Translate this Page

Rating: 3.0/5 (905 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


CONFISSÃO DE FÉ BATISTA DE LONDRES 1689 N.2
CONFISSÃO DE FÉ BATISTA DE LONDRES 1689 N.2

CAPÍTULO 17

A PERSEVERANÇA DOS SANTOS

1.Os que Deus aceitou no Amado, aqueles que foram chamados eficazmente e santificados por seu Espírito, e receberam a fé preciosa (que é dos seus eleitos), esses não podem decair totalmente nem definitivamente do estado de graça. Antes, hão de perseverar até o fim e ser eternamente salvos, tendo em vista que os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis, e Ele continuamente gera e nutre neles a fé, o arrependimento, o amor, a alegria, a esperança e todas as graças que conduzem à imortalidade. 1 Ainda que muitas tormentas e dilúvios se levantem e se dêem contra eles, jamais poderão desarraigá-los da pedra fundamental em que estão firmados, pela fé.

Não obstante, a visão perceptível da luz e do amor de Deus pode, para eles, cobrir-se de nuvens e ficar obscurecida, 2 por algum tempo, por causa da incredulidade e das tentações de Satanás. Mesmo assim, Deus continua sendo o mesmo, 3 e eles serão guardados pelo poder de Deus, com toda certeza, até a salvação final, quando entrarão no gozo da possessão que lhes foi comprada; pois eles estão gravadas nas palmas das mãos de seu Senhor, e os seus nomes estão escritos no Livro da Vida, desde toda eternidade.

1 Jo.10.28,29: Eu lhes dou a vida eterna, jamais perecerão, eternamente, e ninguém as arrebatará da minha mão.

Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do meu Pai ninguém pode arrebatar.

Fp.1.6: Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la, até o dia de Cristo Jesus.

2Tm.2.19: Entretanto o firme fundamento de Deus permanece, tendo este selo: O Senhor conhece os que lhe pertencem. E mais: Aparte-se da injustiça todo aquele que professa o nome do Senhor.

1Jo.2.19: Eles saíram de nosso meio, entretanto não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos.

2 Sl.89.31,32: ... se violarem os meus preceitos, e não guardarem os meus mandamentos,

então punirei com vara as suas transgressões, e com açoites, a sua iniquidade.

1Co.11.32: Mas, quando julgados, somos disciplinados pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo.

3 Ml.3.6: Porque eu, o Senhor, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.

 

2. Esta perseverança não depende de um livre-arbítrio da parte dos santos; mas, sim, decorre da imutabilidade do decreto da eleição, 4 fluindo do amor gratuito e inalterável de Deus Pai, sobre a eficácia do mérito e da intercessão de Jesus Cristo; da união com Ele; 5 do juramento de Deus; 6 da habitação de seu Espírito e da semente de Deus dentro neles; 7 da natureza do pacto da graça. 8 De tudo isso decorrem também a certeza e a infalibilidade da perseverança dos santos.

4 Rm8.30: E aos que predestinou, a esses também chamou, e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou.

Rm.9.11,16: E ainda não eram os gêmeos nascidos, nem tinham praticado o bem ou o mal (para que o propósito de Deus quanto à eleição prevalecesse, não por obras, mas por aquele que chama), ...

Assim, pois, não depende de quem quer, ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia.

5 Rm.5.9,10: Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.

Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida;

Jo.14.19: Ainda por um pouco e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis.

6 Hb.6.17,18: Por isso Deus, quando quis mostrar mais firmemente aos herdeiros da promessa a imutabilidade do seu propósito, se interpôs com juramento,

para que, mediante duas cousas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, forte alento tenhamos nós que já corremos para o refúgio, a fim de lançar mão da esperança proposta;

7 1Jo.3.9: Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.

8 Jr.32.40: Farei com eles aliança eterna, segundo a qual não deixarei de lhes fazer o bem; e porei o meu temor no seu coração, para que nunca se apartem de mim.

 

3. Levados pela tentação de Satanás e do mundo, pela prevalência da corrupção que ainda permanece dentro deles, ou pela negligência aos meios para a sua própria preservação, os santos podem incorrer em tristes pecados, e continuar em tais pecados, por algum tempo. 9

Desse modo, eles caem em desagrado perante Deus e entristecem o seu Santo Espírito; 10 vêm-se privados de bênçãos e confortos; 11 têm os seus corações endurecidos e ferida a consciência; 12 ofendem e escandalizam outras pessoas; e fazem vir sobre si mesmos os juízos de Deus, ainda neste mundo. 13

Não obstante, eles renovarão o seu arrependimento, e serão preservados através da fé em Cristo Jesus, até o fim.14

9 Mt.26.70,72,74: Ele, porém, o negou diante de todos, dizendo: Não sei o que dizes.

E ele negou outra vez, com juramento: Não conheço tal homem.

Então começou ele a praguejar e a jurar: Não conheço esse homem! E imediatamente cantou o galo.

10 Is.64.5,9: Sais ao encontro daquele que com alegria pratica justiça. daqueles que se lembram de ti nos teus caminhos; eis que te iraste, porque pecamos; por muito tempo temos pecado, e havemos de ser salvos?

Não te enfureças tanto, ó Senhor, nem perpetuamente te lembres da nossa iniquidade; olha, pois, nós te pedimos, todos nós somos o teu povo.

Ef.4.30: E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção.

11 Sl.51.10,12: Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito inabalável.

Restitui-me a alegria da tua salvação, e sustenta-me com um espírito voluntário.

12 Sl.32.3,4: Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia.

Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim; o meu vigor se tornou em sequidão de estio.

13 2Sm.12.14: Mas, posto que com isto deste motivo a que blasfemassem os inimigos do Senhor, também o filho que te nasceu morrerá.

14 Lc.22.32,61,62: Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos.

Então, voltando-se o Senhor fixou os olhos em Pedro, e Pedro se lembrou da palavra do Senhor, como lhe dissera: Hoje três vezes me negarás, antes de cantar o galo.

Então Pedro, saindo dali, chorou amargamente.

 

CAPÍTULO 18

A CERTEZA DA GRAÇA E DA SALVAÇÃO

1Os seguidores professos, e outras pessoas não-regeneradas, em vão podem enganar a si mesmos com falsas esperanças e presunções carnais, supondo gozar do favor de Deus e estar em um estado de salvação, pois essa esperança deles perecerá. 1

Porém, os que realmente crêem no Senhor Jesus, e o amam sinceramente, procurando andar perante Ele em toda boa consciência, esses podem estar certos de que estão em um estado de graça nesta vida, e podem regozijar-se na esperança da glória de Deus, 2 de cuja esperança jamais se envergonharão. 3

1 Jó 8.13,14: São assim as veredas de todos quantos se esquecem de Deus; e a esperança do ímpio perecerá.

A sua firmeza será frustrada, e a sua confiança é teia de aranha.

Mt.7.22,23: Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres?

Então lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim , os que praticais a iniquidade.

2 1Jo.2.3: Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos.

1Jo.3.14,18,19,21,24: Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos; aquele que não ama permanece na morte.

Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade.

E nisto conheceremos que somos da verdade, bem como, perante ele, tranqüilizaremos o nosso coração.

Amados, se o coração não nos acusar, temos confiança diante de Deus;

E aquele que guarda os seus mandamentos permanece em Deus, e Deus nele. E nisto conhecemos que ele permanece em nós, pelo Espirito que nos deu.

1Jo.5.13: Estas cousas vos escrevi a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus.

3 Rm.5.2,5: ... por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriemo-nos na esperança da glória de Deus.

Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso corações pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.

 

2. Esta certeza não é uma mera persuasão teórica e presumível, baseada em uma esperança que pode falhar. Ela é uma certeza infalível de fé, 4 alicerçada no sangue e na retidão de Cristo revelados no evangelho, 5 bem como na evidência interior de certas graças do Espírito Santo, as quais recebem promessas de Deus. 6 Baseia-se, igualmente, no testemunho do Espírito de adoção, que testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. 7 E esta certeza nos guarda, mantendo o nosso coração humilde e santo. 8

4 Hb.6.11,19: Desejamos, porém, continue cada um de vós mostrando até ao fim a mesma diligência para a plena certeza da esperança;

... a qual temos por âncora da alma, segura e firme, e que penetra além do véu, ...

5 Hb.6.17,18: Por isso Deus, quando quis mostrar mais firmemente aos herdeiros da promessa a imutabilidade do seu propósito, se interpôs com juramento,

para que, mediante duas cousas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, forte alento tenhamos nós que já corremos para o refúgio, a fim de lançar mão da esperança proposta;

6 2Pe.1.4,5,10,11: ... pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos das corrupções das paixões que há no mundo,

por isso mesmo, vós, reunindo toda vossa diligência, associai com vossa fé a virtude; com a virtude o conhecimento;

Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum.

Pois dessa maneira é que vos será amplamente suprida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

7 Rm.8.15,16: Porque não recebestes o espírito de escravidão para viverdes outra vez atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai.

O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.

8 1Jo.3.1-3: Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, ao ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo.

Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser. Sabemos que quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque havemos de vê-lo como ele é.

E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro.

 

3. Esta certeza infalível de salvação não é uma parte essencial da fé cristã, pois um crente pode esperar muito tempo, e lutar contra muitas dificuldades, antes de alcançá-la. 9

Contudo, não é necessária uma revelação especial para que o crente possa ter essa certeza. Sendo habilitado pelo Espírito Santo a conhecer as coisas que lhe são dadas gratuitamente, por Deus, o crente pode obtê-la através do uso correto dos meios apontados por Deus. 10

Portanto, todo cristão tem o dever de procurar confirmar a sua vocação e eleição, com toda diligência, para que seu coração possa dilatar-se, em paz e alegria no Espírito Santo, em amor e gratidão a Deus, em vigor e ânimo para os deveres de obediência. Tais são os frutos naturais dessa certeza, 11 a qual está longe de inclinar os homens para o relaxamento. 12

9 IS.50.10: Quem há entre vós que tema ao Senhor, e ouça a voz do seu Servo que andou em trevas sem nenhuma luz, e ainda assim confiou em o nome do Senhor e se firmou sobre o seu Deus?

Sl.88: Ó Senhor, Deus da minha salvação, dia e noite clamo diante de ti.

Chegue à tua presença a minha oração, inclina os teus ouvidos ao meu clamor.

Pois a minha alma está farta de males e a minha vida já se abeira da morte.

Sou contado com os que baixam à cova: sou como um homem sem força,

atirado entre os mortos; como os feridos de morte que jazem na sepultura, dos quais já não te lembras: são desamparados de tuas mãos.

Puseste-me na mais profunda cova, nos lugares tenebrosos, nos abismos.

Sobre mim pesa a tua ira; tu me abates com todas as tuas ondas.

Apartaste de mim os meus conhecidos, e me fizeste objeto de abominação para com eles; estou preso e não vejo como sair.

Os meus olhos desfalecem de aflição; dia após dia venho clamando a ti, Senhor, e te levanto as minhas mãos.

Mostrarás, tu, prodígios aos mortos, ou os finados se levantarão para te louvar?

Será referida a tua bondade na sepultura? a tua fidelidade nos abismos?

Acaso nas trevas se manifestam as tuas maravilhas? e a tua justiça na terra do esquecimento?

Mas eu, Senhor, clamo a ti por socorro, e antemanhã já se antecipa diante de ti a minha oração.

Por que rejeitas, Senhor, a minha alma? e ocultas de mim o teu rosto?

Ando aflito e prestes a expirar desde moço; sob o peso dos teus terrores estou desorientado.

Por sobre mim passaram as tuas iras, os teus terrores deram cabo de mim.

Eles me rodeiam como água, de contínuo; a um tempo me circundam.

Para longe de mim afastaste amigo e companheiro: os meus conhecidos são trevas.

Sl.77.1-12: Elevo a Deus a minha voz, e clamo, elevo a Deus a minha voz, para que me atenda.

No dia da minha angústia procuro o Senhor; erguem-se as minhas mãos durante a noite, e não se cansam; a minha alma recusa consolar-se.

Lembro-me de Deus e passo a gemer; medito, e me desfalece o espírito.

Não me deixas pregar os olhos: tão perturbado estou, que nem posso falar.

Penso nos dias de outrora, trago à lembrança os anos de passados tempos.

De noite indago o meu íntimo, e o meu espírito perscruta.

Rejeita o Senhor para sempre? Acaso não torna a ser propício?

Cessou perpetuamente a sua graça? Caducou a sua promessa para todas as gerações?

Esqueceu-se Deus de ser benigno? ou, na sua ira, terá ele reprimido as suas misericórdias?

Então disse eu: Isto é a minha aflição: mudou-se a destra do Altíssimo.

Recordo os feitos do Senhor, pois me lembro das tuas maravilhas da antigüidade.

Considero também nas tuas obras todas, e cogito dos teus prodígios.

10 1Jo.4.13: Nisto reconhecemos que permanecemos nele, e ele em nós, em que nos deu do seu Espírito.

Hb.6.11,12: Desejamos, porém, continue cada um de vós mostrando até o fim a mesma diligência para a plena certeza da esperança;

para que não vos torneis indolentes, mas imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas.

11 Rm.5.1,2,5: Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo;

por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriemo-nos na esperança da glória de Deus.

Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso corações pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.

Rm.14.17: Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.

Sl.119.32: Percorrerei o caminho dos teus mandamentos, quando me alegrares o coração.

12 Rm.6.1,2: Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante?

De modo nenhum. Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos?

Tt.2.11,12,14: Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens,

educando-nos para que, regeneradas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos no presente século, sensata, justa e piedosamente, ...

... o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade, e purificar para si mesmo um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.

 

4. Os crentes verdadeiros podem ter a sua certeza de salvação abalada, diminuída ou interrompida, de diversas maneiras: por negligência na preservação dessa certeza; por caírem em algum pecado específico, que fere a consciência e entristece o Espírito; 13 por uma tentação súbita ou veemente; 14 por Deus retirar de sobre eles a luz da sua presença, permitindo que mesmo os que O temem caminhem em trevas, que não tenham luz. 15 Contudo, eles jamais ficam destituídos da divina semente 16 e da vida de fé, 17 do amor de Cristo e dos irmãos, da sinceridade de coração e da consciência do dever. É a partir dessas graças, por obra do Espírito, que a certeza da salvação pode ser revificada, no devido tempo; 18 e, mediante elas, os crentes são preservados de um total desespero. 19

13 Sl..51.8,12,14: Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que exultem os ossos que esmagaste.

Restitui-me a alegria da tua salvação, e sustenta-me com um espírito voluntário.

Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua exaltará a tua justiça.

14 Sl.116.11: Eu disse na minha perturbação: Todo homem é mentiroso.

Sl.77.7,8: Rejeita o Senhor para sempre? Acaso não torna a ser propício?

Cessou perpetuamente a sua graça? Caducou a sua promessa para todas as gerações?

Sl.31.22: Eu disse na minha pressa: Estou excluído da tua presença. Não obstante, ouviste a minha súplice voz, quando clamei por teu socorro.

15 Sl.30.7: Tu, Senhor, por teu favor fizeste permanecer forte a minha montanha; apenas voltaste o rosto, fiquei logo conturbado.

16 1Jo.3.9: Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.

17 Lc.22.32: Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos.

18 Sl.42.5,11: Porque estás abatida, ó minha alma? por que te perturbas dentro em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu.

Porque estás abatida, ó minha alma? por que te perturbas dentro em mim? espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu.

19 Lm.3.26-31: Bom é aguardar a salvação do Senhor, e isso em silêncio.

Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade.

Assente-se solitário e fique em silêncio; porquanto esse jugo Deus o pôs sobre ele;

ponha a tua boca no pó; talvez ainda haja esperança.

Dê a face ao que fere; farte-se de afronta.

O Senhor não rejeitará para sempre;

 

CAPÍTULO 19

A LEI DE DEUS

1. Deus outorgou a Adão uma lei de obediência, que lhe inscreveu no coração; e também um preceito particular, o de não comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. 1 Dessa maneira, Adão e toda sua posteridade ficaram compelidos a uma obediência pessoal, total, exata e perpétua, à lei. 2 Deus prometeu vida como recompensa do cumprimento, e morte como castigo da quebra da lei, 3 tendo dado ao homem o poder e a habilidade para guardá-la.

1 Gn.2.16,17: E lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente,

mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

Ec.7.29: Eis o que tão-somente achei: que Deus fez o homem reto, mas ele se meteu em muitas astúcias.

2 Rm.10.5: Ora, Moisés escreveu que o homem que praticar a justiça decorrente da lei viverá por ela.

3 Gl.3.10,12: Todos quantos, pois, são das obras da lei, estão debaixo de maldição; porque está escrito: maldito todo aquele que não permanece em todas as cousas escritas no livro da lei, para praticá-las.

Ora, a lei não procede da fé, mas: Aquele que observar os seus preceitos, por eles viverá.

 

2. A mesma lei que uma vez foi inscrita no coração humano continuou a ser uma regra perfeita de justiça após a queda. 4 E essa lei foi dada por Deus sobre o monte Sinai e inscrita em duas tábuas de pedra, na forma de dez mandamentos. Os quatro primeiros mandamentos contêm nossos deveres para com Deus, e, os outros seis mandamentos, nossos deveres para com os homens. 50

4 Rm.2.14,15: ... quando, pois, os gentios, que não têm lei, procedem por natureza de conformidade com a lei, não tendo lei, servem eles de lei para si mesmos;

estes mostram a norma da lei gravada nos seus corações, testemunhando-lhes também a consciência, e os seus pensamentos mutuamente acusando-se ou defendendo-se ...

5 Dt.10.4: Então escreveu o Senhor nas tábuas, segundo a primeira escritura, os dez mandamentos que ele vos falara no dia da congregação, no monte, no meio do fogo; e o Senhor mas deu a mim.

 

3. Além desta lei, comumente chamada de lei moral, Deus houve por bem dar leis cerimoniais ao povo de Israel, contendo diversas ordenanças simbólicas: em parte, de adoração, prefigurando Cristo, as suas graças, suas ações, seus sofrimentos, e os benefícios que conferiu; 6 e, em parte, estabelecendo várias instruções de deveres morais. 7

As leis cerimoniais foram instituídas com vigência temporária, pois mais tarde seriam ab-rogadas por Jesus, o Messias e único Legislador, que, vindo no poder do Pai, cumpriu e revogou essas leis. 8

6 Hb.10.1: Ora, visto que a lei tem sombra dos bens vindouros, não a imagem real das cousas, nunca jamais pode tornar perfeitos os ofertantes, com os mesmo sacrifícios que, ano após ano, perpetuamente, eles oferecem.

Cl.2.17: ... porque tudo isso tem sido sombra das cousas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo.

7 1Co,5.7: Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois de fato sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado.

8 Cl.2.14,16,17: ... tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz;

Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados,

... porque tudo isso tem sido sombra das cousas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo.

Ef.2.14,16: Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derrubado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, ...

... e reconciliar-se ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade.

 

4. Deus também deu diversas leis judiciais ao povo de Israel, que expiraram juntamente com o antigo Estado de Israel e agora não possuem caráter obrigatório; são válidas, no entanto, como um padrão moral de equidade coletiva. 9

9 1Co.9.8-10: Porventura falo isto como homem, ou não o diz também a lei?

Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que debulha. Acaso é de bois que Deus se preocupa?

Ou é seguramente por nós que ele o diz? Certo que é por nós que está escrito, pois o que lavra cumpre fazê-lo com esperança; o que debulha, faça-o na esperança de receber a parte que lhe é devida.

 

5. Para sempre a lei moral requer obediência de todos, tanto de pessoas justificadas quanto das demais. 10 E isto não apenas por causa do assunto de que trata essa lei, mas, também, por causa da autoridade de Deus, o Criador, que a impôs. 11 No evangelho, Cristo de modo nenhum dissolve a lei, antes confirma a sua obrigatoriedade. 12

10 Rm.13.8-10: A ninguém fiqueis devendo cousa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama ao próximo tem cumprido a lei.

Pois isto: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, e se há qualquer outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás a teu próximo como a ti mesmo.

O amor não pratica o mal contra o próximo; de sorte que o cumprimento da lei é o amor.

Tg.2.8,10-12: Se vós, contudo, observais a lei régia segundo a Escritura: Amarás o teu próximo como a ti mesmo, fazeis bem;

Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos.

Porquanto aquele que disse: Não adulterarás, também ordenou: Não matarás. Ora, se não adulteras, porém, matas, vens a ser transgressor da lei.

Falai de tal maneira, e de tal maneira procedei, como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade.

11 Tg.2.10,11: Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos.

Porquanto aquele que disse: Não adulterarás, também ordenou: Não matarás. Ora, se não adulteras, porém, matas, vens a ser transgressor da lei.

12 Mt.5.17-19: Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas: não vim para revogar, vim para cumprir.

Porque em verdade vos digo: até que o céu e aterra passem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra.

Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.

Rm.3.31: Anulamos, pois, a lei, pela fé? Não, de maneira nenhuma, antes confirmamos a lei.

6. Embora os verdadeiros crentes não estejam debaixo da lei (como num pacto de obras), para serem justificados ou condenados por ela, 13 mesmo assim a lei é de grande utilidade para eles, bem como para outras pessoas. Isso porque a lei, como uma regra de vida, lhes informa da vontade de Deus e do dever que lhes cabe, dirigindo e constrangendo-os a caminhar segundo esse dever. A lei também descobre as contaminações pecaminosas da natureza humana, dos corações e das vidas, para que eles, examinando-se na lei, possam vir a ter uma maior convicção, humilhação e ódio pelo pecado, 14 além de uma visão mais clara de sua necessidade de Cristo e da perfeição da obediência de Cristo.

Da mesma forma, a lei é útil para restringir as corrupções dos regenerados, pois proíbe o pecado. As ameaças da lei servem para mostrar o que os pecados deles merecem, e com que aflições eles podem contar nesta vida, se pecam, mesmo depois de libertados da maldição e do rigor intransigente da lei.

Igualmente, as promessas da lei demonstram a aprovação de Deus à obediência e quais bênçãos os homens podem esperar receber se cumprirem a lei, embora essas bênçãos não lhes sejam devidas por encargo da lei, como seria num pacto de obras. Por conseguinte, se um homem faz o bem e se refreia do mal (porque a lei encoraja a uma coisa e o dissuade da outra), isso não é evidência de ele estar debaixo da lei e não debaixo da graça. 15

13 Rm.6.14: Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, e sim, da graça.

Gl.2.16: ... sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, e, sim, mediante a fé em Cristo Jesus, também nós temos crido em Cristo Jesus, para que fossemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois por obras da lei ninguém será justificado.

Rm.8.1: Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.

Rm.10.4: Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê.

14 Rm.3.20: ... visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado.

Rm.7.7: Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça se a lei não dissera: Não cobiçarás.

Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda sorte de concupiscência, porque sem lei está morto o pecado.

Outrora, sem a lei, eu vivia; mas, sobrevindo o preceito, reviveu o pecado, e eu morri.

E o mandamento que me fora para vida, verifiquei que este mesmo se me tornou para morte.

Porque o pecado, prevalecendo-se do mandamento, pelo mesmo mandamento me enganou e me matou.

Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento, santo, justo e bom.

Acaso o bem se me tornou em morte? De modo nenhum; pelo contrário, o pecado, para revelar-se como pecado, por meio de uma cousa boa causou-me a morte; a fim de que pelo mandamento se mostrasse sobremaneira malígno.

Porque bem sabemos que a lei é espiritual; eu, todavia, sou carnal, vendido à escravidão do pecado.

Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço o que prefiro, e, sim, o que detesto.

Ora, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.

Neste caso, quem faz isto já não sou eu, mas o pecado que habita em mim.

Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum: pois o querer o bem está em mim; não porém o efetuá-lo [perfeitamente].

Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço.

Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e, sim, o pecado que habita em mim.

Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim.

Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus;

Mas velo nos meus membros outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros.

Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo dessa morte?

Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado.

15 Rm.6.12-14: Não reine, portanto, o pecado em vossa corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões;

nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado como instrumentos de iniquidade; mas oferecei-vos a Deus como ressurrectos dentre os mortos, e os vossos membros a Deus como instrumentos de justiça.

Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, e sim, da graça.

1Pe.3.8-13: Finalmente, sede todos de igual ânimo, compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes,

não pagando mal por mal, ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo, pois para isto mesmo fostes chamados, a fim de receberdes bênção por herança.

Pois quem quer amar a vida e ver dias felizes, refreie a sua língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente;

aparte-se do mal, pratique o que é bom, busque a paz e empenhe-se por alcançá-la.

Porque os olhos do Senhor repousam sobre os justos e os seus ouvidos estão abertos às suas súplicas, mas o rosto do Senhor está contra aqueles que praticam males.

Ora, quem é que vos há de maltratar, se fordes zelosos do que é bom?

 

7. Os usos da lei, acima mencionados, não são contrários à graça do evangelho; antes, concordam docemente com ela, 16 à medida em que o Espírito de Cristo conquista a vontade do homem e o capacita a fazer, espontânea e alegremente, aquilo que a vontade de Deus, revelada na lei, requer que seja feito. 17

16 Gl.3.21: É, porventura, a lei contrária às promessas de Deus? De modo nenhum. Porque se fosse promulgada uma lei que pudesse dar vida, a justiça, na verdade, seria procedente de lei.

17 Ez.36.27: Porei dentro em vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, guardei os meus juízos e os observeis.

 

CAPÍTULO 20

O EVANGELHO E A EXTEN S ÃO DE SUA GRAÇA

1. O pacto das obras foi quebrado pelo pecado e se tornou inútil para conduzir à vida. Mas Deus foi servido prometer Cristo, o descendente de mulher, como o meio de chamar os eleitos e gerar neles fé e o arrependimento. 1 Nesta promessa, a essência do evangelho foi revelada, o que tornou-a eficaz para a conversão e salvação de pecadores. 2

1 Gn.3.15: Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

2 Ap.13.8: ... e adorala-ão todos os que habitam sobre a terra, aqueles cujos nomes não foram escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

 

2.Esta promessa, referente a Cristo e à salvação através dEle, somente é revelada pela Palavra de Deus. 3 As obras da criação ou da providência, bem como a luz da natureza, não fazem mais do que uma apresentação genérica e obscura 4 de Cristo e da graça através dEle; muito menos do que o necessário para que os homens destituídos da revelação de Cristo pudessem alcançar fé salvadora ou arrependimento. 5

3 Rm.1.17: ... visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé.

4 Rm.10.14,15,17: Como, porém, invocarão aquele em que não creram? e como crerão naquele de quem nada ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue?

e como pregarão se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam cousas boas!

E, assim, a fé vem pela pregação e a pregação pela palavra de Cristo.

5 Pv.29.18: Não havendo profecia o povo se corrompe; mas o que guarda a lei esse é feliz.

Is.25.7: Destruirá neste monte a coberta que envolve todos os povos, e o véu que está posto sobre todas as nações.

Is.60.2,3: Porque eis que as trevas cobrem a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti aparece resplendente o Senhor, e a sua glória se vê sobre ti.

As nações se encaminham para a tua luz, e os reis para o resplendor que te nasceu.

 

3. A revelação do evangelho a pecadores - para nações e indivíduos a quem tem sido feita, muitas vezes e de muitas maneiras, com adição de promessas e preceitos de obediência - é devida unicamente à vontade soberana e ao beneplácito de Deus. 6

A revelação do evangelho não está ligada (em virtude de alguma promessa) ao devido bom uso das habilidades humanas à luz da revelação comum, recebida sem o evangelho, porque ninguém jamais conseguiu, nem poderá conseguir tal coisa. 7 Consequentemente, em todas as eras, a pregação do evangelho tem sido feita em grande variedade de extensão ou limitação, a indivíduos e a nações, de acordo com o conselho da vontade de Deus.

6 Sl.147.20: Não fez assim a nenhuma outra nação; todas ignoram os seus preceitos. Aleluia!

At.16.7: ... defrontando Mísia, tentavam ir para Bitínia, mas o Espírito de Jesus não o permitiu.

7 Rm.1.18ss: A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detém a verdade pela injustiça,

porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou.

Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, seno percebidos por meio das cousas que foram criadas. Tais homens são por isso indesculpáveis,

porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato.

Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos,

e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança de imagem de homem corruptível, bem como de aves quadrúpedes e répteis.

Por isso Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seus próprios corações, para desonrarem os seus corpos entre si,

pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura, em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém.

Por causa disso os entregou Deus a paixões infames, porque até as suas mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas, por outro contrário à natureza;

semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo em si mesmos a merecida punição do seu erro.

E, por haverem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem cousas inconvenientes,

cheios de toda injustiça, malícia, avareza e maldade; possuídos de inveja, homicídio, contenda, dolo e malignidade; sendo difamadores,

caluniadores, aborrecidos de Deus, insolentes, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais,

insensatos, pérfidos, sem afeição natural e sem misericórdia.

Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais cousas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem.

 

4. O evangelho é o único meio externo de revelação de Cristo e da graça salvadora, e, como tal, é abundantemente suficiente para isso. No entanto, para que homens que estão mortos em transgressões possam nascer de novo, ser vivificados ou regenerados, faz-se necessária, também, uma obra efetiva e insuperável do Espírito Santo, em cada parte da alma, para produzir neles uma nova vida espiritual. 8 Sem esta obra do Espírito Santo não há outros meios de produzir a conversão a Deus. 9

8 Sl.110.3: Apresentar-se-á voluntariamente o teu povo no dia do teu poder: com santos ornamentos, como o orvalho emergindo da aurora, serão os teus jovens.

1Co.2.14: Ora, o homem natural não aceita as cousas do Espírito de Deus porque lhe são loucura, e não pode entendê-las porque elas se discernem espiritualmente.

Ef.1.19,20: ... e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder,

o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos, e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais, ...

9 Jo.6.44: Ninguém pode vir a mim se o Pai que me enviou não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia.

2Co.4.4,6: ... nos quais o deus desse século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.

Porque Deus que disse: De trevas resplandecerá luz – ele mesmo resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Cristo.

 

CAPÍTULO 21

LIBERDADE CRISTÃ E LIBERDADE DE CONSCIÊNCIA

1. A Liberdade que Cristo comprou para os crentes, no evangelho, consiste na libertação da culpa do pecado, da ira condenatória de Deus, do rigor e da maldição da lei; 1 e consiste na libertação dos crentes deste mundo perverso, 2 da escravidão a Satanás, 3 do domínio do pecado, 4 da malignidade das aflições, 5 do medo e do aguilhão da morte, da vitória da sepultura, 6 e da perdição eterna. 7 Consiste no livre acesso a Deus, no prestar-lhe uma obediência não suscitada por medo escravizador; 8 e, sim, por amor, como o de uma criança, voluntariamente. 9

Tudo isto, em essência, aplicava-se também aos crentes que viviam sob a lei. 10 Sob o Novo Testamento, porém, a liberdade cristã é ampliada, na libertação do jugo da lei cerimonial a que a igreja judaica estava sujeita, na maior ousadia de acesso ao trono da graça, e maior medida do livre Espírito de Deus do que os crentes normalmente desfrutavam sob a lei. 11

1 Gl.3.13: Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar, porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro;

2 Gl.1.4: ... o qual se entregou a si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e Pai, ...

3 At.26.18: ... para lhes abrir os olhos e convertê-los das trevas para a luz e da potestade de Satanás para Deus, a fim de que recebam eles remissão de pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim.

4 Rm.8.3: Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado.

5 Rm.8.28: Sabemos que todas as cousas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

6 1Co.15.54-57: E, quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória.

Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?

O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.

Graças a Deus que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.

7 2Ts.1.10: ... quando vier para ser glorificado nos seus santos e ser admirado em todos os que creram, naquele dia (porquanto foi crido entre vós o nosso testemunho).

8 Rm.8.15: Porque não recebestes espírito o de escravidão para viverdes outra vez atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai.

9 Lc.1.73-75: ... e do juramento que fez a nosso Pai Abraão,

de conceder-nos que, livres da mão dos inimigos, o adorássemos sem temor,

em santidade e justiça perante ele, todos os nossos dias.

1Jo.4.18: No amor não existe medo; antes o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.

10 Gl.3.9,14: De modo que os da fé são abençoados como o crente Abraão.

... para que a benção de Abraão chegasse aos gentios, em Jesus Cristo, a fim de que recebêssemos pela fé o Espírito prometido.

11 Jo.7.38,39: Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.

Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito até esse momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado.

Hb.10.19-21: Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus,

pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne,

e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, ...

 

2. Somente Deus é Senhor da consciência, 12 e Ele a liberou das doutrinas e mandamentos de homens que entrem em contradição com a Palavra ou que não estejam contidos nela. 13 Por isso, acreditar em tais doutrinas ou obedecer tais mandamentos, por causa da consciência, é trair a verdadeira liberdade de consciência. 14 A exigência de uma fé irrestrita, de uma obediência cega e total, significa destruir ao mesmo tempo as liberdades de consciência e raciocínio. 15

12 Tg.4.12: Um só é Legislador de Juiz, aquele que pode salvar e fazer perecer; tu, porém, quem és, que julgas ao próximo?

Rm.14.14: Eu sei, e disse estou persuadido no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma impura, salvo quando aquele que assim o considera; para esse é impura.

13 At.4.19: Mas Pedro e João lhes responderam: julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus;

Atos 5.29: Então Pedro e os demais apóstolos afirmaram: Antes importa obedecer a Deus do que aos homens.

1Co.7.23: Por preço fostes comprados; não vos torneis escravos de homens.

Mt.15.9: E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens.

14 Cl.2.20,22,23: Se morrestes com Cristo para os rudimentos do mundo, por que, como se vivêsseis no mundo, vos sujeitas a ordenanças: ...

... segundo os preceitos e doutrinas dos homens? pois que todas estas cousas, com o uso, se destroem.

Tais cousas, com efeito, têm aparência de sabedoria, como culto de si mesmo, e falsa humanidade, e rigor ascético; todavia, não têm valor algum contra a sensualidade.

15 1Co.3,5: Quem é Apolo? E quem é Paulo? Servos por meio de quem crestes, e isto conforme o Senhor concedeu a cada um.

2Co.1.24: ... não que tenhamos domínio sobre a vossa fé, mas porque somos cooperadores de vossa alegria; porquanto pela fé já estais firmados.

 

3. Os que praticam algum pecado ou alimentam qualquer desejo pecaminoso, a pretexto da liberdade cristã, pervertem o desígnio principal da graça do evangelho, para destruição de si mesmos. 16 Desse modo, eles subvertem a finalidade da liberdade cristã, isto é, que, sendo libertados das mãos de todos os nossos inimigos, possamos servir ao Senhor em santidade e retidão perante Ele, sem medo, por todos os dias de nossa vida. 17

16 Rm.6.1,2: Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante?

De modo nenhum. Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos?

17 Gl.5.13: Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor.

2Pe.2.18,21: ... porquanto, proferindo palavra jactanciosas de vaidade, engodam com paixões carnais, por suas libertinagens, aqueles que estavam prestes a fugir dos que andam no erro,

Pois, melhor lhes fora nunca tivessem conhecido o caminho da justiça, do que, após conhecê-lo, volverem para trás, apartando-se do santo mandamento que lhes fora dado.

 

CAPÍTULO 22

ADORAÇÃO RELIGIOSA E O DIA DO SENHOR

1. A luz da natureza mostra que existe um Deus, que tem senhorio e soberania sobre todos, que é justo, bom, e faz o bem a todos; e que, portanto, deve ser temido, amado, louvado, invocado, crido e servido, de todo o coração, de toda alma, e com todas as forças. 1 Mas a maneira aceitável de se cultuar o Deus verdadeiro é aquela instituída por Ele mesmo, 2 e que está bem delimitada por sua própria vontade revelada, para que Deus não seja adorado de acordo com as imaginações e invenções humanas, nem com as sugestões de Satanás, nem por meio de qualquer representação visível ou qualquer outro modo não descrito nas Sagradas Escrituras. 3

1 Jr.10.7: Quem te não temeria a ti, ó Rei das nações? Pois isto é a ti devido; porquanto entre todos os sábios da nações, e em todo o seu reino, ninguém há semelhante a ti.

Mc.12.33: ... e que amar a Deus de todo o coração, de todo o entendimento e de toda a força, e amar ao próximo como a si mesmo excede a todos os holocaustos e sacrifícios.

2 Dt.12.32: Tudo o que eu te ordeno, observarás; nada lhe acrescentarás nem diminuirás.

3 Êx.20.4-6: Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.

Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o Senhor teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem,

e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.

 

2. A adoração religiosa deve ser dada a Deus - Pai, Filho, Espírito Santo - e somente a Ele: 4 não a anjos, santos ou qualquer outra criatura. 5 E, desde a queda, não sem um mediador, 6 nem por mediação de qualquer outro, senão Cristo, apenas. 7

4 Mt.4.9,10: ... e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.

Então Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele darás culto.

Jo.4.23: Mas vem a hora, e já chegou, quando os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores.

Mt.28.19: Ide, portanto, fazei discípulos e todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo; ...

5 Rm.1.25: ... pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura, em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém.

Cl.2.18: Ninguém se faça árbitro contra vós outros, pretextando humildade e culto dos anjos, baseando-se em visões, enfatuado sem motivo algum na sua mente carnal, ...

Ap.19.10: Prostrei-me ante os seus pés para adorá-lo. Ele, porém, me disse: Vê, não faças isso; sou conservo teu e dos teus irmãos que mantêm o testemunho de Jesus; adora a Deus. Pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia.

6 Jo.14.6: Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim.

7 1Tm..2.5: Porquanto há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, ...

 

3. A oração com ações de graças é requerida por Deus, de todos os homens, 8 por ser parte daquela adoração que é inata a todos os seres humanos. Contudo, para ser aceitável, deve ser feita em nome do Filho, 9 com a ajuda do Espírito, 10 de acordo com a vontade de Deus; 11 com discernimento, reverência, humildade, fervor, fé, amor e perseverança. E, quando em público, em uma língua que seja conhecida. 12

8 Sl.95.1-7: Vinde, cantemos ao Senhor, com júbilo, celebremos o rochedo da nossa salvação.

Saiamos ao encontro, com ações de graça, vitoriemo-lo com salmos.

Porque o Senhor é o Deus supremo, e o grande rei acima de todos os deuses.

Nas suas mãos estão as profundezas da terra, e as alturas dos montes lhe pertencem.

Dele é o mar, pois ele o fez; obras de suas mãos os continentes.

Vinde, adoremos e prostremo-nos, ajoelhemos diante do Senhor que nos criou.

Ele é o nosso Deus, e nós povo do seu pasto, e ovelhas de sua mão. Hoje, se ouvirdes a sua voz, ...

Sl.65.2: Ó tu que escutas a oração, a ti virão todos os homens, ...

9 Jo.14.13,14: E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho.

Se me pedirdes alguma cousa em meu nome, eu o farei.

10 Rm.8.26: Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza, porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira com gemidos inexprimíveis.

11 1Jo.5.14: E esta é a confiança que temos para com ele, que, se pedirmos alguma cousa segundo a sua vontade, ele nos ouve.

12 1Co.14.16,17: E, se tu bendisseres apenas em espírito, como dirá o indouto o amém depois da tua ação de graças? visto que não entende o que dizes,

porque tu de fato dás bem as graças, mas o outro não é edificado.

 

4. A oração deve rogar por coisas lícitas, e por toda sorte de pessoas, vivas ou que ainda viverão; 13 mas não pelos mortos, 14 nem por pessoas que se sabe terem cometido o “pecado para morte”.

13 1Tm.2.1,2: Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens,

em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito.

2Sm.7.29: Sê, pois, agora servido de abençoar a casa do teu servo, a fim de permanecer para sempre diante de ti, pois tu, ó Senhor Deus, o disseste; e com a tua bênção será para sempre bendita a casa do teu servo.

14 2Sm.12.21-23: Disseram-lhe seus servos: Que é isto que fizeste? Pela criança viva jejuaste e choraste; porém depois que ela morreu, tu levantaste e comeste pão.

Respondeu ele: Vivendo ainda a criança, jejuei e chorei, porque dizia: Quem sabe se o Senhor se compadecerá de mim, e continuará viva a criança?

Porém, agora que é morta, porque jejuaria eu? Poderei eu faze-la voltar? Eu irei a ela, porém ela não voltará para mim.

15 1Jo.5.16: Se alguém vir a seu irmão cometer pecado não para morte, pedirá, e Deus lhe dará vida, aos que não pecam para morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que rogue.

 

5. A leitura das Escrituras; 16 a pregação e o ouvir da Palavra de Deus; 17 o ensino e a advertência mútua; o louvor, com salmos, hinos e cânticos espirituais, com gratidão ao Senhor em nossos corações; 18 a administração do batismo, 19 e a Ceia do Senhor: 20 todos são partes da adoração religiosa, que devem ser cumpridas em obediência a Deus, com entendimento, fé, reverência e temor piedoso. Além disso, em ocasiões especiais devem ser usados a humilhação solene, com jejuns, 21 e ações de graças, de uma maneira santa e reverente. 22

16 1Tm.4.13: Até a minha chegada, aplica-te à leitura, à exortação, ao ensino.

17 2Tm.4.2: ... prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda longanimidade e doutrina.

Lc.8.18: Vede, pois, como ouvis; porque ao que tiver, se lhe dará; e ao que não tiver, até aquilo que julga ter lhe será tirado.

18 Cl.3.16: Habite ricamente em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda sabedoria, louvando a Deus, com salmos e hinos e cânticos espirituais, com gratidão, em vossos corações.

Ef.5.19: ... falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor, com hinos e cânticos espirituais, ...

19 Mt.28.19,20: Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo;

ensinando-os a guardar todas as cousas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dia até a consumação do século.

20 1Co.11.26: Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha.

21 Et.4.16: Vai, ajunta a todos os judeus que se acham em Susã, e jejuai por mim, e não comais nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia; eu e as minhas servas também jejuaremos. Depois irei ter com o rei, ainda que é contra a lei; se perecer, pereci.

Jl.2.12: Ainda assim, agora mesmo diz o Senhor: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, com choro e com pranto.

22 Êx.15.1-19: Então entoou Moisés, e os filhos de Israel, este cântico ao Senhor, e disseram: Cantarei ao Senhor, porque triunfou gloriosamente: lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro.

O Senhor é a minha força e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus, portanto eu o louvarei; ele é o Deus de meu pai, por isso o exaltarei.

O Senhor é homem de guerra; Senhor é o seu nome.

Lançou no mar os carros de Faraó e o seu exército; e os seus capitães afogaram-se no mar vermelho.

Os vagalhões os cobriram; desceram às profundezas como pedra.

A tua destra, ó Senhor, é gloriosa em poder, a tua destra, ó Senhor, despedaça o inimigo.

Na grandeza da tua excelência derribas os que se levantam contra ti; envias o teu furor, que os consome como restolho.

Com o resfolgar das tuas narinas amontoaram-se as águas, as correntes pararam em montão; os vagalhões coalharam-se no coração do mar.

O inimigo dizia: Perseguirei, alcançarei, repartirei os despojos; a minha alma se fartará deles, arrancarei a minha espada, a minha mão os destruirá.

Sopraste com o teu vento, o mar os cobriu: afundaram-se como chumbo em águas impetuosas.

Ó Senhor, quem é como tu entre os deuses? Quem é como tu glorificado em santidade, terrível em feitos gloriosos, que operas maravilhas?

Estendeste a tua destra: a terra os tragou.

Com a tua benevolência guiaste o povo, que salvaste; com a tua força o levaste à habitação da tua santidade.

Os povos o ouviram, eles estremecem: agonias apoderara-se dos habitantes da Filístia.

Ora, os príncipes de Edom se perturbam, dos poderosos de Moabe se apodera temor, esmorecem todos os habitantes de Canaã.

Sobre eles cai espanto e pavor: pela grandeza do teu braço emudecem como pedra; até que passe o teu povo, ó Senhor, até que passe o povo que adquiriste.

Tu os introduzirás, e os plantarás no monte da tua herança, no lugar que aparelhaste, ó Senhor, para a tua habitação no Santuário, ó Senhor, que as tuas mãos estabeleceram.

O Senhor reinará por todo o sempre.

Porque os cavalos de Faraó, com os seus carros e com os seus cavalarianos, entraram no mar, e o Senhor fez tornar sobre eles as águas do mar; mas os filhos de Israel passaram a pé enxuto pelo meio do mar.

Sl.107: Rendei graças ao Senhor, porque ele é bom, e a sua misericórdia dura para sempre.

Digam-no os remidos do Senhor, os que ele resgatou da mão do inimigo,

e congregou de entre terras, do Oriente e do Ocidente, do Norte e do mar.

Andaram errantes pelo deserto, por ermos caminhos, sem achar cidade em que habitassem.

Famintos e sedentos, desfalecia neles a alma.

Então, na sua angústia, clamaram ao Senhor, e ele os livrou das suas tribulações.

Conduziu-os pelo caminho direito, para que fossem à cidade em que habitassem.

Rendam graças ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens.

Pois dessedentou a alma sequiosa, e fartou de bens a alma faminta.

Os que se assentaram nas trevas e nas sombras da morte, presos de aflição e em ferros,

por se terem rebelado contra a palavra de Deus, e haverem desprezado o conselho do Altíssimo,

de modo que os abateu com trabalhos o coração - caíram, e não houve quem os socorresse.

Então, na sua angústia, clamaram ao Senhor, e ele os livrou das suas tribulações.

Tirou-os das trevas e das sombras da morte, e lhes despedaçou as cadeias.

Rendam graças ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!

Pois arrombou as portas de bronze e quebrou as trancas de ferro.

Os estultos, por causa do seu caminho de transgressão e por causa das suas iniquidades, serão afligidos.

A sua alma aborreceu toda sorte de comida, e chegaram às portas da morte.

Então, na sua angústia, clamaram ao Senhor, e ele os livrou das suas tribulações.

Enviou-lhes a sua palavra e os sarou, e os livrou do que lhes era mortal.

Rendam graças ao Senhor por sua bondade, e por sus maravilhas para com os filhos dos homens!

Ofereçam sacrifícios de ações de graça, e proclamem com júbilo as suas obras!

Os que, tomando navios, descem aos mares, os que fazem tráfico da imensidade das águas,

esses vêem as obras do Senhor, e as maravilhas nas profundezas do abismo.

Pois ele falou, e fez levantar o vento tempestuoso, que elevou as ondas do mar.

Subiram até aos céus, desceram até aos abismos; no meio destas angústias, desfalecia-lhes a alma.

Andaram e cambalearam como ébrios, e perderam todo tino.

Então, na sua angústia, clamaram ao Senhor, e ele os livrou das suas tribulações.

Fez cessar a tormenta, e as ondas se acalmaram.

Então se alegraram com a bonança; e assim os levou ao desejado porto.

Rendam graças ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!

Exaltem-no também na assembléia do povo, e o glorifiquem no conselho dos anciãos.

Ele converteu rios em desertos, e mananciais em terra seca;

terra frutífera, em deserto salgado, por causa da maldade dos seus habitantes.

Converteu o deserto em lençóis de água, e a terra seca em mananciais.

Estabeleceu aí os famintos, os quais edificaram uma cidade em que habitassem.

Semearam campos e plantaram vinhas, e tiveram fartas colheitas.

Ele os abençoou, de sorte que se multiplicaram muito, e o gado deles não diminuiu,

Mas tornaram a reduzir-se, e foram humilhados pela opressão, pela adversidade e pelo sofrimento.

Lança ele o desprezo sobre os príncipes, e os faz andar errantes, onde não há caminho.

Mas levanta da opressão o necessitado, par um alto retiro, e lhe prospera famílias como rebanhos.

Os retos vêem isso e se alegram, mas o ímpio por toda parte fecha a boca.

Quem é sábio atente para essas cousas, e considere as misericórdias do Senhor.

 

6. Agora, no evangelho, nem a oração nem qualquer outra parte da adoração religiosa está relacionada a um lugar específico, nem se torna mais aceitável por causa do lugar em que é feita ou para o qual a pessoa esteja voltada. Deus deve ser adorado em todo lugar, em espírito e em verdade; 23 na privacidade familiar, 24 diariamente; 25 e em secreto, cada pessoa individualmente; 26 e muito mais solenemente nos cultos públicos, os quais não devem ser intencional ou inconseqüentemente negligenciados ou esquecidos, pois Deus, mediante sua Palavra e providência, nos conclama a prestá-lo. 27

23 Jo.4.21: Disse-lhe Jesus: Mulher, pode crer-me, que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai.

Ml.1.11: Mas desde o nascente do sol até ao poente é grande entre as nações o meu nome; e em todo lugar lhe é queimado incenso e trazidas ofertas puras; porque o meu nome é grande entre as nações, diz o Senhor dos Exércitos.

1Tm.2.8: Quero, portanto, que os varões orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira e sem animosidade.

24 At.10.2: ... piedoso e temente a Deus com toda a sua casa, e que fazia muitas esmolas ao povo e de contínuo orava a Deus.

25 Mt.6.11: ... o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; ...

Sl.55.17: A tarde, pela manhã e ao meio-dia, farei as minhas queixas e lamentarei; e ele ouvirá a minha voz.

26 Mt.6.6: Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto, e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.

27 Hb.10.25: Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns, antes, façamos admoestações, e tanto mais quando verdes que o dia se aproxima.

At.2.42: E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.

 

7. Por instituição divina, é uma lei universal da natureza que uma proporção de tempo seja separada para a adoração a Deus. Por isso, em sua Palavra - através de um mandamento explícito, perpétuo e moral, válido para todos os homens, em todas as eras - Deus determinou que um dia em cada sete lhe seja santificado, 28 como dia de descanso. Desde o começo do mundo, até a ressurreição de Cristo, esse dia era o último da semana; e, desde a ressurreição de Cristo, foi mudado para o primeiro dia da semana, que é chamado “Dia do Senhor”. 29 A guarda desse dia como sábado cristão deve continuar até o fim do mundo, pois foi abolida a observância do último dia da semana.

28 Êx.20.8: Lembra-te do dia de sábado, para o santificar.

29 1Co.16.1,2: Quanto à coleta para os santos, fazei vós também como ordenei às igrejas da Galácia.

No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando, para que se não façam coletas quando eu for.

At.20.7: No primeiro dia da semana, estando nós reunidos com o fim de partir o pão, Paulo, que devia seguir de viagem no dia imediato, exortava-os e prolongou o discurso até à meia-noite.

Ap.1.10: Achei-me em espírito, no dia do Senhor, e ouvi por detrás de mim grande voz, como de trombeta, ...

 

8 O dia do descanso é santificado ao Senhor quando os homens preparam devidamente os seus corações para esse dia e põe em ordem os seus afazeres corriqueiros, de antemão; quando não apenas obedecem a um descanso consagrado, durante o dia todo, de seus próprios trabalhos, palavras e pensamentos, concernentes a ocupações seculares e recreações, 30 mas também ocupam o tempo todo em exercício de adoração a Deus, seja em particular ou em público, e deveres de necessidade e de misericórdia. 31

30 Is.58.13: Se desviares o teu pé de profanar o sábado, e de cuidar dos teus próprios interesses no meu santo dia, mas se chamares ao sábado deleitoso e santo dia do Senhor digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs.

Ne.13.15-22: Naqueles dias vi em Judá os que pisavam lagares ao sábado e traziam trigo que carregavam sobre jumentos, como também vinho, uvas e figos, e toda sorte de cargas, que traziam a Jerusalém no dias de sábado, e protestei contra eles por venderem mantimentos neste dia.

Também habitavam em Jerusalém tírios que traziam peixes e toda sorte de mercadorias, que no sábado vendiam aos filhos de Judá, e em Jerusalém.

Contendi com os nobre de Judá, e lhes disse: Que mal é este que fazeis, profanando o dia de sábado?

Acaso não fizeram vossos pais assim, e não trouxe o nosso Deus todo este mal sobre nós e sobre esta cidade? E vós ainda trazeis ira maior sobre Israel, profanando o sábado.

Dando já sombra as portas de Jerusalém antes do sábado, ordenei que fechassem; e determinei que não abrissem, senão após o sábado; às portas coloquei alguns dos meus moços, para que nenhuma carga entrasse no dia de sábado.

Então os negociantes e os vendedores de toda sorte de mercadorias pernoitaram fora de Jerusalém, uma ou duas vezes.

Protestei, pois, contra eles, e lhes disse: Porque passais a noite defronte do muro? Se outra vez o fizerdes, lançarei mão sobre vós, Daí em diante não tornaram a vir no sábado.

Também mandei aos levitas que se purificassem, e viessem guardar as portas, para santificar o dia de sábado. Também nisto, Deus meu, lembra-te de mim; e perdoa-me segundo a abundância da tua misericórdia.

31 Mt.12.1-13: Por aquele tempo, em dia de sábado, passou Jesus pelas searas. Ora, estando os seus discípulos com fome entraram a colher espigas e a comer.

Os fariseus, porém, vendo isso, disseram-lhe: Eis que os teus discípulos fazem o que não é lícito fazer em dia de sábado.

Mas Jesus lhes disse: Não lestes o que fez Davi quando ele e seus companheiros tiveram fome?

Como entrou na casa de Deus, e comeram os pães da proposição, os quais não lhe era lícito comer, nem a ele nem aos que com ele estavam, mas exclusivamente aos sacerdotes?

Ou não lestes na lei que, aos sábados , os sacerdotes no templo violam o sábado e ficam sem culpa? Pois eu vos digo:

Aqui está quem é maior que o templo. Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não holocausto, não teríeis condenado inocentes.

Porque o filho do homem é senhor do sábado.

Tendo Jesus partido dali, entrou na sinagoga deles.

Achava-se ali um homem que tinha uma das mãos ressequida; e eles então. Com o intuito de acusá-lo, perguntaram a Jesus: É justo curar no sábado?

Ao que lhe respondeu: Qual dentre vós será o homem que, tendo uma ovelha, e, num sábado, esta cair numa cova, não fará todo o esforço, tirando-a dali?

Ora, quanto mais vale um homem que uma ovelha? Logo, é lícito fazer bem aos sábados.

Então disse ao homem: Estende a tua mão. Estendeu-a, e ela ficou sã como a outra.

CAPÍTULO 23

JURAMENTOS LEGÍTIMOS E VOTOS

1. O juramento legítimo é também um ato de adoração religiosa, pelo qual a pessoa, jurando em verdade, justiça e discernimento, invoca solenemente a Deus como testemunha daquilo que foi jurado; 1 e para que julgue a pessoa de acordo com a veracidade ou falsidade de seu juramento. 2

1 Êx.20.7: Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão, porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.

Dt..10.20: Ao Senhor teu Deus temerás; a ele servirás, a ele te chegarás, e pelo seu nome jurarás.

Jr.4.2: ... se jurares pela vida do Senhor, em verdade, em juizo e em justiça, então nele serão benditas as nações e nele se glorificarão.

2 2Cr.6.22,23: Quando alguém pecar contra o seu próximo, e lhe for exigido que jure, e ele vier a jurar diante do teu altar nesta casa,

ouve, tu, dos céus, age, e julga a teus servos, dando a paga ao perverso, fazendo recair o seu proceder sobre a sua cabeça, e justificando ao justo, para lhe retribuíres segundo a sua justiça.

 

2. O único nome pelo qual se deve jurar é o nome de Deus, que deve ser usado com santo temor e reverência. Por isso, jurar em vão, ou, temerariamente, por esse nome glorioso e tremendo; ou jurar por qualquer outra coisa, constitui um ato pecaminoso e abominável. 3

No entanto, a Palavra de Deus autoriza o juramento, quando para decidir assuntos de grande importância e peso, para uma confirmação da verdade, e para encerrar contendas. 4 Por conseguinte, se a autoridade civil exige um juramento, e se este é legítimo, deve ser prestado. 5

3 Mt.5.34,37: Eu, porém, vos digo: De modo algum jureis: Nem pelo céu, por ser o trono de Deus; ...

Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno.

Tg.5.12: Acima de tudo, porém, meus irmãos, não jureis nem pelo céu, nem pela terra, nem por qualquer outro voto, antes seja o vosso sim, sim, e o vosso não, não, para não cairdes em juízo.

4 Hb.6.16: pois os homens juram pelo que lhes é superior, e o juramento, servido de garantia, para eles, é o fim de toda contenda.

2Co.1.23: Eu, porém, por minha vida, tomo a Deus por testemunha de que, para vos poupar, não tornei ainda a Corinto;

5 Ne.13.25: Contendi com eles, e os amaldiçoei, e espanquei alguns deles, e lhes arranquei os cabelos, e os conjurei por Deus, dizendo: Não dareis mais vossas filhas a seus filhos, não tomareis mais suas filhas, nem para os vossos filhos, nem para vós mesmos.

 

3. Qualquer pessoa que tome um juramento autorizado pela Palavra de Deus, deve considerar devidamente as implicações de um ato tão solene, para que nada afirme senão aquilo que ela sabe que é verdade, porque juramentos temerários, falsos ou em vão, constituem uma provocação ao Senhor, e por causa deles a terra se lamenta. 6

6 Lv.19.12: ... nem jurareis falso pelo meu nome, pois profanaríeis o nome do vosso Deus. Eu sou o Senhor.

Jr.23.10: Porque a terra está cheia de adúlteros, e chora por causa da maldição divina; os pastos do deserto se secam; pois a carreira dos adúlteros é má, e a sua força não é reta.

 

4. O juramento deve ser prestado no sentido claro e explícito das palavras, sem equívocos e sem restrições mentais. 7

7 Sl.24.4: O que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à falsidade, nem jura dolosamente.

 

5. O voto não deve ser feito a criatura alguma, mas somente a Deus; e deve ser feito e cumprido com todo cuidado e fidelidade religiosa. 8 Porém, os votos monásticos católicos-romanos - voto de celibato, 9 voto de pobreza, 10 e voto de obediência - em vez de serem graus de maior perfeiição, não passam de armadilhas supersticiosas e iníquas, com as quais cristão nenhum deve embaraçar-se.

8 Sl.76.11: Fazei votos, e pagai-os ao Senhor vosso Deus; tragam presentes todos que o rodeiam, àquele que deve ser temido.

Gn.28.20-22: Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta jornada que empreendo, e me der pão para comer e roupa para que me vista,

de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai, então o Senhor será o meu Deus;

e a pedra, que erigi por coluna, será a casa de Deus; e de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo.

9 1Co.7.2,9: ... mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido.

Caso, porém, não se dominem, que se casem, porque é melhor casar do que viver abrasado.

Mt.19.11: ... Jesus, porém, lhes respondeu: Nem todos são aptos para receber este conceito, mas apenas aqueles a quem é dado.

10 Ef.4.28: Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado.

 

CAPÍTULO 24

MAGISTRADO CIVIL

1. Deus, o Senhor supremo e Rei de todo o mundo, ordenou que houvesse magistrados civis, para lhe estarem sujeitos e governarem sobre o povo, para o bem público e para a glória de Deus. E para que desempenhem essa função, Deus os armou com o poder da espada, para defesa e o encorajamento daqueles que fazem o bem, e para a punição dos malfeitores. 1

1 Rm.13.1-4: Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas.

De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenança de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação.

Porque os magistrados não são para temor quando se faz o bem, e, sim, quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem, e terás louvor dela,

visto que a autoridade é ministro de Deus par o teu bem. Entretanto, se fizerdes o mal, teme, porque não é sem motivo que ela traz a espada, pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal.

 

2. Quando chamado para isso, é lícito que o cristão aceite e execute o ofício do Magistrado. No desempenho desse ofício, ele deve especialmente manter a justiça e a paz, 2 de acordo com todas as leis de cada comunidade. E, para esse fim, mesmo agora, na vigência do Novo Testamento, ele pode inclusive empreender a guerra, se isto for justo e necessário na ocasião. 3

2 2Sm.23.3: Disse o Deus de Israel, a Rocha de Israel a mim me falou: Aquele que domina com justiça sobre os homens, que domina no temor de Deus ...

Sl.82.3,4: Fazei justiça ao fraco e ao órfão, procedei retamente para com o aflito e o desamparado.

Socorrei o fraco e o necessitado; tirai-o das mãos dos ímpios.

3 Lc.3.14: Também soldados lhe perguntaram: E nós, que faremos? E ele lhes disse: A ninguém maltrateis, não deis denúncia falsa, e contentai-vos com o vosso soldo.

 

3. Visto que os magistrados são instituídos por Deus para as finalidades já mencionadas anteriormente, requer-se de nós a obediência, no Senhor, a todas as coisas lícitas ordenadas pelas autoridades, não apenas por causa da punição, mas como dever de consciência. 4 Devemos suplicar e orar pelos magistrados e todos os que estão investidos de autoridade, para que, sob seu governo, vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito. 5

4 Rm.13.5-7: É necessário que lhes estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência.

Por esse motivo também pagais tributos: porque são ministros de Deus, atendendo constantemente a este serviço.

Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra.

1Pe.2.17: Tratai a todos com honra, amai aos irmãos, temei a Deus, honrai o rei.

5 1Tm.2.1,2: Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens,

em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito.

 

CAPÍTULO 25

MATRIMÔNIO

1.O casamento é para ser entre um homem e uma mulher. Não é lícito ao homem ter mais de uma esposa, e nem à mulher ter mais de um marido ao mesmo tempo. 1

1 Gn.2.24: Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.

Ml.2.15: Ninguém com um resto de bom senso o faria. Mas que fez um patriarca? Buscava descendência prometida por Deus. Portanto cuidai de vós mesmos, e ninguém seja infiel para com a mulher da sua mocidade.

Mt.19.5,6: ... e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe. e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne?

De modo que já não são mais dois, porém uma só carne. Portanto o que Deus ajuntou não o separe o homem.

2. O casamento foi ordenado para o auxílio mútuo entre marido e mulher, 2 para a propagação da humanidade por uma descendência legítima, 3 e para impedir a impureza. 4

2 Gn.2.18: Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só: far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea.

3 Gn.1.28: E Deus os abençoou, e lhes disse: Sede fecundos. multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela a terra.

4 1Co.7.2,9: ... mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido.

Caso, porem, não se dominem, que se casem, porque é melhor casar do que viver abrasado.

 

3. O casamento é lícito para todos os tipos de pessoas, desde que possam dar o seu consentimento racional. 5 Porém, o dever dos cristãos é casarem-se somente no Senhor. 6 Por isso os que temem a Deus e professam a verdadeira religião não devem casar-se com incrédulos ou idólatras, para que, casando-se, não se ponham em jugo desigual com uma pessoa iníqua, ou com quem defenda uma heresia condenável. 7

5 Hb.13.4: Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leite sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros.

1Tm.4.3: ... que proíbem o casamento, exigem abstinência de alimentos, que Deus criou para serem recebidos, com ações de graça, pelos fieis e por quantos conhecem plenamente a verdade;

6 1Co.7.39: A mulher está ligada enquanto vive o marido; contudo se falecer o marido, fica livre para casar com quem quiser, mas somente no Senhor.

7 Ne.13.25-27: Contendi com eles, e os amaldiçoei, e espanquei alguns deles, e lhes arranquei os cabelos, e os conjurei por Deus, dizendo: Não dareis mais vossas filhas a seus filhos, não tomareis mais suas filhas, nem para os vossos filhos, nem para vós mesmos.

Não pecou nisto Salomão, rei de Israel? Todavia entre muitas nações não havia rei semelhante a ele, e ele era amado do seu Deus, e Deus o constitui rei sobre todo o Israel. Não obstante isso, as mulheres estrangeiras o fizeram cair no pecado.

Dar-vos-íamos nós ouvidos, para fazermos todo este grande mal, prevaricando contra o nosso Deus, casando com mulheres estrangeiras?

 

4. Não devem casar-se pessoas entre as quais existam graus de parentesco ou consangüinidade que sejam proibidos na Palavra de Deus. 8 As uniões incestuosas jamais poderão ser legitimadas por qualquer lei humana ou pelo consentimento das partes, pois não é correto tais pessoas viverem juntas, como marido e mulher. 9

8 Lv.18: Disse mais o Senhor a Moisés:

Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Eu sou o Senhor vosso Deus.

Não fareis segundo as obras da terra do Egito, em que habitaste, nem fareis segundo as obras da terra de Canaã, para a qual eu vos levo, nem andareis nos seus estatutos.

Fareis segundo os meus juízos, e os meus estatutos guardareis, para andardes neles: Eu sou o Senhor vosso Deus.

Portanto os meus estatutos e os meus juízos guardareis; cumprindo os quais, o homem viverá por eles: Eu sou o Senhor.

Nenhum homem se chegará a qualquer parenta da sua carne, para lhe descobrir a nudez: Eu sou o Senhor.

Não descobriras a nudez de teu pai, e de tua mãe: Ela é tua mãe; não lhe descobriras a nudez.

Não descobrirás a nudez da mulher de teu pai; é nudez de teu pai.

A nudez da tua irmã, filha de teu pai, ou filha de tua mãe, nascida em casa, ou fora de casa, a sua nudez não descobrirás.

A nudez da filha do teu filho, ou da filha de tua filha, a sua nudez não descobrirás, porque é tua nudez.

Não descobrirás a nudez da filha da mulher de teu pai, gerada de teu pai: ela é tua irmã.

A nudez da irmã de teu pai não descobrirás; ela é parenta de teu pai.

A nudez da irmã de tua mãe não descobrirás; pois ela é parenta de tua mãe.

A nudez do irmão de teu pai não descobrirás; não te chegarás a sua mulher; ela é tua tia.

A nudez de tua nora não descobrirás: ela é mulher de teu filho; não lhe descobrirás a nudez.

A nudez da mulher de teu irmão não descobrirás; é a nudez de teu irmão.

A nudez duma mulher e de sua filha não descobrirás; não tomarás a filha de seu filho, nem a filha de sua filha, para lhe descobrir a nudez; parentes são: maldade é.

E não tomarás com tua mulher outra, de sorte que lhe seja rival, descobrindo a sua nudez com ela durante sua vida.

Não te chegarás à mulher para lhe descobrir a nudez, durante a sua menstruação.

Nem te deitarás com a mulher de teu próximo, para te contaminares com ela.

E da tua descendência não darás nenhum para dedicar-se a Moloque, nem profanarás o nome de teu Deus: Eu sou o Senhor.

Com homem não te deitarás como se fosse mulher: É abominação.

Nem te deitarás com animal para te contaminares com ele, nem a mulher se porá perante um animal, para ajuntar-se com ele: É confusão.

Com nenhuma dessas cousas vos contamineis, porque com todas estas cousas se contaminaram as nações que eu lanço fora de diante de vós.

E a terra se contaminou; e eu visitei nela a sua iniquidade, e ela vomitou os seus moradores.

Porém vós guardareis os meus estatutos e os meus juízos, e nenhuma dessas abominações fareis, nem o natural, nem o estrangeiro que peregrina entre vós;

porque todas estas abominações fizeram os homens desta terra que nela estavam antes de vós; e a terra se contaminou.

Não suceda que a terra vos vomite, havendo-a contaminado, como vomitou o povo que nela estava antes de vós.

Todo que fizer alguma destas abominações, sim, aqueles que as cometerem, serão eliminados do seu povo.

Portanto guardareis a obrigação que tendes para comigo, não praticando nenhum dos costumes abomináveis que se praticaram antes de vós, e não se contamineis com eles: Eu sou o Senhor vosso Deus.

9 Mc.6.18: Pois João lhe dizia: Não te é lícito possuir a mulher de teu irmão.

1Co.5.1: Geralmente se ouve que há entre vós imoralidade, e imoralidade tal, como nem mesmo entre os gentios, isto é, haver quem se atreva a possuir a mulher de seu próprio pai.

 

CAPÍTULO 26

A IGREJA

1. A Igreja universal (ou católica), que com respeito à obra interna do Espírito, e da verdade da graça, pode ser chamada invisível, consiste no número total dos eleitos que já foram, estão sendo, ou ainda serão chamados em Cristo, o Cabeça de todos. A Igreja é a esposa, o corpo e a plenitude daquele que é tudo em todos. 1

1 Hb.12.23: ... e igreja dos primogênitos arrolados nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados, ...

Cl.1.18: Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia, ...

Ef.1.10,22,23: ... de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as cousas, tanto as do céu com as da terra;

E pôs todas as coisas debaixo dos seus pés, para ser o cabeça sobre todas as cousas. o deu à igreja,

a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as cousas.

Ef.5.23,27,32: ... porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo salvador do corpo.

... para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem cousa semelhante, porém santa e sem defeito.

Grande é o mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja.

 

2. Todas as pessoas ao redor do mundo, que professam fé no evangelho e obediência a Deus, mediante Cristo, de acordo com o evangelho, e que não destroem o seu testemunho com alguma doutrina fundamentalmente errada ou conversão profana: esses podem ser chamados de os santos, 2 de que se compõe a igreja visível; e todas as congregações deviam ser constituídas de pessoas assim. 3

2 Rm.1.7: A todos os amados de Deus que estais em Roma, chamados para serdes santos: Graça a vós outros e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.

3 1Co.1.2: ... à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome do Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso:

 

3. Mesmo as igrejas mais puras sobre a terra estão sujeitas a erros doutrinários e a comprometimentos. 4 Algumas se degeneraram tanto, que deixaram de ser Igrejas de Cristo, e passaram a ser sinagogas de Satanás. 5 A despeito disso, porém, Cristo sempre teve e sempre terá um reino neste mundo, até o fim dos tempos. Esse reino é formado dos que nEle crêem e confessam o se nome. 6

4 1Co.5: Geralmente se ouve que há entre vós imoralidade, e imoralidade tal, como nem mesmo entre os gentios, isto é, haver quem se atreva a possuir a mulher de seu próprio pai.

E, contudo, andais vós ensoberbecidos, e não chegaste a lamentar, para que fosse tirado do vosso meio quem tamanho ultraje praticou?

Eu, na verdade, ainda que ausente em pessoa, mas presente em espírito, já sentenciei, como se estivesse presente, que o autor de tal infâmia seja,

em nome do Senhor Jesus, reunidos vós e o meu espírito, com o poder de Jesus, nosso Senhor,

entregue a Satanás para destruição da carne, a fim de que o espírito seja salvo no dia do Senhor [Jesus].

Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda?

Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois de fato sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado.

Por isso celebremos a festa. não com o velho fermento, nem com o fermento da maldade e da malícia; e, sim, com os asmos da sinceridade e da verdade.

Já em carta vos escrevi que não vos associeis com os impuros:

refiro-me com isto não propriamente aos impuros deste mundo, ou aos avarentos, ou roubadores, ou idólatras, pois neste caso teríeis de sair do mundo.

Mas agora vos escrevo que não vos associeis com alguém que, dizendo-se irmão, for impuro, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com este tal nem ainda comais.

Pois com que direito haveria eu de julgar os de fora? Não julgais vós os de dentro?

Os de fora, porém, Deus julgará. Expulsai, pois, de entre vós o malfeitor.

Ap.2-3: Ao anjo da igreja em Éfeso escreve: Estas cousas diz aquele que conserva na mão direita as sete estrelas e que anda no meio dos sete candeeiros de ouro:

Conheço as tuas obras, assim o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achastes mentirosos;

e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer.

Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor.

Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te, e volta à prática das primeiras obras; e se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.

Tens contudo, a teu favor, que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus.

Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver:

Conheço a tua tribulação, a tua pobreza, mas tu és rico, e a blasfêmia dos que a si mesmos se declaram judeus, e não são, sendo antes sinagoga de Satanás.

Não temas as cousas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida.

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. O vencedor, de nenhum modo sofrerá dano da Segunda morte.

Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Estas cousas diz aquele que tem a espada afiada de dois gumes:

Conheço o lugar em que habitas, onde está o trono de Satanás, e que conservas o meu nome, e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antípas, minha testemunha, meu fiel, quando foi morto entre vós, onde Satanás habita.

Tenho, todavia, contra ti algumas cousas, pois que tens aí os que sustentam a doutrina de Balaão, o qual ensina a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem cousas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição.

Outrossim, também tu tens os que da mesma forma sustentam a doustrina dos nicolaítas.

Portanto, arrepende-te; e se não, venho a ti sem demora, e contra eles pelejarei com a espada da minha boca.

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná escondido, bem como lhe darei uma pedrinha branca e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe.

Ao anjo da igreja em Tiatira escreve: Estas cousas diz o Filho de Deus, que tem os olhos como chama de fogo, e os pés semelhantes ao bronze polido:

Conheço as tuas obras, a tua fé, o teu serviço, a tua perseverança e as tuas últimas obras, mais numerosas do que as primeiras.

Tenho, porém, contra ti o tolerares que essa mulher, Jezabel, que a si mesma se declara profetisa, não somente ensine, mais ainda seduza os meus servos a praticarem a prostituição e a comerem cousas sacrificadas aos ídolos.

Dei-lhe tempo para que se arrependesse; ela, todavia, não quer arrepender-se da sua prostituição.

Eis que a prostro de cama, bem como em grande tribulação os que com ela adulteram, caso não se arrependam das obras que ela incita.

Matarei os seus filhos, e todas as igrejas conhecerão que eu sou aquele que sonda mente e corações, e vos darei a cada um segundo as vossas obras.

Digo, todavia, a vós outros, os demais de Tiatira, a tantos quantos não têm essa doutrina e que não conheceram, como eles dizem, as cousas profundas de Satanás: Outra carga não jogarei sobre vós;

tão somente conservai o que tendes, até que eu venha.

Ao vencedor, e ao que guarda até o fim as minhas obras, eu lhe darei autoridade sobre as nações,

e com cetro de ferro as regerá, e as reduzirá a pedaços como se fossem objetos de barro;

assim como também eu recebi de meu Pai, dar-lhe-ei ainda a estrela da manhã.

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito diz às igrejas.

Ao anjo da igreja de Sardes escreve: Estas cousas diz aquele que tem os sete espíritos de Deus, e as sete estrelas:

Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto.

Sê vigilante, e consolida o resto que estava para morrer, porque não tenho achado íntegras as tuas obras na presença de meu Deus.

Lembra-te, pois, de como tens recebido e ouvido, guarda-o, e arrepende-te. Porquanto, se não vigiares, virei como ladrão, e não conhecerás de modo algum em que hora virei contra ti.

Tens, contudo, em Sardes, umas poucas pessoas que não contaminaram as suas vestiduras, e andarão de branco junto comigo, pois são dignas.

O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do livro da vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito diz às igrejas.

Ao anjo da igreja de Filadélfia escreve: Estas cousas diz o santo, o verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi, que abre e ninguém fechará, e que fecha e ninguém abre:

Conheço as tuas obras – eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar – que tens pouca força, entretanto guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome.

Eis farei que alguns dos que são da sinagoga de Satanás , desses que a si mesmos se declaram judeus, e não são, mas mentem, eis que os farei vir e prostar-se aos teus pés, e conhecer que eu te amei.

Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei na hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra.

Venho sem demora. Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.

Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no santuário de meu Deus, e daí jamais sairá; gravarei também sobre ele o nome do meu Deus, o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, vinda da parte do meu Deus, e o meu novo nome.

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.

Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Estas cousas diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:

Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente!

Assim, porque és morno, e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca;

pois dizes: estou rico e abastado, e não preciso de cousa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu.

Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os teus olhos, a fim de que vejas.

Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê pois, zeloso, e arrepende-te.

Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e cearei com ele e ele comigo.

Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci, e me sentei com meu Pai no seu trono.

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.

5 Ap.18.2: Então exclamou com potente voz dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, covil de toda espécie de espírito imundo e esconderijo de todo gênero de ave imunda e detestável.

2Ts.2.11,12: É por este motivo, pois, que Deus lhes manda a operação do erro, para darem crédito à mentira,

a fim de serem julgados todos quantos não deram crédito à verdade; antes, pelo contrário, deleitaram-se com a injustiça.

6 Mt.16.18: Também eu te digo que teu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

Sl.72.17: Subsista para sempre o seu nome, e prospere enquanto resplandecer o sol, nele sejam abençoados todos os homens, e as nações lhe chamem bem-aventurado.

Sl.102.28: Os filhos dos teus servos habitarão seguros, e diante de ti se estabelecerá a sua descendência.

Ap.12.17: Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus.

 

4.O Senhor Jesus Cristo é o Cabeça da Igreja. Por determinação do Pai, de uma maneira suprema e soberana, nEle está investido o poder de chamar, instituir, ordenar e governar a Igreja. 7 O papa de Roma não pode, em qualquer sentido, ser o cabeça da Igreja; ele é o anticristo, o homem da iniquidade e filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra Cristo e contra tudo que se chama Deus, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, como se fosse o próprio Deus. O Senhor Jesus o matará com o sopro da sua boca. 8

7 Cl.1.18: Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia, ...

Mt.28.18-20: Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra.

Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo;

ensinando-os a guardar todas as cousas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dia até a consumação do século.

Ef.4.11,12: E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres,

com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para edificação do corpo de Cristo.

8 2Ts.2.2-9: ... a que não vos demovais da vossa mente, com facilidade, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como se procedesse de nós, supondo tenha chegado o dia do Senhor.

Ninguém, de nenhum modo vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia, e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição.

o qual se opõe e se levanta contra tudo aquilo que se chama Deus, ou objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus.

Não vos recordais de que, ainda convosco, eu costumava dizer-vos estas cousas?

E, agora, sabeis o que o detém, para que ele seja revelado somente em ocasião própria.

Com efeito o mistério da iniquidade já opera e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém;

então será de fato revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca, e o destruirá, pela manifestação da sua vinda.

Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder e sinais e prodígios da mentira,...

 

5. No exercício desse poder de que está investido, o Senhor Jesus chama a si aqueles que deste mundo lhe foram dados pelo Pai, 9 através do ministério da Palavra, e por seu Espírito, a fim de que possam caminhar diante dEle, em todos os caminhos que Ele lhes prescreve na Palavra. 10 E manda que as pessoas assim chamadas caminhem juntas, formando sociedades locais, as igrejas, para a edificação mútua e a devida performance do culto público que Ele requer dos seus neste mundo. 11

9 Jo.10.16: Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las; elas ouvirão a minha voz; então haverá um rebanho e um pastor.

Jo.12.32: E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo.

10 Mt.28.20: ... ensinando-os a guardar todas as cousas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dia até a consumação do século.

11 Mt.18.15-20: Se teu irmão pecar [contra ti], vai argüi-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão.

Se porém, não te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que, pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra de estabeleça.

E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano.

Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra terá sido ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra terá sido desligado no céu.

Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer cousa que porventura pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai, que está nos céus.

Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles.

 

6. Os membros dessas igrejas são santos por chamamento, manifestando visivelmente e evidenciando a sua obediência ao chamado de Cristo, 12 tanto por confessarem a Cristo, como, também, pelo seu modo de vida.

Os chamados consentem voluntariamente em ter comunhão uns com os outros, de acordo com o mandato de Cristo; e, por vontade de Deus, entregam-se uns aos outros e ao Senhor, submetendo-se às ordenanças do evangelho. 13

12 Rm.1.7: A todos os amados de Deus que estais em Roma, chamados para serdes santos: Graça a vós outros e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.

1Co.1.2: ... à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos que em todo lugar, invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso.

13 At.2.41,42: Então os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase mil pessoas.

E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.

At.5.13,14: Mas, dos restantes, ninguém ousava ajuntar-se a eles; porém o povo lhes tributava grande admiração.

E crescia mais e mais a multidão de crentes, tanto homens como mulheres, agregados ao Senhor, ...

2Co.9.13: ... visto como, na prova desta ministração, glorificam a Deus pela obediência da vossa confissão quanto ao evangelho de Cristo, e pela liberalidade com que contribuís para eles e para todos.

 

7. De acordo com a mente de Cristo, declarada na Palavra, Deus deu a cada uma dessa igrejas todo poder e autoridade necessários ao desempenho da forma de adoração e de disciplina por Ele instituídas para a observância na igreja, com mandamentos e normas para a aplicação devida e o emprego correto desse poder. 14

14 Mt.18.17,18: E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano.

Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra terá sido ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra terá sido desligado no céu.

1Co.5.4,5: ... em nome do Senhor Jesus, reunidos vós e o meu espírito, com o poder de Jesus, nosso Senhor,

entregue a Satanás para a destruição da carne, a fim de que o espírito seja salvo no dia do Senhor [Jesus].

1Co.5.13: Os de fora, porém, Deus os julgará. Expulsai, pois, de entre vós o malfeitor.

2Co.2.6-8: ... basta-lhe a punição pela maioria.

De modo que deveis, pelo contrário, perdoar-lhe e confortá-lo, para que não seja o mesmo consumido por excessiva tristeza.

Pelo que vos rogo que confirmeis para com ele o vosso amor.

 

8. Uma igreja local, reunida e completamente organizada de acordo com a mente de Cristo, consiste de oficiais e membros. Os oficiais designados por Cristo serão escolhidos e consagrados pela igreja congregada. São eles os anciãos (ou bispos) e os diáconos; 15 cabe-lhes especificamente a administração das ordenanças [Batismo e Ceia do Senhor] e o exercício do poder ou do dever com que foram instruídos, ou para o qual foram chamados por Cristo. Este sistema deve ser mantido na igreja, até o fim do mundo.

15 At.20.17,28: De Mileto mandou a Éfeso chamar os presbíteros da igreja.

Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a Igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.

Fp.1.1: Paulo e Timóteo, servos de Cristo Jesus, a todos os santos em Cristo Jesus, inclusive bispos e diáconos, que vivem em Filipos:

 

9.O modo designado por Cristo para o chamamento de uma pessoa capacitada e dotada pelo Espírito Santo, ao ofício de bispo ou ancião da igreja, é a escolha pelo consenso da igreja. 16 Os bispos serão consagrados solenemente, com jejum, oração, e a imposição de mãos pelos anciãos da igreja 17 (caso exista algum). Os diáconos serão escolhidos por igual eleição e consagrados por oração e imposição de mãos. 18

16 At.14.23: E, promovendo-lhes em cada igreja a eleição de presbíteros, depois de orar com jejuns, os encomendaram ao Senhor em quem haviam crido.

17 1Tm.4.14: Não te faças negligente para com o dom que há em ti, o qual te foi concedido mediante profecia, com a imposição das mãos do presbitério.

18 At.6.3,5,6: Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço; ...

O parecer agradou a toda comunidade; e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia.

Apresentaram-nos perante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos.

 

10. A incumbência dos pastores é atender constantemente à obra de Cristo nas igrejas, no ministério da Palavra e da oração, zelando pelo bem espiritual das almas que lhes foram confiadas, e das quais terão que prestar contas a Cristo. 19 As igrejas têm a incumbência de prestar todo o respeito que é devido aos seus ministros; e fazê-los participantes de todas as boas coisas materiais, de acordo com as possibilidades de cada igreja, 20 para que os ministros possam viver confortavelmente e não tenham que emaranhar-se em ocupações seculares, 21 podendo também exercer hospitalidade para com os outros. 22 Isto é requerido pela própria lei da natureza, e pelo mandato expresso de nosso Senhor Jesus, que ordenou “aos que pregam o evangelho, que vivam do evangelho”. 23

19 At.6.4: e, quanto a nós, nos consagraremos a oração e ao ministério da palavra.

Hb.13.17: Obedecei aos vossos guias, e sede submissos para com eles; pois velam por vossas almas, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque isto não aproveita a vós outros.

20 1Tm.5.17,18: Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com especialidade os que afadigam na palavra e no ensino.

Pois a Escritura declara: Não amordaces o boi, quando pisa o grão. E ainda: O trabalhador é digno do seu salário.

Gl.6.6,7: Mas aquele que está sendo instruído na palavra faça participante de todas as cousas boas aquele que o instrui.

Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que homem semear, isso também ceifará.

21 2Tm.2.4: Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou.

22 1Tm.3.2: É necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível, esposo de uma só mulher, temperante, sóbrio, modesto, hospitaleiro, apto para ensinar; ...

23 1Co.9.6-14: Ou somente eu e Barnabé não temos direito de deixar de trabalhar?

Quem jamais vai à guerra à sua própria custa? Quem planta a vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta um rebanho e não se alimenta do leite do rebanho?

Porventura falo isto como homem, ou não o diz também a lei?

Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que debulha. Acaso é de bois que Deus se preocupa?

Ou é seguramente por nós que ele o diz? Certo que é por nós que está escrito, pois o que lavra cumpre fazê-lo com esperança; o que debulha, faça-o na esperança de receber a parte que lhe é devida.

Se nós vos semeamos as cousas espirituais, será muito recolhermos de vós bens materiais?

Se outros participam desse direito sobre vós, não o temos nós em maior medida?

Entretanto não usamos desse direito; antes suportamos tudo, para não criarmos qualquer obstáculo ao evangelho de Cristo.

Não sabeis vós que os que prestam serviços sagrados, do próprio templo se alimentam; e quem serve ao altar, do altar tira o seu sustento?

Assim ordenou também o Senhor aos que pregam o evangelho, que vivam do evangelho.

 

11. Embora a tarefa de serem diligentes na pregação da Palavra seja, por definição de ofício, uma incumbência dos bispos (os pastores) das igrejas, a pregação da Palavra não está confinada exclusivamente a eles. Outras pessoas, que tenham sido dotadas e preparadas pelo Espírito Santo, e que também tenham sido convocadas pela Igreja, podem e devem ocupar-se com a obra da pregação. 24

24 At.11.19-21: Então os que foram dispersos, por causa da tribulação que sobreveio a Estêvão, se espalharam até a Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra, senão somente aos judeus.

Alguns deles, porém, que eram de Chipre e de Cirene, e que foram até Antioquia, falavam também aos gregos, anunciando-lhes o evangelho do Senhor Jesus.

A mão do Senhor estava com eles, e muitos, crendo, se converteram ao Senhor.

1Pe.4.10,11: Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.

Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que em todas as cousas seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém.

12. Todos os crentes têm a obrigação de congregar-se em igrejas locais, no local que lhes seja possível, e quando lhes seja possível. E todos os que são admitidos aos privilégios da comunhão na igreja estão também sujeitos à disciplina e ao governo da igreja, 25 segundo a norma de Cristo.

25 1Ts.5.14: Exortamo-vos, também, irmãos, a que admoesteis os insubmissos, consoleis os desanimados, ampareis os fracos, e sejais longânimos para com todos.

2Ts.3.6,14,15: Nós vos ordenamos, irmãos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo irmão que ande desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebestes;

Caso alguém não preste obediência à nossa palavra dada por esta epístola, notai-o; nem vos associeis com ele, para que fique envergonhado.

Todavia, não o considereis por inimigo, mas adverti-o como irmão.

 

13. Nenhum membro deve perturbar a ordem ou faltar às reuniões da igreja; e nem deve deixar de receber a ministração das ordenanças [Batismo e Ceia do Senhor] por causa de uma ofensa recebida de qualquer dos membros da igreja, seja qual for a ofensa.

Mesmo que já tenha cumprido com o seu dever em relação àqueles contra quem se sente ofendida, a pessoa deve esperar em Cristo, e deixar que o seu caso seja resolvido pela disciplina da igreja. 26

26 Mt.18.15-17: Se teu irmão pecar [contra ti], vai argüi-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão.

Se porém, não te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que, pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra se estabeleça.

E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano.

Ef.4.2,3: ... com toda humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor,

esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz.

 

14. Os membros de cada igreja local devem orar continuamente pelo bem e pela prosperidade de todas as igrejas de Cristo, em todo lugar. 27 E devem trabalhar para a expansão da Igreja, em todas as ocasiões, exercendo cada um os seu dons e graças, na sua área de atuação, e de acordo com o seu chamamento. Portanto, as igrejas - quando dispostas pela providência de Deus de uma maneira em que isto seja possível - devem desfrutar da oportunidade e das vantagens de manterem comunhão entre si, a fim de promoverem a paz, o amor, e a edificação mútua. 28

27 Ef.6.18: ... com toda oração e súplica, orando em todo o tempo no Espírito, e para isso vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos, ...

Sl.122.6: Orai pela paz de Jerusalém! Sejam prósperos os que te amam.

28 3Jo.8-10: Portanto, devemos acolher esses irmãos, para nos tornarmos cooperadores da verdade.

Escrevi alguma cousa à igreja; mas Diótrefes, que gosta de exercer a primazia entre eles, não nos dá acolhida.

Por isso, se eu for aí, far-lhe-ei lembradas as obras que ele pratica, proferindo contra nós palavras maliciosas. E, não satisfeito com estas cousas, nem ele mesmo acolhe os irmãos, como impede os que querem recebê-los, e os expulsa da igreja.

Rm.16.1,2: Recomendo-vos a nossa irmã Febe, que está servindo à igreja de Cencréia,

para que a recebais no Senhor como convém a santos, e a ajudeis em tudo que de vós vier a precisar; porque tem sido protetora de muitos, e de mim inclusive.

 

15. Em caso de dificuldades ou divergências acerca de questões doutrinárias, ou do governo de igreja; se as igrejas em geral, ou se uma igreja está sendo perturbada em sua paz, união e edificação; ou se algum membro ou membros de alguma igreja for atingido por medidas disciplinares que não condizem com a verdade e a norma - nestes casos, segundo a mente de Cristo, muitas igrejas devem reunir-se em comunhão, mediante representantes, para considerar e opinar sobre o assunto de divergência; e o seu parecer deve ser comunicado a todas as igrejas envolvidas. 29

Contudo, essa assembléia de representantes não fica investida de poder eclesiástico algum, propriamente dito, nem de qualquer jurisdição sobre as igrejas que a constituem. Ela não pode aplicar disciplina alguma sobre pessoas ou igrejas, e nem pode impor resoluções sobre as igrejas e seus oficiais. 30

29 At.15.2,4,6,22,23,25: Tendo havido, da parte de Paulo e Barnabé, contenda e não pequena discussão com eles, resolveram que esses dois e alguns outros dentre eles subissem a Jerusalém, aos apóstolos e presbíteros, com respeito a essa questão.

Tendo eles chegado a Jerusalém, foram recebidos pela igreja, pelos apóstolos e pelos presbíteros, e relataram tudo o que Deus fizera com eles.

Então pareceu bem aos apóstolos e aos presbíteros, com toda igreja, tendo elegido homens dentre eles, enviá-los, juntamente com Paulo de Barnabé, a Antioquia: foram Judas, chamado Barsábas, e Silas, homens notáveis entre os irmãos,

escrevendo por mão deles: Os irmãos, tanto apóstolos como os presbíteros, aos irmãos de entre os gentios em Antioquia, Síria e Cilícia, saudações.

... pareceu-nos bem, chegados a pleno acordo, eleger homens e enviá-los a vós outros com os nossos amados Barnabé e Paulo, ...

30 2Co.1.24: ... não que tenhamos domínio sobre a vossa fé, mas porque somos cooperadores de vossa alegria, porquanto pela fé já estais firmados.

1Jo.4.1: Amados, não deis crédito a qualquer espírito: antes provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo afora.

CAPÍTULO 27

A COMUNHÃO DOS SANTOS

1. Todos os santos estão unidos a Jesus Cristo, o Cabeça, pelo Espírito e pela fé, e têm comunhão com Ele em suas graças, sofrimentos, morte, ressurreição e glória, 1 muito embora isso não os torne uma só pessoa com Ele.

Estamos unidos uns aos outros no amor, eles têm comunhão nos dons e nas graças de cada um; 2 e têm a obrigação de cumprir os deveres públicos ou particulares que, de uma maneira ordeira, conduzam ao bem-estar comum, tanto em questões espirituais quanto materiais. 3

1 1Jo.1.3: ... o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo.

Jo.1.16: Porque todos nós temos recebido da sua plenitude, e graça sobre graça.

Fp.3.10: ... para o conhecer e o poder da sua ressurreição e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte, ...

Rm.6.5,6: Porque se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente o seremos também na semelhança da sua ressurreição;

sabendo isto, que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos;

2 Ef.4.15,16: Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é o cabeça, Cristo,

de quem todo corpo, bem ajustado e consolidado, pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor.

1Co.12.7: A manifestação do Espírito é concedida a cada um, visando um fim proveitoso.

1Co.3.21-23: Portanto, ninguém se glorie nos homens, porque tudo é vosso:

seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, sejam as cousas presentes, sejam as futuras, tudo é vosso,

e vós de Cristo, e Cristo de Deus.

3 1Ts.5.11,14: Consolai-vos, pois, uns aos outros, e edificai-vos reciprocamente, como também estais fazendo.

Exortamo-vos, também, irmãos, a que admoesteis os insubmissos, consoleis os desanimados, ampareis os fracos, e sejais longânimos para com todos.

Rm.1.12: ... isto é, para que, em vossa companhia, reciprocamente nos confortemos, por intermédio da fé mútua, vossa e minha.

1Jo.3.17,18: Ora, aquele que possuir recursos deste mundo e vir a seu irmão padecer necessidade e fechar-lhe o seu coração, como pode permanecer nele o amor de Deus?

Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade

Gl.6.10: Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé.

 

2. Os santos, ao fazerem sua profissão de fé, comprometem-se a manter uma santa associação e comunhão para adorar a Deus e prestar outros serviços espirituais, que tendam à sua mútua edificação; 4 também têm compromisso de socorrer uns aos outros em coisas materiais, de acordo com as habilidades e as necessidades de cada um. 5

Esta comunhão, segundo a norma do evangelho, deve especialmente ser exercida no âmbito familiar 6 e nas igrejas; 7 mas, conforme Deus ofereça oportunidade para isso, também deve ser estendida a toda a família da fé, a todos os que, em todo lugar, invocam o nome do Senhor Jesus.

Entretanto, a comunhão de uns com os outros, como santos, não destrói nem infringe o direito ou a propriedade de cada pessoa, seus bens e possessões. 8

4 Hb.10.24,25: Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras.

Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns, antes, façamos admoestações, e tanto mais quando verdes que o dia se aproxima.

Hb.3.12,13: Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo;

pelo contrário, exortái-vos mutuamente cada dia, durante o tempo que se chama Hoje, a fim de que nenhum de vós seja endurecido pelo engano do pecado.

5 At.11.29,30: Os discípulos, cada um conforme as suas posses, resolveram enviar socorro aos irmãos que moravam na Judéia;

o que eles, com efeito, fizeram, enviando-o aos presbíteros por intermédio de Barnabé e de Saulo.

6 Ef.6.4: E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor.

7 1Co.12.14-27: Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos.

Se disser o pé: Porque não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixa de ser do corpo.

Se o ouvido disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; nem por isso deixa de o ser.

Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde o olfato?

Mas Deus dispôs os membros, colocando cada um deles no corpo, como lhe aprouve.

Se todos, porém, fossem um só membro, onde estaria o corpo?

O certo é que há muitos membros, mas um só corpo.

Não podem os olhos dizer à mão: Não precisamos de ti; nem ainda a cabeça, aos pés: Não preciso de vós.

Pelo contrário, os membros do corpo que parecem ser mais fracos, são necessários,

e os que nos parecem menos dignos no corpo, a estes damos muito maior honra; também os que em nós não são decorosos revestimos de especial honra.

Mas o nossos membros nobres não têm necessidade disso, contudo Deus coordenou o corpo, concedendo muito mais honra àquilo que menos tinha,

para que não haja divisão no corpo, pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros.

De maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é honrado, com ele todos se regozijam.

Ora, vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo.

8 At.5.4: Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste a homens, mas a Deus.

Ef.4.28: Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado.

 

CAPÍTULO 28

BATISMO E CEIA DO SENHOR

1. O Batismo e a Ceia do Senhor são ordenanças que foram instituídas de maneira explícita e soberana, pelo próprio Senhor Jesus - o único Legislador. Ele determinou que sejam continuadas em sua igreja estas ordenanças, até o fim do mundo. 1

1 Mt.28.19,20: Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo;

ensinando-os a guardar todas as cousas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dia até a consumação do século.

1Co.11.26: Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha.

 

2. Estas santas ordenanças cevem ser ministradas somente por aqueles que para isso estejam qualificados, e que sejam chamados por um comissionamento de Cristo. 2

2 Mt.28.19: Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo; ...

1Co.4.1: Assim pois, importa que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus.

 

CAPÍTULO 29

BATISMO

1. O Batismo é uma ordenança do Novo Testamento, instituída por Jesus Cristo, para ser, para a pessoa batizada, um sinal de sua comunhão com Cristo, na sua morte e ressurreição; de sua união com Ele; 1 da remissão dos pecados; 2 da consagração da pessoa a Deus, através de Jesus Cristo, para viver e andar em novidade de Vida. 3

1 Rm.6.3-5: Ou, porventura, ignorais que todos os que fomos batizados em Cristo Jesus, fomos batizados na sua morte?

Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.

Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente o seremos também na semelhança da sua ressurreição.

Cl.2.12: ... tendo sido sepultados juntamente com ele no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos.

Gl.3.27: ... porque todos quantos fostes batizados em Cristo, de Cristo vos revestistes.

2 Mc.1.4: ... apareceu João Batista no deserto, pregando batismo de arrependimento para remissão de pecados.

3 Rm.6.4: Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.

 

2. Somente pode ser submetidas a esta ordenança as pessoas que de fato professam arrependimento para com Deus, fé e obediência ao Senhor Jesus. 4

4 Mc.16.16: Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.

At.8.36,37: Seguindo eles caminho fora, chegado a certo lugar onde havia água, disse o eunuco: Eis aqui água, que impede que seja eu batizado?

[Filipe respondeu: É lícito, se crês de todo coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.]

At.2.41: Então os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas.

At.8.12: Quando, porém, deram crédito a Filipe, que os evangelizava a respeito do reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, iam sendo batizados, assim homens como mulheres.

At.18.8: Mas Crispo, o principal da sinagoga, creu no Senhor, com toda a sua casa; também muitos dos coríntios, ouvindo, criam e eram batizados.

 

3. O elemento externo a ser empregado nesta ordenança será a água, na qual a pessoa será batizada em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. 5

5 Mt.28.19,20: Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo;

ensinando-os a guardar todas as cousas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dia até a consumação do século.

At.8.38: Então mandou parar o carro, ambos desceram à água, e Filipe batizou o eunuco.

 

4. Para a devida administração desta ordenança é necessária a imersão, ou seja, a submersão da pessoa na água. 6

6 Mt.3.16: Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele.

Jo.3.23: Ora, João estava também batizando em Enon, perto de Salim, porque havia ali muitas águas, e para lá concorria o povo e era batizado.

 

CAPÍTULO 30

A CEIA DO SENHOR

1. A ceia do Senhor Jesus foi instituída por Ele, na mesma noite em que foi traído, para ser observada nas igrejas até o fim do mundo; a fim de lembrar perpetuamente e ser um testemunho do sacrifício de sua morte; 1 para confirmar os crentes na fé e em todos os benefícios dela decorrentes; para promover a nutrição espiritual e o crescimento deles, em Cristo; para encorajar o maior engajamento deles em todos os seus deveres para com Cristo; e para ser um elo e um penhor da comunhão com Ele e de uns com os outros. 2

1 1Co.11.23-26: Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão,

e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim.

Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.

Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ela venha.

2 1Co.10.16,17,21: Porventura o cálice da bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é a comunhão do corpo de Cristo?

Porque nós, embora muitos, somos unicamente um pão, um só corpo, porque todos participamos do único pão.

Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios: não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.

 

2. Nesta ordenança Cristo não é oferecido ao Pai, nem qualquer sacrifício real é feito, para remissão do pecado dos vivos ou dos mortos. A ceia é apenas um memorial do sacrifício único que Cristo fez de si mesmo, sobre a cruz e de uma vez por todas; 3 é também uma oferta espiritual, de todo o louvor que é possível oferecer a Deus em reconhecimento ao sacrifício feito por Cristo. 4

O sacrifício católico-romano da missa (como é chamado) é totalmente abominável e uma injúria ao sacrifício pessoal de Cristo, que é a propiciação única por todos os pecados dos eleitos.

3 Hb.9.25,26,28: ... nem ainda para se oferecer a si mesmo muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no Santo dos Santos com sangue alheio.

Ora, neste caso, seria necessário que ele tivesse sofrido muitas vezes desde a fundação do mundo; agora, porém, ao se cumprirem os tempos, se manifestou uma vez por todas, para aniquilar pelo sacrifício de si mesmo o pecado.

Assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para salvação.

4 1Co.11.24: ... e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim.

Mt.26.26,27: Enquanto comiam, tomou Jesus um pão, abençoando-o, o partiu e o deu aos seus discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo.

A seguir tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos;

 

3. No cumprimento desta ordenança, o Senhor Jesus determinou que seus ministros orem e abençoem os elementos, pão e vinho, separando-os do seu uso comum para uso sagrado. Os ministros devem tomar e partir o pão; tomar o cálice e, participando eles mesmos desses elementos, dá-los também, ambos, aos demais comungantes. 5

5 1Co.11.23-26: Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão,

e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim.

Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.

Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ela venha.

 

4. Negar o cálice ao povo; adorar os elementos; levantar ou carregá-los perante o público, para adoração; e guardar os elementos para qualquer outra finalidade supostamente religiosa: tudo isso contradiz a natureza desta ordenança, bem como a intenção de Cristo ao instituí-la. 6

6 Mt.26.26-28: Enquanto comiam, tomou Jesus um pão, abençoando-o, o partiu e o deu aos seus discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo.

A seguir tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos,

porque isto é o meu sangue, o sangue da [nova] aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados.

Mt.15.9: E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens

Êx.20.4,5: Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.

Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o Senhor teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem,

 

5. Os elementos exteriores desta ordenança, devidamente consagrados para os usos que Cristo ordenou, possuem uma correlação com Cristo crucificado. De fato, embora os termos sejam apenas usados figuradamente, às vezes eles são chamados pelo nome das coisas que representam, isto é, o corpo e o sangue de Jesus Cristo, 7 se bem que, em substância e em natureza, continuem sendo apenas pão e vinho, como eram antes. 8

7 1Co.11.27: Por isso, aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente, será réu do corpo e do sangue do Senhor.

8 1Co.11.26-28: Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha.

Por isso, aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente, será réu do corpo e do sangue do Senhor.

Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma do pão e beba do cálice.

 

6. A doutrina que ensina uma mudança de substância no pão e no vinho (que supostamente se transformam na substância do corpo e do sangue de Cristo pela consagração por um sacerdote, ou por qualquer outro modo), comumente chamada de doutrina da transubstanciação, não somente é repugnante à Escritura, 9 mas também ao senso comum e à razão. Ela subverte a natureza desta ordenança, tendo sido, e é, a causa de muitas superstições e de grosseiras idolatrias. 10

9 At.3.21: ... ao qual é necessário que o céu receba até aos tempos da restauração de todas as cousas, de que Deus falou por boca dos seus santos profetas desde a antigüidade.

Lc.24.6,39: Ele não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos de como vos preveniu, estando ainda na Galileia,...

Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e verificai, porque um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho.

10 1Co.11.24,25: ... e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim.

Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.

 

7. De fato e em verdade, os que recebem exteriormente os elementos desta ordenança, desde que comungando dignamente, - pela fé, não de maneira carnal ou corporal, mas espiritual - recebem a Cristo crucificado e dEle se alimentam, bem como todos os benefício de sua morte.

Para os que crêem, o corpo e o sangue de Cristo estão presentes na ordenança, não de maneira corporal ou carnal, mas de modo espiritual, tanto quanto estão presentes os elementos visíveis. 11

11 1Co.10.16: Portanto o cálice da bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é a comunhão do corpo de Cristo?

1Co.11.23-26: Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão,

e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim.

Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.

Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ela venha.

 

8. As pessoas ignorantes e ímpias, visto não estarem propriamente adequadas para desfrutar da comunhão com Cristo, são, portanto, indignas da mesa do Senhor, e não podem tomar parte nestes santos mistérios, nem a ele serem admitidas 12 sem que cometam um grande pecado contra Cristo. Qualquer que comer do pão ou beber do cálice do Senhor, indignamente, será réu do corpo e do sangue do Senhor, comendo e bebendo juízo para si. 13

12 2Co.6.14,15: Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos, porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão da luz com as trevas?

que harmonia entre Cristo e o maligno? Ou que união do crente com o incrédulo?

13 1Co.11.29: ... pois quem come e bebe sem discernir o corpo, come e bebe juízo para si.

Mt.7.6: Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis ante os porcos as vossas pérolas, para que não as pisem com os pés e, voltando-se, vos dilacerem.

 

CAPÍTULO 31

O ESTADO DO HOMEM APÓS A MORTE

A RESSURREIÇÃO DOS MORTOS

1. Após a morte o corpo humano retorna ao pó e vê corrupção. 1 A alma, porém, não morre nem dorme, porque possui subsistência imortal, retornando imediatamente para Deus, que a deu. 2

As almas dos justos são aperfeiçoadas em santidade e recebidas no paraíso, onde estão com Cristo e contemplam a face de Deus, em luz e glória, aguardando a plena redenção de seus corpos. 3 As almas dos ímpios são lançadas no inferno, onde permanecem em tormentos e completa escuridão, guardadas para o juízo do grande dia. 4 Além desses dois lugares, a Escritura não reconhece outro lugar para as almas separadas de seus corpos.

1 Gn.3.19: No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado: porque tu és pó e ao pó tornarás.

At.13.36: Porque, na verdade, tendo Davi servido à sua própria geração conforme o desígnio de Deus, adormeceu, foi para junto de seus pais e viu corrupção.

2 Ec.12.7: ... e o pó volte à terra, como o era, e o espirito volte a Deus, que o deu.

3 Lc.23.43: Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.

2Co.5.1,6,8: Sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos da parte de Deus um edifício, casa não feita por mãos, eterna, nos céus.

Temos, portanto, sempre bom ânimo, sabendo que, enquanto no corpo, estamos ausentes do Senhor.

Entretanto estamos em plena confiança, preferindo deixar o corpo e habitar com o Senhor.

Fp.1.23: Ora, de um e outro lado estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor.

Hb.12.23: ... e igreja dos primogênitos arrolados nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados, ...

4 Jd.6,7: ... e anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio, ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande dia;

como Sodoma e Gomorra e as cidades circunvizinhas que, havendo-se entregue à prostituição como aqueles, seguindo após outra carne, são postas para exemplo do fogo eterno, sofrendo punição.

1Pe.3.19: ... no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão, ...

Lc.16.23,24: No inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro no seu seio.

Então, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim! e manda a Lázaro que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama.

 

2. No último dia, os santos que estiverem vivos não morrerão, mas serão transformados. 5 Todos os mortos serão ressuscitados com os seus mesmos corpos, e não outros; 6 porém, esses corpos terão propriedades diferentes das que anteriormente tinham; e serão novamente unidos às respectivas almas, para sempre. 7

5 1Co.15.51,52: Eis que vos digo um mistério: Nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos,

num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.

1Ts.4.17: ... depois nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.

6 Jó 19.26,27: Depois, revestido este meu corpo da minha pele, em minha carne verei a Deus.

Vê-lo-ei por mim mesmo, os meus olhos o verão, e não outros; de saudade me desfalece o coração dentro de mim.

7 1Co.15.42,43: Pois assim também é a ressurreição dos mortos. Semeia-se o corpo na corrupção, ressuscita na incorrupção. Semeia-se em desonra, ressuscita em glória.

Semeia-se em fraqueza, ressuscita em poder.

 

3. Os corpos dos injustos serão ressuscitados para a desonra, pelo poder de Cristo. Os corpos dos justos serão ressuscitados para a honra, pelo Espírito, e serão conformados ao corpo de Jesus glorificado. 8

8 At.24.15: ... tendo esperança em Deus, como também estes a têm, de que haverá ressurreição, tanto de justos como de injustos.

Jo.5.28,29: Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão:

os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo.

Fp.3.21: ... o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as cousas.

 

CAPÍTULO 32

O JUÍZO FINAL

1. Deus determinou um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio de Jesus Cristo. 1 A Ele todo poder e todo julgamento foram conferidos pelo Pai.

Nesse dia, não somente os anjos apóstatas serão julgados; 2 também as pessoas que viveram sobre a terra, todas comparecerão perante o tribunal de Cristo, e para prestar conta de seus pensamentos, palavras e ações, para receberem segundo o bem ou o mal que tiverem feito por meio do corpo. 3

1 At.17.31: ... porquanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça por meio de um varão que destinou e acreditou diante de todos, ressuscitando-o dentre os mortos.

Jo.5.22,27: E o Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou todo julgamento.

E lhe deu autoridade para julgar, porque é o Filho do homem.

2 1Co.6.3: Não sabeis que havemos de julgar os próprios anjos, quanto mais as cousas desta vida?

Jd.6: ... e os anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio, ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande dia; ...

3 2Co.5.10: Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.

Ec.12.14: Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas quer sejam más.

Mt.12.36: Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens dela darão conta no dia do juízo; ...

Rm.14.10,12: Tu, porém, por que julgas a teu irmão? e tu, porque desprezas o teu? pois todos compareceremos perante tribunal de Deus.

Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.

Mt.25.32ss: ... e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas; e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos à esquerda;

então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.

Porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era forasteiro e me hospedastes;

estava nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; preso e foste ver-me.

Então perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? ou com sede e te demos de beber?

E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? ou nu e te vestimos?

E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar?

O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que sempre que o fizeste a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizeste.

Então o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno preparado para o diabo e seus anjos.

Porque tive fome e não me destes de comer; tive sede e não me destes de beber;

sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu, não me vestistes; achando-me enfermo e preso, não fostes ver-me.

E eles lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso, e não te assistimos?

Então lhes responderá: Em verdade vos digo que sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer.

E irão estes para o castigo eterno, porém os justos para a vida eterna.

 

2. O propósito de Deus, ao estabelecer esse dia, consiste em manifestar a glória de sua misericórdia, na salvação eterna dos eleitos; e a glória de sua justiça, na punição eterna dos réprobos, que são perversos e desobedientes. 4 Naquele dia os justos irão para a vida eterna na presença do Senhor e receberão como galardão eterno uma plenitude de alegria e glória. Mas os perversos, que não conhecem a Deus e não obedecem ao evangelho de Jesus Cristo, serão lançados aos tormentos eternos 5 e punidos com eterna destruição, banidos da face do Senhor e da glória do seu poder. 6

4 Rm.9.22,23: Que diremos, pois, se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita longanimidade os vasos de ira, preparados para a perdição,

a fim de que também desse a conhecer as riquezas da sua glória em vasos de misericórdia, que para glória preparou de antemão, ... ?

5 Mt.25.21,34: Disse-lhe o Senhor: Muito bem, servo bom e fiel, foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei: entra no gozo do teu Senhor.

... então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.

2Tm.4.8: Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda.

6 Mt.25.46: E irão estes para o castigo eterno, porém os justos para a vida eterna.

Mc.9.48: ... onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga.

2Ts.1.7-10: ... e a vós outros que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder,

em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus.

Estes sofrerão penalidade de eterna destruição, banidos da face do Senhor e da glória do seu poder,

quando vier para ser glorificado nos seus santos e ser admirado em todos os que creram, naquele dia (porquanto foi crido entre vós o nosso testemunho).

 

3, Cristo deseja que estejamos bem persuadidos de que haverá um dia de juízo, para que os homens se afastem do pecado, 7 e para que os justos tenham maior consolação em suas adversidades. 8 Ele também deseja que esse dia não seja conhecido dos homens, até que venha, a fim de que eles se despojem de toda confiança carnal e estejam sempre vigilantes, por não saberem a que hora o Senhor virá; 9 e que possam sempre estar preparados para dizer “ Vem, Senhor Jesus, vem sem demora”. 10 Amém.

7 2Co.5.10,11: Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo para que cada um receba segundo o bem e o mal que tiver feito por meio do corpo.

E assim, conhecendo o temor do Senhor, persuadimos aos homens, e somos cabalmente conhecidos por Deus; e espero que também a vossa consciência nos reconheça.

8 2Ts.1.5-7: ... sinal evidente do reto juízo de Deus, para que sejais considerados dignos do reino de Deus, pelo qual, com efeito, estais sofrendo:

se de fato é justo para com Deus que ele dê em paga tribulação aos que vos atribulam,

e a vós outros que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder, ...

9 Mc.13.35-37: Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o dono da casa: se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã;

para que, vindo ele inesperadamente, não vos ache dormindo.

O que, porém, vos digo, digo a todos: Vigiai!

Lc.12.35-40: Cingidos estejam os vossos corpos e acesas as vossas candeias.

Sede vós semelhantes a homens que esperam pelo seu senhor, ao voltar ele das festas de casamento; para que, quando vier a bater à porta, logo lhe abram.

Bem-aventurados aqueles servos a quem o Senhor, quando vier, os encontre vigilantes; em verdade vos afirmo que ele há de cingir-se, dar-lhes lugar à mesa e, aproximando-se, os servirá.

Quer ele venha na segunda vigília, quer na terceira, bem-aventurados serão eles, se assim os achar.

Sabei, porém, isto: que, se o pai de família soubesse a que hora havia de vir o ladrão, [vigiaria e] não deixaria arrobar a sua casa.

Ficai também vós apercebidos, porque, à hora que não cuidais, o Filho do homem virá.

10 Ap.22.20: Aquele que dá testemunho destas cousas diz: certamente, venho sem demora. Amém. Vem, Senhor Jesus.

FONTE www.avivamentonosul.blogspot.com