e for batizado será salvo - senão aquele que crê não será condenado."

A incredulidade é o pecado culminante dos ímpios! . E até que Cristo é acreditado por uma fé que "purifica a alma" - todas as outras alterações será de nenhum proveito 
Podemos corrigir esse mau hábito; 
podemos podar distância que o pecado; 
que se convertam das deboche à pureza; 
podemos recorrer de profanação de reverência; 
podemos recorrer da cobiça para a caridade; 
podemos aperfeiçoar nossos personagens até que nos parecem formosos a nós mesmos e os outros, 
podemos até ter uma relação sentimental para Cristo, e experimentar uma espécie de respeito por suas ordenanças, e junte-se com devoção externa nos louvores do santuário - 
ainda, construir esses personagens tão alto quanto nós podemos, enfeitá-las com todos os ornamentos mundana, colocá-las fora com toda virtude terrena - a não ser Cristo formado em nossos corações como a esperança da glória - eles não são nada ", mas sepulcros caiados, que, de fato, parecem formosos por fora -, mas por dentro estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia!"

Por outro lado, não importa o quão mal pode ter sido o nosso antigo curso, não importa o que a torpeza de nosso caráter, embora nossos pecados são negros como a meia-noite e, como inumeráveis ​​como as estrelas, e como vil como o próprio inferno; Ainda, se nós agora receber a Cristo em nossos corações na plenitude de uma fé que nEle confia sozinho - tudo estará bem! "Ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata - Vou fazê-los brancos como a neve ainda que sejam vermelhos como o carmesim -. Vou fazê-los brancos como a lã!" Para este abençoado Jesus tinha declarado: "Aquele que vem a mim - eu nunca o lançarei fora."

Keep, então, este "Filho amado" já não fora da vinha do seu coração!

fonte William Bacon Stevens, 1857    www.avivamentonosul.blogpsot.com