Translate this Page

Rating: 3.0/5 (946 votos)



ONLINE
2




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


parabolas de Jesus acerca da providencia
parabolas de Jesus acerca da providencia

                                                               Lucas 14: 25-35

                                         O CUSTO de ser um discípulo

Aprendemos, em primeiro lugar, a partir desta passagem, que os verdadeiros cristãos devem estar prontos, se necessário, a desistir de tudo por amor de Cristo. Esta é uma lição que é ensinado em linguagem muito notável. Nosso Senhor diz: "Se alguém vier a mim, e não aborrecer a pai e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos e irmãs, sim, e também à própria vida, não pode ser meu discípulo."

Esta expressão deve, sem dúvida, ser interpretados com alguma qualificação. Nós nunca deve explicar qualquer texto da Escritura de tal forma a torná-lo contradizer outra. Nosso Senhor não quis dizer-nos a compreender que é o dever dos cristãos odeiam seus parentes. Esta teria sido a contradizer o quinto mandamento. Ele só queria dizer que aqueles que segui-Lo deve amá-Lo com um amor mais profundo até do que seus parentes mais próximos e queridos, ou suas próprias vidas. Ele não quis dizer que ele é uma parte essencial do cristianismo para brigar com nossos parentes e amigos. Mas Ele quis dizer que, se as reivindicações de nossos parentes e as reivindicações de Cristo entram em colisão, as reivindicações dos parentes deve ceder. Devemos escolher em vez de desagradar aqueles que mais amamos na terra, do que desagradar Aquele que morreu por nós na a Cruz.

A demanda que o Senhor faz em cima de nós aqui é peculiarmente rigorosas e-procura coração. No entanto, é um sábio e um necessário. A experiência mostra, tanto na igreja em casa, e no campo missionário no exterior, que os maiores inimigos a alma de um homem são, por vezes, os da sua própria casa. Às vezes acontece que o maior obstáculo no caminho de uma consciência despertada, é a oposição de parentes e amigos. Pais ímpios não pode suportar ver seus filhos ", tendo-se novos pontos de vista" da religião. Mães mundanos são atormentados para ver suas filhas não estão dispostos a entrar nos gaieties do mundo. Uma colisão de opinião ocorre com freqüência, assim que a graça entra em uma família. E, em seguida, vem o momento em que o verdadeiro cristão deve lembrar o espírito das palavras de nosso Senhor nesta passagem. Ele deve estar disposto a ofender sua família, ao invés de ofender Cristo.

O cumprimento do dever em tais casos é, sem dúvida, muito doloroso. É uma pesada cruz de discordar com aqueles que amamos, e, especialmente, sobre as coisas espirituais. Mas se esta cruz ser colocada em cima de nós, devemos lembrar que a firmeza ea decisão são verdadeiras bondade. Ela nunca pode ser verdadeiro amor aos familiares de fazer o mal, a fim de agradá-los. E, melhor de tudo, firmeza acompanhada por gentileza e coerência, a longo prazo da vida, muitas vezes traz sua própria recompensa.Milhares de cristãos vai bendizer a Deus no último dia, que tinham parentes e amigos que optaram por desagradar a eles em vez de Cristo. Naquela mesma decisão foi a primeira coisa que os fez pensar a sério, e finalmente levou à conversão de suas almas.

Aprendemos em segundo lugar, a partir desta passagem, que aqueles que estão pensando em seguir a Cristo devem ser avisados ​​para "contar o custo." Esta é uma lição que foi destinado para as multidões que seguiram nosso Senhor, sem reflexão e consideração, e foi imposta por exemplos tirada edifício e da guerra. É uma lição que será encontrado útil em todas as épocas da igreja.

Custa alguma coisa para ser um verdadeiro cristão. Deixe que nunca será esquecida. Para ser um mero nominal cristão, e ir à igreja, é um trabalho barato e fácil. Mas ao ouvir a voz de Cristo e seguir a Cristo, e acreditar em Cristo, e confessar a Cristo, requer muita abnegação. Vai custar-nos os nossos pecados, e nossa auto-justiça, e nossa vontade e nosso mundanismo. Tudo - tudo deve ser abandonada. Temos de lutar contra um inimigo que vem contra nós com vinte mil seguidores. Devemos construir uma torre em tempos angustiosos. Nosso Senhor Jesus Cristo quer nos fazer entender completamente este. Ele nos ordena que "contar o custo."

Agora, por que nosso Senhor usar esta linguagem? Será que Ele deseja desencorajar os homens de se tornar Seus discípulos? Ele quis dizer para fazer o portão da vida parecer mais estreita do que é? Não é difícil encontrar uma resposta para estas perguntas.Nosso Senhor falou como fez para impedir os homens a segui-lo de ânimo leve e inconsiderately, de mero sentimento carnal ou excitação temporária, que no tempo da tentação cairia de distância. Ele sabia que nada faz muito mal à causa da verdadeira religião como apostasia, e que nada causa tanta apostasia como se alistar discípulos sem deixá-los saber o que levar na mão. Ele não tinha nenhum desejo de inchar o número de seus seguidores por soldados admitindo que iria falhar na hora da necessidade.Por esta razão, Ele levanta a voz de advertência. Ele ordena a todos os que pensam de serviço levando consigo contar o custo antes de começar.

Bom seria para a Igreja e para o mundo, se os ministros de Cristo sempre se lembraria conduta de seu Mestre nesta passagem.Muitas vezes - demasiadas vezes - as pessoas estão edificados em auto-engano, e encorajados a pensar que eles são convertidos quando na realidade eles não são convertidos em tudo. Sentimentos são supostamente fé. Convicções são supostamente graça.Estas coisas não deveriam ser. Por todos os meios, vamos incentivar os primórdios da religião na alma. Mas nunca deixe-nos exortar as pessoas para a frente sem dizer-lhes que o verdadeiro cristianismo implica. Nunca vamos esconder deles a batalha ea labuta. Vamos dizer-lhes "vir com a gente" - mas vamos também dizer, "contar o custo."

Aprendemos, por último, a partir desta passagem, quão miserável é a condição de apóstatas e apóstatas. Esta é uma lição que está intimamente ligado ao anterior. A necessidade de "contar o custo" é imposta por uma imagem das conseqüências de deixar de fazê-lo. O homem que uma vez fez uma profissão de religião, mas depois voltaram a partir dele, é como o sal que se "perdeu o sabor." Esse sal é relativamente inútil. "Nem presta para a terra, nem se ajustar para o heap de cinzas - mas os homens expulsá-lo." No entanto, o estado de que o sal é um emblema animado do estado de um apóstata. Não é de admirar que o nosso Senhor disse: "Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça."

A verdade que nosso Senhor traz para fora neste lugar é muito doloroso, mas muito útil e necessário para ser conhecido. Nenhum homem, seja lembrado, está em um estado tão perigoso como aquele que uma vez conhecida a verdade e professou a amá-la, e depois caído longe de sua profissão, e voltado para o mundo. Você pode dizer a esse homem um nada que ele não sabe. Você pode mostrar-lhe nenhuma doutrina que ele não tenha ouvido falar. Ele não pecou na ignorância como muitos. Ele afastou-se de Cristo com os olhos abertos. Ele pecou contra um conhecido, e não um Deus desconhecido. Seu caso é bem perto desesperada.Todas as coisas são possíveis para Deus. No entanto, está escrito: "É impossível para aqueles que uma vez foram iluminados - se eles caíram, sejam outra vez renovados para arrependimento". (Hb 6: 4-6.).

Vamos refletir sobre essas coisas também. O assunto é um que não é suficientemente considerado. Vamos nunca tenha medo de começar a servir a Cristo. Mas vamos começar a sério, pensativo, e com a devida consideração do passo que damos. E tendo uma vez iniciada, vamos orar por graça para que possamos perseverar, e nunca se desviam.

fonte coment. biblo  J.C RYLE    www.avivamentonosul.blogspot.com