Translate this Page

Rating: 3.0/5 (920 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


manuscritos da biblia
manuscritos da biblia

 

                                  MANUSCRITOS DA BIBLIA

Estes são hebraico ou grego; vamos tratar deles separadamente, referindo-se por detalhes para artigos subordinados, onde são discutidos mais copiosamente. I. Manuscritos judaicos. -

1. Estes são divididos em

(A). rolos Sinagoga ou cópias sagrados, e

(B). privados ou cópias comuns.

(A.) Os rolos sinagoga conter o Pentateuco, as seções nomeados dos profetas, ou o livro de Ester, que no último é usado apenas na festa de Purim. Os três nunca estão juntos, mas são escritos em rolos separados. Eles estão no Caldeu ou caráter hebraico quadrado, sem vogais e acentos, acompanhado com as extraordinaria pontos lacrimais, e tendo as formas inusitadas de certas consoantes. O pergaminho é preparado de uma forma especial, pelas mãos de apenas judeus, e de peles de limpezados animais, que, quando devidamente trabalhado, são unidas por tiras feitas do mesmo material.

 Eles são, então, divididos em colunas, a amplitude de que não deve exceder metade do seu comprimento.Estas colunas, cujo número é prescrito, devem ter o mesmo comprimento e largura entre si, além de conter um determinado número de linhas, cada linha que não tenham mais do que três palavras. O Talmud contém regras estritas sobre o material, a cor, a tinta, as letras, as divisões, instrumento de escrita, etc, que são seguidos de perto, especialmente no Pentateuco. Estas regras são extraídas do Talmud, e traduzido em de Adler Judaeorum Codicis Sacri leges rito scribendi, etc (Hamburgo, 1779, 8vo). A pequenez de tais regulamentos torna uma tarefa mais penosa para o sopher ou escriba para escrever um rolo de sinagoga.

 A revisão da Torah, como o rolo de sinagoga é muitas vezes chamado, deverá ser realizado no prazo de trinta dias após a sua transcrição, então é impróprio para o uso. Trêserros de um lado ou de pele são permitidos; mas se houver befour, ou deveria há que ser um erro nosabertos e fechar seções da lei, na posição das músicas em Êxodo 5 e Deuteronômio 22, que são as únicas partes do Pentateuco escrito em linhas poéticas, em seguida, toda a cópia é inútil. A grande beleza de caligrafia exibido em estas cópias sinagoga sempre foi admirado. Eles são tirados exemplares autênticos, sem o menor desvio ou correção. Raramente eles caem nas mãos dos cristãos; uma vez que, assim que eles deixam de ser empregados na sinagoga, eles são ou enterrados ou cuidadosamente posta de lado, para que não fosse profanado por entrar em posse dos gentios.

(B). MSS privada, estão escritos em parte, na praça ou Caldeu personagem, em parte, na Rabínico.Eles são mantidos em muito menos estima do que os rolos das sinagogas, e estão acostumados a ser denominados profagne (pesulim). Sua forma é totalmente arbitrária . Eles estão em folio, in quarto, oitavo e duodécimo. Desses escritos no personagem quadrado, o maior número é em pergaminho, alguns em papel. A tinta das cartas é sempre negra, mas os pontos vogais são geralmente escrita com tinta de uma cor diferente da das consoantes. Palavras e letras iniciais são freqüentemente decorados com cores de ouro e prata. As partes prosa estão dispostos em colunas; a poética em números paralelos.

 Algumas cópias são sem colunas. As colunas não são sempre ocupados com o texto hebraico só; para uma versão é frequentemente adicionado, o que é escrito no texto, à maneira de versos, ou para o mal uma coluna por si só; ou na margem de um personagem menor. O número de linhas não é prescrito pelo Talmude. A margem superior e inferior são preenchidos com o Grande Masorah, e às vezes com um comentário rabínico; como também com orações, salmos, e assim por diante. A borda externa é para correcções, scholia, variações, avisos do haphtaroth (seções dos profetas), parshioth (seções da lei), os comentários dos rabinos, etc A margem interna, ou que, entre as colunas, é ocupado Com o pouco Masorah. Os livros individuais da OT são separados uns dos outros por espaços. exceto os livros de Samuel, Reis, Crônicas, Esdras e Neemias, que são escritos de forma contínua.

 As seções da lei e os profetas são geralmente marcados. No MSS. de diferentes países, os livros são dispostos de forma diferente. Estas cópias geralmente passam por várias mãos antes de terminar. As consoantes procede do sopher ou escriba. Quando a mesma pessoa escreve duas consoantes e vogais, como é frequentemente o caso - ele nunca os torna ao mesmo tempo - o ex-terminado antes de começar a acrescentar a este último. Os Keris na margem proceder de maneira uniforme a partir da vogal-writer. É provável que essas cópias estavam em nenhuma instância feito por cristãos.

O personagem praça empregada no MSS. de que falamos tem variedades. Os judeus se destacam nos rolos sinagoga -

1. a letra Tam, com cantos afiados e coronulee perpendicular, usado entre os judeus alemães e poloneses; 2. a letra Velske, mais moderno do que a Tam, e arredondado, com coronulae, particularmente encontrada nas cópias sagrados dos judeus espanhóis e orientais. 

2. A idade do hebraico MSS. não é facilmente determinada. É verdade que muitas vezes contêm inscrições que dão conta do tempo em que foram escritos, bem como o nome do escrivão, ou também do possuidor. Mas esses relatos são muitas vezes ambíguo, às vezes incorreto. Onde eles estão completamente querendo ele ainda é mais difícil de descobrir a idade. Neste último caso, o carácter de escrita, a cor da tinta, a qualidade e aparência do pergaminho, a ausência do Massorá, dos pontos vowel-, das letras incomuns, etc, têm sido principalmente repousava sobre. Ainda assim, no entanto, se esses elementos forem incertos marcas da idade.

Os mais antigos MS hebraico. conhecido por Kennicott ou De Rossi foi 634 de De Rossi, um mero fragmento, contendo pequenas porções de Levítico e Números. De acordo com seu ex-possuidor, que pertence ao século 8. Tanta incerteza atribui às marcas internas adotadas por esses dois hebraístas que as idades para que eles atribuem vários hebraico MSS. são gratuitas. Desde Pinner examinou um número de MSS. pertencente à Sociedade Bíblica de Odessa, os mais velhos são agora conhecidos.(Para as datas da sua MSS., Veja abaixo.) Na biblioteca pública imperial em São Petersburgo há uma coleção de hebraico MSS. feita pelo Sr. Firkowicz, contendo vários outros muito antigos. A data mais antiga é encontrada em um rolo em uma sinagoga caraíta na Crimeia, viz. AD 489; mas essa data é muito suspeito. Vários fragmentos de rolos de dar, como as datas de compra ou dedicação, AD 639, 764, 781, 789, 798, 805, 815, 843, 848.

3. Alguns dos mais antigos hebraico MSS. pode ser aqui brevemente descrito. Começamos com o Helaliou Hillel Codex ( סֵפֶר הֵלָאלַי ), um dos códices mais antigos e mais célebres das Escrituras Hebraicas, que seu nome deriva do fato de que ele foi escrito em Hilla ( הֵלָאלָה ), uma cidade construída perto das ruínas da antiga Babel. Outros, porém, sustentam que ela foi chamada Hilaliporque o nome do homem que escreveu foi lillel. Mas qualquer que seja a incerteza pode haver sobre a derivação de seu nome, dificilmente pode haver qualquer dúvida de que ele foi escrito AD 600, para Sakkuto nos diz mais claramente que quando viu o restante dela (cir. AD 1500), o Codex foi de 900 anos de idade. Suas palavras são: "No ano de 4956, no dia 28 de Ab (1196, melhor 1197), houve uma grande perseguição dos judeus no reino de Leon a partir dos dois reinos que chegou a sitiar-lo. Foi então que o vinte e quatro livros sagrados que foram escritos há muito tempo, por volta do ano 600, por R. Moses ben-Hillel (em que a conta foi chamado Codex Hilali), de uma maneira extremamente correta, e após o qual todas as cópias foram corrigidos, foram . tirado eu vi os dois restantes partes dele - . viz as anteriores e posteriores profetas escrito em caracteres grandes e belos, que foram trazidos para Portugal e vendidos na África, onde eles ainda são, depois de ter sido escrito há 900 anos Kimchi. , em sua gramática em Números 15: 4 , diz que o Pentateuco deste Codex era sobrevivente em Toleti "(Juchassin, ed Filipowski, Lond, 1857, p 220.).. 

O Codex teve as vogais e acentos Tiberian, Masorah e nikud glosses, e serviu até AD 1500 como um modelo a partir do qual foram feitas cópias. O Codex que Haja teve na Babilônia cerca de 1000 AD foi transportado para Leon, na Espanha, onde a maior parte do que se tornou uma presa para a fúria dos exércitos marciais que saquearam as casas judaicas em 1197. O gramático célebre, Jacob ben-Eleazar , fixa as retribuições do texto bíblico de acordo com este Codex, e os mais velhos frequentemente philologians citá-lo. Comp. Gr ä tz, Geschichte der Juden (Lpz 1859.), 6: 132, 229; F ü primeiro, Geschichte des Kar ä erthums (Leipzic, 1869), 1:22, 138; Kimchi, Radicum Liber ed. Biesenthal et Lebrecht (Berolini. 1847), p. 26 .

 

No. 1, Pinner. Este é um rolo Pentateuco em couro, contendo os cinco livros mosaico completo. Ela não tem vogais, acentos, ou Masorah. O rolo é composto por quarenta e cinco peças. Como para a forma de letras, difere consideravelmente do presente modelo. Isto é particularmente מלז ג ב Aleph . As variações no texto da recensão Massorético são poucos e desprezível. As MS., De acordo com o serviço, foi corrigido no ano 580, por conseguinte, o rolo deve ter sido escrito mais de 1280 anos. Ele foi trazido de Derbend, no Daguestão, e agora está em São Petersburgo. Se a subscrição ser genuíno, é o MS mais antigos. conhecida, exceto que um na coleção Firkowicz datado 489 (Ver regra, Karaites, p. 100 sq.)

No. 634, De Rossi, in quarto. Este é apenas o fragmento de um MS, contendo. Levítico 21:19 -Números 01:50 . É em pergaminho, sem os pontos de vogal, Masorah, ou Keris. É, também tem nenhum intervalo entre a parshioth ou seções. Mas às vezes há pontos entre as palavras. Pertence, na opinião de De Rossi, do século 8, e é corroído pela idade. O caráter das letras é intermediário, aproximando-se do alemão. É agora em Parma. No. 5, Pinner. Este é um rolo do Pentateuco, mas incompleto. A escrita começa com Números 13:19 . A forma das letras é muito diferente do atual estilo. É descuidada escrito, palavras e letras sendo freqüentemente omitida. A subscrição afirma que ele foi escrito AD 843.

No. 11, Pinner. Este é um fragmento de um rolo sinagoga, começando com Dt 31: 1 . A data é 881.

No. 503, De Rossi, in quarto. Este é um MS. do Pentateuco, composto de diferentes peças. Ela começa com Gênesis 42:15 , e termina com Deuteronômio 15:12 . Há um abismo em que a partir de Levítico 21:19 a Números 01:50 , porque De Rossi separado esta parte, pensando ser mais velho do que o resto, e caracterizou-o como um fragmento independente do n º 634 da vogal-pontos estão ligados, mas não em todo, evidentemente, pela mesma mão que escreveu as consoantes. Não há vestígios do Masorah ou Keris. Às vezes, suas leituras têm um acordo notável com as do texto samaritano e versões antigas. De Rossi coloca as várias peças das quais ela é composta nos séculos 9 e 10.

No. 3, Pinner, pequeno fólio. Este MS. contém os profetas maiores e menores, em 225 folhas. Cada página é escrito em duas colunas, entre as quais, assim como abaixo, e na margem externa, fica o Masorah. Cada coluna contém vinte e uma linhas. Depois de cada verso são dois pontos, aos quais, sem qualquer intervalo, um novo verso bem-sucedida. As vogais e acentos, bem como a maior e menor Masorah, são totalmente diferente do massorético. O ex-são colocados acima das consoantes. A primeira página tem um duplo apontador, viz. acima e abaixo, mas isso não ocorra novamente, exceto, ocasionalmente, em versos ou palavras. De Zacarias 14: 6 a Malaquias 1:13 não há pontuação, e os três primeiros versículos de Malaquias sozinho têm sido apontadas muito mais tarde na forma agora que o habitual. Todo o Codex é muito escrito corretamente. A forma das consoantes difere consideravelmente do presente texto. As várias leituras desta MS., De acordo com o agrupamento de Pinner, são numerosas e importantes.

 A data é 916. Dois outros da mesma coleção, Nos. 15 e 17, tem o mesmo sistema vocálico e acento, ou seja, o babilônico ou oriental, que se originou no século 6, e do qual, no dia 7, a do Ocidental, ou a escola de Tiberíades, foi desenvolvido. Pinsker escreveu habilmente sobre o assunto em Zieitlung das Babylonisch-Hebrsische Punktationsystem, etc, Wien, 1683), revisado por Furst na der Zeifschrsflt cealuschen morgenlandischen Gesellschaft, 18: 314 sq.

No. 13, Pinner, folio. Este é um MS incompleto., Composto de 115 folhas, em bom pergaminho, contendo 2 Samuel 06:10 de até o fim, e os livros dos Reis. Cada página tem três colunas, entre as quais, como também para os lados do texto, está o Masorah. As vogais e acentos são diferentes daquelas agora em uso. O texto tem muitas e importantes leituras; eo Masorah merece ser examinada.Dois pontos se depois de cada verso; e 2d consegue 1 Reis sem um espaço vago entre. Uma inscrição indica que o MS. foi comprado em 938 É, obviamente, uma códice importante.

Codex 590, Kennicott, folio. Este MS. contém os Profetas e Hagiographa em pergaminho. O texto tem os pontos de vogal, mas, aparentemente, a partir de uma mão mais tarde. A margem não exibem o Massorá, mas as variações são anotados aqui e acolá. Alguns livros têm o Masorah final. Os livros separados não têm títulos, e eles estão dispostos na ordem mais antiga, Jeremias e Ezequiel que vem antes de Isaías, e Ruth antes de Salmos. De acordo com o serviço, que foi escrito AD 1019, 1018 ou por outra conta. O MS. está na biblioteca imperial de Viena.

Pinner, pequeno fólio. A MS. contendo o Pentateuco, Profetas e Hagiographa, em bom pergaminho.Cada página tem três colunas, exceto nos Salmos, Jó e Provérbios, onde há apenas dois. O texto é decorado com vogais e acentos, dois pontos de pé após cada verso. As letras e os acentos são como aqueles em n º 3 de Pinner. A Grande ea Pequena Masorah estão nas margens. Sendo um Caraíta MS., Não foi escrito com grande precisão. As palavras e os versos são por vezes repetidos. É altamente ornamentados com as cores ouro e prata. O Codex afirma que ele foi escrito no Egito no ano de 1010.

O mais importante e mais antigo hebraico MSS. coligidos por Kennicott, Bruns, De Rossi, Pinner, e outros, são descritas na crítica bíblica de Davidson, 1: 346 sq .; e seu texto do Antigo Testamento considerada, etc, p. 98 sq. Veja também a terceira parte de Tentamen de Tychsen svariis Codicum Hebraicorum veterinário. est. SS. generibus, etc (Rostock, 172, 8vo), em que o escritor soube examina as marcas da antiguidade assumido por Simon, Jablonski, Wolf, Houbigant, Kennicott e Lilienthal, e mostra que o Masorah por si só é um certo índice para determinar o idade e bondade de hebraico MSS.Veja também o mesmo escritor Beurtheilung der Jahrzahlen in den Hebriaisch-Biblischen Handschriften(Rostock, 1 786, 8vo), em que o modo de determinar a idade de perder. adotado por Kennicott, Bruns.e Do kossi é rejeitada; e Dissertatio inauguralis de Codicnum Hebraeorumn Vet da Schnurrer. Teste.Cetate. determinandas diculter (T ü Bingen, 1772 4to,), reimpresso em sua Dissertationes Philologico-Criticae (Gotha e Amsterdam, 1790, 8vo).

MSS privada. escrito no caráter Rabínica são muito mais recente do que o anterior, nenhum deles ser mais velho do que 500 anos. Eles são em algodão ou linho papel, em caráter cursiva, sem vogais pontos ou o Masorah, e com muitas abreviações.

O MSS. encontrada entre os judeus chineses são, em parte, rolos sinagoga, em parte cópias privadas, cujo texto não difere do Massorético. O Pentateuco dos judeus Malabar, trazida da Índia para a Inglaterra pelo falecido Dr. Buchanan, e descrito pelo Sr. Yeates, assemelha-se, em geral, os rolos das sinagogas habituais dos judeus, exceto que ele é escrito em peles vermelhas. Seu texto é o Massorético, com alguns desvios sem importância.

Oito exemplares são celebrados entre os judeus pela sua exactidão e valor. Eles agora estão perdidos, mas extratos de eles ainda estão preservados. De escritos judaicos, e da margem de cerca de perder., Onde é feita uma referência a eles, ficamos a saber que eram altamente valorizados por sua precisão singular. Eles formaram a base de cópias posteriores. Eles são,

1. The Codex de Hillel (ver acima); . 2 O Codex babilônico; . 3 O Codex de Israel; . 4 Um Codex egípcio;5 . Codex Sinai; . 6 O Pentateuco de Jericó; . 7 Codex Sanbuki; . 8 O livro Taggin.

Para uma descrição mais abundante do hebraico MSS. referimo-nos a Einleitung de Eichhorn (Introdução), vol. 2; Dissertatio generalis de Kennicott; Prolegômenos de Walton ao Polyglott, editado separadamente por Dathe e Wrangham; Tentamene de Tychsen; Variae Lectiones Vet de De Rossi.Teste. etc .; e sua critica Scholia em libros VT, etc .; De Wette, Lehrbuch der Historisch-Kritischen selinleitun.g; O Tratado de Davidson em Biblical Criticism, e sua Introd. para o Teste Velha., em Horne.(

II. Manuscritos do Novo Testamento grego. -

1. Aqueles que desceram para o nosso tempo ou são em pergaminho ou de papel. O material mais antigo foi o papiro egípcio, mas mesmo assim já no século 4 o NT foi escrito em peles de animais. Este material de escrita continuou em uso até o século 11, quando o papel começou a ser empregado. Até o século 10, MSS. eram geralmente escritas em capitais ou unciais letras; então o personagem cursiva entrou em uso. Maioria das cópias antigas não têm divisão de palavras, ser escrita de uma série continuada de linhas. Acentos, espíritos e iota, postscribed ou subscritas, também está querendo.

2. Todo o NT está contido em poucos MSS. Transcribers geralmente dividida em três partes; o primeiro, que contém os quatro Evangelhos; o segundo, os Atos dos Apóstolos e as Epístolas; o terceiro, o Apocalipse de São João. O maior número de MSS. são aqueles que têm os quatro Evangelhos, porque eles foram os mais lidos nas igrejas. Aqueles que contém os Atos e Epístolas também são numerosos.Tal como tem o livro do Apocalipse só são extremamente poucos, porque raramente foi lida em público.

Códices gregos não são muitas vezes completa em todas as suas partes. Eles têm muitos abismos.Mais uma vez, alguns contêm porções apenas distanciada do NT, ou seções designados para ser lido em alguns dias nas igrejas. Esses são chamados de códices ἀναγνώσεις ou ἀναγνώσματα em grego; em latim, lectionaria. aqueles que contêm lições dos Evangelhos são chamados evangelistaria;tais como foram retirados dos Atos, πραξαπόστολοι ; os das epístolas, epistolaria ou ἀπόστολοι .

Vários MSS. são acompanhados de uma tradução latina interlined, ou em uma coluna paralela. Tal tem sido chamado bilinigues.

3. Vamos agora anúncio para os unciais MS. do Novo Testamento grego, e aos normalmente citado no exame da passagem controvertida 1 João v 7. Os primeiros são marcados com as letras do alfabeto, A, B, C, etc .; este último pelos algarismos arábicos, 1 2, 3, etc (em alguns críticos final por letras minúsculas, a, b, c, etc).

O número de uncial MSS. remanescente, embora grande quando comparado com o MSS antiga.existentes de outros escritos, é desprezível. (Veja a tabela no 4 abaixo). Tischendorf (NT Praef cxxx.) Calcula 40 nos Evangelhos, dos quais 5 inteira, BK MU; 3 quase toda, EIA; 10 contêm porções consideráveis, ACDFGHVXFA; Do restante, 14 contêm fragmentos muito pequenos, 8 fragmentos mais (IPQRZ) ou menos considerável (NTY). A estes devem ser adicionados א (Cod Sinait..), que é todo; (H), um novo MS. de Tischendorf (... Não Cod Sin p 51-52.), que é quase toda; e Ξ (Cod. Zacynth.),que contém fragmentos consideráveis ​​de Lucas. Tischendorf tem igualmente obtidos nove fragmentos adicionais (1. c.).

 Nos Atos há 12, dos quais 4 contêm o texto inteiro ( א AB), ou quase isso (E2); 5 têm grandes fragmentos (CD II2 G2 = L2 e P2), três pequenos fragmentos. No Epístolas católicas 7, dos quais 5, ל אבּ K2 G2 - lare inteira; 2 (C P2) quase inteiro. No Epístolas Paulinas há 18: 1 ( א ) inteiro; 3 quase toda, D2 L2 P2; 7 têm porções consideráveis, ABC E3 F2 G3 K2 (mas Eis de pouca importância);os restantes 7 alguns fragmentos. No Apocalipse 5: 3 inteira ( א Um B2), 2 quase todo (C P2).

De acordo com a data em que estes MSS. são classificadas como segue:

Século IV: א B.

Século V: AC, e alguns fragmentos.

Século VI: DPRZ E2 D2 H3, e nove fragmentos menores.

Século VII: Alguns fragmentos.

Século VIII: El (A) Ξ B2, e alguns fragmentos.

Século IX: FK em VX rA II H2 G2 = L2 F G2 K2 M2 P2, e fragmentos.

Do século X: G HU (En).

Uma descrição completa desses MSS. é dada nas grandes edições críticas do NT: aqui aqueles só pode ser notado brevemente quais são de importância primordial.

(A). Uncials.

א , Codex Sinaiticus (Cod. Frid. agosto de setembro) em São Petersburgo, obtido por Tischendorf no convento de Santa Catarina, o Monte Sinai, em 1859 Os fragmentos de setembro publicado como Cod.Frid. Agosto (1846) foram obtidas no mesmo local por Tischendorf em 1844 O NT é inteira, ea Epístola de Barnabé e parte do Pastor de Hermas são adicionados. Toda a MS. foi publicado em 1862 por Tischendorf, em detrimento do imperador da Rússia. É, provavelmente, o mais antigo do MSS. do NT, e do século 4 (Tischendorf, não. Cod. Sin. 1.860). 

A, Códice Alexandrino (Museu Britânico), a MS. de toda a Bíblia grega, com as Epístolas de Clemente acrescentou. Foi dado por Cirilo Lucar, patriarca de Constantinopla, de Charles I em 1628, e agora está no Museu Britânico. Ele contém todo o NT com alguns abismos: Mateus 1; Mateus 25: 6 , ἐξέρχεσθε ;John 6:50 , ἵνα , João 6:52 , λέγει ; 2 Coríntios 4:13 , ἐπίστευσα João 12: 6 , ἐξ ἐμοῦ .Provavelmente foi escrito na primeira metade do século 5. O NT foi publicada por Woide (1786, fol.), E com algumas correções por Cowper (1860, 8vo). Compare Wetstein, Proleg. p. 13-30 (ed. Lotzc). A

B. Codex Vaticanus (n º 1209), a MS. da Bíblia grega, que parece ter sido na Biblioteca do Vaticano, quase desde o seu início (CIR. AD 1450). Ele contém todo o NT para Hebreus 9:14 , καθα ; o resto da Epístola aos Hebreus, Epístolas Pastorais, e do Apocalipse foram adicionados no século 15. Vários agrupamentos do novo teste. foram feitas por Bartolocci (1669), por Mico for Bentley (CIR. 1.720), cujo agrupamento foi, em parte, pela revista Rulotta (1726), e por Birch (1788). . Uma edição de todo o MS, em que Mai tinha sido contratado por muitos anos, foi publicado três anos após sua morte, em 1858 (5 vols 4to, ed Vercellone;.. NT reimpresso, Londres e Leipsic). Mai tinha-se mantido voltar a edição (impressa 1828-1838), sendo plenamente consciente de suas imperfeições, e tinha preparado mais uma edição do NT, que foi publicado também pela Vercellone e outros em 1859 (8vo). Este foi revisto por Tischendorf (Lpz. 1.867). O conjunto do Codex B está a ser publicado pela autoridade do papa, ea parte NT já apareceu (Roma, 1868), quase completa. O MS. é atribuído ao século 4 (Tischendorf, NT p. 136-149). 

O Apocalipse nestas últimas edições é retirado do Codex Vaticanus, 2066 (antigo Codex Basilianus, 105), na Biblioteca do Vaticano. Ele pertence ao século 8 (ver NT p de Tischendorf. 142 sq. [7 ed.]).

C, Codex Ephraemi rescriptus (Paris, Bibl. Imp. 9), um palimpsesto MS. que contém fragmentos de setembro e de todas as partes do NT No século 12 escrita original foi apagado, e alguns escritos gregos de Efrém Syrus foram escritos sobre ele. O MS. foi trazido para Florença a partir do Oriente, no início do século 16, e veio de lá para Paris com Catherine de Medici. Wetstein foi contratado para reunir-lo para Bentley (1716), mas foi o primeiro totalmente examinados por Tischendorf, que publicou o NT, em 1843; os fragmentos do Antigo Testamento em 1845 Os únicos livros inteiros que pereceram são 2 Tessalonicenses e 2 João, mas lacunas de maior ou menor grau ocorrem constantemente. É mais ou menos da mesma data que o Codex Alex. 

D. (dos Evangelhos), Codex Beza (University Library, Cambridge), a MS greco-latina. dos Evangelhos e Atos, com um pequeno fragmento de 3 João, apresentada à Universidade de Cambridge por Beza em 1581 Algumas leituras de que foram obtidas na Itália para a edição de Stephens, mas depois Beza encontrados no saco de Lyon, em 1562, no Mosteiro de São Irenmeuts. O texto é muito notável, e, especialmente nos Atos. abunda em interpolações singulares. O MS. tem muitas lacunse. Foi editado em uma forma esplêndida por Kipling (1793, 2 vols. Fol.), Mas tão imperfeitamente que foi publicada de novo sob os cuidados do Rev. FH Scrivener (1864 Cambr., 4to). O MS. está previsto para o século 6.Comp. Credner, Beitrlage, 1: 452-518; Bornemann, Acta Apostolorunm de 1848; Schulz, De Codice D, Cantab. 1827 

D2 (das epístolas), Codex Claromontanus, ou Regius (na Biblioteca Imperial em Paris, 107), marcada pela mesma letra do alfabeto como o anterior, mas contendo uma parte diferente do NT, viz., Epístolas tudo de Paulo com a exceção de alguns poucos versos. É um MS greco-latina., Escrito stichometrically, com acentos e respirações, mas sem divisão em palavras. De acordo com MONTFAUCON, pertence ao século 7, mas Tischendorf atribui à sexta. O texto foi editado por este estudioso, em 1852, e é muito valioso. Vários corretores podem ser rastreados, mas nem sempre é fácil distingui-los. As primeiras leituras são, naturalmente, as principais delas (veja a prolegomena a edição de Tischendorf). 

E (os Evangelhos), Codex Basiliensis (K, 4:35 na biblioteca pública em Basileia). Ele contém os Evangelhos, com muito poucas brechas em Luke. Em algumas partes da escrita menor tomou o lugar dos mais velhos. Ele pertence à metade do século 8, e foi agrupada por Tischendorf em 1843 Veja sua descrição no Studien und Kritiken para 1844  E2 (de Atos), Codex Laudianus, a greco-latina MS . na Biblioteca Bodleian, em Oxford. O texto é escrito stichometrically. Ele contém os Atos, e tem um hiato de 26:29 a 28:26. A sua idade é o final do século 6, como Tischendorf supõe; ou a 7, como Wetstein prefere. As leituras são muito valiosos. Hearne publicou uma edição em Oxford (1715, 8vo) e Tischendorf propõe a publicá-lo mais corretamente em um volume futuro de seu -Monumenta Sacra; mas Scrivener realizou uma nova edição. 

E3 (das Epístolas). Codex Sangermanensis (na Biblioteca Imperial de São Petersburgo), uma transcrição muito errada do Codex Claromontanus e, portanto, não possuindo nenhuma autoridade ou importância. Ele parece pertencer ao século 10.

F (dos Evangelhos), Codex Boreeli, agora na biblioteca de Utrecht, contendo os Evangelhos, mas com muitos abismos. Foi coletado e descrito por Heringa, cujo trabalho foi publicado pela Vinke (1843). O MS. pertence ao final do século 9. .

Fa, Codex Coislinianus, contendo alguns fragmentos dos Evangelhos, Atos, Epístolas e, encontrado entre os scholia do Codex Coislin. 1, que tem a Octateuch, com o livro de Reis. Eles foram editados por Tischendorf no seu Inédita Monumenta Sacra (1846), p. 400 sq. Os fragmentos pertencem ao século 7.

Fb, no Museu Britânico, 17.136, um fragmento rescrito da Nitrian ' deserto, que contém alguns lugares do Evangelho de João, que foram decifrados e publicado pela Tischendorf em seu Monum. INED. vol. 2: O texto está de acordo com os mais antigos e melhores autoridades. Tischendorf atribui o fragmento do século 4; isso sim pertence à 5.

F2 (das epístolas), Codex Augiensis, um grego-latino-MS. das Epístolas de São Paulo, na biblioteca do Trinity College, em Cambridge. Ele quer que a Epístola aos Hebreus, em grego, e Romanos 1: 1 aRomanos 3:18 . Os pontos são inseridos entre muitas das palavras gregas e latinas. O texto é antigo e valioso. Ele pertence ao século 9. Em 1842 e 1849 foi agrupada por Tischendorf, e editado por Scrivener (1859). ). G (dos Evangelhos), Codex Harleianus (5684 no Museu Britânico), a MS. dos quatro Evangelhos, mas do inperfect. em muitos lugares. Ele pertence ao século 9 ou 10, e foi agrupada por Tregelles e Tischendorf.

G, (das epístolas), Cod. Boernerianus, um grego-latino-MS. de epístolas de Paulo, agora na Biblioteca Real de Dresden. Tem as mesmas fendas como F, Augiensis, com o qual está de acordo extraordinariamente, de forma que ambos os textos parecem ter procedido da mesma cópia. Eles pertencem a um país e idade - provavelmente para a Suíça e do século 9. Matthaei publicou em 1791, 8vo. 

H (dos Evangelhos), Codex seidelii, II, a MS. dos quatro evangelhos na biblioteca pública de Hamburgo.É imperfeito em muitos lugares, pertence ao século 9 ou 10, e foi agrupada por Tregelles em 1850.

H, (de Atos), Codex Mutinensis (196 na Biblioteca Ducal de Modena), a MS. dos atos, com lacunas consideráveis. Sua idade é o século 9. De Atos 27: 4 até o fim foi fornecido em letras unciais no século 11. As paulinas e católicas Epístolas foram adicionados em letras cursivas no século 15 ou 16.Tischendorf coligidos que em 1843.

H3 (das epístolas), Codex Coislinianus (202 na Biblioteca Imperial em Paris). Este MS. contém fragmentos das epístolas de Paulo. Trata-se apenas de doze folhas, dois que antes tinham de ser agora em Petersburgo. Outra folha foi recentemente trazida por Tischendorf no Monte Athos, contendoColossenses 3: 4-11 . Os quinze folhas devem ser colocados juntos. Tem sido coligidos por Tischendorf, que tem a intenção de publicar tudo. Ele pertence ao século 6.  2.

Eu, um MS. na biblioteca de St. Petersburg, encontrado por Tischendorf em suas viagens no Oriente. É um rescrito, que contém os restos mortais de sete MSS muito antiga. expondo partes dos Evangelhos, Atos, e duas Epístolas Paulinas. Tischendorf pensa que o primeiro, segundo e terceiro pertencem ao século 5. Todos são editados por ele no primeiro volume do Monumenta Sacra, p. 1, etc

Ib. Veja Nb.

K (dos Evangelhos), Codex Regius, ou Cyprius (hoje com 63 anos, na Biblioteca Imperial de Paris). Ele contém os quatro Evangelhos completos, pertence à metade do século 9, e foi precisamente coligidos por Tischendorf em 1842 . K, (das epístolas), Codex Mosquensis (98 na Biblioteca do Santo Sínodo em Moscou), contendo a Católica e Epístolas Paulinas. Ele pertence ao século 9, e foi agrupada por Matthaei.

L (dos Evangelhos), Codex Regius (62 na Biblioteca Imperial em Paris), contendo a totalidade Evangelhos com exceção de cinco lugares. O texto deste códice contém muito velhas e boas leituras, concordando notavelmente com B. Ele pertence ao século 8, e foi publicado por Tischendorf no seuMonumn. Sacra, 1846, p. 57 .

L2 (dos Atos e Epístolas), Codex Bibliothecae Angelicae (A 2,15 na biblioteca dos monges Agostinho em Roma), a MS. contendo os Atos, Epístolas católicas, e os de Paul. Ela começa com atos viii, i0, e termina com Hebreus 13:10 . Sua idade é o século 9. Foi primeiro intercaladas com cuidado por Fleck;depois por Tischendorf e Tregelles.

M (dos Evangelhos), Codex Regius (48 na Biblioteca Imperial de Paris), que contém o todo Evangelhos.Este MS. foi transcrita por Tischendorf, mas ainda não foi publicado. Ele atribui a esta última parte do século 9. 

M2 (das epístolas), dois fragmentos; um em Hamburgo, outro em Londres. O primeiro contém algumas partes da Epístola aos Hebreus; o último, porções da Epístola aos Coríntios. Ambos foram publicados por Tischendorf no seu Anecdota Sacra, p. 174 sq. O texto é antigo e valioso.

N (dos Evangelhos), Codex purpureus, o fragmento de um MS., dos quais quatro folhas estão no Museu Britânico, seis no Vaticano, e dois em Viena. Tischendorf foi recentemente encontrado 33 folhas mais.contendo cerca de um terço de todo o Evangelho de Marcos, entre 06:53 e 15: 3. As letras eram de prata em pergaminho roxo. Eles são maiores e mais redondo do que em AB C. O texto está dividido em duas colunas. As seções Ammonian e cânones Eusebian são colocados na margem. Todos contêm porções dos Evangelhos. Os conteúdos dos doze folhas foram publicados por Tischendorf no seu Monumenta Inédita, que atribui o fragmento para o final do século 6. .

N2 (das epístolas), um fragmento que consiste em duas folhas, com Gálatas 5, 6, e Hebreus 5, 6: Atribuído pela Tischendorf ao século 9.

Nb [Tisch. Ib] (Brit. Mus. Adicionar. 17, 136), um palimpsesto do século 4 ou 5, decifrado por Tregelles, e publicado pela Tischendorf (seg. Ined. Vol ii.).

Nc. alguns fragmentos, agora em Moscou, da Epístola aos Hebreus. Tischendorf acha que pode ser do século 6, mas Matthaei não indicou o suficiente para determinar a sua idade.

Ó, um pequeno fragmento, que consiste em duas folhas, contendo 2 Co 1:20 -ii. 12, pertencente ao século 9.

O1, Codex Mosquensis (120, em Moscou), um fragmento constituído por oito folhas, contendo algumas partes do Evangelho de João; provavelmente do século 9. Matthoei publicado o texto.

Oa, os dois hinos, Lucas 1: 46-55 ; Lucas 1: 68-79 , em um MS Latina. contendo a gramática de Pompeu. Eles são escritos em letras gregas uncial, e pertencem ao século 9. Tischendorf publicou em seu Anecdota sacrac et Profana, p. 206 sq.

Ob, os mesmos dois hinos, juntamente com um terceiro, Lucas 2: 29-32 , em um Saltério na Biblioteca Bodleian, n º 120, pertencente ao século 9. Veja Tischendorf, Anecdota, p. 206.

Oc, o hino de Maria, Lucas 1: 46-55 , contido no Verona Saltério, e pertencente ao século 6. O grego é em letras latinas. Foi publicado pela Blanchini no duplex Psalterium anexado ao seu Vindiciae calonicarum Scripturarum (Romae, 1740).

Od, os três hinos de Lucas I e II, conforme o disposto no Saltério de Turim, escritas em letras de ouro e prata, pertencente ao século 7. Tischendorf está prestes a publicar todo o Saltério.

Oe, os mesmos três hinos em um St. Gall Codex. 17, escrito em grego em parte e em parte em latim.Tischendorf atribui os MS. para o século 9.

P (dos Evangelhos), Codex Guelpherbytanus, A (na biblioteca de Wolfenb ü ttel), um palimpsesto MS.contendo fragmentos dos evangelhos. Em 1762 Knittel publicado tudo o que ele conseguia ler. Em 1854 Tischendorf conseguiu decifrar quase todas as partes dos Evangelhos que existem, que ele publicou em seu Inédita Monumenta Sacra (1860). Veja abaixo, Q.

P2 (dos Atos e Epístolas), a MS. dos Atos, católica e Epístolas Paulinas, e Apocalypse, pertencente à biblioteca do bispo Uspenski em São Petersburgo. Este é um palimpsest valioso, que consiste em para cima de 300 folhas. Embora pertencendo ao século 9, o texto, exceto em 1 Pedro e Atos, de que concorda com os códices mais antigos. As Epístolas foram publicados em 1865, e os Atos e Apocalipse em 1869, por Tischendorf, em sua Monum. Sacra.

Q, Codex Guelpherbytanus, B, outro palimpsesto, contendo fragmentos de Lucas e Evangelho de João, descobertos por Knittel, e publicado com os últimos fragmentos. Tischendorf está prestes a re-editar-lo em um estado mais completo e preciso. Segundo ele, P pertence à sexta, e Q para o século 5. 

Q ', um fragmento de papiro, contendo partes do 1 Coríntios I, VI, VII, pertencente ao 5 º ou 6 º século.

R, um rescrito MS. pertencente ao Museu Britânico, trazida do deserto Nitrian, com muitos outros códices, principalmente aqueles siríaco. O texto siríaco de Severo de Antioquia foi escrito sobre ele. Os quarenta e oito folhas contêm partes do Evangelho de Lucas. A escrita é em duas colunas; e as seções Ammonian não têm os cânones de Eusébio. Tischendorf publicou quase o texto todo (por parte dela é ilegível) em seu Monumenta Sacra Inédita, vol. 2. Dr. Wright encontrou três folhas negligenciados por Tischendorf, dos quais ele deu uma conta no Journal of Sacred Literatura para janeiro, 1864, é atribuído ao século 6, mas podem pertencer ao 7.

S, Codex Vaticanus, 354. Este MS. contém o todo quatro Evangelhos. É na Biblioteca do Vaticano, onde Birch cuidadosamente recolhidos duas vezes por seu Testamento grego. A inscrição para ele afirma que ela foi escrita AD 949. Veja Tischendorf, no Annales Vindobon. (1847), onde um fac-simile melhor do que os dos Blanchini e Birch é dada.

T, Codex Borgianus (1 na biblioteca da Propaganda, em Roma), a MS. de treze folhas, contendo fragmentos do Evangelho de João. O texto grego tem uma tradução Thebaic pelo seu lado. Giorgi publicou o texto em 1789, em Roma. Tischendorf, que inspecionou o MS. e fez um fac-símile do mesmo, atribui ao século 5. .

Tb, seis folhas, contendo João 1, 2, 3, 4, pertencente ao século 6.

Tc, duas folhas, contendo Mateus 14, 15, pertencente ao século 6. A escrita eo texto se assemelham aos dos fragmentos Borgian.

Td, fragmentos de Mateus, Marcos e Lucas, de Borgian MSS. do século 7.

Ts, Fragmentum Woideanum, algumas folhas, grego e Sahidic, cujo texto foi editado por Woide (contido no Anexo ao Códice Alexandrino, 1799). A única contém Lucas 12:15 para Lucas 13:32 ; o outro, João 8: 33-42 . Tischendorf descobriu que esses fragmentos são partes de T, publicado pela Giorgi.Portanto, eles pertencem ao mesmo tempo.

U, Codex Venetus Marciano, ex- Nanzianus (na Biblioteca de São Marcos em Veneza), a MS. da completa Evangelhos, com um texto escrito com elegância. Foi agrupada primeiro com precisão por Tischendorf, em 1843, e novamente por Tregelles em 1846 De acordo com Tischendorf pertence ao final do nono ou para o século 10.

V, Codex Mosquensis (na biblioteca do Santo Sínodo em Moscou), a MS. dos quatro Evangelhos, com vários abismos. De João 7:39 foi fornecida por uma mão mais recente do século 13, em letras cursivas.Ele pertence ao século 9, e foi duas vezes intercaladas por Matthaei.

Wa, duas folhas no final do Codex Regius, agora na Biblioteca Imperial de Paris. Eles contêm Lucas 9: 34-47 ; Lucas 10: 12-22 , e é o fragmento de um MS contínua. dos Evangelhos pertencente ao século 8.Tischendorf editou o todo em sua Inédita Monumenta Sacra.

WB, Codex Neapolitanus rescriptus, que consiste em quatorze folhas que contêm fragmentos dos três primeiros Evangelhos tão antigo quanto o século 8. Tischendorf editado alguns versos que nos Annales Vindobonenses (1847); e é descrito por Scotti. Tischendorf supõe que as folhas pertencentes aos mesmos MS. como Wa.

Wc, três folhas em St. Gall, contendo fragmentos de Marcos e Lucas. Eles são uma espécie de palimpsesto, a escrita de ter sido apagados, embora nada de novo foi escrito sobre. Tischendorf; que copiou, e pretende editar esses fragmentos, atribui-los para o século 9.

Wd, fragmentos do Evangelho de Marcos, 7, 8, 9, encontrada no Trinity College, Cambridge, pertencente ao século 9.

X, Codex Monacensis, na biblioteca da Universidade de Munique, que contém fragmentos dos quatro Evangelhos. Comentários de vários pais, especialmente Crisóstomo, acompanhar o texto, com exceção de Marcos. Ele pertence ao século 9 ou 10. Entre João 2:22 ; João 7: 1 , é fornecida por um lado posterior do século 12. O MS. foi agrupada por Tischendorf e Tregelles. 

Y, Codex Barberinus, No. 225, seis folhas contendo fragmentos do Evangelho de João, pertencentes ao século 8, copiado por Tischendorf, em 1843, e publicou em seu Monumenta Sacra Inédita, 1846. Eles estão agora na Biblioteca Barberinian em Roma.

Z, Codex Dublinensis, na biblioteca do Trinity College, em Dublin, um palimpsesto, contendo fragmentos do Evangelho de Mateus, e pertencente ao século 6. O texto do presente MS. apresenta leituras antigos e valiosos. Foi publicado em fac-símile por Barrett, 1801, 4to, e Tregelles desde então (1853) decifrou o restante (Texto Impresso, p. 166 sq.). 

Γ , a MS., agora na Biblioteca Bodleian, composta por 157 deixa grande 4to. Ele contém todo o Evangelho de Lucas, e partes dos outros três. A forma das letras se assemelha ao Codex Clyprius ou K. Tischendorf, que conseguiu no Oriente, atribui ao século 9. Ele reuniu e descreveu em Anecdota sacra et Profana.

O segundo semestre deste MS. Recentemente, foi encontrado, contendo a maior parte de Mateus e John. A data é 844.

Δ . Codex Sangallensis, um grego-latino-MS. na biblioteca de St. Gall, que contém o todo quatro Evangelhos, com exceção de João 19: 17-35 . É muito semelhante em caráter de G (Cod. Boerneriansus), ambos pertencentes à mesma idade e país, ou seja, eles foram escritos no mosteiro de St. Gall, na Suíça, no século 9. Rettig publicou no Z ü rico, em fac-simile, em 1836 Este MS., com os códices Augiensis e Boernerianus, são partes de um só e mesmo documento. 

θ . Codex Tischendorfianus I, na biblioteca da Universidade de Leipzic, que consiste em quatro folhas, das quais a terceira é quase cariados, contendo alguns fragmentos do Evangelho de Mateus.Tischendorf atribui-los ao final do século 7. Ele publicou o conteúdo em seu Monumenta Sacra Inédita, p.1, etc

θ b, um fragmento, que contém seis folhas, com Mateus 22:23 e Marcos 4, pertencente ao século 7.

θ c, duas folhas, que contêm Mateus 21: 19-24 , e João 18: 29-35 , pertencentes ao século 6.

θ d, um pequeno fragmento do século 8, contendo Lucas 11.

θ e, um fragmento de Mateus 26, do século 6.

θ f, quatro folhas, que contêm Mateus 26:27 , Marcos 1: 2 . Do século 6.

θ g, um fragmento de D. João VI, pertencente ao século 6.

θ h, a MS greco-árabe., contendo três folhas, com Mateus 14:25 , pertencentes ao século 9.

Λ , a MS. na Biblioteca Bodleian, contendo os Evangelhos de Lucas e João inteira. Trata-se de 157 folhas, e pertence ao século 9. Tischendorf e Tregelles já coligidos-lo.

Π , um valioso MS. dos Evangelhos, quase completos, trazidos por Tischendorf de Esmirna a São Petersburgo. Ele pertence ao século 9. (Veja Tischendorfs Notitia editionis codicis Bibliorum Sinaitici,etc, p. 51)

Ξ , Codex Zacynthius, um palimpsesto contendo fragmentos do Evangelho de Lucas, que pertence ao comitê da Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira. É do século oitavo, e é acompanhada por uma catena de 13. Tregelles transcritos e publicados os fragmentos (1861). 

Tais são o MSS uncial. até então coligidos. O seu número não é grande, mas a cada ano está acrescentando a ele. Há mais conhecidos de uma centena de uncials, incluindo evangelistaria e apostoli.(Veja a tabela abaixo.)

4. O número da cursiva MSS. (minuscules) na existência não pode ser calculado com precisão.Tischendorf cataloga cerca de 500 dos Evangelhos, 200 dos Atos e Epístolas católicas, 250 das Epístolas Paulinas, e um pouco menos de 100 do Apocalipse (exclusiva de lecionários); mas esta enumeração só pode ser aceito como uma aproximação grosseira. Muitos dos MSS. citado só são conhecidos por referências antigas; ainda mais foram "inspecionados" mais superficialmente; alguns só foram completamente agrupada. Neste último trabalho do Rev. FH Scrivener (Agrupamento de cerca de 20 MSS dos Santos Evangelhos, Camb 1853;.... Cod agosto etc, Camb 1859) tem trabalhado com o maior sucesso, e removeu muitos erros comuns, como a o caráter do texto depois. A sua síntese é a seguinte:

 

Entre os manuscritos. que são bem conhecidos e de grande valor o seguinte são os mais importantes:

A. Principais cursives dos evangelhos: (. Atos 1; Paulo 1; 1 Basileensis, K. 3: 3). 10 cent. Muito valioso nos Evangelhos. Separadas por Roth e Tregelles.

33 (Atos 13;. Paul 17; Paris, Bibl Imp 14..). 11 cent. Coll. por Tregelles.

59 (Coll. Gonv. Et Cai. Cambr.). 12 cent. Coll. por Scrivener, 1860, mas ainda não publicado.

69 (Act 31,.. Paul 37, Apocalipse 14;. Cod Leicestrensis). 14 cent. O texto dos Evangelhos é especialmente valiosa. Coll. por Tregelles de 1852, e por Scrivener, de 1855, que publicou seu agrupamento em Cod. Agosto etc, 1859.

118 (. Bodleian miscell 13;. Marsh 24). 13 cent. Coll. por Griesbach, Symnb. Crit. i, CCII sq.

124 (César. Vindob. Nessel. 188). 12 cent. Col]. por Treschow, Alter, Birch.

127 (Cod. Vaticanus, 349). 11 cent. Coll. por Birch. 131 (Act 70,.. Paul 77;. Apoc 66;. Cod Vaticanus, 360). 11 cent. Anteriormente pertencia a Aldus Maanutius, e provavelmente foi usada por ele em sua edição. Coll. por Birch.

157 (Cod. Urbino-Vat. 2). 12 cent. Coll. por Birch. 218 (Act 65,.. Paul 57;. Apoc 33; César Viadob 23.).13 cent. Coll. por Alter.

238, 259 (Moscou, 42 S. Sínodo., 45). 11 cent. Coll. por Matthlei.

262, 300 (Paris, Bibl. Imp. 53, 186). 10 e 11 centavos. Bobina. (?) Por Scholz. 346 (Milan, Ambros. 23).12 cent. Coll. (?) Por Scholz. 2Pe (St. Petersburg Petropol. 6:. 470). 9 cento. Coll. por Muralt. (Cursiva Transição.)

CSCR, gscr (Lambeth, 1177, 528, Wetstein, 71). 12 cent. Coll. por Scrivener. pscr (Brit. Mus. Burney, 20). 13 cent. Coll. por Scrivener. wscr (Cambr. Coll. SS. Trin. B. 10:16). 14 cent. Coll. por Scrivener.

A estes devem ser adicionados a Evanglelistarium (BM Burney, 22), marcada yscr, coll. por Scriveler.(Cut, fig. 4)

A seguir, são valiosos, mas precisa agrupamento cuidado: 13 (. Paris, Bibl é-p 50.). Coll. 1797 12 cent.(Comp. Griesbach, Sìmb. Crit. I, CLIV-CLXVI.) 22 (Paris, Bibl. Imp. 72). 11 cent.

28 (Paris, Bibl. Insp. 379). Coll. por Scholz.

72 (Brit. Mus. Harl. 5.647). 11 cent.

106 (Cod. Winchelsea). 10 cent. Coll. por Jackson (utilizada por Wetstein), 1748.

113.114 (Brit. Mus. Harl. 1.810, 5540). 126 (Cod. Guelpheribytanus, 16:16). 11 cent. 130 (Cod. Vaticanus, 359). 13 cent. 209 (Act 95: Paul 138; Apoc 46; Veneza, Bibl S. Marci 10.....). 15 cent. O texto dos Evangelhos é especialmente valiosa.

225 (Viena, Bibl. Insp. Kollar. 9, Forlos. 31). 12 cent. 372, 382 (Roma, Vaticano. 1161. 2017). 15 e 13 centavos. 405, 408, 409 (Veneza, S. Marci, 10 i., 14,15). 11 e 12 centavos.

B. Principais cursives da Atos e Epístolas católicas:

13 = Gosp. 33, Paul. 17.

31 = Gosp. 69 (Codex Leicestrensis).

65 = Gosp. 218 73 (Paul. 80. Vaticano. 367). 11 cent. Coll. por Birch. (10 Venet., 11) 95 96. 14 e 11 centavos. Coll. por Rinck. 180 (Argentor. Bibl. Sem. M.). Coll. por Arendt. Loti = pscr 61 (Tregelles, Brit. Mus. Adicionar. 20.003). 11 cent. Coll. por Scrivener. Ver cortar, fis. 2.

ASCR (Lambeth, 1182). 12 cent. Coll. por Scrivener. CSCR (Lambeth, 1184). Coll. por Sanderson ap.Scrivener. A seguir são valiosos, mas exigem mais cuidado agrupamento:

5 (Paris, Bibl. Imp. 106).

25, 27 (Paul 31;. Apocalipse 7;... Paul 33. Brit Mus Harl 5537, 5620.). Comp. Griesbach, Sìmb. Crit. 2: 184185.

2) (Paul 35;.. Genev 20). 11 e 12 centavos. 36 (Coll. Novembro Oxon.). 40 (Paul 46.: Apocalipse 12 Alex Vaticano 179..). 11 cent. Coll. por Zacagni.

66 (Paul. 67). 68 (Paul. 73, Upsal). 12 e 11 centavos. (... Paul 74; Apoc 30; Guelph 16: 7) 69. 14 e 13 centavos.

81 (Berberini. 377). 11 cent. 137 (Milan. Ambros 97). 11 cent. Coll. por Scholz.

142 (Mutinensis, 243). 12 cent.

 

5. MSS. às vezes são divididos pelos críticos da Alemanha em, 1 Tal como foram escritos antes da prática de Stichometry, um modo de dividir o texto em linhas ou cláusulas.  2 Ostichometrical. 3.Os ferros fundidos escrito após Stichometry havia cessado. Então Abraço e De Wette, em suas apresentações ao NT De acordo com essa classificação, א , A, B, e C pertencem à primeira classe; D, D2, etc .. para o segundo; e, de longe, o maior número para o terceiro. Temos aludiu-los sob os dois grandes chefes de uncial e cursiva.

Ao examinar MSS. e comparar as suas leituras características, não é fácil, em todas as ocorrências para chegar à verdadeira forma original de uma passagem. Muitas circunstâncias estão a ser tidas em conta, e muitos cuidados a serem observados. Eles são mais úteis na detecção de passagens interpoladas do que em restaurar a leitura correta. A leitura de um MS mais velhos. é preferível paribus cceteris. 

Ao determinar a idade de um MS. marcas internas são principalmente seguido, tal como na forma de letras, as divisões, abreviaturas, a natureza das linhas, a presença ou ausência dos toques, etc Estes dados, no entanto, não são critérios seguros. Idade sozinho não é suficiente para assegurar o valor do texto de um MS. O copista pode ter sido culpado de negligência ou desatenção. Em relação à sua precisão ou negligência da autoridade do codex vai ser maior ou menor. Mais uma vez, um documento certamente copiado de um que é muito antiga terá maior autoridade do que um anterior tirado de outra sem grande antiguidade.

 Assim, um MS. do século eqihth pode ter sido copiado diretamente de um dos quinto e, consequentemente, o primeiro vai ter direito a maior estimativa de um pertencente ao século 7 transcrito de um dos 6. Ao determinar o valor de um códice, é comum referir-se ao país em que estava escrito. Griesbach e outros preferem as Africano; Scholz, de Constantinopla.Aqueles escrito no Egito são os melhores. Com relação ao hebraico MSS., É admitido por todos que os espanhóis são os melhores. O italiano, de novo, são superiores ao alemão. A leitura contida no maior número de MSS. é preferível que menos de um número. Mero maioria, no entanto, não é um critério seguro.

A maioria provenientes de fontes independentes, ou, em outras palavras, daqueles que pertencem a diferentes recensões, por si só pode ser invocado como decisivo. Mas aqui os críticos não estão de acordo quanto ao número de recensões pertencentes ao grego MSS. Alguns propuseram quatro, cerca de três, outros dois. Além disso, o mesmo MS. pode pertencer a uma recensão diferente em partes diferentes do mesmo. 

Em outros, as leituras características de duas ou três recensões mesclam-se, tornando-o difícil determinar qual recensão ou familiares prepondera. Hebraico MSS. pertencem a um e ao mesmo recensão. É verdade que alguns têm distinguido los em Massorético e Ante-Massorético, mas a existência deste último é uma mera ficção. Uma grande família em paz, viz. Massorético, pode ser claramente identificáveis. Desde o momento da primeira edição de Lachmann, maior importância tem sido atribuída pelos críticos do NT para a idade de MSS. Ele tem sido o objeto de seus seguidores no mesmo departamento de aderir em sua maior parte para as cópias mais antigas. Isso é certo dentro de certos limites. 

O verdadeiro texto do NT, na medida em que agora podemos obtê-lo, encontra-se no MSS. da quarta até as 8 séculos, acompanhados e modificados pelo testemunho de versões antigas e pais durante esse período. Mas dentro deste período, podemos facilmente distinguir MSS. de segunda ordem na bondade, viz. E, F, G, H, K, M, S, U, V, a partir dos da primeira classe, א , A, B, C, Z (ver crítica bíblicos de Davidson, vol. ii).

Cyclopedia of Biblical, Theological e Literatura Eclesiástica