Translate this Page

Rating: 2.9/5 (953 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


desenvolvimento teológico do novo testamento
desenvolvimento teológico do novo testamento

 Introdução ao Desenvolvimento Teológico do Novo Testamento

 

Outubro 2008

Introdução

Um dos abismos típicas entre erudição conservadora e liberal do Novo Testamento é sobre o desenvolvimento teológico dentro do cânon. De um modo geral, mais liberalUma bolsa de estudos tem visto extensa desenvolvimento teológico, enquanto bolsa mais conservadora tem visto pouca ou nenhuma. Parte da razão para esta diferença é relacionada com a gama de datas assumidas para os vários livros. Os conservadores tendem a colocar todos os escritos do NT no primeiro século, enquanto os liberais tendem a colocar alguns dos livros no segundo século. O mais à esquerda do corredor teológica se senta, mais livros que ele ou ela considera ser pseudônimo; inversamente, o mais à direita se senta, mais livros que ele ou ela considera ser realmente de autoria do autor suposto. O prazo em que os livros foram escritos é assim percebido de forma diferente e cores da maneira em que um estudioso em particular pode ver a quantidade de desenvolvimento teológico.

 

Isso remonta ao FC Baur, o estudioso Tübingen, que, em meados da década de 19 th século, aplicado dialética hegeliana ao NT. Ele viu a escola petrino e da escola Pauline, em oposição um ao outro e viu a síntese que surgiu entre as duas escolas como ocorrendo bem no segundo século. Assim, ele considerava Atos como uma síntese das duas escolas e John, também, datando o último a algum tempo depois de 160 CE. Ele abraçou apenas quatro letras do corpus Paulinum como autêntico: Gálatas, Coríntios 1-2 e Romanos (conhecidos coletivamente a este dia como o Hauptbriefe ou letras principais). O Religionsgeschichtliche Schule , que estava batendo seu passo no início dos 20 th século sistematicamente aplicado tese abrangente de Baur ao NT e concluiu que a cristologia, inter alia , foi alterada significativamente desde os primeiros dias da fé cristã até o momento da segunda igreja do século. De Wilhelm Boussett Kurios Christos é o exemplo mais proeminente desta abordagem.

 

Por outro lado, os conservadores tendem a fazer um juízo de culpa por associação em qualquer que veria desenvolvimento teológico dentro do NT. Muitas vezes, os conservadores são suspeitos de qualquer ponto de vista que vê, por exemplo, uma cristologia alta como algo que não foi conscientemente abraçado no dia de Pentecostes, ou de um ponto de vista que não vê um alto pneumatologia conscientemente formado e articuladas dentro das páginas do NT .

 

A lista de áreas teológicas em que esse abismo existe poderiam ser multiplicados: bibliology (especialmente canonicidade), soteriologia, eclesiologia, escatologia, etc. Em todas essas áreas, bem como pontuações mais,2 , há uma tendência geral em um grupo para ver o desenvolvimento teológico e em outro para ver o status quo. O contador ao extremismo de Baur é encontrado na visão (muitas vezes inconsciente) que a soteriologia de Paulo era exatamente como Lutero encontrou ou que a definição de Calcedônia de 451 dC, era claramente nas mentes dos apóstolos.

 

Uma das razões por que muitos conservadores têm resistido à idéia de desenvolvimento teológico é simplesmente que eles vêem tal noção em termos de desenvolvimento evolutivo no qual uma construção inicial se transforma em algo totalmente diferente. Com um pouco de justificação, eles têm sido resistentes a ver, por exemplo, o desenvolvimento cristológico ao longo destas linhas,3 por isso implicaria que o homem Jesus não era Deus na carne, mas tornou-se, nas mentes dos cristãos primitivos, divinizados. Mas um dos problemas consiste em saber se todos os irritantes tais desenvolvimento deve ser visto neste caminho. Não é possível que o desenvolvimento teológico pode ocorrer dentro do NT em termos de compreensão e articulação , sem ser um desenvolvimento em termos de alteração macro-evolutiva? É esta questão que vamos explorar.

 

No início, é importante fazer três perguntas.4

 

Pode haver revelação progressiva dentro do Novo Testamento?

Como é que um autor bíblico aprender sobre as novas idéias de um autor anterior?

É a revelação progressiva sempre linear? Isto é, são as revelações posteriores sempre o mais avançado?

Nós não irá resolver todas essas questões, mas eles devem estar no fundo de nossas mentes à medida que lidamos com as diversas questões relacionadas ao desenvolvimento teológico no NT. Vamos, no entanto, ponderar sobre a primeira pergunta neste ensaio.

 

Esta primeira pergunta pressupõe que já abraçar desenvolvimento teológico entre os Testamentos. Isso é algo que é fácil de demonstrar, e vai ocupar mais tempo aqui.5 No entanto, isso levanta um ponto muito importante: Se é verdade que não há desenvolvimento teológico entre os testamentos, então não podemos ter teológico argumento contra o desenvolvimento teológico dentro do NT.

 

Quaisquer argumentos contra essa suposição deve ser diferente do que teológica, pois caso contrário, tornaram-se marcionita em nosso bibliology. Isto é, se um alto bibliology permite revelação progressiva entre a AT e NT, e ainda permite que dentro da OT, para negá-lo dentro do NT sobre teológicas motivos é tornar-se bibliologically esquizofrênico. Quaisquer argumentos contra esta deve ser fundada sobre os outros pilares.

 

Deve-se notar que eu estou falando para aqueles que têm um alto bibliology em primeiro lugar. Em outras palavras, eu estou falando com os conservadores teológicos. Não é necessário para lidar com os teólogos liberais, nesta fase, uma vez que já abraçar desenvolvimento teológico (mas de um tipo macro-evolutiva, que eu não estou defendendo). Meu argumento aqui é simplesmente que um conservador não pode manter o argumento de que o desenvolvimento teológico dentro do NT é contra suas convicções bibliológicas porque essa pessoa já engloba o desenvolvimento teológico entre os Testamentos. Assim, se toda a Bíblia é tratada como texto inspirado, uma revelação de Deus, ou canônica, então quaisquer argumentos contra bibliológicas NT desenvolvimento teológico acabam sendo argumentos bibliológicas contra qualquer desenvolvimento teológico dentro da Bíblia. E uma vez que esta última não pode ser afirmado, também não pode o antigo.

 

O outro razões existem para negar NT intra-desenvolvimento teológico, então? A razão fundamental que normalmente é colocado diante é histórico. O NT foi escrito durante um período de não mais do que cerca de metade de um século e que abrange um período de não mais de uma centena de anos, enquanto o OT levou mais de um milênio para produzir. Assim, para argumentar a favor do desenvolvimento teológico no AT é razoável e necessário, enquanto que no NT não é nem. O prazo do NT é também desabou para permitir o desenvolvimento teológico.

 

Uma ironia nesse argumento histórico é que às vezes é encontrado na boca de modernos teólogos-teólogos que testemunharam o progresso tecnológico mais em sua vida do que os vinte séculos anteriores de teólogos combinados! Conhecimento está dobrando tão rápido hoje em dia que as enciclopédias impressas tornaram-se obsoletos. Sugiro que o que o 20 th e agora o 21 st século foi a tecnologia, o primeiro século dC, era a teologia. Na história da humanidade, o que poderia ser mais cataclísmica, mais revolucionário do que a encarnação, morte, ressurreição e ascensão da Pessoa theanthropic? O evento-Cristo é o ponto central de toda a história, como Conzelmann tão eloquentemente observou em seu Die Mitte der Zeit .6 Tudo o que veio antes antecipa-la; tudo o que vem depois edifica sobre ele. Basta dizer agora que o argumento histórico contra intra-NT desenvolvimento teológico não parece fazer justiça à importância reveladora monumental de Jesus de Nazaré.

 

Mas a maior ironia é que aqueles que argumentam contra o desenvolvimento teológico dentro do NT realmente assumir algo muito mais radical do que o que estou propondo. Eles assumem que todo o desenvolvimento teológico da OT para o NT tenha ocorrido já antes dos primeiros livros do NT foram escritos. O que estou propondo é que podemos traçar as linhas de desenvolvimento dentro do texto do Novo Testamento em algum grau e, portanto, tal desenvolvimento não era um negócio feito antes da penning dos primeiros livros.

 

Para concluir esta introdução, quero esclarecer que eu sou e não estou afirmando.

 

Em primeiro lugar, eu prendo a um alto-bibliology que é, eu acredito que a Bíblia é a Palavra inspirada de Deus. Confesso inspiração verbal-plenária e abraçar tanto a infalibilidade e inerrância.

 

Em segundo lugar, acredito que o NT é a revelação final de Deus em termos de uma revelação para todo o seu povo. Isto é, se existe o dom profético de hoje não é o que eu estou falando contra (ou para): a revelação final para a igreja invisível é encontrado no NT. Nada após a conclusão do NT pode adicionar à base do nosso credo.

 

Em terceiro lugar, de acordo com Alister McGrath ( A Gênese da Doutrina ), gostaria de afirmar que todos os elementos para a teologia de som são encontrados dentro da Bíblia, mas que isso não significa necessariamente que eles foram colocados juntos nas afirmações teológicas articulados que viria mais tarde. Assim, todos os ingredientes para uma compreensão trinitária da divindade, por exemplo, encontram-se dentro da Bíblia, mas isso não quer dizer que os apóstolos necessariamente 'cozinhou' esses ingredientes em tal entendimento. Mas isso não significa que a igreja pós-apostólica não tem o direito de adicionar todos os ingredientes para o depósito da revelação que é o NT. A suficiência das Escrituras eo status de revelação do texto argumenta que há uma grande divisão entre os apóstolos e os pais apostólicos, como este último admitido.

 

Em quarto lugar, os livros do Novo Testamento foram escritos para ad hoc razões e não foram originalmente destinados a ser tratados sistemáticos das principais questões teológicas, criados num vácuo histórico. Assim, embora possamos extrair definições e crenças teológicas do NT, para abordar o NT sem levar em conta a cronologia é perder, em algum grau, o que está dizendo.

 

Em quinto lugar, eu acredito que Baur e História das Religiões Escola estávamos no caminho certo quando aplicada a dialética hegeliana ao NT. Ou seja, o desenvolvimento teológico que eles viram não era tudo errado. Também não está vendo nenhum desenvolvimento teológico tudo errado. Eu acho que há um tertium quid que leva em conta os dados à medida que são dadas a nós em seus contextos históricos e formula esses dados em declarações teológicas significativas.

 

Com tais princípios elevados, pode-se supor que os vários ensaios sobre o tema que estão a seguir estará cobrindo bastante vastos temas, ou fazer declarações marcantes e controversos. Se você assumir que, você vai ser deixado para baixo imediatamente. Meu foco será sobre vários temas, questões, conceitos, expressões, frases, palavras, metáforas. Às vezes, um ensaio especial vai ser lidar com minúcias, mas minúcias que muitas vezes são esquecidos por uma predisposição de ver um desenvolvimento Flatline no NT. Mas, no final, espero que para construir um edifício que está solidamente baseada nos dados e envolve alguns dos problemas maiores na teologia do NT. Também devo confessar que um dos meus objetivos neste estudo. Para tomar emprestada uma frase do Dr. David Scholer, esta série de ensaios é destinado, em parte, para eliminar qualquer noção de um bibliology docética. Assim como é possível a realização de uma cristologia alta sem ser um docetista, assim também é possível realizar a um alto bibliology sem ver a Bíblia como única Palavra de Deus. Para ler o NT em seu contexto histórico e, em seguida, para baixo para o nível de quando cada um dos livros foi escrito, e para traçar temas e conceitos em ordem cronológica, não só se justifica, mas necessária.